Fanfic: Grave Academy.

Página 7 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Capítulo 35: 1 Contra 100

Mensagem  Jack Jerripher em Seg Jun 10, 2013 9:35 pm

AN: Se gostaram dessa, esperem as próximas!

A quente revelação foi reconhecida primeiro com total silêncio, dentro e fora do palácio, todos precisaram de algum tempo para que a ficha real da situação caísse no entendimento geral, e depois, com intensos gritos de excitação da platéia, - Essa é Juliet que eu conheço! James gritou, enquanto Gen, Blair e Jonah apenas se olhavam em choque, - Ela é suicida? FREEZE exclamou alto, enquanto seus colegas confirmavam com as cabeças, - Ela... ela vai conseguir, não vai? Blaise perguntou, - Não duvide, nós sabemos que ela é capaz! Luke denotou, fazendo com que seus amigos concordassem, até mesmo o calmo Jiang não conseguia acreditar na pura coragem de sua rival, a visão de Juliet, coberta em sangue e com seu visual desarrumado, mas talvez ainda mais bonita, não era nada menos do que chocante.

- Muito bem, vou honrar seu pedido, não importa o quão maluco ele seja! Declarou Jiang Yi, começando seus frenéticos passos, utilizando sua Dança dos Cem Guerreiros e em um segundo, uma aura negra cobriu o corpo do Bandoliano, que invocou uma centena de guerreiros com vestimentas negras, tendo as mais diversas armas, para a surpresa de todos, a ação seguinte de Juliet foi tão surpreendente quanto sua declaração, ela despiu sua armadura de ossos, tomando suas roupas comuns de forma humana, e convocou dois sabres feitos de ossos, os olhos de seus colegas de equipe e também time adversário se expandiram com a surpresa, muitos dos espectadores do evento apenas murmuravam uns para os outros, se questionando do por quê da decisão da garota, ''Ela está completamente correta! mesmo sendo arriscado, a armadura a atrasaria, já que não conseguiria se defender de tantos da mesma maneira!'', pensou Jack, que encarou Sophie nos olhos, pois ela sabia exatamente de que momento seu amigo estava se lembrando.

Sem delongas, começou a luta, dois dos guerreiros, todos alinhados em estratégia de combate, correram em direção à garota, se focando tanto na situação, que parecia emanar calor de seus olhos, ela esperou até o último segundo, com os pés firmes no chão, até que ambos estavam em cima dela, até cortar ambos pela metade, os fazendo desparecer como sombras, nem mesmo os juízes do evento comentavam alguma coisa, por causa da grande pressão, Hayato percebeu no mesmo instante que aquele movimento que Juliet executara, era dele, e começava a se perguntar o quão boa era a capacidade de aprendizado da garota, pois ela o havia visto usar aquela técnica uma só vez. Ao invés de esperar pelos outros virem contra ela, colocando-se em posição de disparada, a corajosa Necromante se apressou, rápida e reta como uma bala, na direção dos inimigos, cinco deles se postaram à sua frente, com um salto, a jovem cravara ambas as presas contra os ombros de um, o derrubando, ela então usou o ''momentum'' da queda para chutar um deles para longe, e cortou os outros três com o mesmo movimento que usara para retirar os sabres dos ombros do inimigo caído, recomeçando sua corrida, recortou horizontalmente o último membro do quinteto.

Como negras formigas, os guerreiros invocados pela dança de Jiang, atacaram Juliet em enxame, fazendo com que Luke e os outros precisassem se levantar de seus assentos para vê-la no meio da confusão, agarrando os sabres com força, a Necromante performou um giro de 360 graus, fatiando os samurais que a atacavam, derrotando uma boa dezena deles, mas um ataque a atingiu, a ponta de uma espada inimiga quebrara dentro de suas costas, mas ela não tinha tempo para sentir dor, continuara cortando inimigos e mais inimigos, sua determinação era leonina, - Isso é... Começou Brenda, - ...Incrível, Terminaram todos, o público que assistia a feroz batalha trocava entre expressões de puro espanto e de incredulidade, era como se Juliet valsasse sobre o ringue erguido na sala do trono, em um ritmo de cortes e fôlego preso, cada passo significava um talho nos inimigos, que esfarelavam-se imediatamente. As colegas da equipe de Marcia Dawson a fitavam, ela, fingia não ver, havia sido derrotada por três guerreiros, e Juliet, segundo os cálculos que passavam entre os burburinhos da platéia, já estava na casa dos cinquenta.

Entre os golpes, a garota começara a perder o foco em cada guerreiro individual, focando-se mais e mais em grupos de inimigos, e entre eles, ela ainda procurava algo, ''A fraqueza, o ponto fraco desta técnica é...?'' Pensava ela, investigando com a curvatura dos olhos e a visão periférica, mesmo estando ocupada com movimentos sequenciais dos braços, ela precisava dividir sua atenção para cada tarefa, porém, descuidou-se, um de seus sabres, o esquerdo, se quebrou, e antes que ela tivesse tempo de trocá-lo, uma lâmina inimiga atravessou sua palma e outra seu antebraço, fazendo-a morder os lábios para não gritar, não podia parecer fraca, retalhou os sortudos oponentes, e continuou a fazer sua própria dança, mesmo com o braço esquerdo inválido, sua visão já cansava, e o sentimento de tornar-se pressionada contra as massas começava a apoderar-se dela, ''Não! Não posso pensar assim! Sou a líder do grêmio estudantil! Sou a capitã do time! A representante da Academia Grave!!'' Ela pensou, lembrando primeiro de seus amigos, depois dos colegas de equipe e por último nos professores e no público, todos contando com ela para dar a vitória para a instituição que tanto amava, o número de inimigos dissipava-se cada vez mais rápido, já conseguia enxergar Jiang...

Foi aí que ela fora atingida, uma espada nas costas, e outra, ela rapidamente retirou-as de si, e estocou os inimigos, estava quase se curvando em dor, mas foi aí que declarou, - Eu não me ajoelho! E de fato, fora uma grande inconveniência, a ferida falsa ainda doía, mas sua vida não estava em risco, além de um choque pela dor, é claro, mas ela precisava apostar tudo, porém, ao quase se abaixar, encontrara o que estava tentando achar, com um sorriso no rosto cheio de pequenos cortes, ela apertou o passo, chegando em saltos, cortara um, cortara dois e então um grupo, - Não pode se mexer enquanto está usando os guerreiros! Anunciou ela, teve apenas tempo de ver as pupilas do adversário se dilatando com o choque, antes de tacar-lhe o golpe final, ambos os seus sabres atravessavam o estômago de Jiang, que ainda não acreditava em tudo aquilo, o ringue estava vazio, se estivesse completamente preparado, notaria que poderia ter se movido, mas o choque foi demais, Juliet era a clara vencedora, o ringue desceu ao nível do solo e o garoto caiu, ela também, antes de levantar-se imediatamente, também ajudando o oponente, - Concedo, notou ele, a fitando nos olhos com um sorriso triste, mas ao mesmo tempo satisfeito com a intensa batalha, o sorriso dela foi de orelha a orelha, o público aplaudia em pé, alguns com lágrimas nos olhos, jamais esqueceriam o dia em que Grave derrotara massas de inimigos e clamara o prêmio, Juliet não estava preparada, mas seus colegas não se importaram nada, correram para ela e a abraçaram, todos choravam e riam ao mesmo tempo, haviam clamado a vitória, não fora por nada, nem ao menos se importavam de cobrir suas vestes com o sangue falso que pingava da colega, até mesmo Jack, juntara todos os professores para um abraço grupal, mesmo com protestos, todos os colegas de equipe balbuciavam misturas de ''- Obrigado!'', ''- Vencemos!!'' e ''- Aê Juliet!'', ninguém ali, de seu time, do adversário, ou da platéia, estava preparado para tais emoções. De fato, Kate Miles Goldsmith também não estava preparada, seu corpo tremia, ao encontrar o cadáver de seu chefe, Igor Malkuth, crucificado com facas no espelho do banheiro, as luzes piscantes do local escondiam e revelavam as palavras, ''Sede de Sangue'' escritas no vermelho-vida do próprio caçador...
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 36: A Premiação Vermelha - Parte Um

Mensagem  Jack Jerripher em Seg Jun 17, 2013 3:21 pm

Após o choque tê-la paralisado, Kate percebeu que precisava contar para alguém, saiu do banheiro, jurando ao mesmo tempo que não olharia para trás, e que obteria vingança, porém, quatro vultos rápidos a encurralaram, corriam em impressionante velocidade, e enquanto estava ocupada pegando sua espada, foi atingida por um golpe na nuca, a nocauteando, quatro figuras esbeltas e vestidas completamente de trajes ninjas negros a jogaram para dentro do banheiro, trancando a porta. Em meio de comemoração, o time Grave ainda se abraçava, até Carmela e Hayato eram puxados pelos outros à um momento que julgavam constrangedor, a platéia ainda ia ao delírio, os apostadores estavam prontos para recolher seu dinheiro, mas sua maioria estava triste por ter apostado na escola oriental, Blair pulava na arquibancada com os colegas, até mesmo os guardas que patrulhavam para a segurança estavam aplaudindo alto, todos então pararam, Hisasaya abriu caminho, todos com faces de vencidos, mas mudados, até o trono, Luke e Gary se prontificaram, passaram os braços da capitão por seus ombros, ajudando-a a chegar até ele, após se aproximarem do assento, notaram que deveria ser extremamente desconfortável sentar nele, pois o ferro do qual ele era feito parecia afiado e haviam pedaços salientes, mas não investigaram o por que, apenas se preocupando com o objeto posto em seu meio.

Juliet o segurou, era um cristal verde e fosco, pesado, algo reto estava dentro dele, mas não conseguia ver o que era, notando que não era a escolhida, a garota o passou para Luke, que roubou uma olhadela para o time adversário, para ver se não tentariam roubar o cristal de suas mãos, passando a diante, nenhum dos amigos era o escolhido para receber o prêmio, até que ele voltou para Gary, e no momento que sua palma se fechou sobre o cristal, uma luz verde neon brilhou na sala e o cristal evaporou, revelando uma espécie de cetro, alguma coisa cor-de-pele com pontas vermelhas estava agarrada ao cetro, o resto do grupo tentava ver o que era, pelas costas do garoto, mas foi aí que viram o olhar incrédulo de Gary, e no mesmo instante, todos deram um passo para trás, cobrindo suas bocas e tentando vocalizar o que sentiam, o algo agarrado ao cetro era uma mão decepada, e Gary reconhecera-o como o ''Báculo do Crepúsculo'', era metade negro e metade branco, mas o que importava era que ele não devia estar ali, antes que pudesse protestar, ou apenas articular, um tremor ocorreu. Quem assitia de fora ainda tentava entender o que era o objeto, porém, foram todos pegos de surpresa, enormes espinhos e vinhas brotaram das paredes externas do palácio, indo em direção à arquibancada, Jack e Sophie estavam preparados, ambos pularam, usando suas espadas, deceparam os espinhos que vinham em suas direções, e viram que diversos golpes, vindos dos professores, juízes e até de alguns alunos fizeram o mesmo, mas os espinhos continuaram vindo tão rápido que o sangue de alguns espectadores perfurados pintou a arquibancada de vermelho, todos tentavam ajudar a quem podiam, mas via-se que a multidão entrava em desespero e pânico, correndo para dentro do coliseu, alguns se dirigiam para a parte mais alta da cúpula, porém, em um flash prateado, uma longa e grossa flor branca estendeu-se, bloqueando a saída superior da arena, - Não, está é a Elefante-Branca! Anunciou Samantha em grito, mas era tarde demais, alguns espectadores desenfreados já haviam tocado na flor, tentando despedaçá-la, porém, caíram mortos na hora, pelo fato da flor soltar neurotoxinas ao contato.

O caos do ambiente havia, em sua maioria, cessado, pois todos os espectadores ainda vivos haviam saído da arena, se dirigindo para dentro do coliseu, descendo para as saídas, as centenas de espinhos, que se prenderam aos degraus da arquibancada, dificultavam o movimento, mas após alguns minutos, Jack e seus professores, Sir Wingrates e Mildred conseguiram se reunir pelo meio da confusão de sangue e corpos, - Professores, por favor, procurem por sobreviventes pelas proximidades, Jack os pediu, - Onde está Jeliel? Ele perguntou a Mildred, - Não vejo os resto também... Sophie comentou, - Estão ajudando nas saídas, Richard denotou, estava vermelho e lágrimas escorriam de seus olhos, - Meu evento... por que alguém... Ele quebrou em choro, - Velho, não foi sua culpa, vamos pegar quem foi o responsável por isso, Mildred tocara no ombro do homem, a pergunta também rolava na cabeça de Jack, ''Quem?'', mas agora precisavam agir, - Podem ir ao oráculo para mim? Sophie se adiantou, pedindo à Mildred e a seu tio, eles concordaram, imediatamente dirigindo-se para o caminho, - Marge! Gritou Jack, a pequena o encarou, ela e os professores estavam retirando alguém dos escombros provocados por um espinho, era Blair, ela escapara com um arranhão feio no braço esquerdo, mas viva, Jack agradeceu aos cinco deuses pela vida de quem pudessem salvar, além de se desculpar por não ter conseguido evitar aquilo tudo, - Vá falar com as Espadas(*1), Sophie completou, pois Jack se perdera em pensamentos, Margarete correu para uma abertura à seu lado, por terem passado tanto tempo juntos, Sophie quase sabia exatamente o que Jack iria pedir.

- O culpado ainda deve estar aqui dentro, denunciou Blair, juntando-se à eles, - Foi ativado por magia, com certeza, ela conjeturou, - Ativada quando alguém tocou no ''prêmio'', a Bruxa comentou, - Não, quando o alguém correto, o tocou, Jack corrigira, Sophie e Blair engoliram em seco, - Presumo que saibam do segredo de Gary, a loira indagou, - Sabemos, seu pai nos confiou o desejo de passar a tocha no ano anterior, a Harpia comunicou, - Então quem quer que tenha sido... A Bruxa começou, concluindo o pior, - Chegou ao pai de Gary, Aquele objeto era, sem dúvidas, o Báculo, Jack deu voz ao que todos pensavam, - Vamos ajudá-los, Sophie apontou para o topo do palácio, a Elefante-Branca os deixava em uma perpétua sombra, pois bloqueava o sol, escurecendo o interior acidentado da cúpula, Jack concordou em ele mesmo subir para ver como os competidores estavam, enquanto as duas procurariam o culpado por tudo aquilo, os três correram, separando-se, Jack para a boca do dragão de ossos, entrando no palácio, Sophie e Blair por uma das portas da parte interna.

Margarete assustou-se ao chegar na entrada principal, pois grande parte dos espectadores que escaparam da morte, não haviam ainda saído, - Por que estão parados na saída? Questionou ela, em alto e bom som, mas o som dos burburinhos, choros e reclames da multidão deixaram seus gritos mudos, porém, entre a confusão saíram Jonah, James, Genevieve e Flint, - Professora! Gritaram os quatro, extasiados por encontrar alguém que conheciam, - Não podemos sair! Gen anunciou, - O último que tentou foi cortado em fatias... Jonah refletiu, a situação era muito pior do que a Lappyte temia... - Onde estão as Espadas? Ela pediu, - Não sabemos, disse James, olhando por cima dos ombros da multidão, procurando por mais conhecidos, - Podem estar nas outras saídas... Ela teorizou, - Fiquem à salvo! Disse aos alunos, - Professora... Blair... Começou Flint, preocupado com a colega, - Está bem, eu a tirei dos escombros, não se culpem! Adicionou ela antes de sair.

Os paramédicos, juntamente com Cattleya e Hildegarde, que conduziam o resto dos funcionários do castelo, chegaram na cena,  alguns ajudavam monstros machucados, enquanto poucos auxiliavam nas buscas dos professores, que agradeciam o fato de estarem encontrando pessoas em bom estado, embora chocadas, mas a busca em si não era só dificultada pelos espinhos que se tornavam um obstáculo, mas os próprios corpos pareciam observá-los, e alguns de seus alunos estavam entre eles... ''Não pode fazer nada mais por eles'', pensou Samantha, varias vezes ao vislumbrar um aluno entre as casualidades, ela nunca perdoaria quem havia os assassinado... De súbito, um baque surdo foi ouvido, e uma das paredes do coliseu foi esmagada, dela saiu um homem extremamente alto e forte como um touro, usava uma barba desgrenhada e tinha olhos avermelhados, carregava uma espécie de lança, mas que mais parecia ter duas grandes espadadas em suas pontas, ninguém ali o reconheceu, mas a risada sinistra do homem gelou à todos, levando os professores a  
tomar estâncias defensivas... Na escadaria principal, Blair e Sophie haviam dado de cara com um outro homem, que se encontrava no topo do lance de degraus, uma aura elétrica cobriu a Harpia, - Tenha cuidado, advertiu à Blair, - Osmund não brinca em serviço! Ela anunciou, encarando o ex-discípulo nos olhos... Na sala do oráculo, Sir Wingrates e Mildred vasculhavam em busca de alguma dica, perceberam que nenhum deles sabia quem era o oráculo contratado para o torneio, e mais... ao percorrerem suas memórias, concordaram que não possuíam uma sequer lembrança dos jogos anteriores, e duvidavam que haviam existido para começo de conversa, - O extrato bancário... Não fui no banco aquele dia, estava doente na cama, Sir Richard Wingrates denotou, antes que Mildred pudesse responder, a porta da sala de fechou, e os dois deram de cara com um jovem rapaz com aspecto de rato...


Notas:


*1 - Maneira de referir-se aos membros do Conselho das Espadas, quando em conjunto.
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Igor Malkuth em Qua Jun 19, 2013 7:12 pm

OH SHI-!

Tudo ficou errado e eu nem estou mais lá para ajudar...
Esse me lembrou do Casamento Vermelho, e não era algo que eu queria me lembrar

(quem entender levanta a mão)
avatar
Igor Malkuth

Mensagens : 3
Data de inscrição : 20/10/2011
Idade : 36
Localização : Transilvânia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 37: A Premiação Vermelha - Parte Dois

Mensagem  Jack Jerripher em Dom Jun 30, 2013 8:45 pm

*Levanta a mão* Amo a série, ''As Crônicas de Gelo e Fogo'', você também assiste a série, baseada nela, Game of Thrones, Igor?


- Eu já vi seu rosto em algum lugar, anunciou Mildred, apontando para a face do jovem adulto que os encarava, sua face curta lembrava ambos de um rato, - Não me espantaria, sou um criminoso reconhecido no mundo inteiro! Ele se gabou, Mildred estava prestes a responder sarcasticamente, como só uma mulher de sua estatura pode fazer, quando ouviu um som de penas pairando no ar, a próxima coisa que viu foi Sir Richard Wingrates, com suas asas brancas expostas, lançando-se sobre o inimigo, seu soco atingiu em cheio a cara do homem, que bateu contra a porta, era difícil ver quem estava mais surpreso com a violência do afável velhinho, Mildred ou o atacante, - Não basta conspirar para ferir e matar várias pessoas, mas se vangloria disso também?! Declarou o Harpia, o pânico na cara do homem logo deu lugar à um sorriso maldoso, e Mildred entendeu o que iria acontecer, com um passo firme no chão, utilizou seu lendário movimento, o mesmo que ensinara à própria Robin Sierra, com uma incrível velocidade, ela agarrou Sir Wingrates pelas costas e o tirou da frente do homem, que o teria esfaqueado se ela não tivesse intervindo, - Prometo que ele irá pagar pelo que fez, mas faremos isso de uma forma inteligente, ela sussurrou em seu ouvido, Sir Richard agora entendia que a mulher não era nem de perto tão estúpida quanto ele a julgara ser.

- Bravo, professora! Aplaudiu ele, descendo um degrau por vez, na maneira mais extravagante que pôde encontrar, - Não quis usar um disfarce dessa vez? Sophie perguntou, dura como pedra, - Não, quis ver essa mesma face me encarando no momento que me visse, ele respondeu, passando uma mão por sua barba malfeita, Blair estava boiando, - Quem é esse homem? Ela indagou, - Foi ele quem me deixou de cama no começo do ano, ela denotou, a Bruxa soube então que ele tinha habilidade com venenos, Sophie lançou um trovão contra as escadas, mas Osmund não foi atingido, esquivou-se para o lado, bem à tempo, Blair também não perdeu tempo, invocou uma torrente de chamas com sua Magia de Fogo, Osmund se abaixou, mas verificou que chamas crepitavam na manga de seu sobretudo negro, as apagou calmamente, revelando um sorriso psicótico às duas oponentes, - Sophie, vi que estava envelhecendo, mas não achei que precisaria de uma escudeira, ele brincou, a Vice-Diretora olhou de soslaio para Blair, que engoliu em seco, qualquer que fosse a história entre ambos, Sophie não podia esquecer da razão e querer enfrentá-lo sozinho, e era exatamente isso que a garota temia...

Sua visão estava turva, algo quente escorria de sua testa, não conseguia distinguir o que estava à sua frente, apenas escuridão e confusão, levantou-se com dificuldade, apoiando-se em uma estrutura fibrosa à sua esquerda, tocou no que parecia um corpo com sua perna, foi forçado a abrir as pálpebras com as mãos, pois o sangue havia grudado nelas, Luke finalmente pôde enxergar a sala do trono, com rapidez, mas ainda sentindo-se tonto, resvalou até os companheiros, acordando um por um, Brenda acordou com mais facilidade, pois já estava se levantando, mas o garoto precisou da ajuda de todos para acordar Gary, que havia batido a cabeça nos degraus que levavam ao trono, - O que diabos aconteceu? Kain perguntou, ajudando a namorada, que virara o tornozelo, a se levantar, - Os espinhos, eles brotaram do solo ao redor do trono e nos jogaram para o alto... Balbuciou a Lobisomem, esfregando as têmporas, Hayato era o único a se focar no que importava, pois todos ainda sentiam-se desnorteados, -  O cetro... Ele apontou, e Gary bufou alto, - Aquela mão, era de meu pai... O choque subitamente passou por todos,  quem  quer que tenha  planejado aquilo tudo, assassinou o pai do garoto, Brenda foi a primeira a agir, abraçou o amigo, Luke e Kain, dando Blaise a Hayato, a seguiram, - Me desculpe cara... o Wendigo sussurrou no ouvido do Kelpie, - Sei como é perder quem a gente ama, mas... Imagino que na verdade foram eles que me perderam, Luke denotou, sem graça, Brenda e Kain encararam o amigo nos olhos, e ele entendeu que ambos o compreendiam, e até Luke em algum sentido, ele apertou o báculo nas mãos, ‘’Aconteça o que acontecer, essa responsabilidade é minha agora... ’’ Refletiu ele, - Onde estão os membros de Hisasaya? Juliet perguntou, os outros procuraram com os olhos, mas só o que viam eram grossos espinhos saindo do solo, paredes rachadas e janelas quebradas, as portas duplas continuavam fechadas, - Antes de sabermos o que aconteceu, vamos tratar das feridas, Luke decidiu, usando sua Magia de Cura, de iniciante, para tratar dos ferimentos dos colegas, um por um.

Jack encontrou-se com uma cena bizarra no primeiro andar, lá estavam Pauline e Joachim, - Bom ver que estão bem, ele agradeceu aos céus, - Não caímos assim tão fácil, a Sereia se virou para ele, e o Dullahan só então notou que ela curava o braço do Changeling, que sangrava profusamente, algumas sombras difusas se formavam atrás dos dois, advindas das escadas, Jack notara que eram os alunos de Hisasaya, e estavam todos relativamente bem, o Diretor correu escadas acima para falar com eles, dirigindo-se a Jiang, inquiriu, - Como estão meus alunos? Os oito o encararam por um tempo, até que FREEZE vocalizou, com uma voz rouca, - Não sabemos, chefia, quando acordamos, a gente estava fora da sala do trono e as portas se recusaram a abrir, Jack engoliu em seco, e postou sua mão no ombro do capitão do time adversário, ele pretendia agradecê-los, mas as palavras lhe faltaram, ele, porém, não tinha tempo para tais coisas, subiu com pressa os degraus, atrás dele vieram os outros Diretores, após pedirem para os alunos da quarta academia para que os esperassem no térreo, - E quanto a Ur? Jack perguntou, quando os dois o alcançaram na corrida, - V-vimos ela correr atrás dos outros Espadas, Joachim afirmou, com a voz rouca,  -Você não devia estar junto? Pauline indagou exasperada, - Tenho outras obrigações no momento, o resto deles, menos Sophie foram ajudar com as saídas, ele notou, enquanto o trio continuava subindo.

Mais um pedaço dos vitrais foi quebrado, e deslizando pelo grande espinho vieram quatro sombras, os oito colegas de equipe se puseram em pé, não reconhecendo seus atacantes, mas vendo-os mal pelo escuro, e pelo fato deles estarem vestidos de roupas ninja, - Quem são? Juliet indagou, - Apenas fazendo nosso trabalho, um dos quatro notou, com uma voz macia e amedrontadora ao mesmo tempo, seu quarteto caminhava lentamente, seus passos não faziam barulho, enquanto atravessavam a sala do trono, - Assassinos, murmurou Brenda para o grupo, reconhecendo as roupas e o modo de andar, os oito se encaravam, mesmo no escuro, podia-se ver que estavam em desvantagem, mesmo com o número maior, podiam sentir a pressão que as auras dos quatro emanavam, e sendo assassinos, saberiam como lutar e ver na escuridão, - Eu vejo completamente bem, Carmela denotou, com os olhos vermelho sangue, e nós podemos farejar, Brenda apontou para si e para Kain, - Três dos oito, não me parece bom... Gary afirmou, escondendo o objeto que precisava proteger, em suas costas, - Não adianta, vamos pegá-lo, e o báculo também, uma segunda voz, também de homem, mas com som de velhice, denotou, os sete amigos se puseram em posição à frente de Gary, - Vai ter que passar por cima de nós! Luke declarou, todos se surpreenderam novamente com a coragem do garoto, ele não parecia mais com o Fantasma assustado que era no primeiro ano.

- Meu nome é Thoros Toff, e digo isso para que saibam para quem mandar as contas do funeral, disse o forte homem, arremessando uma garrafa de whisky para a parede, a estilhaçando, ele girou a alabarda em seus braços, e se dirigiu aos professores, - Meu chefe me disse  boas coisas sobre as habilidades de vocês, espero que não me desapontem! Anunciou ao topo de sua voz, os 4 professores firmaram seus pés no chão, se preparando, Griffon avisou a equipe médica para que saíssem, Hilda e Cattleya mobilizaram o grupo para as saídas juntamente com as macas dos feridos, o homem esperou que a comitiva se retirasse, e saltou em direção à Aaron primeiro, o professor de Combate, que normalmente competia com Jack em piadas, estava sério como um monge, rolou para o lado, evitando uma das extremidades da arma do oponente, que se prendeu ao chão, o homem riu, e tirou uma pistola da frente da calça, atirando contra o inimigo, porém, o Tengu o surpreendeu, bloqueando os tiros com seus leques vermelhos de aço, - A boneca usa armas bunitinhas! Ele gritou, colocando a arma novamente na frente de suas calças, sua expressão facial nem ao menos mudou quando foi atingido na nuca por um golpe de Ran Mao, ela se surpreendeu, mas conseguiu pular para longe do golpe de alabarda, - Ele devia ter desmaiado com essa, a Bastere esfregou o punho, pois ele havia se machucado ao atingir a pele do homem, - Nunca mais rio de mulheres, ah tanto faz, mulher, homem, monstro, serão apenas degraus para mim pisar! Ele declarou, - Sua gramática é tão revoltante quanto a aparência, notou Margarete, chegando na cena através da entrada que ele havia feito na parede.

Osmund retirou algo dos bolsos do sobretudo, e o atirou contra as inimigas, nenhuma delas ficou esperando, ambas saltaram para fora do caminho do objeto esférico, que se abriu, liberando uma multidão de agulhas, que saltaram de seu centro, com um abano de suas asas, Sophie mandou-as para longe com uma lufada de vento,  ele sorriu, revelando um enorme grupo de marionetes, assim como os que ele usara no monastério, - Não as toque, estão envenenadas, a Harpia declarou, Blair assentiu, e criou uma parede de gelo, - Podemos interrogá-lo sobre tudo isso, ela disse à sua professora, que não respondeu, as manequins se chocaram contra a obstrução glacial, a Bruxa então sinalizou para sua professora, a ‘’Sniper’’ entendeu a deixa, e lançou um raio contra a muralha, que explodiu, lançando lascas e blocos contra Osmund, que legitimamente se surpreendeu, sendo por pouco atingido por um enorme quadrado, que afundou os degraus onde aterrissou, porém, o próximo golpe o atingiu em cheio, novamente, Sophie o agarrou pelo colarinho, e o socou contra uma parede, carregando sua força com o poder do trovão, com sua outra mão, a Harpia formou uma lâmina de água pressurizada, e a movimentou para trás, - Pare! Gritou Blair, tentando impedi-la.

Segurando uma faca ornamentada, o homem-com-cara-de-rato brandiu a arma duas vezes, criando linhas de pressão que ele lançou contra ambos, Mildred saltou por cima do painel de controle da sala, e Wingrates voou por cima das linhas, que cortaram grandes rasgos contra as paredes e das máquinas, não tendo os poderes de clima da sobrinha, Richard lançou um feixe de Magia de Luz contra o oponente, mas este cruzou as adagas em defesa, mas não pôde, portanto, se esquivar do soco que Mildred o acertara na boca, o fazendo derrubar ambas as armas, que a corpulenta mulher apanhou, e após acertá-lo em torno de oito tabefes na cara,  Sir Richard segurou suas próprias armas contra seu pescoço, - Você.Irá.Nos.Contar.Tudo! Declarou, com ênfase em cada palavra, Mildred o deu um sinal de positivo pela ação.
 
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 38: A Premiação Vermelha - Parte Três

Mensagem  Jack Jerripher em Seg Jul 08, 2013 3:14 pm

- Temos apenas ordens de não apagar o Sr. Crawford, respondeu um dos ninjas, desta vez uma mulher, - O resto pode ser danificado, constatou ela, o octeto se olhou, antes de reforçar seu cerco em volta do garoto, que apertava o báculo em suas mãos, não importa de que maneira olhassem, estavam em desvantagem, o escuro escondia as posições dos assaltantes, e estavam escondendo suas assinaturas energéticas, mas mesmo assim, puderam perceber o nível de habilidades do bando, e estava acima do deles, se isso não fosse o bastante, estavam todos cansados do torneio, e Juliet ainda não havia se recuperado das feridas, era claro que tais desvantagens eram parte do plano. O silêncio agora reinava absoluto, as respirações dos jovens eram os únicos sons, que ainda tentavam ser domados, ruídos baixos vindos da sala, ou gritos vindos de fora, confundiam a percepção de todos, quando de súbito, Brenda desceu ao chão, criando um domo em volta deles com Magia de Terra, a esfera foi atingida por lâminas pelo lado de fora, segundos após ser formada, revelando as posições dos quatro atacantes, a murada então quebrou-se, mais rápido do que todos julgaram, e Kain precisou desviar-se de duas lâminas gêmeas, seguradas por um dos quatro, Blaise moveu-se para ajudá-lo, com suas paredes invisíveis, mas as armas do oponente mostraram-se prontas para tal, quebrando sua barreiras e causando um corte feio no braço da garota, com artes marciais e agilidade, o ninja ainda desviou de uma patada do Wendigo, e o prendeu, segurando suas espadas contra seu pescoço, Carmela e Hayato ajudavam Juliet a lutar contra dois oponentes, ambos usando espadas pesadas de duas mãos, a katana de Hayato era feita para golpes graciosos e rápidos, mas os atacantes não deixavam aberturas, não parecendo sentir o peso das próprias armas, moviam-as como se estivessem segurando penas, enquanto Carmela disparava rajadas de Magia das Trevas e desviava do fio da espada, Juliet mandava ossos saídos do solo, mas estes eram facilmente desviados pelo inimigo com acrobacias, era tarefa de Luke e Brenda vencer o último atacante, e eram os mais próximos a Gary, que ainda ajudava na luta, com ondas de água, tanto o Fantasma quanto a Lobisomem eram bons o bastante em evitar a mordida da lança do adversário, porém Brenda havia sido atingida, Luke aproveitou um tempo ara curá-la, estendendo ambas as mãos, - Esse aí pode curar! Anunciou aquele que lutava contra Kain, o da lança sorriu, e girou sua arma com impressionante rapidez, pegando Luke de surpresa, este precisou levantar sua mão para proteger-se... mas ele não possuía mais aquela mão...

A face de Osmund revelava sua surpresa, tentava com todas as forças escapar de Sophie, Blair subia os degraus atrás de ambos, não podia deixar que a Vice-Diretora o matasse, pois precisavam interrogá-lo, mas ela não parecia querer deixá-lo escapar, não com aquela ira nos olhos, a Harpia fitava as pupílas dilatadas e a íris cor de avelã daquele homem, não parecia nem um pouco com o garotinho doce que ela ensinara, mas então... por que ela hesitara? Não conseguia achar resposta além de sua própria fúria, aumentou a força de sua mão, quase o esmagando com sua pressão energética, a ''Sniper'' do conselho estava agora usando apenas força bruta, afiou ainda mais a lâmina de água em sua outra mão, a aproximando do olho que via, - Você fez isso com meus alunos, anunciou ela, em ódio gélido, - Sabe tão bem quanto eu que não faço nada sem ser bem pago, ele respondeu entre dentes, - Não importa, a espada e a mão que a controla, ambos são culpados pelo que fizeram à todas estas pessoas! Ela berrou, - Às pessoas... ou à você? Riu ele, abrindo um sorriso zombeteiro, - Irei destruir a abominação que criei! Ela constatou, mas a Bruxa havia alcançado-os, moveu sua mão, criando uma espécie de algema, que saiu do solo, prendendo os braços e pernas do criminoso, - Não vale a pena matá-lo, sei desta ira que consome, mas... precisamos dele vivo! Suplicou ela à Harpia, que a fitou com seus olhos azuis-metálicos por soslaio, ao ver sua estudante, percebeu que precisava corrigir ambos erros do passado como os do presente, largou a mão, derrubando apenas água na face de Osmund, que tossiu a para o lado, ela levantou-se, o livrando de sua submissão, olhou para Blair, que sorriu para ela por ter feito a escolha difícil, mas a face da aluna tornou-se de medo, mas antes que Sophie pudesse verificar o porquê, ambas foram atingidas por agulhas envenenadas.

Nos aposentos do falso oráculo, Mildred e Richard confirmavam a história e suas suposições com seu refém, que revelara se chamar Phillipe, - Este próprio torneio foi uma distração para pegar o báculo, não foi? Sir Wingrates perguntou, o homem de face esguia confirmou, - Não foi uma tramóia comum, quem quer que a tenha engendrado, mexeu com nossa memória, Mildred denotou, movendo--se de um lado para outro, Phillipe assentiu, - Mas isso ainda me incomoda, por que um torneio, por que algo tão elaborado? Ela voltou a perguntar, Wingrates apertou a faca contra sua garganta, mas ele apenas respondeu que não sabia a resposta, - Se vai nos dizer apenas o óbvio não teremos uso para você, disse a mulher, movendo sua corpulência, Wingrates o ameaçou ainda mais, não era nem de longe tão gentil agora quanto havia sido desde sua apresentação, - Quem quer que seja esse seu misterioso chefe, teve acesso aos meus dados bancários, anunciou ele, - Me sumiu com as despesas desses jogos, - Não só isso, mas também assinou e regulamentou o processo inteiro... A fala de Mildred trouxe ramificações perigosas, que fizeram ambos se encararem, parecia ter até surpreendido o homem-rato, - Duas hipóteses... ou a pessoa responsável por esse plano está, de alguma maneira, controlando o Conselho das Espadas... ou É um dos dez... De súbito, Phillipe escapou do velho que o segurava, transformando-se em um ratinho, e se dirigiu à porta para escapar... até que foi esmagado por Mildred, - Peste! Cuspiu ela.

Embora estivessem ocupados com suas própria lutas, as atenções se voltaram à Luke, um toco sangrento estava onde sua mão direita antes estivera, a dor não aprecia ter conectado com ele, mas os sentimentos de choque e perda sim, ele agarrava o pulso como se procurasse o resto, seus olhos vidrados, Carmela escapuliu de seus assaltantes, e o segurou por trás, mesmo que tenha sentido vontade de chupar-lhe o sangue, ela resistiu, escondendo as presas, apenas usando um pouco de seu controle natural sobre o material, para estancar o sangramento, evitando que o amigo morresse por perda de sangue, - Aguenta aí, Luke, sussurrou ela em seu ouvido, mas o adversário de ambos estava com a ponta da arma apontada para ambos... mas foi parada por Hayato, que decepou-a com sua katana, porém, sua posição agora o deixava aberto, e o homem utilizou isso, girou a haste da lança, e usando-a como bastão, golpeou o Fantasma para longe, mas agora Luke já havia se levantado, para surpresa de Carmela, ele ainda urrava de dor, mas partiu para cima do inimigo, o atirando no chão,  os outros continuavam a defender-se co  igual ferocidade, mas a simples verdade era que, embora pudessem talvez vencê-los em seus auges, estavam agora muito cansados, Gary derrubou um dos ninjas com uma Explosão Fluvial, e a única mulher do grupo se estatelou contra as portas de aço, Juliet defendia-se o máximo que pudia com seu fôlego vacilante, Kain e Blaise ainda duelavam contra o assaltante das espadas duplas, o outro homem, finalmente se desvencilhou do garoto maneta, e o chutou para longe, mesmo agora tendo sido atingido pelas garras de Brenda, ele ainda tinha sua energia completa, a dor se apoderou da mão-fantasma de Luke, e ele teve de morder os beiços para não derramar lágrimas, a situação estava muito pior agora, a mulher se levantou e agora lutava com Carmela... Brenda não parecia poder segurar por muito tempo... Hayato estava fora de combate... Juliet estava fatigada... Kain caíra e Blaise se defendia sozinha, embora não pudesse lutar de volta... Luke olhou em volta por uma opção, via as janelas... era uma opção, - levantou-se, pegando Hayato desacordado em suas costas, - Recuar! Gritou.

A Luta contra Thoros Toff ainda continuava, mesmo sendo apenas um, ele conseguia lutar contra os cinco professores, - De que esse cara é feito? Perguntava-se Samantha, criando Cipós-Víbora, ela lançou-as contra o grande homem, com a única mão que tinha livre, graças à pesada alabarda, ele agarrou os cipós alaranjados, que tentavam mordê-lo com suas presas venenosas, mas ele as apertou com tanta força que as explodiu, seguindo com uma risada bêbada, uma súbita ventania de Aaron o fez cruzar os braços em posição de defesa, mas não o arrastou para tão longe quanto devia, com seu bastão, Griffon lançava magias elementais de longe, mas o homem apenas cortava as bolas de raio, as rajadas de chama, os jatos d'água, e até as pedras flutuantes, como se nada fossem, Ran Mao e Margarete combinavam seus golpes, Marge aparecia perto dele, ele tentava atacá-la, não parecia ter remorso algum por atacar alguém em pele de criança, ela desaparecia, e Ran Mao atacava de surpresa, mas mesmo quando acertava um chute certeiro, ela parecia machucar-se mais do que ele, por fim, resolveu arranhá-lo na cara, mas este pareceu nem ao menos perceber as marcas de sangue no rosto, ela tentou seguir com outro chute, mas ele segurou sua perna, temendo pela colega, Samantha criou uma Armadilha de Vênus, que amarrou a cintura da professora de Botânica, a puxando do aperto de homem, que estava prestes a lhe enfiar a alabarda no estômago, - Obrigada por essa, agradeceu-lhe, Samantha sorriu, - Foi pela biblioteca, e pela amizade, é claro, ambas reuniram suas forças, combinando uma Magia da Natureza extremamente poderosa, criando um matagal de grama-lobo, os caninos de grama correram e moderam o inimigo nos braços, pernas e costas, o amarrando em cordões de relva, - Sinto muito, amigos, disse a Ninfa, antes de sinalizar para Aaron e Griffon, que apareceram do lado de Thoros, ambos então usaram magia para queimar os lobos de grama, envolvendo a cena em fogo e gritos... Estavam agora desprecoupados, mas uma mão brotou das chamas, e agarrou uma das asas de Aaron, que estava próximo, rasgando-a, a dor do Tengu o fez gritar, - Muito bem, superaram minhas expectativas! Anunciou a voz pesada de Thoros, saindo das chamas, o fogo lhe queimara a pele, revelando a destruição vermelha e carnosa que se formara embaixo, estava maior e mais musculoso, Aaron estava pronto para revidar com Mistral, quando a outra mão de Thoros agarrou sua face, o barulho que se seguiu atormentou a todos que ali estavam, crunch, o corpo sem vida do professor caiu ao chão, de olhos dilatados, os outros sentiram uma súbita onda de medo correr por suas espinhas, - MALDITO! Gritou Aaron, que voou contra o oponente, para vingar o amigo, transformou-se, mas antes que pudesse cortar com suas garras, foi apanhado pelo rabo, e espancado contra o chão, - Magos como você foram feitos para atacar de longe! Anunciou Thoros, antes mesmo que Samantha pudesse tirá-lo dali, o terrível inimigo puxou sua arma, e disparou contra a cabeça do professor de Magia, deixando um buraco entre seus olhos de camaleão, a sombra negra de um sorriso surgiu no rosto de Thoros ao encarar as adversárias sobreviventes, a luta continua a ferro e fogo...
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 39: A Premiação Vermelha - Parte Quatro

Mensagem  Jack Jerripher em Seg Jul 15, 2013 3:50 pm

AN: Dois ultimos capitulos desse livro hoje!


Ao ouvirem a palavra gritada por Luke, seus colegas pararam o que estavam fazendo para correr até a porta, formando um círculo para proteger Gary, alguns deles não concordavam com a ideia de recuar, mas não tinham exatamente tempo para discutir, o grupo também tentava proteger Luke, que estava ainda sofrendo por causa da mão perdida, Kain trocou de lugar com ele, em levar Hayato nas costas, mas os atacantes desapareceram, e como vultos negros, quebraram a formação de defesa dos alunos, com suas habilidades físicas, o grupo até conseguiu segurá-los por algum tempo, mas foram todos detidos por outro grito, mas desta vez este vinha do inimigo, - Quietos! Anunciou a mulher do grupo, segurando sua espada para a garganta de Luke, ele tentava se livrar, mas ela pressionou sua arma contra o pescoço, desenhando finas linhas vermelhas, - Solte-o! Anunciou Gary, - Fazemos uma troca? Perguntou o líder, olhando para o Kelpie, - Não! Me deixem, você é mais importante! Luke gritou, com a voz rouca pela dor e pelo medo, mas Gary não o ouviu, Brenda e Kain o seguraram pelo braço, mas Gary os fitou nos olhos, - Por favor, ele murmurou para ambos, e eles entenderam, e aceitaram, embora relutantemente, - Não, é você que eles querem! Luke berrou, mas Gary não prestou atenção, andou direto para o líder do bando, que segurava sua lança sem ponta, - Fez a escolha certa, disse para Gary, ele olhou para seus amigos, uma última vez, um olhar de dor, mas decidido, um olhar que demorou, ficou mais tempo do que realmente durou, mas eles nunca o esqueceriam, ele e o líder desapareceram em um redemoinho de luz branca, os três que lá sobraram partiram para a luta novamente, a mulher  segurou Luke ainda mais apertado, - Vocês prometeram libertá-lo! Blaise afirmou, - Meu chefe prometeu, eu não, a mulher disse, em um sorriso sádico, porém... Um som metálico foi ouvido, um sentimento pesado passou por todos na sala, e as portas duplas se abriram, - De onde vem esta energia? Perguntou-se um dos membros dos ninjas, um vulto passou por Luke e pela mulher, fazendo-a voar para o outro lado da sala, caindo no trono, - Tudo o que fizeram com meus alunos, eu farei com vocês cem vezes mais forte! Gritou Jack, seguido por Pauline e Joachim.

- AHHH! Gritou Margarete, atacando Thoros com sua foice exageradamente grande, seus tamanhos não poderiam ser mais diferentes, mas ela defendia seus ataques como se tivessem a mesma força física, foice e alabarda chocavam-se em uma dança metálica, de repente, uma vinha de Samantha se amarrou na perna esquerda do adversário, o desequilibrando, com um golpe para cima, Marge o desarmou, derrubando sua grande arma, Ran Mao pulou sobre ele, pisando em seus ombros, ela desferiu arranhões sobre sua face, cruzando seus olhos, e desta vez eles o marcaram, a mulher-gato precisou sair ligeira dali, pois assim que ele caiu, puxou sua arma e começou a atirar, ao perceber que estava sem munição, jogou a arma contra Samantha, a atingindo na face, - Agora sim está ficando divertido! Anunciou ele, com um sorriso no rosto, - Seu desgraçado! Gritou Margarete, usando Magenta contra ele, mas o homem conseguiu rasgar as bolhas da Lappyte com suas mãos, Samantha postou suas mãos à frente de seu corpo, ativando Sebe de Proteção: Nirvana - Segunda Etapa - Fase Ofensiva, transformando-se em uma guerreira das plantas, ela saltou contra Thoros, usando grandes e afiadas folhas como espadas, ela as brandiu contra o bruto, que colocou seus braços à frente do rosto, conseguindo se defender, mas duas grandes ranhuras agora cobriam seu braço, e um snague negro começava a escorrer dos ferimentos, ela tentou fazê-lo novamente, mas desta vez ele segurou suas lâminas com as mãos, derramando mais sangue de suas palmas, ele deu uma cabeçada na Ninfa, a nocauteando, mas foi atingido por uma Velocidade Doppel de Ran, que abriu longos cortes em suas costas, e foi derrubado pelo golpe, levantando-se rapidamente, ele correu contra as duas, que se reuniam à sua frente, - É como ver um elefante correr, Margarete denotou, Ran engoliu em seco, ambas rolaram para o lado, desviando, o homem virou-se para atacar Marge com um soco, mas caiu de joelhos...

Blair pegou Sophie antes que ela caísse da escada, mas ambas precisaram sentar-se em um degrau, pois não conseguiam aguentar, retiraram as hastes das agulhas, mas o veneno já tinha sido inoculado, conseguiam ver a substância pulsando em suas veias, tornando negro o seu corpo, como se vermes escuros caminhassem por labirintos em baixo de suas peles, - Blair, corra, não podemos perder você, a professora denotou, - E deixá-la sozinha com esse cara? Não obrigada, respondeu ela, com determinação nos olhos, Sophie sorriu, uma visão rara, - Que bom que ensinei alunos como você... Mas é ruim que também tenha ensinado alunos como ele... Denotou a Harpia, Blair arregalou os olhos com a surpresa, - É uma pena que tenha que acabar assim, mas c'est la vie~ cantarolou Osmund, descendo as escadas... porém, um tronco de árvore brotou à sua frente, o derrubando, um furação o jogou contra uma parede, então um raio colorido e uma rajada sônica o atingiram, quase não conseguindo se levantar, Osmund foi então amarrado por vinhas que cresciam do chão, elas prenderam seus braços e pernas e o levantaram, as garotas olharam para os lados, e das sombras saíram Flint, Jonah, James e Genevieve, com Babayaga em seus encalços, a velha segurava suas mãos em uma posição de feitiço, enquanto o segurava com suas raízes, ela baixou uma das mãos e entregou dois frascos de seu cinto para Genevieve, a garota se ajoelhou ao lado de Sophie e de Blair, e derrubou o pó dos containers nas bocas delas, o veneno pareceu morrer magicamente debaixo de suas peles, - Obrigada, agradeceram as duas, - Como souberam como nos ajudar? Blair perguntou, - Eu passava por aqui quando vi a luta, reconheci Osmund e chamei esses doces jovens para me auxiliar, disse Babayaga, - Maldito maracujá de gaveta! Cuspiu o criminoso, os olhos da Elfa se comprimiram em ameaça, e suas mãos se moveram para os lados, as raízes apertaram os braços do Demônio, fazendo-o guinchar, - Podemos interrogá-lo, Blair denotou, mas Sophie olhou para ela, e apenas disse, - Acho que Margarete é mais apropriada para isso...

A Pressão Energética que vinha dos três diretores cortava como o primeiro vento de inverno, um dos ninjas, com suas espadas duplas, avançou contra Brenda de repente, como um flash, Jack o agarrou pelo pescoço e o ergue com uma mão, colocando-o contra uma parede, O horror nos olhos do homem era evidente, suava profusamente, mas nem ao menos tentava se livrar do Dullahan, que agora assumia sua forma de monstro, sua chama brilhava verde e forte, mas provocava uma sensação de frio intenso, os alunos notaram que sua armadura havia mudado, parecia ter criado alguns espinhos de aço em diversos lugares, assim como desenhos de caveiras nas escamas frontais e traseiras, e sua chama-cabeça parecia formar uma própria caveira verde-clara, - Clemência! Por favor, só estava fazendo o que me mandaram! Clamou o homem aos berros, mas o que se seguiu chocou à todos, Jack simplesmente apertou  mais forte, e um fogo cor de esmeralda cobriu o corpo do adversário, que berrou alto enquanto o inferno o consumia, a caveira pareceu abrir sua boca, mas não emitiu risada, apenas um barulho seco e estrondoso, como pancadas em um tambor, a visão chocou à todos os presentes, nunca tinham visto seu Diretor ser assim tão... impiedoso, mas em um piscar de olhos, sua armadura negra parecia normal novamente, e em outro piscar, ele estava humano, seu inimigo não mais existia, Pauline andou até a mulher, que ainda se levantava, mas antes que ela pudesse reagir, a morena invocou um tridente decorado com corais róseos e a atingiu com uma onda, e prontamente congelou esta com Magia de Gelo, prendendo a inimiga congelada, enquanto isso, Luke desmaiou por seus machucados, e Carmela o segurou, o terceiro inimigo havia se rendido, mas quando Joachim tentou pegá-lo, ele revelou estar fingindo, e tentou cortá-lo com sua espada, mas o diretor de Prominência se transformou em um bicho-graveto gigantesco, e desviou de seu ataque, seus olhos brilharam, e o ninja foi jogado contra a parede, ficando preso em uma fenda, Jack correu até seus alunos para avaliar como estavam, - Diretor, eles pegaram o... Começou Brenda, em um tom choroso, mas Jack fez sinal que entendia com a cabeça, - Pelo menos vocês estão vivos, avaliou ele, com tristeza no olho, - Mas agora não sabemos quem e nem para onde o levaram... Juliet constatou, mas seu Diretor tinha uma resposta, - A Ilha Calypso, sussurrou ele.

Thoros Toff se contorcia de dores, e gritava, Ran Mao e Margarete olharam uma para a outra, tentando compreender o que estava acontecendo, o homem urrou de dor, ao ver que flores e ervas cresciam de seus cortes nos braços, e algumas raízes pequenas se arrastavam como minhocas para fora de suas costas arranhadas, e conectaram com o chão, o plantando e prendendo ao solo, - Semente da Destruição, afirmou Samantha, - Apenas uma cresce a cada milênio, são muito raras, essa era única que eu tinha, a Ninfa acordava de seu estupor, e saía de sua forma original, andando na direção das colegas, - Quis guardar ela, mas pensei que ele seria um inimigo suficiente para usá-la, a loira explicou, - Não, você fez bem, Ran a cumprimentou, Marge apenas concordou com a cabeça, as três fitaram os corpos de Aaron e Griffon, antes de serem distraídas por outro berro de Thoros, - Quando foi que plantou essa semente? Ele perguntou, entre pulsações de dor, - Quando cortei seus braços, mas você nem sentiu, visto que estava anestesiado desde o início da batalha, ela disse, sem nenhuma emoção na voz, ele demonstrou um semblante de riso na face, e perguntou, - Mulher, qual é o seu nome, eu preciso saber o nome de quem finalmente me venceu, para poder morrer em paz,  ele riu-se, enquanto as plantas cresciam, e se espalhavam por seu corpo, o cobrindo, tanto Marge quanto Ran fizeram cara de desgosto, e Samantha deu uma outra olhada para seus colegas caídos, - Acha mesmo que eu me preocupo com sua paz, depois de ter matado meus colegas? Lágrimas escorreram pela face da Ninfa, enquanto ela lembrava dos amigos, é claro, eles podem ter sido brincalhões e fanfarrões às vezes, mas ela os amava, suas brincadeiras em horas indevidas, tentativas de elevar a moral quando estavam para baixo, as bebidas que pagavam para o grupo, o planejamento de aulas que os cinco faziam... Nada disso seria igual novamente, - Não há descanso para os perversos... Anunciou ela, virando as costas para Thoros, enquanto a planta consumia seu corpo inteiro, deixando somente um emaranhado de vida para trás.

Sophie e Blair entravam na arena principal, com seus salvadores por trás, os espinhos que se encontravam cravados na arquibancada começavam a se retrair de volta para o palácio, derrubando os corpos empalados dos espectadores que ainda sobravam, Jack e os Diretores saíram alguns segundos depois, através da boca do dragão, os alunos de Hisasaya carregavam os da Grave, para ajudá-los, Blair correu para eles, para ver como estavam, beijou seu namorado inconsciente no rosto, enquanto passava as mãos pelo toco onde a mão direita deveria estar, e então percebeu, - Onde está o Gary? Ela perguntou, nenhuma resposta veio, pois o incidente era ainda muito recente para ser vocalizado, Blair encarou os próprios pés, ''Podemos ter sobrevivido... mas perdemos...'' Pensou. Sir Wingrates desceu com Mildred o segurando pelo braço, - Essas lutas acabam com a coluna de um senhor, disse ele, Mildred o beijou na bochecha, - Foi muito corajoso, desculpe duvidar de você, disse ela, - Digo o mesmo, ele declarou, naquela altura a Elefante-Branca já havia desaparecido, e a luz da lua brilhava agora sobre todos, Jack e Sophie abraçavam as professoras que sobravam, em um momento solene, quando Juliet se aproximou, cambaleante para ver o que acontecera, engoliu em seco, e transmitiu aos outros colegas, que estavam sendo tratados pelas recém chegadas Hilda e Cattleya, - Os Professores Aaron e Griffon... começou ela, parecendo anestesiada pelos acontecimentos das últimas horas,  assim como todos, Luke acordou enquanto estava sendo carregado pelos paramédicos em uma maca, e percebeu, para seu horror, o que havia acontecido com os espectadores, ''- Pegamos assentos especias para te ver competir!'' O garoto lembrou-se com grande pesar enquanto via seus colegas de quarto, todos com buracos abertos nos estômagos, pelos espinhos, espetados nos primeiros degraus da arena...
   


Última edição por Jack Jerripher em Seg Jul 15, 2013 5:38 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 40: Um Buraco no Mundo

Mensagem  Jack Jerripher em Seg Jul 15, 2013 5:37 pm


Uma pira funerária havia sido acendida nas terras do castelo, à frente da construção, os mortos das espécies que tinham esse costume haviam sido enfileirados, enquanto aqueles que preferiam ser enterrados o haviam sido em covas, escavadas com Magia da Terra, familiares daqueles mortos no evento haviam passado por lá, Jack conseguira cobrir as mortes como um ataque de algum grupo terrorista, e disse que o Conselho estava investigando, isso funcionou para alguns, que se conformaram em fazer luto junto aos serviços funerários, e não para outros, que ainda ameaçavam processos, contra as Espadas e contra as quatro academias, mas as desculpas não facilitaram para ninguém, só o que se ouviam pela manhã e tarde do próximo dia eram choros e murmúrios, a maioria dos alunos sobreviventes havia voltado para casa, naquele dia, Grave era o lugar no mundo com mais portais abertos, pois Monstros de todo o mundo precisaram estar lá, até figuras de autoridade humanas apareceram para prestar condolências, e jurar apoio completo, Jack e Sophie atenderam a todos, mas realmente escutaram a muito poucos, estavam agora trancados na sala de reuniões, sozinhos, assistindo a pira queimar da varanda, agora que não recebiam mais ninguém, bebiam em honra às mortes, e para afogar seus pesares, um na frente do outro, com dezenas de garrafas no meio de ambos, - Qual é a pior parte de sermos monstros? Sophie perguntou, Jack não respondeu, - É difícil ficar bêbada, ela afirmou, ele apenas concordou com a cabeça, antes de dizer, - Eu virei aquilo ontem, quando estava com aquele grupo... Ela tossiu, e o respondeu, - Eu sei, senti, disse ela, apontando para as próprias costas, - Eu havia me esquecido, ele disse, entornando o copo, e pedindo para ela voltar a enchê-lo.

- Nos desculpe, Luke... fizemos tudo o que pudemos, mas seus nervos foram cortados de maneira que não foi possível colocá-la de volta, afirmou Cattleya, que vestia um avental ensanguentado, ela apenas a fitou, com um sorriso triste, antes de retirar os cobertores de sua cama na ala do hospital, - Suponho que vai servir... murmurou, fitando a prótese robótica que agora passava por sua mão direita, - Eu achei bem bonita! Anunciou Blair, antes de dar um selinho em seus lábios, - Minha namorada, uma piadista, disse ele, olhando para os amigos que lá estavam reunidos, - Sinto pela sua mão, Luke, a culpa é minha... disse Brenda, - Você já disse isso umas quinhentas vezes, não é sua culpa, ele a disse, com os olhos pesados, - Você estava me curando... começou ela, - Se tem um culpado, sou eu... Kain disse, Blaise apertou sua mão, e disse que estava errado, mas ele continuou, - Se o cara que lutava comigo não tivesse anunciado que você curava, ninguém teria cortado ela fora, - Eu não culpo ninguém, nem por ser curado ou por não derrotar um inimigo mais poderoso que si, disse ele, rapidamente, - Agora parem, estão sendo ridículos, disse o Fantasma, todos então desembestaram a rir, até Carmela e Hayato deram curtas gargalhadas, antes que o ambiente se calasse, e todos encarassem uma cadeira, um lugar vazio, todos sabiam quem devia estar ocupando aquele assento, e sabiam o que ele diria, um comentário sincero e bem intencionado, mas não era mesma coisa...

A Porta das masmorras se abriu, Marge saiu de dentro, vista de longe, Samantha pensou que a garota estivesse vestindo uma capa vermelha, mas era, na verdade, seu avental, que outrora fora branco, - Os ninjas não sobreviveram, disse ela, sem nenhuma emoção na voz, - Ouvimos os gritos, anunciou Ran Mao, igualmente apática, - Não importa, quando se torna um Ullman, se abdica sua família e sua pessoa, ninguém chorará a morte de patifes, que machucavam ao invés de proteger, a pequena professora comentou, - E Osmund? Perguntou Samantha, - É aí que fica interessante, ele sabia que seu contratado era membro do Conselho das Espadas, e o fez mesmo assim, Ran socou a parede ao seu lado, quebrando uma parte, - Maldito... murmurou, - Isso confirma qualquer suspeita levantada, disse Samantha, - Sim, o torneio inventado... O sumiço das Espadas quando precisamos delas... Os Ullman atacando nossos alunos... Tudo se encaixa... Ran destacou, - Vou chamar Jack e Sophie, disse Samantha, e voltou pouco depois com ambos, de faces vermelhas, porém ainda sóbrios.

- Entendo, disse Jack, bufando, com hálito de álcool, - Quem acha que é? Sophie o perguntou, com a mesma amargura na boca, - Tenho dúvidas, mas a Ur não ficou nem para proteger seus alunos... disse o Diretor, apontando para as estalagens, onde os alunos das outras três equipes haviam ficado, antes de se retirarem para seus países de origem, ao amanhecer daquele dia, - Daimon sempre deve ser suspeito, e não gosto de Ulfear nunca falando nada, a Harpia delatou, - Taylor também sumiu no dia das finais, e ela é a nossa tesoureira, Jack afirmou, enquanto as professoras teorizavam, - Nenhum é acima de suspeitas... especialmente do jeito que desapareceram quando tudo começou, Sophie rebateu, - Por falar nisso, já conseguiram se comunicar com eles? Perguntou a Prof. Rabbit, - Sim, eles nos mandaram uma mensagem, explicando que também foram vítimas de um ataque, disseram que um portal sugou à todos para a Ilha Calypso, a versão deles combina com testemunhas que falaram comigo, mas confirmam que Gary está nas suas celas, pois declaram que a tribo dos Kelpies nada que tinha que esconder do conselho o báculo, embora não confirmem que o pegaram, e nem digam o que farão com ele , Sophie explicou, - Testemunhos nada adiantam contra um inimigo que pode manipular a memória dos outros! Anunciou uma voz, os cinco ali reunidos se viraram para as escadas, vendo Sir Wingrates e Mildred, descendo até o hall de entrada, os Merryweather se abraçaram, e ele mais uma vez pediu desculpas para todos, - Não foi sua culpa, tio, foi tão peão nesse esquema quanto todo mundo, Sophie notou, - O dinheiro que foi usado para a promoção e criação do evento ainda veio de minha conta... É como se tivesse atraído todos para um massacre... desculpem-me mas devo me retirar, anunciou ele, tirando o chapéu para todos, enquanto saía para o portal, - Jack... Sophie... Meus pequenos, contem comigo para tudo, já fui a Primeira Espada, conheço aquele lugar como ninguém, acompanharei todo o processo, começou ela, - Meus clientes no bar que me desculpem, mas Lamuff está de volta à ativa, disse ela, com as mãos nos ombros de ambos, O Diretor e Vice a agradeceram, - Agora vão tomar banho e um café bem forte! Ordenou ela, - É para já! Jack riu fraco, e Sophie sorriu brevemente, enquanto eles se retiravam para seus quartéis, - Eles terão muitas provações pela frente... Murmurou Mildred, baixinho, as professoras puderam apenas concordar enquanto viam números 8 e 3 se retirarem.  

- Entrem, disse Sophie, após algumas batidas na porta, dela saíram Blair, desarrumada, mas tentando manter um bom humor, Brenda, que segurava um livro sobre o Conselho das Espadas, Kain, que suava um pouco, parecendo não saber como lidar com tudo aquilo sem piadas, e Luke, que movia sua nova mão sem parar, - Aqui, disse Jack, com uma bandeja de taças para eles, - O que é isto...? Perguntou Brenda, antes de pegar uma taça, - Já são maiores de idade... Simplesmente aceitem, disse-lhes a Vice-Diretora, - Bem, o Luke, não é... Começou Blair, antes de ouvirem um estilhaçar de vidro, - Sabia que devia ter usado a mão esquerda... ralhou ele consigo mesmo, fitando com fúria a mão robótica, - Você se acostuma, com o tempo, disse-lhe Jack, - Como sabe? Luke perguntou, Jack agarrou uma ponta de sua jeans, e a ergueu, seu pé esquerdo revelou ser mecânico, - Isso foi há muito tempo... Comentou ele, - Mas agora temos outro assunto mais importante, Disse-lhes; Arrumaram cadeiras na varanda, a pira ainda queimava, agora com os últimos corpos, o cheiro nauseabundo invadiu os narizes de todos, mas foram capazes de entender por qual motivo eles os haviam trazido ali, ''Devemos sentir o cheiro, e não nos esquecermos daqueles que foram''', pensou Luke, enquanto se sentava, - Não... não foi culpa de vocês, Brenda começou, surpreendendo à todos, Jack e Sophie se olharam, antes do Dullahan responder, - Obrigado, Brenda, é muito gentil, mas mesmo que isso seja verdade, não conseguirei me convencer disso por um segundo, ele disse, e Sophie assentiu, concordando, - Suspeitávamos que algo estava errado, mas ainda assim não tomamos providências... Ela disse, - É complicado tomar previdências quando o ataque vem daqueles que deveriam ajudar a proteger, para começo de conversa, Blair notou, e todos tiveram de concordar.

- Precisamos saber... Até onde iriam para resgatar Gary? Jack perguntou, fitando cada um por vez com seu olho muito verde, - Não há limites para onde eu iria e para o que faria, respondeu Luke, era quase como se tivesse ensaiado a resposta, e o tinha feito, pois sabia que ela chegaria, mais cedo ou mais tarde, Blair, Kain e Brenda tocaram seu colega nos ombros, metafórica e literalmente o apoiando, - Sabem que irão contra os dez mais poderoso monstros do mundo? Sophie indagou, - Bom, dois de vocês não estarão contra nós, Kain brincou, nenhum dos professores  sorriu com o gracejo, - Não podemos ter certeza de quem é o culpado agora, mas vocês devem suspeitar de todos, Jack afirmou, não havia nenhum tom de brincadeira em sua voz, a porta da varanda se abriu, e dela saiu Mildred, com uma carta na mão, - É como temíamos... Mesmo que salvemos seu amigo, ele agora é órfão, disse a Sra. Lamuff, uma ânsia de vômito subiu em todos ali, haviam conhecido o pai de Gary, e haviam gostado dele, parecia ser uma cara muito bacana, - Um novo chefe foi eleito para a tribo, na ausência de Gary, denotou ela, os anciãos sabem sobre o báculo, mas prometeram não falar nada para não causar pânico, terminou ela, jogando a carta na mesa, - Quem quer que esteja por trás disso tudo... tem agora o báculo do crepúsculo... e todas as maneiras para ativá-lo, Disse Sophie, - Poderes de um deus... Murmurou Kain, sentindo todo o perigo daquela frase, - Não quero nem imaginar o que alguém tão perigoso fará com tais poderes... Brenda temerosamente afirmou, - Quanto a isso... dois podem jogar esse jogo, disse Jack para Sophie, que assentiu.

- Não podem estar falando sério! Gritou Mildred, o grupo dos quatro continuava sem entender, - Sem ofensas, mas vocês ainda não estão nem perto do nível de força da menos forte das Espadas, disse Sophie, os amigos se entreolharam,  - Mas há uma maneira de aumentarem seu poder, e revidarem, disse Jack, - Assim como há uma estátua de Demehra, há uma para cada um dos outros quatro deuses, e planejamos que elas os emprestem seus poderes! Anunciou o Diretor, os quatro estavam paralisados, - E como pretendem fazer isso? Luke perguntou, - Já devem ter percebido a razão pela qual serem cinco de vocês, cinco heróis da profecia, quero dizer, Jack os disse, Luke deu palavras ao que os outros pensavam, - Um para cada um dos deuses, ele denotou, - Exatamente, disse Sophie, antes de olhar para Mildred, - Que foi? Acha que eu não descobri sozinha que eles são os heróis profetizados, dá licença né!? Declarou a mulher, - Não temos dúvidas de que, uma vez que tenham utilizado Gary, o descartarão, disse Sophie, em um tom solene, - Mas não se atacarmos primeiro! Daqui a uma semana, haverá uma reunião no Conselho, para discutir o que aconteceu aqui, o Diretor explicou, - E até lá já estaremos com os poderes? Brenda questionou, incrédula, - Se saírem hoje... Sophie respondeu, antes de dar um cartão para cada um, - Essas são as localizações das estátuas, disse ela, energeticamente, - Não pensem que não tínhamos um plano reserva! Piscou-lhes Jack, os amigos se entreolharam, olhando seus professores, e então se levantaram, se despedindo, desceram correndo as escadas, e se despediram de Juliet e dos outros no caminho, Jack, Sophie e Mildred os viam correr para o Arco do Etropsnart, com sorrisos nos rostos, podendo agora, virarem a situação.  

À frente do arco, Luke e seus amigos se encaravam, antes de partirem, cada um para suas localizações dadas, - Quem pegou qual deus? Kain perguntou, - Samhain, disse Blair, - Lapiste, Blair repsondeu, - Veran, Kain denotou, - Magna, terminou Luke, - Eu vou para uma praia... Lerajie... disse o Fantasma, - Não foi aí que acabamos caindo no ano passado? Blair perguntou à Brenda, que assentiu, - Bem... Eu vou para a Montanha Reyres, não muito longe daqui, a Lobisomem explicou, - E eu, que nem ao menos saio das terras do castelo, pelo jeito Veran deixou sua estátua na floresta Iilfort! Kain declarou, - Eu... Já conheço o lugar para onde vou, fiquei lá com Shade e os outros... Depois de Paris... Disse a Bruxa, Luke a beijou na testa, e depois na boca, e depois todos se abraçaram juntos, - Por Gary, foi o que disseram, lembrando-se do amigo, Luke, Brenda e Blair estavam a um passo do portal, quando Kain lhes disse, - É estranho estar sem ele... Os outros concordaram, com outros tons tristes, - Quem vai nos manter sãos? Brenda riu um pouco, - Quem vai receber elogios pelo corpo escultural? Blair riu mais, mas eram risos frios, e mais tristes do que engraçados, - ...Há um buraco no mundo, Luke declarou, todos puderam apenas fitar os próprios pés, antes de concordarem, e um segundo depois, nenhum deles estava mais lá...
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Blair Liddel em Qua Jul 17, 2013 11:04 am

Eu tentei... mas não consegui, chorei com a frase do Luke.

Eu: T.T
avatar
Blair Liddel

Mensagens : 9
Data de inscrição : 15/10/2011
Idade : 22
Localização : Irlanda / Transilvânia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Grave Academy IV: Capítulo 1 - A Viagem Astral: Parte Um

Mensagem  Jack Jerripher em Seg Abr 14, 2014 3:50 pm

O barulho das ondas quebrando e o cheiro da maresia o afetaram logo no primeiro segundo. Luke se agachou para tirar os sapatos, e sentir-se mais confortável com a areia grossa e molhada sob seus pés. Mas como poderia ele sentir-se confortável? Ele que havia perdido ambas as suas mãos direitas? O garoto refletiu, pensando no amigo que não havia conseguido salvar.

Suspirando profundamente, o garoto segurou com força o cartão que Sophie o dera. Estava encantado com uma magia antiga que deveria ajudá-lo a encontrar a estátua de seu respectivo deus, assim como os cartões que os outros haviam recebido. Ele percebia que o cartão parecia pulsar com força na palma de sua mão mecânica - ainda um pouco mole e desengonçada por falta de costumev- o quão mais perto ele estava de uma caverna à sua frente, e por isso, seguiu o caminho naquela direção. Ele refletiu sobre como havia mudado nesses três anos; sobre o quão indeciso e inocente ele era a se juntar ao mundo dos monstros... E agora ali estava ele - machucado, mudado e vazio por dentro.

Brenda abria caminho entre as mudas das mais diferentes flores pelas quais passava, em forma de loba, para ganhar tempo, o qual ela não podia desperdiçar... Mas era por isso que ela corria, ou ela corria para fugir, escapar do que havia acontecido? Desde que aquilo acontecera, Brenda estava ainda em estado de choque, não sabia se sua ficha já havia caído ou não. Era tudo tão repentino.

Sentindo o cartão entre suas presas pulsar, a Lobisomem saltou para um morro próximo à ela, parecendo se dirigir a o topo da montanha Reyres. Era quase engraçado como ele tinha tanto equilíbrio em escalar, quando sentia-se completamente desequilibrada por dentro....

Por baixo de árvores, entre moitas e enfrentando a neblina, Kain prosseguia pela floresta de Iilfort. O meio-wendigo havia escolhido não pensar muito em seu amigo perdido, mas apenas se focar no que ele precisava fazer naquele momento. "Ai!" exclamou, ao tropeçar em uma raiz. Levantou-se e continuou andando, apenas para depois espetar-se em uma cama de espinhos, e urrar de dor. Evitou praticamente por sorte a mordida fatal de uma cobra venenosa.

Kain então parou em seu caminho, recostando-se em uma árvore, algumas poucas lágrimas saindo de seus olhos, ele amaldiçoou aqueles que haviam tomado Gary deles, amaldiçoou ainda mais, porém, a si mesmo por estar sendo uma bagunça emocional quando precisava agir.

Memórias, memórias do tempo o qual ela não queria mais se lembrar. Oh, mas o destino era cruel de fato. Blair estava mais uma vez naquela mansão, onde havia se escondido com Shade e os outros. Ela sabia que estava se dando melhor, se enturmando melhor e convivendo com pessoas, após ter cortado os vínculos com o homem misterioso, mas estar ali novamente era uma provação. Ela lembrou-se dos gritos e dos dias difíceis com noites sem sono.

Blair, diferentemente dos outros, sabia muito bem onde a sua estátua estava. Mesmo quando morava na mansão, ela parecia estar chamando-a, mas Blair sempre hesitara em se aproximar, afinal que uso teriam os deuses para um coração corrompido e negro como o dela? Certamente apenas punição, ela pensava.

Meu passado sozinho não me define, meus erros não são meu caráter, e meus erros passados importam menos ainda. Ela repetiu para si mesma, antes de tocar a mão da estátua, de um velho de barba cumprida, chapéu de bruxo e robes. Era a mais digna imagem de um bruxo que ela tinha em sua cabeça. Ela lembrou-se de Shade, e como ele cobria a estátua com um pano, parecendo temer seus olhos... Blair, após hesitar, finalmente olhou Samhaim nos olhos... E os descobriu surpreendentemente gentis. Os olhos da estátua então começaram a brilhar.

E assim também fizeram as outras. A mulher com rabo de escorpião na caverna á beira mar à frente de Luke. O homem sério e de meia idade, careca, à frente de Brenda, que estava agora no topo da montanha. A mulher gentil, muito parecida com Samantha, que repousava na árvore na qual Kain havia se apoiado.

Em um grande flash de luz, os quatro amigos e as estátuas haviam desaparecido do mundo corpóreo, partindo para a viagem astral que lhes daria tanto conhecimento.

Sophie entrou juntamente com a meia-noite no gabinete do diretor. Ela encontrou a sala exatamente como ela imaginava que estaria: destruída se não pela mesa de centro e duas cadeiras, o cheiro de licor impregnado no ar e as portinholas de vidro para a varanda quebradas e despencadas abertas.

Olhando para o teto, como uma reza silenciosa, a Harpia se dirigiu à varanda, encontrando Jack Jerripher lá, com várias garrafas de bebida estilhaçadas ao seu lado, parecendo péssimo. Ele olhava em direção ou ao lago ou à lua, com agora seu único olho bom, embora não parecesse estar concentrado em nenhum dos dois. Foi aí que Sophie percebeu o quanto ele havia envelhecido, como suas feições haviam se tornado cavernosas e o olho afundado e cheiro de olheiras. A barba mal-feita contribuía para esse visual.

Sophie apenas ocupou um lugar ao lado de seu amigo de longa data, podendo de mais perto observar que mechas brancas cresciam em seu cabelo curto e jovialmente espetado. Ela sabia que o aparente envelhecimento era devido ao estresse. Ela simplesmente permaneceu em seu lugar, quieta, esperando que ele fizesse o primeiro movimento, e passados uns bons dez minutos, ele o fez.

"Eu falhei, Sophie, com todo mundo," Murmurou ele ainda sem fitá-la, o olho desfocado.

Sophie não confirmou ou desmentiu, mesmo que discordasse. Ela sabia que precisava deixar o amigo desabafar um pouco. Em um curto movimento, ela revelou uma de suas asas e cobriu seu amigo do vento gélido da noite, o puxando um pouco para perto, para que ele pudesse apoiar sua cabeça no ombro dela. Passando a mão pelo cabelo do amigo, ela calmamente proferiu. "O sol não vai deixar de nascer por que você não esteve lá para saudá-lo, nem tudo é só sua culpa." Ele já havia começado a chorar silenciosamente quando ela continuou.

"Agora seguiremos com seu plano. Mostraremos a eles como dói perder alguém com quem nos importamos."









avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Luke Truesdale em Dom Abr 20, 2014 12:03 pm

GRAVE IV

Eu preciso sentar um pouco pra respirar esse começo foi incrível!
avatar
Luke Truesdale

Mensagens : 16
Data de inscrição : 15/10/2011
Idade : 21
Localização : EUA / Transilvânia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 7 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum