Fanfic: Grave Academy.

Página 3 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Pesquisa de Popularidade 2

Mensagem  Jack Jerripher em Sex Jan 20, 2012 11:27 am

Acho que já conhecem o esquema:

Personagem Preferido:
Confronto Preferido:
Técnica Preferida:
Capítulo Preferido:
''Momento de Terror'' Preferido:
Personagem com a melhor história:
Nota para o Clímax:
Nota geral para a Fic:
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Cattleya L. H. Valliére em Dom Jan 22, 2012 12:08 pm

/ divide empate

Personagem Preferido: Margarete Rabbit
Confronto Preferido: Kain VS Blaise / Samantha e Co. VS Charlotte
Técnica Preferida: Chariot
Capítulo Preferido: Capítulo 23 / 29
''Momento de Terror'' Preferido: Fio da Aranha
Personagem com a melhor história: Blair Liddel
Nota para o Clímax: 9/10
Nota geral para a Fic: 10/10

Você realmente fez as postagens mais seguidas, obrigada Smile

Nem acredito que acabou para dizer a verdade... Mas pelo menos já foi confirmada a continuação :]
avatar
Cattleya L. H. Valliére

Mensagens : 5
Data de inscrição : 30/11/2011
Idade : 34
Localização : Transilvânia.

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Marshall C. Duke em Ter Jan 24, 2012 1:11 pm

Oi! resolvi fazer uma conta ao invés de ficar só lendo :]

Personagem Preferido: Sophie Merryweather
Confronto Preferido: Blaise x Kain
Técnica Preferida: Αφής του Δία
Capítulo Preferido: capítulo 28, muita ação!
''Momento de Terror'' Preferido: Número 7
Personagem com a melhor história: Blair Liddel
Nota para o Clímax: 10/10
Nota geral para a Fic: 10/10, no começo descobri o fórum pelo google, daí fui lendo a fanfic sem nem me registrar kkkkkkkk
avatar
Marshall C. Duke

Mensagens : 7
Data de inscrição : 24/01/2012
Idade : 21
Localização : EUA/Transilvânia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Ran Mao Scarlet em Dom Jan 29, 2012 9:02 am

Personagem Preferido: Jack Jerripher
Confronto Preferido: Luke, Brenda, Gary, Kain e Blair VS Raymond Shade
Técnica Preferida: Velocidade Doppel
Capítulo Preferido: capítulo 17
''Momento de Terror'' Preferido: Não li, sou muito medrosa para isso x_x
Personagem com a melhor história: Valery Cendras
Nota para o Clímax: 10/10
Nota geral para a Fic: 10000000000000/10 Você faz um ótimo trabalho com suspense, Diretor.
avatar
Ran Mao Scarlet

Mensagens : 4
Data de inscrição : 09/09/2011
Idade : 22
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Daphne Thyelis em Qua Fev 01, 2012 11:02 am

Personagem Preferido: Sophie Merryweather
Confronto Preferido: Luke VS Blair, acho que os dois combinam muito e que a luta foi muito ''climática''.
Técnica Preferida: Αφής του Δία
Capítulo Preferido: Capítulo 26
''Momento de Terror'' Preferido: Estarei Sempre Contigo, porque não dava medo pokspoks
Personagem com a melhor história: Blair Liddel
Nota para o Clímax: 10/10
Nota geral para a Fic: 10/10

As melhores partes na minha opinião foram as férias de meio de ano e as últimas lutas, o castelo todo em guerra.
avatar
Daphne Thyelis

Mensagens : 6
Data de inscrição : 21/11/2011
Idade : 24
Localização : Antuérpia / Transilvânia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Kain Winchester em Sab Fev 04, 2012 3:07 pm

Bom, olá para todos! O Diretor me pediu para dar um recado à todos, acredito que seja de importância geral no fórum já que é tão popular entre os membros:

A Continuação da Fic do Fórum [Grave Academy II: Madness] começará no dia 11/01.
avatar
Kain Winchester

Mensagens : 8
Data de inscrição : 15/10/2011
Idade : 21
Localização : EUA / Transilvânia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Blair Liddel em Seg Fev 06, 2012 10:00 am

^^ OMG OMG Continuação!

Personagem Preferido: Jack Jerripher
Confronto Preferido: Luke, Brenda, Kain, Gary, Juliet, Jonah, James e Carmela Vs Charlotte
Técnica Preferida: Pumpkin Peacock
Capítulo Preferido: Capítulo 17
''Momento de Terror'' Preferido: O Fio da Aranha.
Personagem com a melhor história: Kain Winchester/Blaise Cocteau
Nota para o Clímax: 8/10
Nota geral para a Fic: 10/10


Eu realmente não consigo me decidir sobre o que, mas a história e a ação em geral me faz lembrar de outra série fantástica, Black★Rock Shooter.
avatar
Blair Liddel

Mensagens : 9
Data de inscrição : 15/10/2011
Idade : 22
Localização : Irlanda / Transilvânia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Luke Truesdale em Seg Fev 06, 2012 3:06 pm

Personagem Preferido: Margarete Rabbit
Confronto Preferido: Samantha Kindersley VS Charlotte Garret
Técnica Preferida: Lança Ofuscante: Re
Capítulo Preferido: Capítulo 30
''Momento de Terror'' Preferido: O 10.
Personagem com a melhor história: Blaise Cocteau
Nota para o Clímax: 10/10
Nota geral para a Fic: 10/10

Já sabia que ia ter uma continuação, mas não esperava que fosse tão cedo :]
avatar
Luke Truesdale

Mensagens : 16
Data de inscrição : 15/10/2011
Idade : 21
Localização : EUA / Transilvânia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Brenda Thompson em Qui Fev 09, 2012 3:26 pm

Personagem Preferido: Samantha Kindersley
Confronto Preferido: Samantha Kindersley VS Charlotte Garret
Técnica Preferida: Projétil da Lua Crescente
Capítulo Preferido: Capítulo 29
''Momento de Terror'' Preferido: Fundo Raso.
Personagem com a melhor história: Blaise Cocteau
Nota para o Clímax: 9.5/10
Nota geral para a Fic: 10/10

Super animada para a continuação, já que o Diretor não quis me dizer como seria Sad

imagina, só brincando.
avatar
Brenda Thompson

Mensagens : 9
Data de inscrição : 15/10/2011
Idade : 22
Localização : Estados Unidos

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 1: Notícias.

Mensagem  Jack Jerripher em Sab Fev 11, 2012 12:54 pm

Grave Academy II: Madness



Era uma típica noite de verão, uma brisa leve e quente soprava pelos subúrbios de uma cidade que já apagava suas inúmeras luzes, o silêncio reinava absoluto, fazendo um sentimento de calma e pressão pairar sobre sua distância. Toda essa imagem foi quebrada por um estrondo que abriu um buraco na parede de uma fábrica, através da abertura saiu uma mulher extremamente bela, seu longo cabelo loiro-platina preso em um rabo de cavalo, seus olhos azul-aço pareciam lançar sombras pelo beco, ela tinha a face quase triangular, como a de uma raposa; Ela parecia estar procurando algo, se virava para todos os lados, até que pareceu sentir algo, e com um rápido movimento de seu braço esquerdo, correntes de aço voaram em direção à um poste de luz em uma esquina, em cima dele estava um homem rechonchudo vestido com traje de palhaço, apresentando as cores vermelho, amarelo e preto, e tinha uma bola de nariz de cor azul, assim que as correntes se aproximaram dele, o homem pôs um objeto, parecido com uma carta de pôquer em frente de sua face, e as correntes pareciam estar sendo engolidas para dentro da carta, o homem então, esmagou a carta e a jogou, fazendo com que pedaços de aço amassados voassem para toda a parte, mas a mulher, muito ágil, conseguiu pular entre as paredes do beco para desviar, ela então se aproximou do poste e o serrou ao meio com uma serra elétrica que parecia, assim como as correntes, sair de seu próprio braço, mas o palhaço, que parecia patinar no ar, simplesmente saiu dali e ficou de cabeça para baixo em pleno ar, surpreendendo sua adversària, ele jogou uma carta sobre ela, a engolindo inteira. - Sim Sim, uma adição extremamente forte à minha coleção, a desta noite! Disse ele com um sorriso de orelha a orelha, os barulhos haviam alertado moradores da área, mas assim que chegaram ao beco, não notaram nada de errado com o local.

Fazia um belo dia ensolarado nos campos da transilvânia, um grupo grande de estudantes se reunia em uma estação de trem, estavam se reencontrando com seus colegas, que não viam desde o começo das férias de verão, enquanto isso, logo do lado de fora, um grupo menor estava reunido, Luke ajudava a carregar as malas de Brenda, enquanto Kain, Gary, James e Jonah conversavam com Juliet, Carmela e Blair, -... E aí ele jogou um carro no meio do campo, com UM braço só! Contava Kain sobre uma ocorrência em sua cidade onde um Lobisomem enloqueceu e tiveram que chamar cinco caçadores para o controlar. - Por aqui foi muito calmo, não aconteceu realmente nada durante esse tempo, estamos até um pouco desconectados do mundo exterior, explicou Juliet, Luke e as garotas concordaram, mas foi aí que as faces de seus colegas perderam o sorriso, - Então vocês... não estão sabendo? Inquiriu Gary, Os que ficaram no castelo se apresentavam confusos sobre a pergunta, e decidiram chegar ao castelo antes de explicar.

Após uma longa caminhada até a Academia, os recém chegados arrumaram suas coisas em seus quartos e foram se encontrar com seus amigos no hall das refeições, se encontraram com Blaise, Charles e Valery no caminho e os cumprimentaram, os convidando para virem junto. Já estando todos reunidos em uma mesa do ainda vazio recinto, James começou a explicar, - Isso começou em Londres, há mais ou menos um mês atrás, pessoas começaram a desaparecer, mas sem deixar nenhum rastro. - A princípio não parecia haver ligação nenhuma entre as vítimas, ou isso é o que os humanos pensam, pois todas as vítimas eram na verdade monstros que viviam entre humanos, explicou Brenda, Jonah olhou para Valery e perguntou se isso não podia ser obra de Shade, mas Blair confirmou que ele ainda estava bem preso no inferno, pois ela sentiria pela ligação que os dois partilhavam. Carmela e Juliet pareciam ter entendido alguma coisa, e seus olhares não passaram despercebidos, pois Brenda logo as perguntou no que estavam pensando, Juliet, que era sem dúvida mais vocal que a amiga, disse: - Isso explica o porque que o Diretor e a Vice tem sumido no último mês, como sabiam, ambos faziam parte do conselho supremo dos monstros, e estariam sem dúvida tentando resolver o problema, Kain ainda achava que podia não ser nada, mas Blaisee Charles discordavam profundamente, Valery e Blair estavam pensando em magias e técnicas que poderiam fazer isso, mas não tinham idéia, já Luke pensou por um momento e logo se pronunciou: - Bom, de qualquer jeito, se o conselho já está debatendo isso, acho que é seguro deixar para eles, o grupo teve de concordar, mesmo que situações como estas os jogassem de volta à toda confusão do ano passado, e já tinham, em algum lugar, dentro deles, algo que os dizia que esse ano seria igualmente tumultuado...

Já estava se aproximando do meio-dia, os amigos já haviam posto muita coisa em dia nas conversas, e por isso simplesmente se serviam do almoço, e como nos dias antes das aulas começarem, ele estava especialmente bom. Os alunos tinham mais duas semanas para chegar à Academia, pois essa era a data de início do ano letivo, o que explicava porque o local parecia muito mais vazio, mas mesmo assim, a maioria realmente chegava à Transilvânia nesta data; Algo que havia mudado desde o ano passado, era que a turminha de Luke era tratada com um certo prestígio por muitos, afinal, depois de salvar a Academia e potencialmente a Europa, eles mereciam algum respeito. As risadas e barulhos de talheres de repente pararam. Jack e Sophie atravessaram o arco do hall das refeições, e estranhamente, não pareciam animados, eles tomaram seus lugares, com a excessão de Jack e Sophie, que permaneceram de pé, - Atenção caros estudantes, hoje e por alguns dias teremos visitantes, pessoas muito importantes no castelo, espero que não ebarassem o orgulho da Academia Grave perto deles, disse Sophie, todos então começaram a encará-los, Jack então limpou a garganta e começou a anunciar cada um dos que entravam pelo arco.

O primeiro a entrar era um homem de pele morena, com um cabelo negro desgrenhado e ficando grisalho nas pontas, ele tinha um sorriso um pouco amargo e um pouco de barba e cavanhaque, este era Adom Niles, ‘’O Sarcófago do Sofrimento’’, ele então foi seguido por um homem alto de cabelos castanhos e compridos que caíam em seu rosto, tinha uma expressão divertida em seu rosto, era Ulfear Blackmore, ‘’Instinto Incontrolável’’, o homem que o seguiu era alto e forte, tendo cabelos loiros compridos em rabo de cavalo, arrancou suspiros de muitas estudantes, era muito famoso, Adrian Tepes, ‘’O Nobre da Noite’’, o que foi depois dele parecia lançar um olhar impertinente e bisbilhoteiro para todo canto, era Douglas Dekarabia, ‘’O Maremoto Revolvente’’, e finalmente entrou uma mulher no bando, mas na verdade, ela era só uma menina, devia ter uns doze ou treze no máximo usava óculos redondos e tinha cabelos negros compridos em tranças, se chamava Helena Minovich, a ‘’Escultora das Elegias’’.

Pelos títulos e apresentações todos podiam saber que eram membros do poderoso conselho das espadas, só haviam três membros faltando, se contar com Jack e Sophie, eram Damon Painsworth, Ur Valentine e Jelliel Lehahaiah, sem maiores transtornos eles se sentaram em mesas próximas às dos professores e comeram como normalmente. Após todos terem acabado, o Sr. Jerripher anunciou um recado para todos, - Em luz de misteriosos acontecimentos no mundo inteiro, onde monstros estão desaparecendo sem alguma pista, alguns membros do conselho partiram para investigar, e os outros, decidiram se juntar à nós neste meio tempo, e mesmo com os acontecimentos do ano passado, quero lembrar-lhes de que as defesas do castelo foram grandemente amplificadas, e absolutamente nada iria acontecer a nenhum aluno enquanto este estiver aqui. As palavras do Diretor foram grandemente reconfortantes, mas de uma coisa o grupo de amigos sabia, o que quer que fosse, era extremamente sério...


Próximo Capítulo: 13/02
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 2: Arco do Etropsnart.

Mensagem  Jack Jerripher em Seg Fev 13, 2012 1:44 pm

Uma semana das duas intermitentes às aulas havia se passado, os convidados do castelo realmente não faziam muito, pareciam apenas estar ali para dar uma estranha pressão sobre todos, era raro ver algum deles nos corredores, ficavam mais em seus quartos na área dos hóspedes, mas Helena parecia gostar da biblioteca, passava grande parte da tarde escondida atrás de uma estante. seus verdes olhos por trás de seus redondos óculos não paravam de se mexer, a dando um ar de pirada, mas toda essa inquietação parou de súbito. Luke e seus quatro amigos estavam conversando à beira do Lago Bloody Mary, quando sentiram grandes presenças se aproximando, ao se virarem, puderam ver os cinco membros do conselho, estavam parados e quietos atrás deles, era um silêncio meio esquisito, e por isso o fantasma resolveu quebrá-lo, - Olá, podemos os ajudar com alguma coisa? Ele perguntou, Douglas pareceu não gostar do tom de Luke, mas Adrian colocou seu braço à frente do companheiro, e começou a falar: - Vocês são os escolhidos, não são? Perguntou ele com um tom gracioso e ao mesmo tempo excitado em sua voz, O grupo ainda não estava muito acostumado com o termo, não sabiam muito sobre a profecia que os escolhera, mas Kain os assegurou que sim, os sorrisos que apareceram nos rostos deles eram um pouco... desconfortantes, mas Adrian os pediu para que o grupo os acompanhasse, - Então Srta. Liddel, quem viu a visão sobre vocês foi sua parente não foi? Ele indagou, ela respondeu que sim, mas não chegou a conhecê-la, pois ela tinha morrido muito antes de ela nascer, Adom soltou uma risadinha que os fez estranhar, mas logo haviam chegado à clareira Amorinth, onde algumas cadeiras de plástico haviam sido dispostas em círculo.

Todos haviam tomado seus assentos, quando Brenda os perguntou: - Do que se trata essa conversa, senhores? Douglas então ase aproximou um pouca da garota, olhando em seus olhos, e então olhou para os outros, antes de começar a fala, - Queríamos... pedir desculpas pelo ano passado, sua fala surpreendeu o quinteto, eles nem mesmo os conheciam, muito menos guardavam alguma forma de resentimento contra eles, porque estariam pedindo desculpas? Mas logo as perguntas deles foram respondidas, Helena havia falado, sua voz era fraca e baixa, parecia estar sempre retraída, - Não pudemos ajudá-los com a invasão, se estivessemos aqui nós poderíamos ter terminado o conflito rapidamente, ela então se calou, parecia que nem havia aberto a boca, Gary os confortou, dizendo que eles provavelmente estavam ocupados com outro assunto, e Blair acrescentou que o ataque foi muito rápido e súbito, eles não chegariam à tempo, estranhamente, os membros do conselho não pareciam mais notar a existência de Blair na cena, algo que foi rapidamente notado por todos, - Olha, a Blair não fez nada realmente, disse Luke, mas as caras emburradas dos membros os calou, até Adrian começar a falar, - A Srta. Liddel ainda estava no grupo que atacou o castelo, disso não podemos esquecer, a garota estava quieta e parecia novamente com um olhar arrependido em seu rosto, - Vocês pareciam amigáveis com ela antes, quando se importavam com nós, disse Kain subitamente, mas o que ele disse foi posto de lado, e Adrian recomeçou a falar, - Descobri também que o Sr. Jerripher aceitou três outros membros do grupo do Sr. Shade em sua escola, estou certo? Perguntou ele, se referindo é claro, a Valery, Blaise e Charles, o grupo permaneceu calado os encarando, até ele recomeçar a falar, - Aquele Jack, sério às vezes ele tem... - Tenho o quê Sr. Tepes? O grupo se virou com um choque, entre as árvores que davam entrada à clareira estavam Jack e Sophie, seus olhos fixos em Adrian.


- Oh, nada realmente, caro amigo, só estavamos dicutindo alguns assuntos com nosso mais novos salvadores, disse ele com um tom um pouco desdenhoso, Sophie fez um sinal para seus alunos, que entenderam, e se levantaram, Kain os jogou algumas palavras mal criadas de despedida, e os cinco logo se juntaram a Sophie, que os tirou da floresta, - Olhem aqui, por favor, não aceitem falar com eles a menos que alguém esteja junto com vocês, entenderam? Explicou ela com energia, Gary a perguntou porque eles estavam os tratando assim, afinal tinham salvado à todos no ano passado, - O que vocês tem que entender, é que nem todos aceitam àqueles que tomam justiça em suas próprias mãos, não importa o quão boas suas intenções sejam, o conselho ainda vê a segurança do mundo como um assunto somente deles, Brenda a questionou se o conselho tinha algum prejuízo contra o grupo, mas Sophie se recusou a explicar por inteiro, e os pediu que se cuidassem ainda mais nesse ano, os mandando para longe daquele lugar, trocando alguns olhares preocupados, o grupo saiu dali, seguindo reto em direção às colinas.

De volta à clareira, Jack havia começado a falar, - Senhores e Dama, disse ele acrescentando Helena, o que a fez corar levemente, eu peço a vocês que não tomem ações sem pensar, - Só estávamos falando com eles, disse Adom com um sorriso, - Não há nada de errado nisso, - Não, mas aposto que o mestre Jelliel não autorizou esta conversa, os olhos dos cinco se dilataram com a pronúncia do nome de seu líder, - Ora ora ora, estávamos certos, Jack, disse Sophie, saindo da mata, - Porque será que não o avisaram desta ''conversa''? Douglas tentou amenizar a situação, explicando que não havia necessidade de importunar um homem tão ocupado com um assunto tão trivial, mas Adrian o impediu de terminar, colocando seu braço na frente do colega, ele fez um reverência aos dois, e disse que o grupo já estava de saída, - Bom, retirem-se, não são mais bem vindos por aqui, constatou Jack, lançando-lhes sua presença energética, que os pressionou com uma força invisível, antes dele e Sophie se retirarem da cena.

O grupo de Luke havia já subido às colinas, mas se desapontaram ao ver que não podiam ver o que estava ocorrendo na clareira, mas logo Luke observou algo que nunca havia visto, era um grande arco de pedra, com gravuras entalhadas, e uma espécie de cristal pequeno ao topo, Blair falou que já havia ouvido falar dele, mas não sabia se era real ou não, Juliet a havia contado sobre um arco que os transportaria para outros lugares, o grupo não sabia bem o que perguntar sobre esses lugares, ou como o arco funcionava, mas ouviram um barulho estranho, quase como um carro ligando, e logo uma luz multicolorida voou na direção deles, os envolvendo, e os fazendo perder a consciência sem nenhum aviso. Nada sobrou deles no topo da colina.


Próximo Capítulo: 14/03













avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Hildegarde Simpson em Seg Fev 13, 2012 10:04 pm

Doce Jesus! Eu não esperava uma continuação! E ela já começou certo cheers

Bom, um pouco atrasada mas:

Personagem Preferido: Margarete Rabbit
Confronto Preferido: Luke VS Blair
Técnica Preferida: Rouge Pixies
Capítulo Preferido: Capítulo 26
''Momento de Terror'' Preferido: O Primeiro.
Personagem com a melhor história: Blair Liddel
Nota para o Clímax: 10/10
Nota geral para a Fic: 1000000000000/10 É simplesmente a melhor Fanf que eu já li, e eu Trabalho com revisão delas!
avatar
Hildegarde Simpson

Mensagens : 10
Data de inscrição : 30/11/2011
Idade : 37
Localização : Onde Cattleya estiver.

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 3: Volta Interrompida.

Mensagem  Jack Jerripher em Ter Fev 14, 2012 6:33 pm

O mundo tinha dado cambalhotas e viradas, e de repente, caiu com um baque no chão, Luke se levantou apertando o nariz por causa da violenta pancada contra o chão, e limpou a lama que estava em sua cara, ele olhou em volta confuso, estava sozinho em um lugar devastado, mas conseguia ver luzes piscando na distância, não tendo escolha, ele continuou andando na direção das luzes, ''seriamente esse colégio vai me causar um ataque do cora...'' Ele começou a pensar, mas aí lembrou que já não dependia de suas funções cardíacas para viver, pensando nisso, o que o mantinha vivo? Enquanto pensava nas possibilidades, ele já havia chegado no local, era um circo, se lia ''Pierrot Machité'' em uma placa, e um mapa estava disposto à seu lado, o garoto o checou, e notou que ele provavelmente conseguiria ir dali até a Academia em um dia, olhou então em volta e viu uma bicicleta estacionada, ''Odeio ter de fazer isso, mas prometo que vou devolver... ou não'' Ele então a pegou, olhou para os dois lados e saiu pedalando do local.

Blair e Brenda estavam se despindo, passavam uma loção por todo seu corpo, e nas costas da outra. A praia onde haviam pousado estava muito ensolarada, Blair lançou um feitiço que invocou um grande chapéu e óculos escuros para cada uma, em seguida, ela pareceu concentrar energia em seus dedos indicadores, colocou-os no ar e abriu com eles o que parecia ser uma tela flutuante, mas logo a fechou novamente dizendo que as únicas energias ali eram dela e de Brenda, ao checarem a gruta que fcava nos arredores da praia, deduziram que estavam na praia Lerajie, uma boa coisa era que sabiam o caminho até a Academia, pois a praia era um lugar famoso para monstros. Elas estavam agora ajuntando as coisas que tinham se espalhado pelo chão quando cairam, Blair pegou um medalhão que encontrou, e o abriu, dentro dele havia uma foto, um homem alto e de olhos gentis e uma mulher gordinha com expressões felizes seguravam uma garotinha com uma tiara amarela nos cabelos, os três sorriam tanto que pratucamente emitiam luz, Brenda estendeu sua mão na direção da amiga, que percebeu que seu rosto demonstrava uma certa tristeza, a bruxa então lembrou do ano passado, e que Samantha havia comentado na mesa deles que Kain e Brenda eram orfãos, ela então fechou seu sorriso e entregou o medalhão para ela, - Me desculpe, não devia ter aberto... Blair disse, mas Brenda sorriu brevemente, e a tranquilizou, dizendo que a amiga não sabia, e que deviam partir logo, Blair concordou, querendo deixar de lado o incidente.

- Cara, essa foi brava! Exclamou Kain enquanto esfregava sua cabeça, Gary de repente começou a encarar o amigo, que o perguntou o motivo de está-lo olhando assim, mas Gary apenas apontou para a mão do garoto, que, alarmado, a olhou, e viu que ela estava ensanguentada, - MINHA CABEÇA!! Ele começou a gritar, mas Gary o segurou pelas costas para o conter, e então usou uma técnica que aprendeu nas férias Orvalho Restaurador, Kain ficou surpreso com a capacidade do amigo, e o perguntou como ele aprendeu esta técnica, - O chefe da minha tribo me ensinou durante as férias, ele respondeu, - Tribo? Ah é! Me esqueci que vocês moram em tribos perto de lagos, usam ilusões para que os humanos não os vejam não é? O Kelpie ficou legitimamente surpreso com o conhecimento do colega, pois não era lá muito típico dele. Os dois já estavam no pé da montanha Reyres, quando Gary resolveu checar a tela das energias, para ver se alguém se aproximava, e pediu para que Kain esperasse e olhasse para a encruzilhada que eles estavam encarando, e em poucos instantes, puderam ouvir barulhos de pneus girando, e perceberam que Luke estava chegando perto deles, mas antes que pudessem fazer algo, um brilho roxo acertou a bicicleta do fantasma e a explodiu.

Luke escapou a salvo da explosão e se juntou à seus amigos, que já procuravam a fonte do ataque, quando ouviram uma voz, - Boa Tarde Senhores! Eles então perceberam uma presença perto deles, e se viraram para a montanha, no topo da passagem que levava à sua saída, um homem com roupas de palhaço coloridas estava, - Quem é você seu estranho ? Perguntou Luke irritado, mas o palhaço simplesmente sorriu, e retirou um buquê de rosas de suas vestes, ele então jogou as flores para cima, elas se despedaçaram e suas pétalas se tornaram facas, que voaram na direção deles, - Pumpkin Grenade! De repente, múltiplas granadas pequenas em forma de abóbora voaram na direção das facas e as explodiram, os garotos se viraram e viram Blair e Brenda correndo na direção deles, Brenda lançou um Projétil da Lua Crescente na direção do palhaço, mas ele simplesmente andou para o lado, evitando brevemente a onda de energia cortante, - Eu não entendo! Ele não estava na tela de energia, e nós nem sentimos sua presença! Blair confirmou que não o tinha visto em sua checagem da área, e deduziu que o oponente deles devia ser muito bom em ocultar sua energia.

O grupo então percebeu que o palhaço havia dado as costas à eles, e estava subindo a montanha, Kain lançou sua Mão de Polaris que criava uma grande pata de urso feita de lluz e tentou agarrar o palhaço, mas quando pareceu tê-lo pego, ele o apertou, mas o inimigo explodiu em uma chuva de confetis, e logo pegou uma carta de pôquer de seu bolso e a apertou contra a mão, a carta começou a engolí-la, e estava vindo em direção ao grupo muito depressa, Kain cancelou a técnica, mas a carta continuou vindo, e por mais que todos lançassem técnicas contra a carta, todas elas estavam sendo sugadas, e a carta estava progressivamente ficando maior e maior a cada ataque, ela logo estava indo em direção do grupo, Brenda rolou por debaixo dela, Luke usou seu Gancho Ectoplasma para se agarrar em uma árvore, Blair e Gary pularam para os lados e Kain correu para o outro lado enquanto disparava Globos Destrutivos em sua direção, - Pare! Só está fazendo a carta ficar maior! Gritou Brenda, o grupo já estava sem resposta, - Temos que continuar desviando até ele perder energia... Exclamou Luke, - É, mas quanto isso vai demorar a acontecer? Indagou Gary. O inimigo ainda sorria, sem nem mover algum músculo da face para não perder o sorriso maníaco.


Próximo Capítulo: 16/02
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 4: Na Cabeça de um Alfinete.

Mensagem  Jack Jerripher em Qui Fev 16, 2012 1:37 pm

- Então... Mesmo tendo os cinco sob nossa proteção, eles conseguiram se encrencar denovo? Perguntou o Prof. Aaron incrédulo, - Eles devem ter algum tipo de ''Alvo para desastres'' dentro deles, disse a Prof. Ran Mao preocupada, - Só espero que não esvaziem meu estoque de medicamentos desta vez, o ano nem começou! Exclamou a enfermeira, Srta. Valliére, enquanto todos a olhavam pelo canto do olho, - Hm... Duretor? Samantha falou com um tom fraco na voz, Jack a pediu que falasse, e todos se calaram, - Não é possível que os desaparecimentos... Que Ele seja o culpado por trás disso, não é? Sophie fechou seus pulsos com raiva, não podia ser, qual era o motivo de seu retorno? Ele teria esperado todo esse tempo escondido? Ela roubou um oolhar em direção à Jack, mas não pôde ver seus olhos, ele estava inerte, talvez em estado de choque. A Srta. Valliére e sua ajudante, Hildegarde já estavam se levantando de seus assentos de couro branco parra checar o que havia de errado com o Diretor, mas finalmente ele ergue a cabeça e encarou à todos. Seus olhos causaram as mais variadas reações nos colegas, até mesmo Margarete, que havia permanecido quieta e calma durante a conversa, havia se surpreendido, os olhos do Diretor pareciam estar... Mortos, sem resposta, mas mesmo assim ele falou, em uma voz monótona e rápida, - Isso é assunto do conselho, todos engoliram em seco.

Gary havia quase sido pego pela carta, mas Luke o laçou no último instante com o Gancho Espectral, - O que foi? Não podemos perder o foco! Gritou o Fantasma, que embora normalmente calmo, não suportaria perder o amigo, mas de repente, o mundo pareceu se calar, enquanto Gary falava, - Eu vi... muitas pessoas... lá dentro... E sem aviso nenhum, ele se caiu de joelhos no chão e vomitou, chocando à todos, o que quer que ele tenha visto lá dentro, não era algo fácil de se lidar, o que os deixava com ainda menos vontade de serem pegos, Brenda o tirou do caminho da carta para deixá-lo se recuperar, mesmo que só por alguns segundos, e ele voltou, mesmo que ainda um pouco abalado, foi capaz de voltar a ajudar seus amigos. - Ele sumiu! Blair gritou, todos olharam para onde o palhaço estava, e imediatamente se preocuparam ainda mais, veja só, o problema não é ver uma aranha em seu quarto, o real problema é quando ela some, e essa situação era exatamente a mesma, e pior, pois com a aranha, pode-se imaginar que ele ficará perto de sua presa, a vigiando, e terá que chegar perto para mordê-lo, mas nesse caso, não sabiam das habilidades do adversário, e não podiam saber o que esperar.

Fluxos de memórias passaram em frente dos olhos de Jack, quatro jovens, um garoto e três garotas, andavam por uma pradaria, conversando, sem ter nenhuma preocupação no mundo, de repente a visão ficou turva, o chão estava queimado, fogo se espalhava por todo lado, uma das garotas, de longos cabelos loiros se jogou à sua frente, e foi furada por um objeto pontiagudo, ele queria gritar, mas sua voz não saía de sua própria garganta, a visão era tão aterradora que o havia paralisado, o grande 2 de copas foi voando na direção dos dois, engoliu a garota, uma de suas outras amigas o salvou, ele viu seus longos cabelos castanhos e olhos azul-cinzentos, antes de desmaiar. Acordou alguns dias depois em um hospital... Não, era na enfermaria de sua própria academia, a enfermeira, uma velha obesa veio ver como ele estava, demorou um pouco para ele se tocar do que havia acontecido, mas assim que se lembrou, gritou, gritou com tanta força que assustou suas duas amigas e a enfermeira, seus berros enlouquecidos e distorcidos pela dorecoaram pela escola vazia, ele se levantou e começou a destruir tudo que estava à sua frente, jogou sua maca nas outras, as partindo, quebrou todos os vidros dos medicamentos, nem se importou com os cortes que seus braços sofreram, estava anestesiado para a dor física. A sala de reuniões ficou quieta, exceto por um som que parecia ecoar em um loop, Sophie estava parada à frente de Jack, ofegando, sua mão ainda erguida, e o som de seu tapa ainda no ar, Jack finalmente acordara.

O grupo continuava a se esquivar da carta, mas tinham plena consciência que podiam ter problemas piores do que ela, Kain já havia torcido o tornozelo, e por isso tinha que ser coberto para não ser pego, e entre a confusão, era difícil para Gary curá-lo com sua técnica, ''A quanto tempo estamos nos esquivando? Uma hora? Duas? Se isso continuar piorando, vamos perder, mas como detê-la, nem nos deixa escapar... Pense pense!'' Luke tinha em seu pensamento, mas nenhum deles parecia ter idéia de como sairíam daquela encrenca, mas foi aí que Brenda viu, um senhor de idade extremamente minguado subia colina acima até a encruzilhada se apoiando em sua bengala, - Eu vou tirá-lo daqui! Avisou Brenda, ela então disparou na direção dele, - Ei senhor! É perigoso por aqui, deslizamentos de rocha np caminho! Mas o senhor apenas a encarou, - Ora, você é uma mocinha muito educada, se preocupando com um senhor velho que você nem conhece! Seu marido terá sorte, agora se me dá licença, acho que está na hora do meu chá, estava visitando essa cidade, moro em uma cidade por aquela trilha, posso andar até lá, um deslizamento de rocha não vai parar este senhor aqui, não não! Brenda estava realmente preocupada, o velhinho não parava de falar e insistia em andar até lá sozinho, mesmo que Brenda oferecesse levá-lo até lá, e o que ela imaginava aconteceu, a grande carta disparou na direção do velho... Mas para a surpresa dela, a carta passou direto por ele, como se o tivesse atravessado, e ele não parecia nem tê-la visto, a garota deu um salto para trás, a carta a errou brevemente. O homem não era um monstro, apenas um humano, era por isso que a carta o passara direto? Enquanto isso, a paranóia no campo de batalha crescia, já que o inimigo podia estar escondido por perto, e ele era bom em esconder sua energia, ele podia bem estar disfarçado, e por isso o grupo estava evitando as árvores, tendo que permanecer na encruzilhada, mas isso limitava mais ainda o espaço que tinham para se esquivar.

- O que vamos fazer? Gritou Sophie, - Eles podem estar em apuros, podem estar sem tempo! É inútil discutir porque o Arco do Etropsnart deu problemas, ou quem está por trás disso! São discussões infrutíferas! Temos que resgatá-los AGORA! Jack havia acordado para a realidade, estava sendo patético e inútil, quando a soluÇão estava em sua cara, talvez ele já tivesse esperado quem o culpado era, e não queria aceitar, teria ele causado a morte de seus allunos, só por não poder aceitar? Mas como Sophie o lembrou, isso não era pergunta para se fazer agora, estalou os dedos, e invocou Hierophant ele logo desapareceu em um cubo verde e roxo. No mesmo tempo, o cubo apareceu entre Luke, Brenda, Blair, Kain e Gary, justo quando tinham cansado e estavam prestes a ser engolidos pelo vácuo daquela misteriosa carta, Jack quase congelou ao vê-la, mas conseguiu travar as lembranças, pegou os quatro, e usou Hierophant novamente, voltando com todos para a sala de reuniões. - É ELE, VOLTOU!


Próximo Capítulo: 17/02

avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 5: Rosa de Sangue.

Mensagem  Jack Jerripher em Sex Fev 17, 2012 10:35 am

Em um dia comum de verão, Carmela acordou, como sempre, muito cedo, se arrumou perante o espelho do banheiro e desceu as escadas, estava no segundo andar quando ouviu alguém chamar seu nome, a Vampira se virou e viu James e Jonah encostando-se nos corrimãos da ecada, - Ah, eram vocês, o que querem? Ela indagou, ambos pareciam estar um pouco nervosos, mas ela não sabia o motivo de tanta preocupação, mas queria saber, e ia descobrir, - Bom, é que, você... Você viu a Juliet por aí? James a pediu, Carmela não se surpreendeu com a pergunta, tinha certeza que ambos sentiram-se perdidos nas férias sem a chefe deles, e ela também andara confusa e irritada [mais do que o normal], mas nenhuma das partes, é claro, iria admitir. Carmela simplesmente os disse que a colega deveria estar na sala do grêmio estudantil, preparando a festa do começo das aulas, - É claro! A-a sala do g-grêmio! Como não pensamod nisso? HAHA, Jonah respondeu, Carmela agora queria saber mais ainda o que estavam escondendo, pois eles estavam agindo estranhamente, mais estranhos do que de costume, e isso era dizer alguma coisa, após ela se retirar, James deu uma baita cotovelada no estômago do amigo, e sussurou alguma coisa para ele.

Três pessoas reuniam-se em uma sala muito escura, apenas uma fraca lâmpada piscava no teto, - Então... Vocês viram o alvo? Uma voz feminina falou, ambos concordaram com a cabeça, - E então? Ela já sabe? Uma das vozes estremeceu e engoliu em seco, antes de responder, que pensavam que ele ainda não tinha se tocado, - Pensam? Isso não é o bastante, vocês deveriam ter certeza, e não pensar, não são tão bons em fazê-lo, e sabem disso... Um deles então resfolegou e disse que tudo era culpa de seu parceiro, que escorregou, quase entregando seu objetivo, - EI! Não exagere, nosso objetivo ainda é desconhecido e isso eu posso garantir! Falou o ofendido, mas a voz feminina lançou-lhe um sorriso, que sob a luz piscante da sala, o assustou plenamente, - Mesmo assim... Você escorregou...Acho que sabe qual a punição para aqueles que escorregam... Ele então gritou por socorro, e que não aguentaria a ''marca'', mas sua chefe já estava se aproximando, seu parceiro fechou a porta e o agarrou pelas costas, ele gritou de medo, até que ela destampou um objeto que parecia uma grande seringa, se aproximando aos poucos dele, com uma risada malvada, aumentando de nota a cada segundo, ficando mais e mais perto, ele fechou os olhos, se contorcendo, mas então prontamente os abriu, - JULIET! Essa coisa não sai! Como vou aparecer na frente de todos assim? Gritou Jonah, - Provavelmente como um gato com uma pinta preta no olho! James respondeu, Juliet apenas ria sinistramente enquanto segurava o maracdor permanente de cor preto na mão, mas ela então gritou: - E ARRUMEM ESSA LÂMPADA QUE ESTÁ ME DANDO DOR DE CABEÇA!

- Qual é a da marca no olho? Perguntou Carmela um pouco curiosa no almoço, - É só uma pegadinha da Juliet, é isso que eu ganho por tentar espionar ela... Jonah a respondeu, James, que sentava ao seu lado, apenas abafou uma risada, - Por acaso, algum de vocês viu Luke e os outros hoje? Ela perguntou, mas ambos não faziam idéia de onde eles estavam - Deixando isso de lado, Então era isso que vocês estavam escondendo hoje de manhã? Ela os perguntou, Jonah gaguejou um pouco na hora de responder que sim, deixando a garota com uma suspeita maior ainda, a cena seguinte foi algo que nem um dos dois já haviam imaginado, Carmela riu, e logo depois, fez algo mais incomum, ela abriu uma porção de seu decote, o deixando à vista, cruzou as pernas, e mordeu a ponta do dedo indicador, olhando para ambos, que exibiam grandes caras de bobos, ela perguntou, - Isso é realmente tudo que vocês tem? Me desapontaram... Ela então se levantou e saiu, deixando ambos de cara para a parede, - O... que foi aquilo? Perguntou James, - Eu de repente quis contar o plano todo pra ela! Jonah revelou, mas James o deu um tapinha nas costas, declarando que deviam ser fortes e resistir, para o bem maior que era o plano deles, ambos então gritaram sua determinação aos céus, mas pararam ao ver que todos os encaravam.

À tarde, Carmela passou um bom tempo na biblioteca, ela estava lendo uma péssima história de vampiros, era até hilariante quantos fatos os humanos criaram sobre sua espécie, e agora os consideram verdadeiros, tudo porque tinham medo do que não conhecem, um exemplo é que dizem que vampiros tem fraqueza à luz do sol, e só são ativos à noite, a garota podia até entender essa crença alguns séculos atrás, mas hoje em dia, quando já se sabe que a luz da lua é uma reflexão da luz do sol, ela não fazia sentido algum, mas era possível que essa crença tenha sido feita para poderem acreditar que possuíam alguma vantagem imediata, já a história de dormirem em caixões? Dessa a garota não conseguia nem entender, e hoje em dia, tantas variações são tomadas em sua espécie na mídia, que a garota já pensava serem paródias um pouco ofensivas... Mas seu monólogo interno foi cortado quando ela ouviu um som estranho vindo de trás de uma estante de livros, ela de repente se sentiu vigiada, tirou seus óculos de leitura e simplesmente apareceu atrás daquela estante, mas não havia ninguém, ma isso era estranho, pois ela tinha quase certeza de conhecer aquele cheiro, mas não podia responder exatamente de quem era...

À noite, Carmela sentava na janela da sala de sua república, dos Shypendus, ela olhava para um canteiro de rosas no castelo, admirando a cor delas, que era a mesma da taça de sangue que ela tomava, a garota ficou um tempo encarando a lua, - Ainda bem que não queimo sob sua luz, mas mesmo se queimasse, acho que ainda gostaria de vê-la... Disse ela em voz baixa, não que precisasse, pois estava sozinha no recinto, - Que noite perfeita para o meu... - Aniversário? A garota se virou, procurando a voz que completara sua frase, as luzes então se acenderam, lá estavam Juliet, Jonah, James, Valery, Charles, Blaise, e até a turma de Luke, que prometeu contar à todos o motivo do desaparecimento de hoje. Carmela estava completamente corada, mas tudo fazia sentido, era seu aniversário que estavam planejando, - Mas... que autorizou vocês a entrarem à esta hora? Ela perguntou, - Eu! e Eu também! Aaron e Samantha saíram de trás de uma pilastra, sorrindo, e pediram um pedaço do bolo, Juliet o cortou, com uma faca feita de ossos, e deu um pedaço para cada um, o naior, é claro, era para a aniversariante, o bolo tinha sangue misturado, esta era a primeira vez que Luke iria ingerir sangue humano, que era normal em alguns pratos de monstros, - Tudo bem Luke, o sangue que o colégio compra é de postos de saúde, infectado por doenças que humanos não podiam receber, não há problemas em nós ingerirmos... Carmela o tranqulizou, - Bom, então eu vou comer... ''Embora você não tenha me ajudado a ficar mais tranquilo...'' O garoto cortou um pedaço do molhado bolo com o garfo, e o comeu, para sua surpresa, ele tinha gostou do sabor, e já tinha provado sangue quando era vivo, e lhe parecia... ferro, mas agora, era quase como um chocolate. Carmela lhe explicou que qualquer monstro já era equipado para matar humanos, mas a decisão de não fazê-lo é o que os separa dos monstros ferais, assim que todos se despediram e a fizeram abrir os presentes, Carmela subiu e deitou em sua cama, começou a rir, um riso divertido e engraçado, que ela não dava à anos, e então dormiu, sabendo que tinha achado sua paz.


Próximo Capítulo: 18/02
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 6: O Rapto.

Mensagem  Jack Jerripher em Sab Fev 18, 2012 8:10 am

- O que? Não pode ser... Um novo inimigo? Juliet, James, Jonah e Carmela haviam acabado de ouvir o que acontecera com o grupo de Luke no dia anterior, - Justo quando se pensava que esse ano seria pacífico... Comentou James coçando a cabeça, - Eu não sabia que vocês esperavam um ano pacífico, eu já meio que esperava, disse Carmela olhando fixamente para o grupo, - Bom, mas é verdade, e não sabemos se o conselho quer se envolver... Comentou Brenda, - Bem, é que ainda não sabemos se foi mesmo o palhaço que está sequestrando as pessoas, o conselho não pode agir sem penar, explicou Gary enquanto comia mais uma fatia do bolo de Carmela, - Por acado vocês deram as notícias para Valery e os outros? Perguntou Juliet, mas Luke a disse que preferiram não dizer, pois podia trazer problemas para eles, considerando o ano passado, - E ainda, o conselho claramente não nos perdoou pelos incidentes do ano passado... Disse Blair, - Não é algo que precise perdoar, vocês não queriam fazer o que fizeram, Shade tirou vantagens de vocês, Kain falou, ganhando apoio de todos na opinião, - De qualquer maneira, não há como algo ocorrer aqui na Academia, a proteção ainda foi aumentada assim que nós voltamos, ouvimos Sophie dizer que agora este é o prédio mais seguro da Europa, não que queremos que o inimigo saiba disso, sorriu-se Gary enquanto continuava a comer o pedaço de torta.

Na manhã do próximo dia, Luke estava descendo as escadas sozinho quando ouviu alguém chamar seu nome, ele se virou para todos os lados, mas não encontrou ninguém, ele subiu para o primeiro andar quando avistou alguns colegas, mas não foram eles que o chamaram, a voz parecia estranhamente etéria, o Fantasma engoliu em seco e então continuou caminhando para o hall das refeições, - Luke, o que houve? você está pálido... Disse Blair ao vê-lo na entrada do hall, - Aqui, me deixa ageitar, ela estalou os dedos, fazendo uma faísca dourada rodiar a face de Luke, mas nada mudou, - Hm... Então você realmente se assustou com alguma coisa, não foi? A Bruxa perguntou ao ver que o feitiço não funcionara, o garoto concordou e a pediu que sentasse para ele explicar para ela, - Você ouviu uma voz, no corredor? Mas você sabe que ninguém pode ter entrado aqui sem ser visto, com certeza foi algum aluno... Digo, ouvir seu nome no corredor, não bem algo muito esquisito aqui, não é? Perguntou ela, mas logo ambos perceberam alguém se aproximando deles, - Desculpe por me intrometer, mas você ouviu seu nome em um corredor? Luke concordou, e pediu se Blaise sabia algo sobre isso, a garota balançou a cabeça, e puxou uma cadeira para se sentar ao lado dos dois, - Sabe... Há um boato que começou a se espalhar a pouco tempo, dizem que tem algo, ou alguém, raptando alunos, - Raptando alunos? Como assim, alguém desapareceu? Perguntou Blair, - Eh, duas garotas e uma garoto ontem e de acordo com aquela mesa, outro garoto hoje pela manhã, - E o que isso tem a ver com ouvir seu nome? Os três se viraram, vendo Gary e Brenda, ambos também muito pálidos.

Acontece que ouvir o próprio nome no corredor é o que indica o começo do desaparecimento, dizem que todos que desapareceram ouviram seus nomes serem chamados por vozes etérias, Brenda e Gary se olharam, Luke então entendeu, ambos também tinham ouvido seus nomes, - Sabe, Kain me disse ontem que tinha escutado seu nome e também que tinha visto uma mulher vestida toda de verde rindo pelas salas, mas não dei atenção, e hoje ele sumiu... Contou-os Gary, - O QUE?? Kain desapareceu? Essa não! Blaise havia começado a corar profusamente, e segurava sua cabeça como se estivesse com dor, - Por isso eu não encontrei ele hoje de manhã! Disse Luke, entendendo, - Bom, vou ver o que os professores acham disso, disse Blair, pouco antes de sair dali às preças, o grupo estava prestes a discutir os desaparecimentos, quando viram a garota voltar, - Bem... Eu até iria] sozinha, mas... Eu ouvi... Todos perceberam que parecia ser questão de tempo para desaparecerem, então resolveram se unir, Blaise disse quase que imediatamente que tinha algo a fazer, e se retirou às pressas da mesa.

- Como assim ''os desaparecimentos são só boatos''? Perguntou Gary à Sophie, que não parecia nem um pouco interessada no assunto, enquanto lia alguns documentos, - Por favor, estamos todos ocupados demais sem boatos de desaparecimentos, confiem em mim crianças, se alunos tivessem desaparecido do castelo nós saberíamos, olhem aqui, disse ela largando seus papéis e pegando algo que parecia um monitor holográfico, - Esta é a leitura energética da escola de hoje, ela é igual à de ontem, tirando meus colegas do conselho, e exatamente igual às de anteontem, sugiram que parem de se preocupar com assuntos assim, e não me entendam mal, nenhum professor nessa época pode se dar ao luxo de ficar investigando qualquer boato...

Derrotados, os quatro amigos saíram da sala dos professores, não conseguiam parar de pensar no palhaço, e no estranho poder que ele possuía, mas algo pegou a atenção deles, uma mulher alta, de cabelos e roupas verde claras estava à frente deles, ela tapou a boca com a mão e deu uma risada, um pouco antes de levantar seu comprido vestido e sair correndo, eles a seguiram, pensando que poderia ser uma inimiga, todos olhavam para eles enquanto dessciam as escadas, Juliet e Jonah tentaram perguntá-los o que estavam fazendo, mas não tiveram tempo de responder. A mulher tinha se dirigido para os quartos de hóspedes no quinto andar, mas logo em seguida a viram no mirante do quarto andar, Blair criou algumas Pumpkin Carriage e cada um sentou em cima da sua, tornando isso uma perseguição aérea, a mulher parecia levitar, pois mesmo enquanto segurava a barra do vestido, estava correndo muito mais rápido que pessoas ou monstros normais, eles tinham circundado o perímetro da escola, estavam se dirigindo à ponte na entrada, suas abóboras quase derrubaram Babayaga, que fazia tricô perto de sua lojinha, a perseguição foi até a ponte, onde a mulher parou de correr, e o grupo desceu das abóboras, a mulher então novamente deu uma risada encoberta e... se atirou da ponte, todos correram para olhar, mas claro, não poderiam ver o corpo desta altitude, os amigos se olharam, mas então quatro luzes com formato triângular desceram dos seus, atingindo os quatro em seus pescoços e os fazendo desmaiar.


Próximo Capítulo: 19/02
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 7: A Prova da Bruxa Pérola.

Mensagem  Jack Jerripher em Dom Fev 19, 2012 9:32 am

Luzes piscavam estranhamente no teto, os olhos de Luke ardiam enquanto ele os esfregava, estava com a cabeça girando, teve de se agarrar à parede para não se desequilibrar e cair, esperou seu desnorteamento passar, e percebeu que estava em uma sala circular, toda revestida por azulejos de cor prata, que emitiam brilho para toda a parte, a lâmpada no teto piscava intencionalmente para refletir à toda parte seu brilho. Luke então lembrou do que havia acontecido, e começou a se preocupar com seus amigos, saiu então pela porta de ferro, que estava entreaberta, e se surpreendeu ao deparar-se com um corredor extremamente mal iluminado, em um incrível contraste com o ambiente anterior, não havia luz alguma, dando a impressão de um túnel em uma caverna, Luke ficou no meio da passagem, encostando nas duas paredes para se localizar no escuro, ele continuou andando em linha reta, até sentir algo com sua mão na parede direita, ele observou bem, e com um susto, notou que era alguém pendurado do teto de cabeça para baixo, ele lutou para desatar a corrente que prendia os pés da pessoa, mas teve de usar o movimento cortante do Disco Espectral para decepá-la, quem quer que fosse o sujeito, soltou um guincho de dor ao cair de cara no chão, ao inspecionar o corpo com mais cuidado, Luke viu que era Gary.

- Ow, essa doeu! O que eu estava fazendo lá? Oh, oi Luke! Gary também parecia estar sobre o mesmo torpor que o Fantasma esteve ao acordar, mas pelo menos ele conseguia distinguir o que acontecia, Luke o ajudou a levantar, e discutiram a situação, ao decidirem que procurar pelo resto dos alunos era a prioridade, continuaram em linha reta, e como nenhum deles conseguia fazer Magia de Fogo, tiveram de improvisar alguma maneira de enxergar, usaram o tridente de Gary, ambos mandando Magia do Trovão para a ponta do meio, mas ainda assim não iluminava muito, após atingirem um beco sem saída, pensaram que tipo de pessoa teria tal ''abilidade'' como arquiteto deste lugar, tiveram então que dar meia volta, mas começaram a ouvir um estranho barulha de algo sendo fatiado, e então perceberam que a cada passo que davam, uma guilhotina caía do teto e parava pouco antes de bater no chão, ambos começaram a correr, pensando na sorte de não terem sido atingido antes, eles passavam pelo qurto onde Luke fora posto, e ao perceberem que as guilhotinas caíam mais depressa agora, entraram dentro do local, com cuidado para não fechar a porta, não sabendo o que podia acontecer, tinha que haver uma saída pelo local, pois apenas havia um corredor sem saída lá fora; Após tatearem as paredes, Gary chamou Luke, o mostrando que alguns dos azulejos não refletiam luz, então o Fantasma correu para eles e os deslizou para o lado, revelando uma passagem circular, e em seu meio, Brenda estava deitada.

A passagem circular tinha em suas extremidades um papel de parede florido extremamente enjoativo, Luke correu em direção à amiga, que parecia estar acordando, ela notou as algemas que prendiam seu braço esquerdo à um cano, o amigo cortou-o com sua Espada Ofuscante e ajudou a amiga a se levantar, ambos ajudaram-na a lembrar do ocorrido, e ela apontou-os uma carta que havia sido grudada na parede à frente deles, a Lobisomem então tirou seus óculos de leitura e pegou, começando à lê-la em voz alta: ''Aos três que chegaram aqui, meus parabéns, mas também devo-lhes advertir que devem apressar-se, ou perderão a bela vista de meus experimentos, outra boa dica seria para guardar o símbolo no lacre desta carta em suas memórias, assinado: A Bruxa Pérola'', - Bruxa Pérola? Alguém conhece? Perguntou Brenda enquanto recolocava o papel dentro do envelope, mas Gary estava mais preocupado com a parte onde uma bruxa estava fazendo experimentos no local, - Esperem um pouco... Como ela sabe que somos três? Luke perguntou em um flash de inspiração, - É verdade Luke, essa carta foi posta aí antes de vocês chegarem aqui, como ela sabia que exatamente duas pessoas me encontariam aqui? Brenda indagou-se, mas Gary logo os disse da possibilidade da carta ter sido posta após eles terem aberto a porta secreta, enquanto a garota estava acordando, e isto, combinado com o fato de que tinham sido presos e não mortos, os dizia que quem quer que fosse a Bruxa Pérola, não os queria mortos, ainda, Brenda e LLuke ficaram surpresos com o raciocínio do colega em tal situação, mas lembraram-se que ele tinha comido bolo anteriormente, Gary tinha esse trato estranho, ele parecia conseguir pensar melhor após comer doces, não que fosse estúpido antes, mas doces pareciam maximizar essa capacidade, e enquanto Luke pensava nisso, deu de cara com uma parede, Brenda o ajudou a se levantar, e viu que havia uma parede bem escondida à frente, à percepção deles, com pouca luz, parecia apenas uma continuação no caminho, ao invés de uma parede, Brenda tocou nela, e percebeu que ela era extremamente leve e fina, então, momentâneamente voltou à sua forma de monstro e a cortou com suas garras, os três abriram a pasagem para uma longa sala iluminada com projeções do fundo do mar, inclusive luzes com formatos de animais marinhos brilhavam ao redor do local, Gary então avistou, presa à um banco de madeira por correntes, estava Blair.

Luke usou novamente a Espada Ofuscante para cortar uma das correntes, enquanto Brenda fazia o mesmo na outra com sua Garra de Lycaon, Gary então sacudiu a amiga, o que a fez abrir os olhos, e cair do banco de susto, ela quase estapeou Gary por reação após acordar, após ter se acalmado, eles a informaram da situação, ou melhor, das especulações deles sobre a situação, e ela concordou, deviam achar Kain e os outros alunos rápido. Enquanto se ajeitava antes de procuarem uma saída, um carta, no mesmo envelope branco com detalhes dourados caiu de um de seus bolsos, a garota puxou seus óculos para leitura, - Isso agora é moda? Perguntou Luke, e começou a lê-la alto: ''Achei sinceramente que a diversão duraria mais, mas parece que suas técnicas e foco não fraquejaram durante as férias, por favor dirijam-se até a localização indicada par começar o grand finale, Assinado: A Bruxa Pérola'', - Mas o que? Não há local indicado, nem dá pra ver a saída! Disse Luke, Gary e Brenda também não conseguiam encontrá-la, nem mesmo cortar ou quebrar as paredes parecia funcionar, elas tinham repelido Magia e Técnicas, mas quando Gary se descontrolou e começou a bater em um lado da parede, ela rachou, porém, dela saíram muitas pedras com musgo, tendo um formato oval, Brenda perguntou ao amigo se tinha algo de errado, mas ele não respondia. Os três estavam parados no meio da sala, olhando o que Gary fazia, encarando a parede, mas quando menos esperavam, ele voltou à forma de Kelpie e começou a jogar torrentes de água neles, Blair se adiantou, usando sua Pumpkin Barrier, criando uma espécie de tela alaranjada que os protegia dos ataques do colega, - O que foi que houve? Perguntou Luke, e Brenda lhe respondeu que provavelmente eram pedras da baía, pois elas deixavam Kelpies descontrolados, Luke lembrou de seu primeiro encontro com Gary, e como as pedras influíram nele, Luke então simplesmente começou a andar em direção à barreira, e apesar dos protestos das amigas, ficou intangível e atravessou-a, desviou-se dos ataques impiedosos do colega, e usou seu Gancho Espectral para agarrar as pedras e jogá-las longe, acabando seu efeito no amigo.

Blair cancelou sua barreira, e os três foram ajudar o amigo, que, agora na forma humana, tossia muito, mas já estava recuperado. Sons de palmas ecoaram pelo salão, e quando os quatro amigos olharan para de onde o som vinha, tiveram uma estranha visão, homens com cabeças de bode, vestidos em ternos de mordomo, faziam uma fileira, um deles se aproximou do grupo, que voltou às suas formas originais, prontos para o combate, mas o homem-bode apenas os estendeu seu direito, o que deveria ser análogo ao sinal de ''calma, ou, pare'' que os humanos usavam ao estender a mão aberta, o mordomo então deu uma reverência à eles, e se virou, parecendo os chamar para seguí-lo, - Seguir ele? Um homem-bode maluco? Isso é ridículo! Disse o Kelpie controlador de água que estudava em uma escola, mas eles realmente não tinham outra opção para sair do recinto, e se quisessem emboscá-los, não precisariam se anunciar com palmas antes; Concordando com a opinião, os quatro seguiram os mordomos-homens-bode em uma fila indiana, e se depararam com uma saída que não estava ali antes, ao cruzarem, deram de cara com um grande e bonito teatro, Brenda e Blair tiveram quase um infarto quanto à cena, os mordomos desapareceram, e o grupo viu uma mulher com um longo vestido negro com detalhes de flores laranjas, ela mantinha seu cabelo castanho em um rabo de cavalo, e parecia ter uma estrutura corporal franzina, quase como a de uma criança, só que muito mais alta, o grupo pensou que já tinham a visto antes, - Olá caros especatdores, espero que tenham gostado de minha pista de obstáculos! Gritou ela com uma voz exageradamente teatral, - O que você quer? Oh grande vilã! Declarou Blair no mesmo tom, Luke tinha quase certeza que essa não era a hora, mas logo a mulher voltou a falar, e até sua voz era familiar, - Eu, sou a grande Bruxa Pérola, detentora das direitos do mundo novo, e estou aqui para concluir meu número! Mas para presenciá-lo, vocês precisarão responder essa charada: ''Que animal pode até morrer, mas seu número não abaixará, mas aumentará constantemente?'' O grupo pensou na resposta, mas Brenda tirou o envelope do bolso, e mostrou o lacre de cera, era um coelho.

A bruxa deu uma grande e novamente exagerada risada diabólica, e então puxou uma corda, abrindo um buraco no chão das últimas poltronas, e dele saiu uma grande cruz, e nela alguém parecia se debater e gritar de raiva, era Kain, Blair foi rápida em salvar o amigo, que ficou ainda mais feliz de ser salvo por sua deusa, mas ele sabia que não era hora para brincadeira, - AHAHAHAHA! Agora que a banda dos cinco foi reunida, quero que participem em meu grand finale! AHAHAHAHA! Ela então pegou algo por de trás das cortinas, e surpreendeu à todos ao verem a petita Bruxa empunhando um colossal machado enferrujado na ponta, ela riu mais uma vez, causando chifres cmpridos e retos a aparecerem em sua cabeça, ela então se precipitou em direção à eles, usando o grande machado apenas com uma das mãos, e apesar de terem desviado do golpe, a pancada foi o bastante para abrir um grande buraco no chão, a Bruxa novamente soltou uma risada, distorcendo seu rosto, causando reações de medo nos cinco, que se espalharam pelo teatro, ela pulou em direção à Blair, que rolou para o lado esquivando e lançou três Pumpkin Hiraldas em sua direção, mas a Bruxa Pérola os retalhou ao meio com o machado, - Sabe, para uma Bruxa você não usa muitos feitiços! Gritou Blair, - Quem precisa de feitiços? Disse BP enquanto tentava decapitar Blair, seus olhos vermelho-vivo brilhando de fúria e divertimento, mas teve de desviar da Explosão Fluvial de Gary e de um Globo Destrutivo de Kain, - Olha o que estão fazendo com meu teatro! GRHHH! Ela girou o machado em uma mão só e então o jogou, fazendo-o voar na direção de ambos, que deram pernas pra que te quero do local, desviando do objeto afiado, que cortava a parte de cima das poltronas só com a força de seus giros, Luke tentou usar o Gancho Espectral para pará-lo, mas não percebeu quão estúpida a idéia era, e assim que prendeu o objeto, ele mesmo foi guinado para o lado, atingindo uma parede com a cabeça, o machado agora vindo em sua direção, a Bruxa Pérola apareceu em sua frente e pegou o machado griando com a ponta da unha, o segurou na baínha e o balançou na direção de Luke. Brenda havia chegado bem na hora, em Modo Feral ela deu uma cabeçada na Bruxa, que derrubou seu machado, mas antes que Luke pudesse perfurá-la, com sua Lança Ofuscante: Re, ela pareceu tornar-se luz e apareceu, segurando sua arma, novamente no palco.

Mas os cinco amigos estavam preparados e assim que ela apareceu, lançaram seus melhores golpes à distância na direção da Bruxa, parecendo tê-la acertado, eles se reuniram no centro das arquibancadas, e depois da nuvem de poeira sumir, viram a Bruxa Pérola rindo-se novamente, andou até a borda e pulou dela para o chão, ela então fincou seu machado no chão e começou a bater palmas, - Parabéns pessoal, realmente um ótimo confronto! Acho que não vou mais precisar disso... Ela então, para a surpresa de todos, tirou seus próprios chifres, como uma tiara, removeu seus dentes afiados, como uma chapa, tirou as lentes vermelhas de cada olho, mostrando seus cinzentos olhos reais, e abriu seu vestido, revelando pernas de pau terminadas em suas botas, foi aí que todos ficaram com os queixos no chão, - PROFESSORA RABBIT!? Luke gritou, Margarete sorriu seu sorriso convencido para eles, e começou a explicar, - Sabem, após vocês terem nos contado sobre como ficaram indefesos, contra seu inimigo, eu propûs um desafio para ver se vocês tinham perdido o gás durante as férias, mas estou feliz em saber que não! Brenda, Gary e Kain ainda pareciam não acreditar, mas Blair abafou um risinho, fazendo todos olharem para ela, - Você sabia, não sabia, Blair? Margarete perguntou, Blair confirmou com a cabeça, dizendo que entendeu assim que Brenda respondeu a resposta com ''Coelho'', - Bom, deixando isso de lado... Onde estamos? Luke a inquiriu, mas sua professora respndeu com algo que quase o derrubou, - Em um OVNI da minha amiga, - OVNI? Como em... Objeto Voador Não-Identificado?! Ela apenas concordou, Brenda o falou que Aliens existiam, e eram monstros como eles, Luke pareceu se chocar com a notícia, mas então disse, - Claro, porque não? Todos riram, mas aí Kain perguntou, - E os bodes? o que são eles? Margarete apensa respondeu: - Que bodes? Dando um susto em todos, mas logo eles se materializaram atrás dela, dando reverências, - Esses são meus Familiares, podem não ser coelhos, mas são muito confiáveis, eles voltaram a desaparecer, Luke a perguntara o que eram familiares, ela então explicou que monstros poderosos podem formar contratos com espíritos da natureza, ou até com outros monstros, os alimentando de energia em troca de sua obediência, mas disse que não podia falar mais que isso, ela então cortou os cabos de aço que a ajudavam a ''flutuar'', e gritou - Featrine! Acabamos, muito obrigada por me emprestar seu apê! Uma luz branca tomou conta do local, e toda a estrutura que tinham passado se tornou uma grande sala com quarto, cozinha, banheiro e cama em outras partes, uma mocinha de cabelo loiro com uma tatuagem de estrela verde embaixo de seus olhos castanhos apareceu, era uma alienígina, amiga de Margarete, Featrine, ela tinha a personalidade de uma garotinha de escola, parecia lançar raios de fofura com sua respiração, ela sorriu para Margarete, e logo o grupo se viu na ponte da Academia, todos maravilhados e um pouco enjoados, - Mas e os outros alunos desaparecidos? Perguntou Brenda, mas a professora lhe informou que eram apenas boatos, Luke a perguntou se Featrine era a moça de cabelos verdes que tinham visto no castelo, e Margarete confirmou que as formas originais dos aliens parecem diferentes para todos, para Brenda, parecia com sua mãe, para Gary, com a irmã que perdeu na infância, para Blair como sua irmã e Kain a viu como sua mãe, maravilhados e cansados, o grupo saiu particamente rastejando da ponte, em direção ao castelo.


Próximo Capítulo: 20/02
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 8: Os Membros do Circo.

Mensagem  Jack Jerripher em Seg Fev 20, 2012 10:25 am

As duas semanas antes das aulas haviam terminado, a festa de início das aulas já tinha passado, a deste ano teve o tema fundo do mar, e foi comemorada dentro do galpão Bloodymary, que havia sido todo decorado como o propósito, mas os alunos sentiram a falta de algumas presenças, os professores não terem vindo era estranho, e fazia todos pensar que estavam preocupados com alguma coisa, algo que não queriam que soubessem... Na terceira manhã de aulas, após o grupo de Luke ter voltado da aula de Combate, enquanto estavam se reunindo no hall das refeições para começar o almoço, Sophie se levantou de seu assento e pediu silêncio à todos, ela então anunciou que o Diretor estaria fora por uma semana, mas para compensar a incoveniência de quem precisasse vê-lo, a Academia tinha convidado algumas visitas inusitadas; Assim que Sophie proferiu estas palavras, passos foram ouvidos além do arco de entrada, uma garota estava dando mortais para entrar no local, ela então parou com uma de suas mãos no chão e virou as pernas para o outro lado, revelando uma extrema flexibilidade, ela ganhou aplausos e partiu para o lado do hall, postando-se no começo do que seria uma fileira, atrás dela, um homem grande demais para ser humano, carregava varios pesos de academia, ele jogou eles para cima e começou a fazer mallabarismos com eles, ele logo então soltou fogo pela boca, começando a fazer malabarismo com pesos em chamas, ele também foi recebido com aplausous e ficou ao lado da garota, duas estranhas figuras o seguiram, ambos pareciam ser gêmeos, muito magros e altos, eles vestiam roupas extremamente estranhas, parecendo uma mistura entre uma múmia e um lagarto, eles viravam seu corpo em ângulos infazíveis, e logo saíram rodopiando um ao outro com os braços, um palhaço com cores amarelas e vermelhas entrou em cena, Brenda se levantou com um susto, mas percebeu que não era o mesmo daquele dia, ele corria enttre o espaço das mesas, jogando água e tortas nos alunos, ele então tirou uma grande bola de seu bolso (onde ela não devia ter cabido) e uma marreta de seu tênis, ele acertou a bola, fazendo-a ir para cima, e saltou para o alto, aterrisando na bola enquanto girava a marreta com ambas as mãos, e ele foi assim e juntar aos seus colegas.

- Esses são Rosa Laywandar, Pierre Dufaux, Tom&Abby Reitchild e Major BoBo, eles são membros de um famoso circo de monstros das redondezas, aposto que já ouviram falar dele, O Pierrot Machité! Declarou a Vice-Diretora, Luke se engasgou com seu suco, mas Gary o deu um tapa nas costas que grudou sua cara na mesa, - Opa, botei força demais... - Não, tudo bem, serviu um propósito, Luke lembrara de onde tinha ''pegado emprestado'' a bicicleta que usara para se reagrupar com os outros, e esperava que ninguém tenha percebido... ou gravado. Mss o que muitos não haviam percebido era que mais uma figura aguardava sua introdução na porta, - Agora alunos, quero que dêem uma salva de palmas para quem tornou isso tudo possível, Robin Sierra! Todos se viraram para o arco de entrada, onde uma bela mulher com uma jaqueta azul marinho e calças jeans marrons esperava, ela usava um cachecol rosa, e tinha belos olhos azul-aço, seu longo cabelo loiro cacheado nas pontas caía por seus ombros, ela andou com seus saltos agulha negros e se posicionou ao lado de seus subordinados, porém Sophie a abraçou no caminho, dando a impressão de conhecê-la, e sussurou algo em seu ouvido, algo que fez Robin se assustar, mas ela logo se recompôs e ficou na frente da fila dos membros do circo, - Nossos convidados ficarão uma semana conosco, enquanto o local onde trabalham está sob reforma, espero que sejam calorosos e hospitaleiros com nossos convidados, - Pode deixar que serei bem caloroso com elas... Comentou Kain, mas logo foi tomado por uma tempestade de tapas na cabeça de Brenda e Blair enquanto Gary e Luke riam.

- Com liçença, vocês são Luke Truesdale, Brenda Thompson, Gary Crawford, Kain Winchester e Blair Liddel? Os cinco paralisaram de surpresa com a voz que tinha vindo de trás deles, era uma voz calma e profunda, quem os falava era a dona do circo, Robin, - Eu e meu grupo poderíamos nos sentar com vocês? O grupo apenas sacudiu suas cabeças afirmativamente, - Queríamos agradecer por salvarem a Academia, ela é um lugar precioso para todos aqui... - Então vocês estudaram aqui? Perguntou Blair, os membros do circo concordaram, mas Robin respondeu que ele ajudou a fundar a escola, junto com Sophie, Jack... e outra pessoa, todos arregalaram os olhos, sempre quiseram saber como os outros podiam parecer tão jovens sendo bem, centenários, mas monstros não envelheciam como humanos, então não era um grande problema, o grupo os informou que eles não precisavam os agradecer, eles iam salvar a academia de qalquer jeito, não podiam deixar do jeito que estava, - Deve dar trabalho não é? Serem os cinco guerreiros da profecia... Os cinco se surpreenderam, pois todos sabiam que eles tinham salvo a Academia, mas a parte da profecia não havia sido revelada, - Sou uma boa amiga de Jack e Sophie, nós nos correspondemos e contamos com o outro para nos ajudar a tomar decisões, - Ah, entendo, mas sabe, eu não acho que ser os cinco guerreiros influenciou muito, nós ajudaríamos a salvar o castelo mesmo não sendo parte da profecia... Luke comentou, e olhou para seus colegas, que concordaram, - E além do mais, não fizemos isso sozinhos, a batalha teve muitas frentes, e ninguém ficou parado, Brenda explicou para a convidada, enquanto olhava para os outros membros do circo, que só sorriam e concordavam, - Trabalho em equipe é uma boa coisa, Robin comentou, ela então pegou uma bolsa cor verde claro e tirou dela um conjnto de chá inteiro, seus subordinados então se mexeram, Tom&Abby afastaram as cadeiras de cada um dos cinco, Pierre virou a mesa e colocou uma toalha de mesa branca sobre ela, enquanto Rosa colocou as chícaras na frente de todos, Major BoBo, novamente em sua bola, equilibrou cubos de açúcar e os jogou dentro das chícaras de todos, terminando quando Robin os serviu de chá, em um movimento anti-horário que terminou em sua frente, ela então os observou e disse: - Podemos começar a festa do chá?


Próximo Capítulo: 21/02
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 9: Noite em um Ninho de Pássaro.

Mensagem  Jack Jerripher em Ter Fev 21, 2012 5:40 pm

Após o estranho começo da ''Festa de chá'' de Robin, muitos alunos começaram a olhar esquisito para a mesa, Robin completamente mudou seu tom, de um tom um pouco reservado e tímido... Para alto e extravagante, tudo era engraçado para ela, até as piadas de Kain, que parecia ser o único a gostar da atenção, e como ela era uma mulher conhecida e importante... Ninguém sabia como pedí-la para os liiberarem, tendo que, no máximo, fingir interesse em suas histórias, e o pior, é que como uma festa de chá da tarde de pessoas afortunadas monetariamente... Ele não acaba à tarde, os cinco amigos ficaram literalmente o dia inteiro sentados ouvindo Robin e seus empregados do circo falando, Luke olhou para a mesa dos professores, vendo a hora em que Sophie iria se retirar, e quando ela o fez, o garoto a fez um sinal de ajuda, mas a Vice-Diretora apenas olhou para o teto e começou a assoviar, denotando que ela sabia extremamente bem destas tendências de sua amiga.

Enquanto ao povo do circo, eles eram, bem... Simples, pessoas de mentes simples, estavam felizes do jeito que estavam, e riam de tudo que sua chefe fazia, a paz estava na cabeça de todos à todo o tempo, e enquanto isso os fez bons e agradáveis parceiros de conversa no começo, isso ficou rapidamente chato, um exemplo foi quando Brenda os contou sobre o teste de Margarete, reclamando do perigo e aleatoriedade da tarefa, mas a sua resposta, vinda da contorcionista Rosa Laywandar, foi que eles deviam simplesmente aceitar o tratamento e o trabalho que foi feito para ficar pronto, e todas as respostas, de qualquer um deles, eram assim, alguns tinham traços diferentes dos outros, Rosa dizia poder ler a aura dos outros, e dava atualizações sobre a cor da aura de cada um a cada meia-hora, e explicava o que representavam, ''Se ela pudesse mesmo ver minha aura ela já teria parado de falar comigo...'' Pensou Luke consigo mesmo, Pierre era propenso a ter explosões momentâneas de afeto, abraçando o grupo e quase chorando por suas virtudes, e ele, sendo um brutamontes, era capaz de facilmente machucá-los assim, os gêmeos, por outro lado, não diziam muito, comunicavam-se um com o outro com sinais estranhos e risadas, Major BoBo era um brincalhão, mas isso é um eufemismo, ele AMAVA brinadeiras, como molhar alguém com flores, dar choques com apertos de mão, e derramar o chá de alguém ao tentar fazer malabarismo com suas xícaras, tudo enquanto Robin começava a rir extremamente alto, às vezes de coisas que não eram remotamente engraçadas, ganhando atenção de todos até o nono andar... e da Escócia, mas depois de considerarem tudo... Eram boas pessoas.

Mais ou menos às cinco da tarde, Robin, no meio de uma história sobre como Pierre havia caído sobre os gêmeos e os nocauteado, ela olhou para o relógio cuco do Hall das Refeições, e pediu para que seus ajudantes tirassem a mesa, os cinco amigos tinham caras de desapontamento, por ter acabado a conversaria, mas tinham sentimentos completamente diferentes dentro de si mesmos, mas após a mesa estar arrumada e os pratos levado até a fenda onde ficavam as pias, Pierre então pediu para que o grupo os seguisse, mas ninguém sabia para onde, foi qí que Rosa os lembrou que eles tinham combinado, no meio do chá da tarde, em ver uma coisa incrível nas montanhas próximas a Academia, mas obviamente, ninguém havia prestado atenção, ''Oh, não'' Pensou Luke, ''Porquêêê?'' Pesnou Blair, ''Tão perto!'' Pensou Kain, ''Lá vem...'' Pensou Gary, ''Olha que ótimas notícias...'' Brenda pensou, eles então passaram pelos portões, enquanto Lorelei e Mimi os davam olhares de simpatia, indicando que esse trato do pessoal do Pierrot Machité era algo bem conhecido, até Babayaga parecia desconfortável pela posição deles, os dando um pirulito que aumentava o humor para cada um, no meio de cruzarem a ponte suspensa, Luke percebera que a Srta. Sierra não estava entre eles, mas Major BoBo, enquanto fingia cortar os pulsos com facas de plástico, respondeu cantando que ela tinha outras coisas a fazer. Após andarem por quase uma hora, chegaram à uma encosta da montanha, e viram que havia um ninho extremamente grande em um de seus lados cobertos de hera.

Na sala dos professores, Robim se sentou no lugar que era de Jack, ninguém se importando, e começou a falar com a única presente ali, Sophie, - Então... É realmente ''ele''? Sophie confirmou enquanto encarava o chão, - Depois de todo esse tempo, Jack... Quero dizer, todos nós ficamos marcados para sempre, isso é algo que geralmente não se esquece... Explicou a Harpia, - Sim, pessoas geralmente dizem que tudo se cura com o tempo, mas essa é uma noção humana, pois monstros, não morrendo de idade avançada, tinham muito tempo para pensar, - É verdade Rô, sabe, você pode parecer sempre doce, mas você tem seus momentos de seriedade, senti falta disso, Sophie a disse, - E você é o contrário querida! As duas trocaram sorrisos, lembrando-se dos velhos tempos, mas então Robin respirou fundo, e pediu para Sophie para levá-la até aquela pessoa, pois ela tinha flores para dar para ela, a Vice-Diretora concordou e pegou seu próprio ramalhete de rosas; Após descerem um andar, chegaram ao sóbrio oitavo andar, Cattleya as deu as chaves para a sala memorial, também dando um buquê de violetas para Sophie deixar para ela, e então voltou para a enfermaria onde estava ocupada. Ambas respiraram fundo, se preparando, e adentraram a sala, iluminada por velas de chamas azuis, elas se dirigiram à uma singela lápide com a efígie de uma anja, elas a disseram olá, a felicitaram por seu aniversário, e deixaram suas flores em volta dela, Sophie percebeu que já haviam algummas flores lá, Azaléias Rosas, e se lembrou que eram as flores favoritas da querida amiga, e ficou contente que Jack não tenha esquecido, mas ao pensar direito, ele não podia esquecer, Robin derramou algumas lágrimas, e Sophie fez o mesmo, talvez uma cena que fosse tão rara quanto a chance de ver fogo na água.

- Mas o que fez esse ninho? Brenda perguntara, fosse o que fosse, era enorme, pois também seus ovos eram gigantes, - É o ninho de uma Garuda feral, explicou Rosa, que também disse que Garudas eram as maiores criaturas aladas no mundo, o grupo teve problemas em imaginar algo maior que Hildegarde, uma Fênix, pois ela carregara os cinco, sem nem mesmo se cansar, - Erm... Interessante e tudo, mas... por que estamos aqui? Perguntou Kain, e isso todos queriam saber, - Esperem um pouco... disse Major BoBo enquanto olhava para o sol que estava se pondo, e então todos entenderam, e ficaram absolutamente atordoados, era uma cena magnífica, justo quando a luz ficou no horizonte alinahda com os ovos de onde estavam olhando, puderam ver o que estava dentro dos ovos, naturalmente ainda era estranho ver a ave se formando, mas ainda mais bonita era como o interior do ovo parecia, ele era inteiramente negro, mas com alguns pontos brilhando como glitter, dava a impressão de que aquela não-tão-pequena criatura se formando, estava nascendo em sua própria galáxia cheia de estrelas, ela transmitia um contexto que apenas passou por cima de tudo com o que estavam se preocupando ultimamente, podendo ver um pouco de como os membros do circo viam o mundo. A cena calou até mesmo os mais falativos, e todos ficaram lá simplesmente... Olhando para a visão, - E saber que isso estava tão perto de nós... Começou Blair, - ... E nunca viemos aqui ver... Gary completou a fala da amiga.

Já tinha escurecido, e todo estavam discutindo a visão com suas únicas perspectivas, quando... - Ei pessoal, não estamos esquecendo algo? Perguntou Pierre, e então seu grupo inteiro lembrou-se, - CORRAM! Gritou Rosa, mas como ninguém se movimentou na hora, eles se perguntaram o porquê do grito, mas logo entenderam, na distância, uma grande figura com asas quase tão grandes quanto a colina onde estavam, voava o que parecia uma grande águia com plumas de cores vermelhas, mas tinha a distinção de ter chifres como de touros em sua cabeça, era a Garuda mãe. Ela voou tão rápido que logo os encurralou enquanto corriam ao final da colina, ela largou algumas carcaças de ovelhas que tinha pego, e soltou um grito ecoante, e acompanhando seu grito, barulhos de coisas quebrando começaram, com todos do grupo pensando em variações do termo, ''ferrrou'', os ovos haviam chocado, e as pequenas criaturas com uma pequena penugem alaranjada abriram seus olhos, Gary pensou que nunca andariam rápido o bastante para chegar até eles, mas aparentemente, Garudas nascem sabendo correr, a mãe soltou mais um grito, e algo aconteceu, pedras afiadas pareceram se materializar na bordas da colina, efetivamente os trancando ali, com a mãe de um lado, e seus filhotes carnívoros de outro, tiveram de tomar uma decisão rápida, Luke então decidiu agir antes que alguém se machucasse e usou Magia de Vento nos filhotes, os derrubando, ele mandou todos correrem, antes que os filhotes se levantassem, e a mãe deles os estraçalhassem de fúria. O grupo resloveu se esconder em uum local onde pelo menos sabiam que fora feito para se protegerem... o Ninho.


Assim que entraram nele, Brenda, Kain e Blair usaram Magia de Terra para criarem barreiras sobre o ninho e ao seu redor, - Devíamos teer matado aquela galinha! Gritou Kain, - Não podemos... Disse Brenda, e foi aí que ele e alguns outros entenderam o porque resolveram se esconder a lutar, eles eram que estavam errados na situação, eles invadiram o ninho da criatura, e também, eles não podiam matar bebês recém-nascidos, mesmo que quissessem sua carne, e matar só a mãe, era possivelmente pior... O que fariam? Antes que pudessem responder, as barreiras começaram a chacoalhar junto com o ninho, tanto a mãe quanto suas crias estavam atacando suas crostas, - É Cujo com aves! Declarou Luke se segurando ao ninho para não cair por uma das pequenas fendas da barreira, - O que é Cujo? Perguntaram Todos os outros em unissom, - Um livro, recomendo, é bem emocionante, é sobre... Ah, não temos tempo pra isso, temos que debater a situação, e agir, mas justo quando ele proferiu estas palavras, a barreira se rachou, mas antes que as aves os alcançassem, sons de passos e rochas quebrando foram ouvidas, as aves se viraram para o lado oposto, e todos puderam ver o que era; Robin estava os encarando, ela pegou um pedaço das pedras afiadas que quebrara, e jogou diretamente na cara da nãe-Garuda, - Não faça isso Srta. Sierra, ela vai te pegar! Gritou Kain, porém Pierre colocou a mão em seu ombro, ele estava com um expressão estranha em seu rosto, parecia pena, as aves dispararam, voando no caso da mãe, e correndo em direção à elas, a sequência de eventos que se seguiram foram extremamente rápidos e confusos, Robin simplesmente se jogou extremamente rápido para frente, parecendo atravessar o corpo da mãe, e nem memso Fantasmas podiam atravessar corpos de criaturas, todos notaram que o braço direito inteiro dela tinha se transformado em uma espada, e ela estava cheia de sangue, após jogá-lo ao lado limpando sua espada, o braço voltou ao normal, mas aí, as aves explodiram em uma chuva de sangue, ossos e partes internas, chocando todos, - Fiz o que tinha que fazer e espero que me perdôem, ela os disse, antes de se ajoelhar no chão e começar a rezar, - A Srta. Sierra não parece... mas vocês estão olhando para uma ex-número um do Conselho das Espadas, Todos arregalaram os olhos com o fato, quebrando completamente a imagem que possuíam de Robin em suas cabeças, logo após, Rosa os pediu para que os deixassem na montanha um pouco com a chefe, e fossem direto ao castelo, ela também pediu desculpas, afirmando o acidente a ser culpa deles, mas o grupo negou isso e contornaram os restos mortais, profundamente enojados e sem falar nada, voltaram ao castelo.


Próximo Capítulo: 23/02
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 10: O Monstro no Fim deste Livro.

Mensagem  Jack Jerripher em Qui Fev 23, 2012 6:27 pm

Luke estava conversando com seus amigos, era um dia normal, nem quente nem frio, estavam sentados na beira do lago, Kain havia acabado de contar uma piada relacionada ao fato de que Gary podia tirar a camisa para atrair garotas para o local, mas Blair cortou no meio dela e o disse que elas estariam ocupados com o Gary e não com ele, todos riram, mas então de repente, Kain e Blair explodiram, o sangue deles manchou a cara e o corpo de Luke, que se levantou de susto, ficou absolutamente paralisado, tentava se mexer, mas via o sangue deles escorrendo em seus braços, algumas ''coisas'' que batiam e pulsavam no chão, e que el sabia que estavam dentro de seus amigos, ele queria gritar, mas nenhum som saía, mas o pior é que Brenda e Gary pareciam nem estar vendo, continuavam a conversar um com um outro, Luke se esforçou para estender a mão à sua frente, para chamar a atenção dos restantes, lágrimas desceram como riachos em seu rosto ao ver ambos explodirem também, o sangue de seus amigos parecia pesar dez toneladas sobre ele, o pressionando ao chão, - Foi ele quem fez isso? - Que Crueldade! - Como Pôde? - Eu nunca achei que ele fosse propenso a essas coisas... As vozes que ele agora ouvia pareciam estar falando em tom cômico, satirizando a infernal visão à frente do garoto.

Luke finalmente acordou, estava sendo carregado febrilmente por seus colegas de quarto até a enfermaria no andar abaixo, ele ainda não conseguia falar, estava mal conseguindo enxergar, sentiu Indra dizendo aos outros que ele estava acordando, e eles suspiraram aliviados; O garoto então puviu portas sendo abertas, e reconheceu a voz que vinha recebê-lo, Hilda guiou-os até uma maca e instruiu Leonard a colocá-lo gentilmente, uma segunda voz, desta vez de Cattleya foi ouvida, mas Luke não percebeu, estando extremamente desnorteado que ela estava em sua frente, pois sua voz parecia distante, ele não conseguia distinguir o real de tanta confusão, Hilda pediu aos garotos para que eles se retirassem, os rapazes se despediram, desejando a melhora de Luke, enquanto Cattleya corria de armário em armário atrás de um frasco, ela finalmente o achou, na quarta tentativa, e rapidamente pegou uma das pílulas vermelhas, Hildegarde veio também correndo com um copo d'água, elas colocaram a pílula na boca de Luke, que mal conseguia abrí-la, e o fizeram tomar o copo inteiro, com sorte ele fez o que pôde para ingulir esse remédio, e elas o ajeitaram na cama, colocando uma toalha molhada em sua testa, o que, surpreendentemente, não o manteve acordado, mas o relaxou, ele logo voltou a dormir, - Uma noite sem sonhos provavelmente é nossa melhor aposta... Disse Cattleya enquanto olhava preocupada para seu paciente.

- Olha, ele está acordando! - Ainda bem! - Luke! O garoto estava mal acordando quando sentiu, de alguma forma, seus amigos, ele abriu os olhos e observou que eles estavam realmente perto dele, estavam os quatro de caras coladas com ele ao ponto que ele olhou direto nos olhos cinzentos, azuis-escuros, castanhos e azuis-anil que o encaravam, eram os de Brenda, Kain, Gary e Blair respectivamente, - Erm... Bom-Dia? Disse o Fantasma, mas seus amigos já o sufocavam de perguntas, mas isso logo acabou quando Cattleya, extendendo seus cabelos preensíveis, os amarrou e os jogou no chão, ela logo andou na direção deles, tirou o termômetro de Luke e confirmou que ele não tinha mais febre, foi aí que ele notou que não só seus amigos, mas também seus colegas de quarto estavam alí, obviamente preocupados com o garoto, mas logo que viram ele acordando, eles se retiraram, pareciam um pouco aflitos com algo, - Pessoal, porque vocês... São meus amigos? A pergunta foi tão repentina que tanto seus amigos como as enfermeiras levaram um susto, - Digo, eu não sou uma pessoa especial, sem características maracntes, eu julgo as pessoas antes de conhecê-las... Mas diferente do que ele imaginara, seus amigos estavam rindo, ele ia perguntar o porque da graça, mas logo Kain o respondeu, - Sabe, ele até está meio certo, ele é bobo demais, - Sabe Luke, isso que você falou, por uma parte é errado, e na outra é mentira, Brenda o disse, e Blair completou a idéia da amiga, dizendo que ele tem sim suas características, ele foi o primeiro a perdoá-la, sempre acreditou nela, e ajudou quando nem ela conseguia se ajudar, além do fato de ele ser um dos poucos garotos sensíveis sobrando, mas este comentário tornou-se ofensivo à Kain e Gary, esse último o disse que julgar pessoas antes de conhecê-las é algo normal, - Mas você não está na Brinterruves, quero dizer... - Você está em minha república porque você sabe reconhcer julgamentos errados e se preocupa com os outros em primeiro lugar.

Era Samantha quem falava, ela tinha entrado bem na hora de ouvir tudo, ela devia ganhar um prêmio por aparecer exatamente na hora, era igual à suas aulas, - E não quero ver você se questionando sobre isso novamente, ah, e a propósito, seus colegas de quarto disseram que você estava segurando este livro enquanto dormia, ela o entregou um livro grande e com a capa um pouco surrada, tinha detalhes em dourado e alguns brilhinhos verdes, - Eu nunca vi este livro, mas tem meu... os nossos nomes na contracapa, e assim que ele o abriu, tudo aconteceu muito rápido, os nomes escritos à tinta negra brilharam com uma cor esverdeada e os cinco foram puxados para dentro do livro, - Droga! Isso tem que parar de acontecer, a SOPHIE VAI ME MATAAAAR! Samantha agarrou seus cabelos e começou a correr em volta da sala, Cattleya a agarrou com seu cabelos, lembrando-a ela que deveriam checar as origens do livro, elas então agarraram o livro, mas foram sugadas também, - MADAME VALLIÉRE! AHHHHHHHHHHHH! Hilda então gritou, mas fez o que tinha de fazer, fechou a porta da enfermaria, embora tenha ficado atenta para ver se alguém chegaria, e então, colocando luvas, tocou no livro, e viu no final, onde antes tinham os nomes dos cinco, agora havia o nome, ''Helena Minovich'', - Aquela piveta! Ela ganha da Margarete em maldade infantil! - Ganha? Acho que vou ter de me superar então... Hilda ficou branca, Margarete estava à sua frente, sentada em uma mesa, balançando suas pernas no ar, ela se arrumou para ler o livro junto com Hilda.

[vermelho = Comentário de Hilda/Margarete, azul = Fala dos que estão dentro do livro]

- Isso não pode ser outra das idéias da Margarete! Gritou Kain irritado, - Não, ela não tem esse tipo de poder, mas também, ela conseguiu um disco voador, vai saber... Blair riu-se, - Desta vez não sou eu, mas bem que seria um bom treino... De qualquer maneira, devemos ter um jeito de sair daqui, nenhuma magia de posicionamento é permanente, - Ótimo, primeiro os sonhos, agora isso...Luke comentara não acreditando em sua sorte ultimamente, - Do que foram os sonhos dele? Parece que ele estava arranhando o cabecel da cama e gritando enquanto dormia.Hilda se perguntara, - Ele está muito novinho para este tipo de noite... Comentou Margarete, fazendo Hilda suspirar com as suas idéias, - Bom, isso é um livro, e pelo jeito da capa, de uma aventura épica, talvez se chegarmos ao fim da história... - Mas não se deve julgar um livro pela capa..., Gary e Brenda debatiam, mas Blair notara que nada estava acontecendo nesta parte do livro, ou seja, a história não estava se movendo, e eles não tinham mais muitas escolhas nesse ponto, - Não era bem isso que eu imaginei quando pensava que escreveriam livros sobre nós... Comentou Kain, mas todos o olharam com cara de ''Isso não é hora para piadas''. O grupo de repente ouviu um som de cascos de cavalo enquanto andavam e viam uma figura se aproximando à galope.


[center]Próximo Capítulo: 25/02[/size]
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 11: Final Feliz.

Mensagem  Jack Jerripher em Sab Fev 25, 2012 3:20 pm

Um imponente cavaleiro de armadura e segurando uma grande lança apareceu, ele desceu de seu cavalo e retirou o visor de seu elmo, ele parecia um homem comum em seus trinta anos, tinha um pouco de barba e cabelos da mesma cor ruiva, se aproximou dos cinco amigos, - Alto! Quem vem lá? São mais inimigos da princesa? Sir Ascoth não terá pena de atravessá-los com minha lança! Os cinco o encararam por um tempo, colocando de lado a exagerada soberba do cavaleiro, eles se explicaram, - Não somos inimigos da princesa, nós fomos sugados para dentro de sua história, Brenda o disse, mas ele soltou uma risada e perguntou, - Creem mesmo que acreditarei na desculpa de vocês? Pereçam, vis abutres!, Sir Ascoth correu em direção deles com sua lança erguida... Mas Blair apenas o lançou para o alto com magia e o bateu no chão de cabeça, ganhando caras assustadas de todos, mas para o cavaleiro, isso parecia ter demonstrado algo diferente, e por isso, ele largou sua lança e se curvou perante os monstros, - Vocês, até que enfim, são os cinco magos enviados de Gablia para ajudar nosso reino! Nosso povo sofre tanto na ausência de nossa princesa! Luke estava prestes a responder que não eram os cinco magos, mas Gary o deu um sinal com a cabeça, e se aproximou do cavaleiro, - Sim, nós somos os cinco magos, mas não nos explicaram nossa tarefa direito, poderia nos fazer o favor?

O homem levantou do chão e começou a explicar, - Já fazem dois meses que aconteceu, era uma manhã de sol e tudo estava bem no reino de Fabith, a Princesa Luctiana estava dando seu usual passeio nos jardins, mas... Uma grande sombra caíu sobre o castelo, era um dragão completamente cinza, ele pareceu falar alguma coisa com a Princesa, e quando os guardas chegaram, ele já a segurava em suas garras, nós partimos para cima dele, mas ele soltou um forte fogo contra nós, e em seguida voou. Desde seu rapto, cavaleiros teem ido até o covil do dragão, mas nenhum jamais voltou... E por isso agora é minha vez, Sir Ascoth, o último cavaleiro de Fabith! - Isso é interessante, quem escreveu esse livro? Hilda se perguntou, mas Margarete também não sabia a resposta; O grupo ficou muito comovido com a história de Sir Ascoth, e decidiu ajudá-lo, pois também precisavam seguir com a história, e tinham certeza de que Sir Ascoth era o protagonista, - Então você vai sacrificar sua vida por seu dever? Isso é muito nobre, Brenda comentou, - S-s-sim, é isso sim, é estritamente meu dever, não tenho nenhuma outra razão para resgatar a Princesa! A negação específica do cavaleiro os chamou a atenção, mas continuaram em direção do próximo vilarejo, onde passariam a noite em uma estalagem.

- Sabe, é uma pena que não dê para tomar banho direito neste lugar... Disse Kain se jogando na cama após não entender como se tomaria banho apenas com um balde, do quarto que dividia com Luke, Gary e Ascoth, - É realmente uma pena, com seu odor corporal você poderia atrair o dragão para cá! Gary comentou, o que fez Luke rir, mas Kain o disse que fazer piadas era o negócio dele, logo em seguida, Sir Ascoth saiu do lavatório, assustando à todos por estar usando as roupas com que nasceu, - Vocês não vão tomar banho? Não podem ficar cheirando assim na batalha amanhã, principalmente em frente de Lady Brenda e Lady Blair, e ainda por cima da Princesa, mas antes que os três pudessem explicar, Sir Ascoth os pegou pelos colarinhos e os arrastou para o lavatório, - Hm, Sir Ascoth, você não poderia esconder seu... er... sua masculinidade? Luke o perguntou fazendo de tudo para não olhar, - E porquê um homem deveria esconder seu orgulho? Vamos, dispam-se também, mas antes que ele poderiam protestar, o cavaleiro os arrancou as roupas do corpo com rapidez, deixando os três com as mãos em frente de suas intimidades, - Pena que esse livro não tenha figuras, hahaha! Margarete riu-se, deixando Hilda ainda mais com medo, - Vamos, não escondam sua masculinidade! Os três combinaram de não olhar para o outro e em seguida Sir Ascoth os apontou cadeiras de frente para a parede, onde sentaram até ele voltar com água quente em va'rios baldes, que ele distribuíu um para cada um, eles começaram a se lavar meio que apressadamente, quando Kain perguntou, - Será que as garotas também tomaram banho juntas? Fazendo Luke e Gary lembrá-lo de tirar a mente do esgoto, - Você pode querer pensar em outra coisa, ou não vamos poder evitar de ver seu orgulho, se é que me entende... Gary o disse, Kain anotou o recado e pensou em outra coisa, - Sir Ascoth, você ama a Princesa não ama? Luke o perguntou, ele pareceu chocado com a descoberta do garoto, mas todos já pareciam saber estava na cara, Sir Ascoth os contou que os dois se conheciam desde que eram crianças, estavam apaixonados, mas não poderiam se casar, por isso fugiriam após derrotarem o dragão e fariam parecer que ambos morreram em batalha...

Na manhã seguinte, enquanto caminhavam em direção à montanha do dragão, os garotos contaram o que descobriram as garotas, e elas já desconfiavam, os falando que o cavaleiro ficava muito nervoso ao falar da princesa, e enqunato era uma história comovente, eles deveriam seguí-la para sair do livro, - Eles são mais inteligentes do que a gente os dá créditos, comentou Margarete, com Hilda concordando. O grupo estava subindo a montanha quando começaram a ouvir estranhos ruídos, como eletricidade se reunindo, e ao virar a esquina em um dos caminhos da montanha, encontraram duas mulheres, uma loira e outra morena, elas pareciam estra sendo controladas por alguma coisa, seus olhos pareciam sem emoções, elas vestiam vestidos azuis de gala e grandes chapéus em suas cabeças, antes que pudessem tentar se comunicar com elas, a da direita, a loira criou raízes que foram atrás do grupo, mas o Projétil da Lua Crescente de Brenda as cortaram, logo em seguida, a morena lançou uma torrente de chamas na direção do grupo, mas Gary e Luke cobriram-os com Magia da Água, fazendo um escudo feito de água, Sir Ascoth ficou maravilhado com a exibição de ''poderes mágicos'' entre os ''magos'', e se animou, tentando galopar rapidamnete na direção das mulheres, de lança erguida, mas a loira criou vinhas que prenderam seu cavalo e jogaram-no para o alto, mas por sorte, Blair voou perto dele com sua abóbora, e a emprestou, enquanto ela desceu em direção às duas, ela criou um raio triplo de Magia do Trovão, Magia de Fogo e Magia de Gelo, mandando ambas as mulheres para longe, mas assim que o grupo foi verificar como ambas estavam, viram que eram Samantha e Cattleya, que finalmente acordaram, estando um pouco cansadas, Gary se ofereceu para ficar para trás e curá-las enquanto enfrentavam o dragão, com olhares preocupados, o grupo partiu.[color=red]- MADAME CATTLEYAAA![/i] Gritou Hilda correndo em volta do local, procurando remédios, mas Margarete a lembrou que isso não ia ajudar, e a falou que o livro estava prestes a acabar.

Finalmente estavam à frenet do grande dragão cinzento, ele tentou agarrá-los com suas garras, Luke pegou sua mão com seu Gancho Ectoplasma, e o atirou com sua Flecha Ofuscante, mas a carapaça do dragão era mesmo muito dura, ele era muito maior que o dragão normal, e mais forte também, Blair congelou seu pé, Kain machuucou o outro com suas garras, e Brenda pulou em sua cara, arranhando-o, e uma vez no chão, os quatro lançaram golpes à distância em sua barriga, causando uma grande explosão, mas eles então notaram que o monstro não parecia estar incomodado com os ataques deles, mas Sir Ascoth, que continuava procurando a Princesa em uma caverna elevada, via que apenas o golpe anterior de Brenda havia funcionado. Luke se juntou com Blair que usava seu Pumpkin Peacock para voar, e ele lançava suas flechas, juntamente com as explosões da garota, mas nem com a poderosa combinação que funcionara contra Shade eles pareciam poder vencer a criatura,
Brenda até mesmo tirou as armas que tinha guardado e mesmo as balas não pareciam ter efeito algum, e apenas ricochetear no couro da criatura, Kain tentava seu Martelo Ursae Majoris pela segunda vez nas costas da besta, mas ela se virou e o acertou com suas garras, lançando o garoto em direção à uma árvore, ele se conentrou e arrancou a árore do chão, a atirando em direção ao Dragão, mas ele a reduziu a cinzas com seu fogo, - Não importa o que fizermos, esse bicho parece invencível! A menos que... SIR ASCOTH! Gritou Brenda, os outros então também entenderam, começando a encorajar o cavaleiro, que não queria fazê-lo, mas se obrigou, ele se jogou sobre a cabeça do monstro, e o perfurou da testa ao queixo, terminando por fincá-lo ao chão, o dragão explodiu em brilho e de seu meio saiu a princesa, uma mulher de aparência bondosa e longos cabelos negros, ela correu em direção à Sir Ascoth e tacou-lhe um beijo, - Obrigada por perceber, que você era quem tinha que vir me salvar! ambos se abraçaram, e viraram-se em direção aos quatro, que agora eram acompanhados por Gary, Samantha e Cattleya, um portal roxo apareceu no chão, e eles sabiam que poderiam voltar por aí, - Senhores magos, antes de irem, queria agradecer vocês, vocês me ajudaram a perceber que eu mesmo tinha de agir, e por isso, muito obrigado, - E lembrem-se, vocês mesmo tem de trabalahr para encontrar seus finais felizes, não duvidem de si mesmos, e aí que vocês perdem a força... Lembrou-os a Princesa, os dois amantes se despediram do grupo... Que caíram todo por cima da maca que Luke antes estivera, a quebrando e causando a maior bagunça na ala do hospital, - Droga, o dia de limpeza era amanhã! Comentou Cattleya chateada, e no meio da confusão, [por ter feito-os ajudar a limpar o local] Luke achou o livro, e leu o nome que estava escrito na contra capa, - Obrigado Sir. Ascoth, Princesa Luctiana e mais ainda, Helena Minovich...


Próximo Capítulo: 27/02
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Marshall C. Duke em Dom Fev 26, 2012 3:42 pm

....
....
....
WOW, Eu saio duas semanas e o cara posta 11 capítulos! Se Jack fosse uma menina eu casava, essa continuação tá mto boa, está no nível dos últimos capítulos da um, só que agora voceconsegue reduzir para fikar menor, tá ótimo, continue!
avatar
Marshall C. Duke

Mensagens : 7
Data de inscrição : 24/01/2012
Idade : 21
Localização : EUA/Transilvânia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 12: Novamente um Rapto.

Mensagem  Jack Jerripher em Seg Fev 27, 2012 5:23 pm

Após terem arrumado a Ala dos hospital, todos ali se sentaram para conversar sobre os estranho acontecimento que havia acabado de acontecer com eles, Cattleya os disse que talvez isso significava que poderiam contar com o apoio de Helena no futuro, mas Margarete e Samantha trouxeram a proposição que isso podia ter sido um complô do conselho para tirá-los fora da figura, Hilda apoiava Cattleya e os disse que o livro não teria um final feliz para eles se fosse um ataque, e os outros concordaram que tinha sido uma b, oa lição de vida, mas Brenda fez cara de quem não gostou, Luke percebia que a amiga não tinha gostado da história, desde serem transferidos para o livro, ela não sorria, ele resolveu conversar a sós com ela mais tarde sobre isso, - Só espero que o Diretor não fique sabendo, ele iria pirar... Anunciou Hila, - Ele não saberá, tudo bem. Todos se viraram de susto para a fonte da voz que os falara.

Sophie tinha entrado no recinto, ela estava apoiada na parede de entrada, ninguém parecia ter notado como ela poderia ter entrado sem ninguém perceber, ''Como eles ficam entrando aqui?'' Pensou Cattleya, - Agora vão, estão atrasados para as aulas de vocês, já que perderam as três primeiras aulas do dia, podiam pelo menos chegar a tempo para a última antes do almoço, ela não precisou gastar mais saliva, todos saíram voando por seu lado, como se a evitassem, - E vocês quatro, podem ficar tranquilas, investigarei os conteúdos do livro com o Professor Rayzor, enquanto Jack não volta, - O Diretor está de férias? Perguntou Hilda, curiosa, pois não era do feitio dele, Sophie cinfirmou e disse que ele tirou alguns dias de folga para poder pensar direito, Cattleya disse sob sua voz que era ''aquela'' época do ano, e desta vez era a pior, Hilda baixou a cabeça, parecendo preocupada.

Enquanto o grupo descia as escadas para a aula de Tortura no andar inferior, eles sabiam que Margarete apareceria lá a tempo, com seus transportes de curta distância, Brenda parou um pouco e anunciou que ela não estava se sentindo bem, e que iria ficar um pouco na área aberta, Luke tentou dizer algo a ela, mas ela já tinha se retirado, - Qual é, não aguentamos seu olhar de cachorro mal-tratado! Blair o disse, ele se virou para o grupo, e Kain o certificou que todos eram amigos dela, e todos também perceberam como ela estava, Blair então os pediu para que não contassem, mas ela os contou da vez quando foram separados, quando ela viu o que tinha no medalhão da amiga, Gary os disse que já havia perguntado sobre ele para Brenda um dia, mas ela não deu resposta, ela só parecia melancólica, Kain também os lembrou que ela era orfã, mas não falava muito de seu passado, o grupo parou para pensar, então se dirigiram até a área aberta para conversar com a garota. Em sua sala de aula, Sophie explicava sobre bolas de cristais, que eram usadas para saber se humanos comuns estavam por perto, quando uma carta se materializou em sua frente, com seus reflexos de águia, a Vice-Diretora a agarrou e a abriu, os alunos a acompanharam enquanto ela passava os olhos pelos parágrafos escritos nela, e se assustar com algo que lera, - Não é possível...

- O que fazem aqui? Brenda os inquiriu, o grupo estava meio que com cara de tacho por estar ali de repente, o tom da amiga ajudava a cementar isso, sua pergunta não fora com um tom severo ou chateado, ela parecia realmente não saber porque eles estavam ali, e isso os entristecia, era quase como se ela pensasse que eles não ligariam... - Olha Brenda, nós... nós somos seus amigos, queremos que fale com a gente, Gary a disse, mas ela apenas deu um curto sorriso, e os disse que eles não podiam ajudá-la, Kain a lembrou que tinha visto sua mãe ser assassinada, e Blair a lembrou da história do massacre de sua família, ambso não gostavam de tocar nos assuntos, por razões óbvias, mas tinham reunido forças para falar, porém Brenda simplesmente olhou os dois nos olhos e disse uma pergunta que os congelou, - Vocês tiveram que sujar as mãos com pessoas que amavam? Todos pareciam ter entendido, estavam prestes a desistir de falar, mas Luke ainda assim insistiu, - Não importando o quão doloroso seja, você não precisa, não, você não pode aguentar tudo sozinha, ele então se abaixou e encarou seus brilhantes olhos cinzentos, - Você não está sozinha, a fachada da amiga caiu, ela os contou como a mãe dela costumava tratá-la como uma princesa de contos de fadas, contou da noite em que seus pais despertaram seu lado feral, desta vez não tinha ninguém para restringí-los, ela estava soluçando e gaguejando ao falar, eu estava na casa de uma vizinha, mas meu irmão não deu a mesma sorte, todos a olharam com caras de tristeza, e se agaixaram também, - Eu ch-cheguei em casa, e-e eles e-estavam co-comendo... Eu tive de matar meus pais! A garota tinha passado por uma erupção de lágrimas, seus amigos a abraçaram, sussurando-lhes palavras de comforto, entendiam agora o porque que ela não acreditava em finais felizes, e percebiam ainda mais o quanto fora dolorosa sua experiência com se transformar em Modo Feral no ano anterior, Blair ofereceu-se para levá-la ao seu salão comunal, mas ela tirou as lágrimas dos olhos e garantiu que já estava se sentindo melhor, e que tinha sido como uma terapia.

Nada porém podia prepará-los para o clima do refeitório, estavam todos calados, embora sons de suspiros e sussuros abafados pudessem ser ouvidos nos cantos do salão, que estava quase tão lotado quanto antes da festa do final de ano, eles logo avistaram Juliet e os outros três, e se dirigiram para seu caminho, Blair ainda segurava a amiga em um abraço, Luke perguntou a Juliet sobre o porquê dos Professores estarem de pé falando e os alunos em um círculo em volta deles, a Necromante engoliu em seco e falou, - Flint foi raptado, todos soltaram misturas de bufos e expressões de surpresa, - Parece que ele estava indo para casa mais cedo por algum motivo, mas assim que chegou a estação de trem de sua cidade, seus pais foram buscá-lo, mas ele não estava mais lá, as fitas de segurança foram alteradas, mas era improvável que tenha sido um humano, ela explicou, - Eles o colocaram junto com os desaparecimentos de monstros que ainda aconteciam, Jonah os disse, os cinco se encararam, tinham quase certeza, e como os professores também especulavam, a mesma pessoa que tentara os impedirem de voltar a escola era a culpada pelos desaparecimentos., a ordem agora era que os pais deveriam vir aqui ao invés de fazer o contrário, mas a Academia contrataria caçadores para escolta se necessário fosse, e também, estudantes que escolhessem ficar com os pais eram livres para fazê-lo. E assim, as sombras negras do questionamento pairavam mais uma vez sobre a Academia Grave.


Próximo Capítulo: 29/02

avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 13: Halloween Diferente.

Mensagem  Jack Jerripher em Qua Fev 29, 2012 6:43 pm

Quando as normas foram dadas para a proteção extra de alunos, elas realmente eram estritas, por um lado, Luke, Blair, Brenda, Kain, Gary, Juliet, Jonah, James e Carmela puderam rever A.Del, BiBuzz, K-Vorka e DyyDean, os quatro caçadores que tinham conhecido no ano passado, eles foram mandados lá justamente por já conhecerem a maioria da pessoas lá, previsivelmente, não mudarem no quase um ano que não se viam, A.Del continuava mandona mas um pouco impulsiva, K-Vorka era ainda quieto e estóico, DyyDean não perderia seu jeito brincalhão e BiBuzz era smepre o primeiro a cumprimentá-los, o lado mal era que os cinco não podiam muito falar em particular, pois um dos quatro estava sempre colado neles. Porém, algo também foi bom, mas ao mesmo tempo mal para um membro do grupo, a mãe [adotiva] de Kain foi visitá-los após receber o comunicado, ela alegava que a razão principal de ter vindo era porque ela só conhecia dois monstros no mundo, Kain e Jack, que foi discutir a entrada de Kain com ela. Rachel Leon era uma mulher jovem e bonita, era delegada, mas tinha tirado alguns dias de folga para vir, o grupo gostou muito dela, quem não gostou foi o próprio Wendigo, que teve de suportar ter suas histórias embaraçosas contadas aos amigos; Sem dúvida era a única humana com exceção dos caçadores, muitos pais vieram pelo aviso, e a escola estava mais cheia do que nunca, em uma manhã fria, um aviso foi dado pelo Diretor.

- Devido às circunstâncias do trágico incidente com um de nossos alunos, resolvemos que a comemoração de Halloween, muito tradicional para nossa instituição, será mudada, muitas vaias foram ouvidas, mas Jack pediu silêncio e recomeçou a falar, - Por causa disso nós organizaremos uma visita ao Pierrot Machité, as vaias se calaram e então se tornavam urras de concordância, - Não é ótimo? Perguntou Blair, que estava animada para ir, Gary admitiu que tinha curiosidade de visitar o local desde a visita de Robin e dos outros... Porém, quando ele disse isso, todos se lembraram do que aconteceu no ninho dos pássaros, e pararam de comer com a imagem mental ainda fresca na cabeça, mas esse momento estranho de silêncio foi cortado por Rachel, que perguntou, - Hm, filho, o que é esse Pierrot Machité? Kain a explicou que era um famoso circo de monstros das redondezas; Luke sabia muito bem que se ele estivesse na situação dela, estaria pirando, mas a mãe de Kain parecia um mulher com a mente extremamente aberta, e com grande curiosidade.

No dia seguinte à tardinha, todos se reuniram perante a porta da entrada pelos jardins, e então marcharam em direção ao Arco do Etropsnart, a mãe de Kain os perguntou se esse não era o mesmo arco que os havia sugado no começo do ano letivo, ao que parece Kain e sua mãe mantinham correspondência, Brenda a explicou que a culpa foi inteiramente deles, que ficaram perto demais do local, que ativou devido a proximidade; Após os professores terem mexido em alguns símbolos nos lados do arco, o cristal verde que o encimava ficou amarelo e incidiu sua luz sobre eles, não precisaram piscar os olhos para verem que estavam em um lugar diferente... Mas isso era só os Professores e alguns poucos alunos, junto com o grupo de Luke, pois já tinham o usado, pois todos os outros estavam cambaleando e caindo ao chão. Após terem se arrumado própriamente, desceram um morrinho de terra, e puderam ver o bonito circo, estava iluminado por luzes amarelas de dentro de abóboras talhadas, e também de fogos roxos e rosas que pulavam no ar, Rachel havia entrado em frenesi, estava perguntando o que era tudo, como o circo não era visto por humanos, pois só o via quem era permitido, e ela estando com um grupo de monstros tinha passe livre, o que eram as coisas à venda nas barraquinhas, e o mais comum, de que tipo eram os variados montrso que estavam lá dentro, Luke demorou um pouco ao perceber que todos estavam em suas formas originais dentro do circo, e não havia razão para não estarem, era a primeira vez que ele vira tantos monstros reunidos, mas assim que todos se separaram, uma sirene soou.

Um monstro alto e desajeitado saiu correndo em direção à saída, ele carregava muitos objetos e estava sendo perseguido por guardas de fardas azuis e agitando bastões, mas ele parecia ser mais rápido, ninguém estava intervindo por ser muito repentino, A.Del, que estava com o grupo estava indo em sua direção, mas alguém chegou a ele primeiro, Rachel deu à todos uma verdadeira demonstração das artes de defesa pessoal, não do jeito exagerado dos filmes, mas de um jeito rápido e fluído, ela derrubou o Troll apenas com uma palmada em seu tronco, o desequilibrando e o fazendo derrubar o que carregava, quando o grupo se aproximou, viu que eram todos produtos comestíveis, o ladrão implorou piedade, mas disse que tinha uma família pobre para alimentar, Rachel se agachou em sua frente e o disse que ele devia tentar se desculpar com a dona do circo e talvez implorar para um trabalho, ela fez sinal para os guardas, que não o prenderam, mas seguiram os conselhos da mulher, e o levaram à Robin, todos de repente a aplaudiram, ela sorriu e os conduziu à roda gigante que ela queria ir. Após o passeio, Luke a abordou e a explicou que ele não era monstro a muito tempo, e, curioso, perguntou-a como ela podia lidar com a situação tão facilmente, ela simplesmente respondeu que depois de tantos anos como chefe de seu departamento, ela tinha participado de simplesmente não podia se acovardar só porque os suspeitos eram pessoas... Diferentes, ela aprendeu isso com seu filho, ao ver que ele não era nada diferente em nível mental dos humanos com quem ela tratava, Rachel então correu atrás do resto do grupo, que tinha ido em direção à casa dos espelhos, era incrível a facilidade com a que ela podia mudar de assuntos sérios para outos mais triviais.

O evento da noite havia chegado, após passarem pela enorme fila, os alunos da Academia Grave se esgueiraram pelas decorações do dia das bruxas, consisitindo de bonecas assombrosas, abóboras, bruxinhas, luas e estrelas, e então subiram as arquibancadas para a fileira marcada para eles, logo após as luzes terem se apagado, um único holofote de luz azul branda se iluminou projetando um círculo no meio do picadeiro, lá estava Robin em sua roupa azul-celeste de performance, Luke e amigos nem sabiam que ela, a dona, tinha parte do espetáculo, mas ficaram maravilhados com o que viram, sem nenhum aviso, canhões dispararam dos quatro lados das arquibancadas, o alvo deles sendo Robin, mas ela simplesmente atingiu uma postura parecida com a do Ballet Clássico e deu um rodopio, as bolas tinham virado confete, pois eram na verdade apenad colchas de renda colorida sendo disparados mas o giro e sua figura davam uma expressão grandiosa à toda coisa, e de trás dela, saiu Rosa, ninguém sabe de onde, ela se contorcia dando flips para trás, parecido com o que ela fez na entrada no Hall das Refeições, Pierre a seguiu, pegando não uma, mas ambas as colunas de pedra dos lados do palco, e as girou para ambos os lados, quase acertando o público, que pulou para trás, mesmo sem necessidade, pois achavam que os acertaria, Major BoBo adentrou o picadeiro ainda em cima de sua bola, ele também fazia malabarismos com pinos de boliche, que ele acabou por jogar em posição ao chão, e para a surpresa e graça de todos, ativou sua flor no casaco, criando uma rastro de água, rastro no qual os gêmeos se agarraram aos calcanhares um do outro e se giraram como bola, derrubando todos os pinos como strike, e assim seguiu-se o espetáculo, com soberba iluminação e variando entre os membros principais e outros que eles não conheciam, com muitos momentos comoventes e assustadores; Na hora da saída, o mesmo Troll de antes se aproximou do grupo, Kain tomou pose para defender sua mãe... Dos agradecimentos do homem, que pelo que parece, tinha conseguido sim ser contratado e perdoado pela trupê. Com a saída do grupo da Academia, um palhaço diferente do Major BoBo os espiava sem saberem de cima da fixadeira do picadeiro, - Agora sim é que eles verão a verdadeira diversão!


Próximo Capítulo: 02/03
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ccapítulo 14: Proteções e Reparos.

Mensagem  Jack Jerripher em Sex Mar 02, 2012 2:49 pm

Após todos terem chegado da noite no circo, que todos concordaram que foi mais divertida do que o Halloween do ano passado, a maioria dos alunos foi direto para cama, a mãe de Kain, juntamente com os outros pais, se dirigiu diretamente para a estação de trem do povoado, após dar tchau para seu filho e seus amigos, ela foi acompanhada por A.del e por K-Vorka, para sua segurança; Notando que Brenda ainda estava um pouco desanimada, Kain se esforçou o máximo para fazê-la sorrir bastante, e foi um consenso geral dos outros que suas piadas estavam melhores naquela noite, talvez ele só conseguisse se realmente se esforçasse, e na opinião deles, elas realmente tiveram um bom efeito na colega, mas ela ainda foi a primeira a ir se deitar, enquanto os outros ficaram no meio do hall no nono andar, que fora a parte mais difícil de reformar depois do incidente do ano passado, mesmo com a vontade do castelo, Gary e Charles já haviam se desculpado por isso, mas assim que esse tópico de conversa foi trazido à tona, o grupo teve uma idéia, um pensamento diferente, planejavam fazer um agradecimento ao castelo da Academia, já que ele, como era vivo, também tinha passado tudo o que eles passaram neste tempo.

Por outro lado, todos os Professores estavam bastante acordados, tanto pelo café como pela importante discussão que estavam tendo, mesmo que o esto do mundo não estivesse percebendo, o inimigo raptava cada vez mais monstros, e continuava a escapar dos caçadores mandados por Baal Stolas e dos familiares que eram mandados pelo conselho para pegá-lo, até agora os alvos apenas possuíam a conexão de serem monstros, mas o quê, exatamente, o culpado iria querer com monstros de diferentes espécies, muitos dos quais nunca tinham se visto na vida, e mesmo que soubessem quem, ou talvez, o que, era o que enfrentavam, isso ainda não era o bastante para ajudá-los a prever e impedir seus progresssos. A mãe de Flint estivera na Academia no começo do dia de hoje, mas para o alívio da direção, ela deixara bem claro que não culpava o colégio pelo incidente, a reunião com os pais também transcorreu-se pacificamente, com os pais chegando a um acordo que seus filhos estariam muito mais seguros se ficassem no castelo, mas a discussão entre os professores ainda se mantinha, pois eles não sabiam o que fazer para aumentar sua segurança, já que o prédio já era o mais seguro da Europa, e mesmo assim não sabiam do poder misterioso que seu inimigo tinha, portanto, deviam tomar toda e qualquer medida de prevenção cabível, os Professores Vengeance e Rabbit mantinham suas opiniões que deveriam ainda usar selos de proteção para fortificar as paredes, a Professora Kindersley queria usar Nirvana mas desta vez envolvendo a escola inteira, mas, é claro, não era possível mantê-la funcionando por muito tempo sem sacrficar a Ninfa por isso, a Srta. Scarlet os disse que poderia pedir muitos talismãs sobrenaturais de seus contatos no oriente, incluindo Ofudas, Cordas-Vermelhas, pés de coelho [uma idéia que Margarete queria abolir] e Lamens, enquanto o Professor Griffon estava em seu laboratório tentando desenvolver um novo selo mágico que o inimigo não conhecesse; De repente, uma carta se materializou na frente de Sophie, ela abriu seu pacote com suas garras e leu seu conteúdo, sorrindo, ela olhou para todos e disse que o conselho tinha aprovado o lançamento de selos de alto nível no local.

- Huh? Sim! Essa é uma ótima idéia pessoal! disse Juliet quando o grupo a contou a notícia, ela prometeu chamar Jonah e James e os explicar a idéia, Carmela estava menos entusiástica, mas era como ela geralmente estava, por isso, ninguém perguntou nada, Brenda havia demorado um pouco para descer para o café da manhã, mas gostou da idéia, e participou da votação para o local onde iam celebrar, o voto dela foi a favor a fazê-la no mirante do lago, Kain votou, é claro, pela clareira Amorinth, mas não era dentro do castelo,, Gary, talvez também por sua natureza, pelo galpão do lago, mas este nem era dentro do castelo e até deveria ter sido reservado com antecedência, Blair queria fazer no telhado, mas era muita mão-de-obra para chegar lá, Luke promovia a idéia de apenas fazerem em um hall ou corredor, mas aí muitas pessoas iriam filar comida deles... A idéia escolhida foi a de Brenda, Kain foi para a cozinha convencer e ajudar Ukobach a preparar a comida, pois decidiram em um picnic, e na saída do hall das refeições o grupo encontrou Charles, Blaise e Valery, e os convidaram para vir também, eles decidiram fazer cada um um agradecimento ao local que fora muito importante em suas vidas, mesmo que em um tempo nem tão longo.

Sophie estava realmente determinada, marchou para uma parede não muito visitada do castelo com todos os professores e adultos do castelo, ela não iria parar, iria proteger à todos os que contavam com ela, era o dever dela... não, de todos, assim que chegaram, Aaron e Samantha fincaram dois bastões em um ponto médio do chão próximo à parede, tendo feito o mesmo em três outros locais que formavam um círculo se vistos do alto, Ran Mao então pendurou alguns talismãs protectivos de uma grande variedade de culturas, chineses, japoneses, indonésios, nativos americanos, israelenses e ainda mais, ela terminou por ocultá-los dos olhos dos alunos com sua técnica Cat's Eyes, Griffon murmurou alguns encantamentos e abriu os braços no ar, causando um círculo mágico com um heptágono e uma estrela subscrita aparecer, ele desenvolveu esse selo protetivo após muito estudo, e o chamou de Selo da Wyvern Dourada Central, pois continha um pouco das técnicas dos quatro grande selos, que seriam lançados por Sophie mais tarde, Margarete criou várias minas terrestres com sua magia Anis, mas elas somente detonariam se fossem pisadas por indivíduos com más intenções, o resto deles estava transferindo sua energia para os bastões fincados no chão, Sophie sabia, porém, que não sabia usar dois dos grandes selos, mas assim que pensou nisso, em um flash verde e roxo, apareceu o Diretor, tirou sua capa negra de viagem e cumprimentou a todos, e sem nem ao menos perguntar nada, ativou dois dos grandes selos, Selo de Bai Hu [o Grande Tigre Branco do Oeste] e o Selo de Qin Long [o Grande Dragão Azul do Leste[/i], e Sophie terminou o ciclo com o Selo de Xuan Wu [a Grande Tartaruga Negra do Norte] e o Selo de Zhu Que [a Grande Fênix Vermelha do Sul], e assim que os quatro se encompassaram, o castelo inteiro brilhou em uma bonita luz azul, que até pode ser vista pelos alunos, que ainda não descobriram a causa, mas pelo menos agora estariam, com certeza, seguros.

Após o estranho fenômeno da luz azul, os amigos discutiam o assunto enquanto iam para o mirante, Luke temia que poderia ter sido um ataque inimigo, mas Gary o tranquilizou, dizendo que eles de certo já estariam sabendo se o caso fosse, e isso era verdade, o grupo então continuou em seu caminho, chamando a atenção de todos na biblioteca, que ficava a caminho do local, Kain e Blaise carregavam uma sacola de picnic de um bom tamanho, talvez fosse por isso que todos estivessem com a atenção do grupo, e assim que chegaram, viram que os J's, Carmela, Valery e Charles já estava lá sentados, Luke, Blair, Charles e Brenda ajudaram a por a toalha e os preparativos, quando todos se sentaram para comer, a comida, como o de costume tanto para Kain como para Ukobach, estava ótima, até os simples sanduíches pareciam ser melhores e mais suculentos se acompanhados com sons de conversas e risadas, não havia uma alma ali que estivesse triste ou cansada, podia-se sentir um cheiro caramelado vindo da cesta, que provinha de um bolo que ambos haviam preparado para a sobremesa, ele logo foi cortado, sobrando apenas um pedaço, o bolo estava delicioso, não só em sua rica fragrância, como em seu gosto suculento e com algumas pintadas de limão; O grande grupo logo se arrumou, se mobilizando para varrer para a terra os farelos, e fizeram uma fila perante uma árvore no centro do mirante, Luke foi primeiro, agradeceu o colégio por acomodá-lo em sua mudança de vida, Brenda agradeceu o castelo por ser um lugar confortável e cálido, Gary o agradeceu por suas fontes aquáticas abundantes e limpas, Kain o agradeceu pelas alunas que por ele andavam, Blair o agradeceu por ajudá-la a aceitar seus erros, James e Jonah fizeram agradecimentos simples como conhecer esses novos amigos, Juliet o agradeceu por ocupá-la com suas tarefas, Carmela dizia estar grata por tanta fonte intelectual e por sua rica história, enquanto Charles, Valery e Blaise fizeram um realmente comovente discurso sobre como ele os mostrou que o perdão existe, e que tinham uma esperança de vida melhor, logo em seguida, Juliet trouxe o último pedaço de bolo em um prato de porcelana, junto com um bilhete pedindo para que não o comecem por ser um agradecimento. Os doze monstros, cujo destino fora mudado pelo castelo simplesmente se passaram os braços pelos ombros e simplesmente ficaram ali, pensando e se comovendo.


Próximo Capítulo: 05/02
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum