Fanfic: Grave Academy.

Página 2 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Igor Malkuth em Qui Dez 22, 2011 12:28 pm

Agora a porra ficou séria, nossa não sei como não tinha visto essa Fic postada aqui, kkkk
avatar
Igor Malkuth

Mensagens : 3
Data de inscrição : 20/10/2011
Idade : 35
Localização : Transilvânia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Jack Jerripher em Sex Dez 23, 2011 10:19 am

Agora a porra ficou séria? não me faça rir velho amigo, ela vai ficar MUITO mais séria.
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 13: Antes do Halloween.

Mensagem  Jack Jerripher em Sex Dez 23, 2011 3:13 pm

- Deixe-me ver o bilhete, Jack. Disse Sophie com voz de preocupação, o Diretor estendeu o pardo envelope para Margarete, que passou para Aaron e terminou nas mãos da Harpia, ela o abriu com os dedos rápidos que herdara dos tempos em que era parte do conselho internacional de camuflagem, segurando um alvo pedaço de papel, ela o leu com timbre fraquejante: - Queridos professores, aberrações e coisas afins, nós -o grupo de caçadores que foram mais espertos que vocês para se infiltrar no castelo- estivemos pensando muito, mais do que vocês já pensaram na vida pelo jeito, e decidimos ter nossos próprios planos para o próximo feriado, imaginamos que vocês não podem nos impedir de ir à Lily Dale não é? vocês nunca nos viram, de qualquer maneira, nós gostariamos de propor uma troca, aqueles cinco por todos os outros livres, o que acham? bom, explicando melhor, se vocês nos entregarem as cabeças deles, nós não iremos perturbar sua querida festa, pensem bem na sua resposta, sei que vocês tem - ou deveriam ter - neurônios suficientes para chegar a uma decisão. Com Amor, o grupo de caçadores mais espertos que vocês. O papel de repente foi incinerado por áureas chamas, convocadas pela fúria da vice-diretora, Samantha tentou acalmar Sophie, mas ela disse que não precisava, e tomou seu assento, Griffon então falou: - Mas, será que nós não poderíamos cancelar a festa? Ran Mao lhe respondeu: - Não, nós poderíamos, mas lembre-se, não depende só de nós, temos um contrato assinado com o Sr. Zachary Levin, o prefeito de Lily Dale, se não comparecermos este anos talvez não poderemos nunca mais, - Que se dane a festa! nossos alunos estão em perigo! ressaltou Aaron, - Ah é? pensa que não sabemos? mas mesmo se não a fizermos, você não lembra da alternativa Aaron? o que acha que vamos fazer, decepar as cabeças daqueles cinco? perguntou Margarete cínicamente, Aaron pensou em responder algo, mas não conseguiu, Samantha então disse: - Já que não podemos evitar o ataque, pois fomos encurralados, devemos ficar de olho, especialmente para cuidar de Luke e sua turma, pois sabemos que são eles que os caçadores querem. Jack então concordou: - Realmente, este seria o curso de ação mais inteligente a tomar, - É verdade, nem eles teriam coragem de nos enfrentar diretamente, estatou Ran Mao, - É exatamente por isso que estão se escondendo e planejando as coisas das sombras, disse Margarete, Sophie então, relutantemente, jurou que esses caçadores pagariam por brincar com as vidas dos alunos desta maneira.

Luke foi acordado rudemente, seus colegas de quarto - Marcus, Leonard, Indra e Byron - estavam rindo e gritando alto, ''Pestes'' pensou Luke, ele logo saiu da cama e se esgueirou pelo o quarto escuro, até o banheiro, coisa que os outros não tinham se importado de fazer, e fez sua higiene pessoal, ele então deixou seus barulhentos colegas festejando no quarto e saiu da torre, se dirigindo para o saguão do nono andar, ele então se sentou em um banco de madeira, perto da caixa de correios, sua cabeça ainda reverberando da notícia que recebera de Sophie durante o treino do dia anterior, ele teria um irmãozinho ou irmãzinha novo em alguns meses, não era algo ruim, de jeito nenhum, mas por outro lado tinha um grupo omicida atrás dele e de seus amigos, ele então parou para pensar, e chegouem uma pergunta, ''Espera um pouco, idaí que eles estão atrás de mim, já estou morto mesmo, o que pensam que podem fazer comigo?'' mas logo tirou isso da cabeça, e recomeçou a pensar em sua mãe e irmão, ''É realmente só isso que eu fui? eles já melhoraram da tristeza de minha morte em três meses?'', mas aí Luke começou a sentir nojo de si mesmo, pois percebia seu egoísmo, ele devia ficar feliz por eles, - E aí Luke, beleza? Luke levou um susto, saltando do banco percebeu que eram Gary e Blair, - Você está bem Luke, está pálido como um... - Fantasma? indagou Luke com um sorriso maroto.

- Tá cara essa já ficou velha, disse o Kelpie, Luke concordou, mas disse que não era nada e que era culpa de seus colegas de quarto por estarem festejando a essa hora, mas Blair então perguntou: - Ora, mas eles estão certos não estão?, está quase no dia! disse ela dando um toque com Gary, igualmente entusiasmado, -Ah, vocês também não! disse o fantasma chateado, Gary então percebeu que Luke não tinha entendido, e disse: - Halloween, o dia das bruxas está chegando, Luke então fez cara de confuso e disse: - Sim, e aparentemente isto é algo muito legal para vocês, porque...? disse ele brandindo as mãos, Blair e Gary se entreolharam, e Blair então sentou-se ao lado de Luke, e explicou: - No dia das bruxas, nós monstros ficamos mais poderosos, ao mesmo tempo que nossos disfarces humanos falham, e todo ano a Academia Grave promove um GRANDE evento para comemorar a data! Luke levantou uma das sobrancelhas, - Sério? eu já vi isso em filmes humanos, mas sempre pensei que fosse besteira, então o Halloween é mesmo '' O Dia em que os monstros ficam mais próximos dos Homens'', e suponho que as lendas dos humanos sobre o dia das bruxas estejam erradas, Gary então completou: - Quase, você já ouviu falar em Samhain? e ao ver que o garoto confirmou Gary continuou, - Bem, na verdade, o festival de Samhain, conhecido por ser um festival Celta para celebrar os mortos, era um festival para celebrar os monstros... - Porque os celtas uma vez foram salvos de serem erradicados por nós, as bruxas, disse Blair, - Certo, e então, ao conhecerem o chefe dos bruxos naquela época, o Samhain - que ascendeu muito mais tarde deste plano de existência e se tornou um dos cinco ídolos - eles ficaram imensamente gratos, e criaram o festival, Gary explicou, recuperando um pouco de seu fôlego, Luke então sacudiu um pouco a cabeça para entender a informação à esta hora da manhã, e então perguntou: - Espera aí, você disse cinco ídolos, isso me é familiar, mas não sei de onde... Gary e Blair ficaram boquiabertos, - O Sr. Jerripher realmente não lhe explicou nada antes de lhe trazer pra cá não é? perguntou Blair com um tom brincalhão, - Ah, qual é Luke... disse uma voz conhecida, o grupo então se virou e viu que Brenda se aproximava, ela então continuou a falar: - Os Cinco Ídolos - Samhain, Vera, Demehra, Lapiste e Magna - eram cinco monstros muito poderosos que chegaram ao esclarecimento completo, ou Nirvana em algumas culturas, eles então transcenderam este plano de existência, e viraram seres que poderiam se entitular como Deuses em forma física, nós aprendemos sobre eles e sua queda na aula de História Monstruosa com a Professora Ran Mao há dois meses atrás, e basicamente qualquer monstro tem que saber isso! Luke agradeceu, pois deveria dormido nesta aula, mas então indagou sobre a queda deles, e a garota lhe disse que uma vez que eles estavam sendo perseguidos por monstros que queriam ''aprender'' a transcender, eles decidiram que iria ser melhor para todos, e assim cada um se escondeu em uma parte incrívelmente remota do mundo, e tornaram-se estátuas, seladas para sempre, deixando, segundo a lenda, um escrito pessoal de cada um sobre como fazer uma viagem astral junto ao seu corpo. Luke ficou boquiaberto sobre tanta informação, e então o grupo, reunindo-se a Kain, partiram para o café da manhã.

- AHAHA! vocês tiveram que explicar tudo isso pro garoto nessa hora da manhã? comentou o Wendigo, - Bom, não podemos deixar nosso bebezinho sem saber essas coisas não é? disse Blair abraçando Luke, que parecia envergonhado por ser chamado de bebezinho, mas se animou quando viu o olhar invejoso de Kain sobre o abraço, aquele foi um dia como qualquer outro na Academia, aprenderam a fazer o tônico do desaparecimento com a Srta. Kindersley, tiveram uma lição enorme de Tortura para fazer, e entregaram, ou não se tratando de Kain, um enorme trabalho de monstrologia ao Diretor, Luke ficou contente por estar progredindo, epecialmente em Manejo de Armas, eles já haviam escolhido suas armas favoritas, Luke gostava de Arco e Flecha, Brenda usava Armas de Fogo, Gary achou-se contente com uma Lança, Kain encontrou uma bonita espada para usar e Blair não precisava destas coisas, as aulas de camuflagem prosseguiam como de costume, Luke era chamado frequentemente para explicar as funções de objetos comuns para humanos, em virtude de ter sido um por quinze anos; As aulas de Combate e de Magia, administradas por Aaron e Griffon respectivamente, eram de longe as mais divertidas, pois o grupo estava mostrando uma assustadora competência para elas ultimamente, até mesmo a trindade dos J's tinha problemas em acompanhá-los, tudo é claro em virtude dos treinamentos pessoais de cada um em preparação para a batalha contra o grupo que queria seu sangue, aulas de botânica haviam sido adiadas porque a época não estava muito boa para as plantas, muitas delas tiveram de ser ajudadas por Samantha e Ran Mao para crescer.

E assim passou-se a semana, e no domingo, a escola inteira estava em festa, até Luke, que definitivamente se sentia mais energizado, e na hora do almoço, foi feito o anúncio, todos partiriam para Lily Dale, uma cidade nos E.U.A. que comemora muito o Halloween, e todos estariam livres para assustar os humanos no local, e assim que todos terminaram de comer. para surpresa geral, o teto do hall das refeições se abriu, era estranho ver a dicôtomia da estrutura arcaica do castelo revelando tal sistema moderno, pois de lá, planavam vários aeroplanos; Os amigos não sabiam dizer qual era o mais alto som, os aeroplanos ou os alunos fazendo festa, e logo que embarcaram no de cor verde - pois cada um tinha uma cor diferente - Luke olhou para o de cor laranja, onde estavam os professores, e notou que, estranhamente, eles pareciam aturditos e incomodados com algo...


Próximo Capítulo vem ainda hoje.


Última edição por Jack Jerripher em Qui Jan 05, 2012 7:36 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 14: O Que Aconteceu Durante o Halloween.

Mensagem  Jack Jerripher em Sex Dez 23, 2011 9:24 pm

O silêncio reinava em uma noite aparentemente comum, nos corredores do castelo da Academia, o Bugbear N9G de segurança voava fazendo seu trabalho, quando de repente e sem aviso, foi atingido por um raio branco, e se viu então com o tamanho de uma formiga, e a próxima e última imagem que gravou foi de um sapato giagante, que lhe esmagou, a figura de um garoto gordinho e careca apareceu sombreado pela noite, logo após ele, surgiu uma alta jovem de longos cabelos brancos, ela então sorriu para o garoto, e o perguntou: - Você já destruiu o Bugbear desta área? e ele respondeu afirmativamente com a cabeça, - Bom, se você tivesse falhado nisso eu te mataria, ela continuou, e logo transformou um de seus dedos em uma chave de cor bronze, ela virou e abriu a porta que estava à sua frente, os dois então adentraram a sala de cinema, e sentaram-se nos degraus à sua base, passados alguns minutos, apareceram mais quatro pessoas, uma delas era uma alta garota loira com expressão de cansada, a segunda era uma mulher com cabelos castanho-escuros e encaracolados e estava junta de outra mulher, com cabelos loiros e curtos, ela tinha uma expressão de divertimento no rosto, e esta então se virou para o quarto integrante do grupo, um homem alto e forte de cabelos negros, e então se curvou para ele, que simplesmente passou por ela sem fazer nada, ele então subiu as escadas para os últimos assentos, e sentou em um deles, ele então falou, com uma voz grave: - Bom, meus pupilos, sabem que nosso sucesso depende bastante dos resultados da noite de Halloween, se conseguirmos, muito bem, mas se não, passaremos o plano para a próxima fase, e a propósito, Valery, você enviou-lhes a carta como pedi? a garota de cabelos curtos então respondeu que sim com um grunhido, ela riu brevemente, dizendo que gostaria de ver as caras dos professores quando estivessem lendo a carta, o líder do grupo riu junto com ela, ficando feliz com a dedicação de sua subordinada, ele então se ajeitou na poltrona, e se dirigiu à garota com cabelos brancos, - Á propósito Blaise, como está nossa refém? Blaise então sorriu, e tirou um cristal azul de seu bolso, ele mostrava a figura de Kalifa Rouge, a bibliotecária da Academia, ela poderia estar dormindo, se não fosse um estado de animação suspensa, - Excelente trabalho Blaise... e Charles também, o garoto gordinho abriu um largo sorriso, ele óbviamente não era muito elogiado, o líder se levantou de seu assento, e declarou: - Blaise Cocteau! Charles Trotsky! Valery Cendras! Charlotte Garret! façam o seu melhor e alcançaremos a justiça! os quatro concordaram enfáticamente, e seu mestre andou até a garota de cabelos loiros e compridos, e colocou sua grande mão sobre a face dela, - E você, minha querida, continue seu bom trabalho, está sendo extremamente útil... ele então se aproximou dela e beijou sua bochecha, Valery obviamente não ficou muito contente com isso, o sexteto então se organizou em fila, vestiu capuzes negros e pulou da janela da sala.

Os aviões haviam chegado a Lily Dale, o vôo não havia nem durado cinco horas, eram quase cinco da tarde quando os estudantes chegaram ao condado novaiorquino, Lily Dale é mundialmente conhecida pela sua assembléia espiritual, se comemora muito o dia das bruxas lá, embora ainda não estivesse na hora, os quatro aeroplanos aterrissaram em um grande planalto nos fundos de uma mata que circundava o local, lá estava armada uma série de tendas, feita para eles descansarem até a hora certa, ao descer dos aeroplanos, que não estavam nada comfortáveis, todos se sentiam como gelatina, andaram alguns passos quando avistaram um homem baixinho e de cabelos rarejando, ele usava um pequeno óculos em formato de meia lua, e se apoiava em uma bengala, era o prefeito de Lily Dale, Zachary Levin, ele havia andado um pouco, cambaleando, e agora cumprimentava Jack, os dois pareciam conhecer-se muito bem, e logo depois de compartilharem algumas palavras e risadas, ele se retirou, sorrindo enquanto olhava e passava pelos alunos, e isso não era normal, pois eles estavam em forma de monstro, logo então, após um merecido descanso na sede, eles se reuniram em volta de uma fogueira, e Jack então havia subido em um palanque que ninguém havia visto por lá, e começou a falar: - Como vocês não devem ter notado, estão agora divididos em três equipes, a equipe verde, disse ele apontando para a sua esquerda, os cinco amigos verificaram que agora tinham um bracelete de cor verde clara sob as roupas, o grupo preto, disse ele apontando para sua frente, e o grupo roxo, disse ele apontando para sua direita, acredito que já saibam que estão aqui para assustar, barreiras foram postas nas saídas da cidade, quem sair será descalssificado, a cada susto que derem, ganharão um número de pontos, condizentes com o grau do susto que a pessoa levou, esses pontos são cumulativos e aparecerão em seus braceletes, contudo, vocês não podem causar nenhum dos seguintes: derramamento de sangue, quebra de ossos, torções, e machucados, nós teremos prêmios para o maior número de pontos individuais, a equipe com mais pontos, e para o maior número de pontos por uma assustada, os professores ficarão aqui neste acampamento caso precisem de algo, nós voltaremos às quatro da manhã, por isso, espero todos aqui pelo menos quinze minutos antes, agora 3...2...1 ASSUSTAR!

Os gritos foram altos, todos os alunos haviam corrido para atravessar a mata, alguns tropeçavam, mas nem ligavam, Jack então sinalizou o Professor Rayzor com a cabeça, e usando sua magia Khamos[i] ele desapareceu, O grupo de Luke havia se mantido unido, como planejaram no avião, e ao ver uma velhinha, que colia frutinhas em uma clareira, Gary e Kain se entreolharam, e o Kelpie voltou à forma original, enquanto o Wendigo abriu a gola de sua camisa polo, escondendo sua cabeça, e montou em Gary, eles então passaram com toda velocidade pela senhora, fazendo um barulhão com seu relinchar e sua risada malévola, fazendo a senhora correr com uma improvável velocidade para sua idade, os dois então pararam, e começaram a rir muito, perceberam que um sólido 250 havia aparecido em seus braceletes, as garotas e Luke os alcançaram, rindo também, eles continuaram correndo por uma estradinha, e Blair conjurou fogo, que pareceu queimar todo o caminho, assustando dois homens que por lá passaram, mas o fogo não passava de ilusão, Blair recebeu 140 pontos, o grupo avistou duas crianças que pediam doces, uma vestida de corvo, e a outra de Lady Gaga, Brenda se aproximou dos dois, com um sorriso no rosto, perguntou seus nomes, Marios e Alícia, a garota então disse que se chamava Brenda, e ao dizer isso, voltou à sua forma original, ganhando 320 pontos, ela se mostrava para Kain e Gary, que sentiam-se injustiçados, Luke resolveu se juntar a diversão, e voou rapidamente pela rua principal da cidade, dando voltas e voltas por algumas pessoas, dizendo Boo e coisas do gênero, ele então voltou para o grupo, que ficou chocado com o brilhante 1320 que aparecia em seu aparelho.

Eles decidiram então descer uma serra, transformados em suas formas, e podiam ver o caos que estava a cidade, Centauros trotavam pelas ruas, bruxas e bruxos voavam em vassouras, quase derrubando pessoas, dragões baforiam fogo pelos ares, viram até Carmela hilariamente assustando um casal e os fazendo dançar de um lado para o outro ao aparecer em um lado e depois em outro, Juliet também não perdia nada, havia desenhado um grande círculo no chão com giz, e entã o usou seu [i]Fidelis Caries
e fez com que vários zumbis aparecessem do chão, assustando muita gente, Jonah detia-se a pisar de telhado em telhado, gritando alto e atraindo os residente para fora, o único que parecia estar falhando era James, pois sua forma de íncubo havia atraído um grupo de adolescentes loucas, pois esta forma lhe deixava quase sem camisa e com calças apertadas de couro vermelhas, e as garotas aparentemente não deixaram seu novo amigo, o diabinho sexy, ir embora, até os monstros normalmente tímidos estavam tendo o dia de suas vidas, o grupo, enquanto descia a colina, saboreava também os doces que estavam nas sacolas de Alícia e Marios, Kain então resolveu dar um susto cômico em uma das fãs de James que havia se separado, ele apareceu em sua frente... e tirou a camisa, assustando a garota, os amigos se perguntaram o motivo do susto dela, mas ficou claro quando o garoto se virou, ele tinha MUITOS pêlos na barriga, nas axilas e no peito, o bastante para fazer Gary e Luke também ficarem enojados, - Coloca a camisa de novo exibido, disse Luke tapando os olhos, Kain obedeceu-o ainda rindo, ganhara 560 pontos pela empreitada, pelo jeito, até assustar monstros contava, e após essa confusão, sedentos por comerem tantos caramelos, o grupo encontrou um riacho e começaram a tomar sua água.

Quando terminaram, ouviram um farfalhar nos arbustos, e deles sairam quatro jovens, eram os mesmos do grupo de caçadores, menos o seu líder e a garota que ele chamara de querida, mas estavam com outras formas, Valery era agora uma ruiva de cabelos crespos, Blaise era uma menina de pele morena e meio gordinha, Charlotte era uma garota loira de franja, e Charles era um garoto alto e forte, e estava adorando isso, Valery então perguntou-lhes, - Indo a algum lugar? e sem aviso se tornou uma Bastere, seus brilhantes olhos amarelos iluminando a noite, ela pulou em direção a Gary, que levou um arranhão na cara, o grupo, pego de surpresa, tomou posição de luta, e tranformando-se na forma de monstro, pegaran cada um, menos Blair, um cristal do bolso, e o espatifaram, revelando suas armas preferidas, postas lá por Jack, Luke apontou seu arco na direção da garota ruiva à sua frente, indagando seus motivos para atacá-los, mas Charles rapidamente pulou sobre os dois e com um movimento das mãos lançou um raio branco, Luke se desviou por pouco, mas notou que a pedra que estava perto de seu pé havia encolhido, Blair usou Magia de Trovão em direção às duas garotas, mas Blaise criou uma barreira transparente que o absorveu por completo, ela então se partiu, e os pedaços, afiados como vidro foram lançados para a bruxa, mas ela rapidamente os incinerou com Magia de Fogo e não perdeu tempo em lançar um Pumpkin Hiralda que foi logo acompanhado por um Globo Destrutivo e um Projétil da Lua Crescente de Kain e Brenda respectivamente, mas os ataques foram redirecionados por Charlotte, que os envolveu em um fio que brilhava à cor de prata, lançando os três no riacho, esguichando água para todo o lado, Gary não perdeu a oportunidade, e controlou a água com Magia da Água, lançando-a em direção a Charles, mas ele usou Magia da Terra para criar uma parede de pedras, Gary, que não havia voltado à sua forma de monstro, partiu para combate mano a mano com sua lança contra Valery, mas esta provou ser rápida demais para ele, o acertando com um chute que o derrubou, ela então se aproximou dele com as garras estendidas, mas foi quase atingida por um tiro disparado do revólver de Brenda, e ela então a disse: - Procure alguém do seu tamanho, e pulou nela com as própria unhas estendidas, as duas se prenderam em uma luta de golpes rápidos, e enquanto isso, Luke lançava um Disco Espectral em direção à Charles, mas este havia diminuido o tamanho do disco, o tornando inútil, Kain e Blair ainda tentavam acertar as outras garotas com ataques de longa distância, mas a barreira de Blaise não cedia nem um pouco, o Wendigo então perdeu a paciência, e correu com sua espada em punho, Brenda pulara em direção à Valery, Luke havia sido surpreendido pois Charles havia aparecido atrás dele, e Gary levantara, mas deu de cara com Charlotte, Blaise havia conjurado dois machados fietos de pedra, e estavam quase caindo em Kain, Charlotte havia fincado um espinho que tinha em seu braço na barriga de Gary, que cuspia sangue, Luke estava prestes a ser encolhido por Charles, e Brenda tinha sido rapidamente cortada pelas garras da rival, que havia corrido em uma inacreditável velocidade, e justo quando Blair achou que tudo estava perdido...

Lá estavam Jack, Margarete, Sophie, Aaron e Ran Mao; Ran havia empurrado Charlotte para longe com seus fortes movimentos de artes marciais, e dava um antídoto para Gary, Margarete usara sua magia Mauva que criou uma grande bolha roxa que englobou ambos os machados de pedra de Blaise, e os obliterou por completo em pequenas explosões, Aaron havia convocado os ventos de Mistral para redirecionar o raio de Charles, Sophie, com sua raiva, usou seu Αφής του Δία no chão, e este havia lançado uma corrente elétrica, que atingiu Valery em cheio, a lançando muitos metros para o lado, os outros membros de seu grupo apareceram ao lado de sua companheira, gravemnete ferida, Charles a pegou nos braços, e eles então encararam os professores, mas se arrependeram de tê-lo feito, pois Jack lhes lançara um olhar do qual não se esqueceriam, Luke sentiu como se o diretor estivesse exalando chamas frias de seu corpo, e elas queimavam o seu ser por completo, o grupo teve reações similares mesmo não vendo o olhar por completo, já as expressões dos caçadores expressavam um grande medo, Blaise então jogou uma objeto circular no chão, e este explodiu em fumaça, fazendo os quatro poderem escapar. Logo após o ocorrido, os professores haviam levado os cinco para o acampamento, e cuidavam de seus ferimentos, que não haviam sido graves, mas os únicos não feridos, Luke e Blair, se culpavam pelo ocorrido, mas Samantha os encorajou a não fazê-lo, Gary então disse: - Diretor, você os viu, sabemos quem são agora! porém, Sophie interviu, com pesar na voz: - Lamento muito Crawford, mas eles não estavam usando suas formas de humanos normais, e os professores concordaram, - Dava para sentir o cheiro da magia de ocultação que usaram, disse Aaron com raiva, Jack então os disse, com um estranho sorriso, - Pelo menos temos agora uma informação... e todos o encararam, com expressões de não entendimento, mas ele completou: - Eles não estão fingindo serem monstros, esses ''caçadores'' eram monstros para começo de conversa.


Próximo Capítulo: 25/12


Última edição por Jack Jerripher em Qui Jan 05, 2012 7:40 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 15: Lago de Sangue.

Mensagem  Jack Jerripher em Dom Dez 25, 2011 6:52 pm

O grupo de amigos não estava nada contente, sentavam-se agora no sofá da sala dos professores, aonde tinham sido chamados para ir; Juliet, James, Jonah e Carmela também estavam lá, os quatro ficaram mais do que surpresos com a revelação de que Luke, Brenda, Kain, Gary e Blair eram os cinco guerreiros profetizados, mas Carmela e Juliet confessaram ter desconfiado de que haviam pessoas infiltradas na escola, ao analizarem os incidentes, e não só os relacionados com aqueles cinco, pois muitas coisas estranhas haviam acontecido neste período de tempo, coisas estranhas até para uma escola de monstros, resolveram que não era mera coincidência, estavam ali reunidos pois Sophie os pediu para que ajudassem a cuidar da turma de Luke enquanto estavam em atividades extracurriculares, e quando pensavam que a reunião estava terminada, se surpreenderam, pois Luke tinha ficado de pé, e começava a falar, com um tom decidido: - Quero que me treinem diáriamente, e aumentem a dificuldade dos treinos!, logo todos os outros, incluindo os que não eram guerreiros, tinham concordado, Jack entào tirou sua cartola de cor branca, e a jogou para cima, ele então estalou seus dedos, a cartola então parou no ar, e apontou para baixo, uma porta dourada então apareceu no ar, surpreendendo a todos, o Diretor os disse que esta era uma de suas magias, Hanged Man, ela abria um transporte para outra dimensão, ele então se dirigiu ao centro da porta, e tirou dela dezenove dos vinte cristais nela engastados, e os distribuiu para os treinadores e treinados, cada conjunto tinha cores combinando, e então lhes explicou que poderiam treinar a hora que quissessem, era preciso somente esmagar o cristal em sua possessão, e então determinaram os horários dos treinos de cada dia, já começando com seu primeiro treinamento, os professores e seus cinco alunos entraram nas portas criadas por seus respectivos cristais, deixando Jack e os outros quatro alunos (Carmela e a Trindade dos J's) na sala, pois ainda não tinham treinadores para lhes guiarem.

Jack então pegou os cristais que combinavam com os deles, e enfiou-os juntos a uma carta em uma saca roxa, e então estalou os dedos, fazendo-a desaparecer, Carmela então perguntou: - Para aonde eles foram? e Jack respondeu: - Direto para seus treinadores, eles devem estar aqui amanhã. Os professores, tendo aprendido uma valiosa lição pelo ataque durante o Halloween, resolveram pedir ajuda de Baal Stolas, a organização que regula os caçadores, e esta mandou-lhes quatro de seus melhores agentes, A.Del, BiBuzz, K-Vorka e DyyDean, usando, é claro, seus codinomes, foram apresentados aos alunos durante o jantar do dia da volta do passeio de Halloween, A.Del era uma mulher loira de penetrantes olhos cinzentos, com uma cicatriz em forma de ''Z'' percorrendo seu cenho, BiBuzz era apenas um garoto, mas tinha mais força do que pensava, e era um pouco desajeitado, K-Vorka era um homem alto e de aparência emburrada, tinha enormes sobrancelhas que mais pareciam taturanas negras, e DyyDean era um jovem com cabelo de tigela e usava óculos de cores extravagantes, era muito engraçado e mexia muito bem com tecnologia, estes acompanhavam os nove estudantes para qualquer lugar onde fossem, mas o faziam em segredo, não deixavam a entender que seguiam somente aqueles, poderia parecer para qualquer um que estavam patrulhando a escola, eles também eram os encarregados de treinar Carmela e a trindade, o que fazia eles, e a turma de Luke, estarem cada vez mais cansados, o treinamento de Luke agora envolvia uma pista de obstáculos armados por Sophie, onde ele deveria atravessá-los ou destruí-los com técnicas, o de Blair envolvia derrotar todos os espíritos de vento invocados por Aaron, mas sem ser atingida, Brenda tinha que lutar com Margarete e Samantha ao mesmo tempo, ela deveria acertá-las com alguma técnica ou magia, e ambas eram especialistas em esquivar-se de golpes, Kain continuava tendo que encontrar Griffon em uma floresta, provida pela dimensão especial de Jack, Gary agora estava treinando diferentes técnicas de defesa, tanto físicas quanto mágicas de Ran Mao, e os outros quatro enfrentavam seus treinadores juntos, aprendendo a ficarem melhores em trabalho de equipe, e tudo isso, mais as aulas, que ficavam cada vez mais exigentes, estavam deixando os alunos extremamente cansados, mas não eram só eles, os professores estavam ficando loucos, pois tinham a tarefa de achar o esconderijo dos caçadores infiltrados, cuja existência fora especulada por Jack e Sophie, mas não haviam tido sucesso, e assim, dois meses se passaram.

Um dia, que estava particularmente quente, os estudantes foram surpreendidos, quando os professores promulgaram uma folga, a primeira coisa que fizeram foi correr para o lago Bloody Mary e se vestirem de acordo, para tomar um mergulho do lago, mas rápidamente tiveram que escolher um lugar mais reservado no lago, pois alguns deles (Juliet, Gary, Carmela, Blair e James) estavam atraindo atenções indesejadas de outros colegas, e após andarem um pouco, encontraram o lugar perfeito, próximo ao galpão, coberto de árvores e pedras, um pequeno afluente do lago, onde puderam relaxar, Luke usava um short preto, Gary um verde, Kain um vermelho, James um azul escuro e Jonah um laranja, Blair usava um maiô de cor negra, fiel à seu apelido de gata preta, ele geralmente não combinaria com muitas pessoas, mais contrastava perfeitamente com o corpo e o tom de pele dela, Brenda usava um biquini azul-celeste, Carmela usava um maiô aberto atrás de cor azul escura, e Juliet demonstrava um bonito biquini florido e multicolorido representando especialmente a cor laranja, de sua república, Brenda exigira que Kain usasse uma camisa, mas ele os tranquilizou quando os disse que havia se depilado, e como andavam muito estressados nos últimos dias, decidiram não falar sobre o grupo que os perseguia, preferindo falar de besteiras, um dos tópicos da conversa foi puxado por Juliet: - Blair! eu não sabia que você tinha uma tatuagem! e para surpresa de todos, ela riu, e a mostrou, a maioria também não havia visto, era parecida com um ''S'' escrito com fonte gótica, e tinha também desenhos ondulados a cortando no meio, quando indagada por Jonah sobre o motivo de fazê-la, ela explicou que era uma homenagem ao irmão dela, Samuel, mas Luke sabia que havia algo errado.

Quando esteve falando com Margarete sobre a assinatura para o passeio de Edimburgo, ele havia visto as fichas deles e de seus colegas, e além de descobrir que Kain e Brenda eram orfãos, quase que como ele próprio, ela havia visto ''Filha Única'' na ficha de Blair, mas ele sabia que ela deveria ter uma razão para mentir, e então não disse nada. O dia se passou calmo e divertido, a noite já havia chegado, mas eles continuavam no lago, não se importando se a água agora estava mais fria, o único que estava realmente nadando era Gary, que o fazia em sua forma original de Kelpie, pois a água era realmente sua casa, comeram até um jantar que haviam preparado para passar o dia no local, mas, por volta das oito da noite, quando estavam pensando em voltar para o castelo, algo estranho aconteceu, a superfície do lago começou a chacoalhar, e logo, na frente dos olhos de todos, se tornou de uma cor vermelho-sangue, Juliet teve de segurar Carmela, que parecia tentar beber a água loucamente, mas logo parou, antes que Luke perguntasse, James explicou: - Dizem que o lago muda de cor para vermelho em uma data específica no mês, por isso o nome, deve ser hoje, Brenda então percebeu: - O dia de hoje tem o mesmo número em mês e em dia, este é o padrão do lago! Gary, que estava debaixo d'água, submergiu, e começou a falar apressadamente: - Lago, Barco, Fundo, Superfície, Lago! mas Carmela o pediu para se acalmar e falar mais devagar.

Ele então respirou fundo, e disse: - Eu acabei de ver um barco enorme saindo do fundo do lago para a superfície! todos pareciam cofusos com o que o Kelpie falou, mas Jonah os disse que também fazia parte da lenda do lago que um barco, chamado de ''O Holandês Voador'' aparecesse na superfície quando o lago mudasse de cor, todos estavam se perguntando como isso era possível, quando Luke perguntou: - Espera aí, você disse que o barco se chama holandês voador? e Jonah confirmou, - Por quê, já ouviu falar? indagou Juliet, e o fantasma respondeu que sim, existia uma lenda muito conhecida pelos humanos, a de um galeão que havia sido amaldiçoado a navegar os mares para sempre, pois seu capitão, Vanderdekken, havia amaldiçoado os deuses por uma tempestade que enfrentaram, Kain disse que não poderia ser o mesmo, pois estava em um lago, mas Brenda discordava, pois muitos lagos tinham afluentes que os ligavam ao mar, James indagou como um galeão passaria por uma passagem submersa, mas Carmela os lembrou que já que estavam lidando com um barco amaldiçoado por deuses, não era surpresa que poderia navegar embaixo d'água, e passados alguns minutos, decidiram ir à bordo, e ao fazê-lo, tiveram de usar o Gancho Ectoplásmico de Luke, que o havia aperfeiçoado para usar como corda durante o treino, para subir no barco, mas Juliet, teimosa, usou seus poderes, criando uma escada de ossos, dizendo que ela e os garotos iriam explorar outra parte da embarcação, não e ela não pediu a opinião deles, mas obedeceram por medo.

Uma vez a bordo, deceram à escada da escotilha que estava no bombordo, assustaram-se brevemente com o rangir dos degraus, e sentiram o cheiro pútrido da lasca do galeão, e após alguns minutos passarem-se, Carmela fez uma boa pergunta: - Esperem um pouco, se esse barco estava submerso, como é que ele parece estar seco? Blair então assumiu uma pose de pensativa, e conjurou uma pequena abóbora, e logo a esmagou, ela então dedilhou sua parte interna, ato que fez Kain ficar estranhamente sorridente, e usou seu sulco para escrever símbolos em uma das paredes, e então pediu para que dessem as mãos, eles o fizeram, apesar do corredor apertado, e o símbolo começou a brilhar, e logo Blair afirmou que ele realmente esteve embaixo da água do lago, mas tinha um feitiço muito forte de impermeabilidade lançado nele, enquanto se perguntando sobre quem o teria feito, ouviram o barulho de uma porta se abrindo, e dela saíram, estranhamente, cavaleiros vestidos com armaduras, e completos com lanças, o grupo não teve muito tempo para reagir, mas devido ao treino, estavam mais do que prontos, Luke quebrou o teto com seu Disco Espectral, derrubando pedaços da embarcação para esmagar alguns da frente, e Brenda, que havia pego seus revólveres, acertava-os certeiramente com balas, Kain lançava Globos Destrutivos para explodí-los, acompanhados pelo Vol des Chauves-Souries de Carmela, que mandava morcegos feitos de energia que explodem em contato, Gary e Blair destruíam os que chegavam mais pertos deles, mas com o passar dos minutos, notaram que os cavaleiros se regeneravam, e quando não aguentavam mais, ouviram uma voz conhecida: - Vocês?

Logo, com o cessar das aparições, viram que ninguém menos que Sophie Merryweather se encontrava na frente deles, ela então explicou que esses cavaleiros eram produtos de sua magia, Ιππότες του νερού, que tinha usado a água do barco para criar cavaleiros animados, e que ela estava ali... pois havia achado o esconderijo dos caçadores, e os conduziu a uma sala, na parte mais inferior do galeão, a julgar pela falta de pó, ela havia sido limpa e pela lareira acesa, usada recentemente, lá deram de cara com Juliet e os seus dois amigos, que haviam esbarrado com Sophie mais cedo, ela enttão empacotou o que pode achar, e não foi muito, e os levou para fora dalí, e apósmandá-los para seus dormitórios, ela passou na sala do Diretor, e o informou do sucesso, ele então, estático com a notícia, e um pouco embriagado, começou a dar vivas pelo ar, mas se acalmou um pouco ao verificar que não tinha muita informação que não soubessem entre os dois papéis encontrados no local, e que a descoberta do esconderijo deles acarretaria em uma consequência boa, uma ruim e uma péssima, a boa é que não voltariam a usar o Holândes Voador como esconderijo, e a má é que acharão, ou já tem, outro esconderijo, e a péssima, é que de alguma maneira, eles já sabiam que o lugar iria ser encontrado... Sophie ficara chocada com as deduções do Diretor, pois isso os remetia à possibilidade de trabalho interno de alguém da equipe do colégio, e após refletir um pouco, ela perguntou: - Jack, o que faremos com a Viagem-Prêmio deste ano? e o Dullahan a respondeu: - Bom, temo que teremos que ''mexer'' um pouco com o ''sorteio'' desta vez, sinto muito, mas segurança vem antes de diversão, e mesmo que a Harpia não gostasse muito da idéia, teve de concordar, e lembrou-se de que o grupo realmente merecia, mas eles precisariam muito de mais um aluno para fechar o grupo de dez que eram sortiados para ir à uma viagem, mas Jack sorriu, dizendo que já sabia quem iria acompanhar os nove em sua viagem...


Traduções:
Spoiler:
Ιππότες του νερού, Grego para, Guerreiros de Água
Vol des Chauves-Souries, Francês para, Vôo dos Morcegos.

Momento de Terror, Número 5: A cada três capítulos, uma historinha, como uma lenda urbana, será publicada no final, geralmente contada por um personagem da história.

Replay

Em um Círculo de pessoas sentadas no chão, incluindo os personagens até agora introduzidos, foram acendidas várias Velas, e então Luke disse que esta era a vez de Carmela de contar a história, a quieta Vampira então se posicionou direito, apagou a vela a sua frente, e começou:

Carmela: ''Na noite de natal, um garoto de quinze anos, que não gostava muito de ficar com sua família, estava à seu gosto, jogando seu videogame, e finalmente derrotou o chefão que ele à muito tentava vencer, e enquanto pensava o quanto era melhor passar o natal com seus jogos do que com sua família, o jogo emitiu uma mensagem após os créditos, ela dizia ''De agora em diante, Nick, você poderá, em sua vida cotidiana fora deste jogo, pedir para fazer algo novamente, dizendo Replay, ele poderia reviver ou refazer ações que tinha vivido, ele então, não acreditou nisso, mas manteu a lembrança da mensagem viva em sua memória, e no começo do próximo ano escolar, ele falhou na primeira prova de matemática, a zerando, e alguns meses depois, na recuperação, de brincadeira, ele exclamou, Replay, e para sua surpresa, se encontrou em sua carteira, com a prova a fazer, ele então, percebendo seu novo dom, a fez, tendo as respostas da correção, e a gabaritou, outro dia estava no shopping com seus amigos, quando uma bonita garota se aproximou dele, pedindo a localização de uma loja, ele respondeu, e ela foi embora, parecendo desapontada, não sabendo o porque, dias depois seu amigo lhe disse que ela estava obviamente a fim dele, mas ele nem mostrou interesse, pensando, ele novamennte proferiu, Replay, e voltando no dia, peguntou o nome da bela jovem, e conhecendo Trisha melhor, começou a namorá-la, e em outra ocasião, seu pai tinha ido exercer a profissão de policial, pois fora chamado de sua folga para auxiliar em um assalto a banco, não faziam muitos minutos, quando Nick e sua mãe viram na tv, que seu pai havia morrido baleado na operação, e antes de ir ao enterro, Nick disse, Replay, e desligou o celular do pai, o escondendo, além de desligar a conexão da casa, assim, seu pai nunca foi defender o banco, e seu antigo parceiro, morreu em seu lugar, Nick não tocou em seu poder por dois anos, mas quando passeava com Trisha e sua amiga Tiffany, passaram por um prédio abandonado, famoso por ser assombrado, as garotas duvidaram que ele fosse ao teto do prédio à noite, mas prometeram se unir para dar um ''presente especial'' para caso o fizesse, e o deram uma flanela para pendurar em uma antena do prédio, para provar que estivera lá, e, excitado pelo que o esperava após fazer a missãozinha, Nick subiu as escadas de incêndio até o teto, e amarrou a flanela no local, e ao voltar, não pode deixar de dar um pulão de felicidade nas escadas, ledo engano, as enferrujadas barras se romperam e a queda do garoto começou, ele estava caindo, quando se lembrou de seu dom, e gritou, REPLAY!, mas retornou no exato segundo em que seus pés tocavam o chão do pulo que tinha dado, e a queda recomeçou, ele então continuou gritando Replay, mas continuava indo ao mesmo segundo, e prontamente caindo denovo.''

Carmela: - ''Dizem que até hoje, se passarem por perto do prédio à npite, poderão ouvir o garoto gritando, com sua voz rasgada, REPLAY!''

Próximo Capítulo: 26/12


Última edição por Jack Jerripher em Qui Jan 05, 2012 7:45 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 16: Excursão de Meio-Termo, Romênia, a Origem dos Caçadores!

Mensagem  Jack Jerripher em Seg Dez 26, 2011 1:40 pm

Em uma fria noite de inverno, o grupo de caçadores infiltrados se reúnem na sala de cinema, que se tornou seu novo esconderijo desde que o ''Holandês Voador'' foi encontrado por Sophie, eles estavam novamente tomando suas verdadeiras formas humanas, que tinham sido escondidas em seu último encontro com os cinco besteiros, que era como chamava Luke e sua turma, onde eles acabaram derrotados pela intermissão dos professores, - Hum... tenho certeza de que o que vocês precisam é de mais poder, por isso, quero que Blaise, Valery e Charles fiquem aqui, seu líder falou e os três protestaram ativamente, - Mas, senhor, temos certeza de que o Jerripher vai colocá-los no passeio, seria a oportunidade perfeita! exclamou Valery, - Não se preocupe Srta. Cendras... nossas duas melhores agentes estarão nesta viagem, disse ele enquanto sorria para Charlotte e a outra garota misteriosa, o comentário machucou Valery, que percebeu que as palavras de seu chefe foram usadas mesmo que ele soubesse das afeições dela, ela fechou os punhos com tanta força que perfurou a palma da mão com as unhas, fazendo sangue começar a cair no chão da sala, - E enquanto isso, darei um novo poder a vocês... disse o chefe, com um macabro sorriso no rosto.

Na manhã do dia vinte e três, Luke e seus quatro inseparáveis amigos desciam para o hall das refeições, estavam no quarto andar quando se depararam com Juliet, um pouco melancólica, que conversava com A.Del e DyyDean, logo, os dois caçadores se despediram da necromante, e desceram as escadas, mas Juliet continuava com um olhar de preocupada, logo, Kain se aproximou dela, - Oi Juliet, algo está te preocupando? Juliet, os cumprimentou, e disse o que a estava aflingindo, - É que, hoje no café da manhã, serão sortiados os dez alunos que irão na viagem passeio... Gary então perguntou o que era essa viagem passeio, e Luke então respondeu: - Todo ano, perto do natal, a academia promove um grande passeio para dez alunos que são sortiados a cada ano, mas assim que explicou, percebeu que o grupo lhe encarava, ele perguntou se tinha algo de errado, e Brenda respondeu, - Bem, é que, você, nós estamos tão acostumados em explicar algo para você, que ficamos surpresos quando os papéis se inverteram, Luke ficou um pouco envergonhado com o comentário, mas explicou que ele tinha visto um panfleto da viagem grudado na área do bazar, Blair então tranquilizou a Necromante, - Bom Jules, nem se preocupe, tenho um palpite de que nós estaremos na viagem esse ano, disse ela com uma risadinha abafada, - Como assim Blair? os alunos serão escolhidos por sorteio, - Vocês não percebem? aposto que os professores nos colocarão no passeio, não só para escapar dos caçadores, como para um descanso merecido, o grupo ficou surpreso com a dedução de Blair, mas ficaram animados com a idéia.

Após descerem e se sentarem-se nas grandes mesas dispostas, tiveram que encontrar Jonah, que estava enchendo seu prato de comida, e James, que paquerava a vampira Amy Hurman, ambos foram arrastados relutantemente por Juliet para a mesa, e até Carmela se sentou com eles, e um pouco mais tarde, os caçadores, A.Del, BiBuzz, K-Vorka e DyyDean puxaram cadeiras e sentaram-se na mesma mesa deles, sem nem pedir, Carmela então os perguntou: - Vocês não deveriam estar nos seguindo sem deixar a perceber? mas DyyDean respondeu, com um largo sorriso enquanto se empanturrava, - E estamos, veja, essa é a única mesa vaga Very Happy. Caras de entretenimento não foram demonstradas com o esse comentário, K-Vorka bateu na cabeça de DyyDean, o dizendo que deveria ser mais sério, enquanto levavam os pratos para a fenda na parede onde eram depositados, ouviram o Diretor dizer: - E agora começaremos com o sorteio, tadadadadadadadadadadada BLAIR LIDDEL! tadadadadadada! GARY CRAWFORD! tadadadadadadada! CARMELA SHERRIDAN! tadadadadadadada! JONAH C. WOOD! tadadadadadadada! LUKE TRUESDALE! tadadadadada! KAIN WINCHESTER! tadadadadada! JAMES HEARTSHELL! tadadadadadada! BRENDA THOMPSON! tadadadadada! JULIET C. SARIEL! *UFA* tadadadadada! FLINT FAIRWOOD! todos os olhos do salão se voltaram a a Flint, um Ent que era muito conhecido na escola, mas não por bem, ele era muito desajeitado, e sempre acabava tendo algum acidente, Luke achava que ele próprio era baixo para a idade, mas tinha certeza de que Flint era, ele mal chegava a ter 1,50m de altura, ele parecia estar quase desmaiando com a notícia, enquanto os outros haviam trocado de mesa, para não dar muito na cara que o sorteio havia sido armado, e agora se sentiam um pouco maus por isso.

Um pouco depois do meio-dia, o grupo dos dez estudantes, mais os quatro Caçadores de guarda-costas, e ainda os professores Scarlet e Rayzor, estavam trilhando por um caminho de terra um pouco além do povoado de Vera Cruz, pois a única estação de trem estava no meio de uma floresta naquela direção, mas achá-la era outra história, eles decidiraam parar para comer, Kain preparou o almoço para eles como sempre fazia, na primeira vez que ele cozinhou para o grupo, Luke ficou extremamente surpreso, pois não esperava que o amigo bobo e pevertido soubesse cozinhar tão bem, mas ele revelou, talvez sem nenhuma surpresa, que aprendeu a cozinhar para atrair a mulherada. Depois de comerem os 16 se tocaram que conseguiam ver a estação de onde estavam, Gary ainda comentava que era muito estranho que suas malas já estivessem prontas depois do café, e Brenda notou que a Academia parecia às vezes ter mais passeios do que aulas, e assim que subiram a bordo do trem, Flint e Juliet enlouquueceram, para dizer a verdade, ambos eram extremamente fãs de trens, e ficavam admirando os vagões e as rodas, parando, um momento ou outro para declarar seu entusiasmo com a sala das máquinas e a das caldeiras, o que era mias estranho é que a Garota mais popular da Academia e o garoto mais zoado estavam unidos em sua paixão, eles também conheceram o maquinista, um dragão idoso chamado de Sr. Heklar, e após sentarem-se nas incrivelemente confortáveis cadeiras do vagão dos passageiros, eles descobriram que a primeira destinação de seu passeio era a capital da Romênia, Cluj-Napoca.

O tempo tinha ficado frio e chuvoso, mas o andar do trem era suave e calmo, parecia deslizar sem nem ter atrito no chão, demonstrando luxas paisagens dos condados romenos, a chuva até ajudava a beleza do lugar, mas era uma pena, pois a viagem não durava muito, e com a velocidade do trem, demorou um pouco menos de duas horas, quando o Sr. Heklar parou o trem na estação próxima à cidade, e desejou a todos um intrutivo e bom passeio, eles rapidamente descobriram que Cluj-Napoca não era como esperavam, nenhum homem alto com capa mordendo pescoços, na verdade, ela era uma cidade muito tecnológica, decidiram que primeiro iriam andar pela Piaţa Unirii, a maior praça da cidade, e o marco do distrito central de Cluj-Napoca, visitaram a igreja de São Miguel, e mesmo que muitos deles (Kain, Brenda, Blair, Juliet e Carmela) não tivessem crenças em um ser superior, a igreja ainda era muito bela e iluminada, e depois, foram até a Universidade Babeş-Bolyai, e pediram para visitar o sey famoso jardim-botânico, onde Griffon tirou várias fotos para Samantha, e a Srta. Scarlet até dançou em volta das plantas, sendo a professora de Botânica (e História Monstruosa) ela estava muito feliz, pois a época não era boa para as plantas, mas esse jardim estava perfeito.

O grupo então parou para fazer um lanche, tomaram uma deliciosa sopa de acre com galinhas (sopas são indispensáveis em refeições romenas) e um tradicional Carnatzlach, um pão cheio de uma carne com temperos fortes, e após comerem, foram praticamente ararstados por BiBuzz, que demonstrava uma estranha força para sua idade e aparência, e pelos outros caçadores para a prefeitura da cidade, e lá, viram uma visão que perturbou a todos, Jack Jerripher encontrava-se sentado sorrindo e agitando as pernas em um banco próximo à recepção, - BUNA ZIUA! Gritou o diretor, conhecendo a palavra, que significava Olá em romeno, o grupo o cumprimentou, ainda aturdito,e Jack revelou que tinha algo a fazer na cidade, e quando ninguém estava olhando, K-Vorka deu sinal a BiBuzz para levá-los para ‘’o lugar combinado’’, e ele os arrastou novamente para um desenho na parede que mostrava uma cruz, DyyDean então tirou uma pequena plataforma metálica de sua mochila, e colocou-a no pé da parede, declarando que era sua mais nova invenção, mas K-Vorka cortou sua animação pedindo à líder do esquadrão, A.Del, para abrir o caminho, ela então sobe na plataforma, e tira duas espadas de suas bainhas, que estavam em sua cintura, ela então as finca em duas fendas horizontais na parede, e para surpresa geral, a parede se abriu, DyyDean os apressou para entrarem sem serem vistos, e recolheu a plataforma, e então as portas se fecharam novamente, o grupo se encontrava em uma escura escadaria, que descia, e depois serpentiava por cima d’água, sem ter para onde ir e pensando onde sairiam, seguiram reto pelo caminho, e após o que pareceu ser uma hora, chegaram a outra porta, e desta vez, K-Vorka, DyyDean e BiBuzz entraram senhas em três pequenas máquinas grudadas à porta, e quando abriram, encontraram-se no que foi identificado por A.Del como sendo o Castelo Bánffy, nos arredores de Cluj-Napoc, e embora fosse meio antigo, era de uma beleza comparável à do castelo da Academia Grave, só que menor, e após andarem um pouco, chegaram à uma área onde a parede havia caído, e os destroços adornavam o chão, um homem careca que usava um sobretudo pardo estava parado, e olhava fervoroso para o bando, e de repente, como um raio, o homem começou a correr em direção à eles, com uma velocidade sobre humana.

Seu alvo era Jack, que tinha usado Chariot para invocar uma Espada, ele pulou para o lado, esquivando-se do soco de seu oponente por pouco, Kain e Luke tentaram ajudar, mas A.Del os pediu para que saíssem do caminho, e tiveram que sair pois a troca de golpes estava ficando feroz, o homem de sobretudo havia tirado um grande chicote de aço de seu sobretudo, e o balançava com agilidade, mas seus ataques ainda não eram capazes de atingir Jerripher, que pulava dando impulso de parede em parede, o homem então jogou quatro facas, elas voaram perto de Jack, mas apenas uma acertou, e quando o homem criou um sorriso do rosto, Jack retirou seu terno branco, revelando ter só pego na manga, e lançou a faca de volta, mas o homem, para a surpresa de todos, pulou, e usou a faca, que havia se prendido em uma parede, como apoio, e pulando rapidamente, ele também tirou uma espada, e logo, os dois partiram para um combate de curta distância, Luke agora percebia que um combate entre espadas na vida real não era nada como nos filmes, os dois espadachins realmente queriam acertar um ao outro, e não a espada do outro, os golpes eram extremamente rápidos, não duravam muito tempo, logo sendo bloqueados e seguidos por mais golpes, a falta de pausas entre ataques era o que demarcava que ambos eram mestres, Jack, de repente e sem avisos, convocou uma segunda espada, e a usou com a mão livre, tentando perfurar seu adversário, mas ele também fora rápido, e derrubou um pequeno frasco, e desse frasco, irrompeu uma grande onda de água, o homem de sobretudo havia desarmado a segunda espada do Diretor, e este havia cortado a onda ao meio, e sem nenhum segundo de dúvida, ambos lançaram suas espadas para frente, e ambos pararam a milímetros dos pescoços do outro, e tirando as espadas de posição, eles... se deram as mãos, chamando um ao outro de velho amigo.

Ambos então caminharam em direção aos estudantes, queainda estavam aturditos, seu diretor então falou: - Então pessoal legal, quero que conheçam Igor Malkuth, (a mera menção de seu nome fez a maioria deles pularem) para aqueles que não sabem, Ele é o líder dos Caçadores do mundo inteiro, e chefe da organização Baal Stolas, - Oi pessoal, tudo bem? A propósito, me desculpem pelos problemas que meus antigos pupilos vem causando a vocês, disse Igor com um tom recomfortante na voz, - Antigos Pupilos? Indagou Gary, - Sim... aqueles que estão os perseguindo, a revelação causou um choque no grupo, mas o homem começou a explicar melhor, vejam só, um dia, há alguns anos atrás, três crianças monstro foram deixadas na porta da sede de Baal Stolas da Romênia, nós tivemos que criá-las, e as três demonstraram interesse em serem caçadores, mesmo sendo monstros, eles tinham sofrido pelas mãos de outros monstros em suas ainda breve vidas, e não pudemos recusar-lhes treinamento, mas eles parecem não ter aprendido a lição básica de todo o caçador, que existem monstros bons, como vocês da Academia,e maus como os ferais, e há três anos atrás, quando fui promovido para chefe, eles fugiram da ordem, por quererem destruir todos os monstros que existiam, disse Igor, com um tom de raiva misturada com angústia, Jack então perguntou: - Será que você lembra os nomes deles Igor? Não que isso adiante, é claro, pois devem estar usando nomes falsos como alunos, mas mesmo assim... E Igor sabia, - Blaise Cocteau, uma metamorfa, Charles Trotsky, um Diabinho, e Valery Cendras, uma Bastere, mas ouvi que se reuniram um novo líder, e também à uma renomada ladra e caçadora de recompensas, Charlotte Garret, Luke e seus amigos se deram olhadas preocupadas, eles quase sentiam pena dos caçadores.

Na Hora de se despedirem de Cluj-Napoca, o grupo se encontrou com a estação de trem, que estava justamente do lado de fora do castelo em que estavam, eles então se despediram de seu novo conhecido, Igor Malkuth, e também de seu Diretor, Jack Jerripher, que ficaria na cidade, ao embarcarem no trem, eles decidiram falar sobre os caçadores que os haviam atacado, eles decidiram que se tivessem que se enfrentar com eles novamente, e eles estariam ainda mais fortes, eles não deveriam... administrar o golpe final neles, pois percebiam agora que eles também eram indivíduos que tinham sofrido na vida, quem pareceu mais comovida ainda era Blair, que foi a primeira a concordar, o engenheiro do trem, o Sr. Heklar então declarou que a próxima parada era em Paris, que fez as garotas gritarem de felicidade.

Próximo Capítulo: 27/12


Última edição por Jack Jerripher em Qui Jan 05, 2012 7:23 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 17: Excursão de Meio-Termo, Paris, A Armadilha da Gata e da Viúva Negra.

Mensagem  Jack Jerripher em Ter Dez 27, 2011 2:42 pm

Blair acordou cedo naquela fatídica manhã, estava na cabine de trem que dividia com Juliet, Carmela e Brenda. O dia finalmente havia chegado, após cinco meses de fingimento, tudo acabaria hoje, mas a garota não ligava, queria fazer de tudo para reverter o processo, mas já não havia escapatória para ela, ela perderia tudo o que a mantinha ligada à sua consciência, se ao menos ela tivesse sido esperta o suficiente alguns anos atrás, isso tudo não estaria acontecendo, só de pensar em todas as variáveis que a haviam levado a ficar contra a parede deste jeito, seu estômago se revirava, e após decidir que não podia ficar muito mais tempo com essas pessoas, a garota se levantou, e quietamente caminhou até o banheiro, ela sabia que demorariam horas e horas até alguém acordar, dormir com chuva, dentro de um trem, e após um dia cansativo fazia isso com as pessoas; Blair trancou a porta, era incrível como o banheiro deste trem não chacoalhava como a maioria, a garota escovou seus dentes, tentando o máximo possível para não encarar o espelho, não conseguiria, ela então apenas passou uma água na cara, abaixando-se para colocar suas lentes de contato, que usava pois era vaidosa demais para usar óculos, e por isso, lembrou-se de quando Kain a havia visto usando seu pequeno óculos de formato retangular, com desenhos florais, ele a havia dito que ela ficava muito bem de óculos, e que ela deveria usá-los mais frequentemente, Blair riu brevemente com si mesma, porém, ouviu uma outra voz em sua mente, a garota apertou sua cabeça, sentindo muita dor, ela então colapsou no chão do banheiro, chorando profusamente, ela socou as paredes e esperneou, mas não conseguia gritar, milhões de fatos que a machucavam correndo em seus pensamentos, a invadindo, e após ser reduzida a uma massa pulsante de tristeza, ela, com todas as forças, agarrou-se à pia, erguendo-se, encarou fundo seus próprios e brilhantes olhos azuis e límpidos, como se sua raiva estivesse sendo transmitida a sua reflexão, era como se ela procurasse alguém para culpar, mas só encontrou uma pessoa com essas características, Blair Liddell.

O dia já havia raiado, era por volta das oito horas da manhã, mas o grupo ainda tomava um café da manhã improvisado no bar do vagão, Luke então se juntou a eles, ele sentia-se feliz, feliz por estar tendo um tempo tão bom com seus fiéis amigos, já via que estavam sentados em uma ordem costumeira, Carmela, quietamente bebia sua bebida favorita (barrando sangue) suco de groselha, Juliet já estava perfeitamente arrumada, nem parecia que havia dormido em uma poltrona de trem, Jonah bocejava profusamente, e arrumando com a mão o cabelo negro e sedoso, James limpava lágrimas matinais de seus verdes olhos com as costas das mãos enquanto mastigava uma torrada, Brenda massagiava o cenho enquanto tomava remédios para dor de cabeça, Luke sabia que os treinamentos mentais que ele tinha de fazer antes de dormir a encomodavam, Kain parecia bem disposto, comia um croissant enquanto cantarolava alguma canção brega, Gary, como sempre, estava sorrindo, e tinha sido o primeiro a cumprimentar Luke, e por último Blair, sempre sorridente e brincalhona, mas a expectativa de Luke com relação a ela não era correspondida no dia de hoje, o garoto se lembrou de que sempre podia comparar a aparência de Blair à uma rica garota de Beverly Hills, mas agora ele percebia que havia uma coisa que estragava toda essa imagem, os olhos da garota, azuis-gelo, que pareciam estar analisando tudo com maior cuidado possível, ela carregava um ar melancólico, embora Luke não soubesse o porquê, mas sabia que tais assuntos não eram bons para se discutir pela manhã, e então sentou-se, e só então percebeu que era BiBuzz que preparava o café da manhã, e que seus outros três colegas ocupavam uma mesa no fundo do vagão, sem sinal dos professores, seu sorriso bobinho era capaz de alegrar a todos, mesmo pela manhã, o Fantasma pediu por uma torrada e uma chícara de café preto, e começou a conversar com todos.

Paris era realmente linda, constatou Luke mmentalmente enquanto atravessavam a Ponte de Saint-Michel através do rio Sena, cujas àguas um pouco turvas refletiam as muitas cores e luzes da cidade, mesmo que estas fossem poucas à tal hora do dia, haviam passado pelas Champs-Élysées mais cedo, uma movimentada avenida , que mesmo em seu tamanho avantajado, parecia um pouco apertada, pois um número massivo de turistas tansitavam por ela, e foi neste lugar que haviam se perdido de Griffon e Ran Mao, mas só haviam percebido isso quando estavam já abaixo do Arco do Triunfo, procurá-los em Paris era nada além de impossível, então, ao conversarem com o quarteto de caçadores, decidiram que seria mais esperto aproveitar o dia até a meia-noite, que era o horário por volta do qual eles tinham a obrigação de voltar ao trem do Sr. Heklar.

A decoração de Natal da cidade não deixava nada a desejar mesmo, e até com os grossos casacos que vestiam, providenciados por Samantha e Sophie, não podiam deixar de sentir um pouco de frio, e isso até ajudava de alguma forma misteriosa na beleza da cidade, mesmo com os cheiros atípicos das narinas do grupo, não se irritavam pois haviam ido com a mente aberta e preparada, haviam atravessado horizontalmente a Champs-Élysées, e haviam chegado ao mundialmente renomado Grand Palais des Beaux-Arts, um edifício na avenida Winston Churchill, que representava um cenário muito belo, com suas fachadas de pedra dignas de adoração, e sua estrutura de vidro em sua cobertura, e agora estavam do outro lado da cidade, na icônica Torre Eiffel, almoçavam no restaurante que era seu segundo nível, dava para ver Paris inteira dali, e para surpresa deles, tinham até uma mesa para dezesseis guardada, embora os lugares dos professores estivessem vazios, quem parecia estar gostando mais do passeio era Flint, que segundo ele, havia estado em um lugar por sua vida inteira, e revelou que morava mesmo no povoado de Vera Cruz, que ficava a menos de uma hora do Castelo da Grave, todos não podiam deixar de sentir um pouco de pena do rapaz.

A comida estava excelente, é claro que, com Ukobach na cozinha, eles já tinham uma certa experiência com a culinária francesa, que era geralmente aceita como um gosto adquirido, é como sushi, você pode até odiar na primeira vez, mas de certo acabará se acostumando, ou até gostando, após comer mais vezes; O grupo havia ficado descontente em descobrir que só se podia ir até o segundo nível da torre, principalmente por razões de segurança, mas assim como DyyDean notou, como monstros, eles poderiam visitá-lo mais tarde, seus companheiros, estranhamente, não protestaram, até mesmo A.Del e K-Vorka pareciam ter gostado da idéia, só Flint discordou, ele realmente não queria se encrencar. Decidiram que esta seria a última ''atração'' que veriam na cidade antes de partirem.

Á tarde, decidiram dar uma passada na famosa Catedral de Notre Dame, uma bela catedral em estilo gótico, ocorrendo um fenômeno igual ao da catedral de Cluj-Napoca, e após isso, visitaram o museu do Louvre, e puderam até ver a Monalisa, ou La Gioconda. como aprenderam ser seu nome real, por volta das quatro horas da tarde, alugaram três carros com o dinheiro confiado aos caçadores, e foram até a cidade de Versalhes, tão próxima de Paris que era considerada um subúrbio dela, e lá, visitaram o magnificamente belo Palácio de Versalhes, mas ele era tão colossal que eles absolutamente não conseguiram visitá-lo por completo, voltaram aí pelas oito da noite, jantaram em um dos milhares de restaurantes na Champs-Élysées, e em seguida, partiram para o Moulin Rouge, um famoso cabaré que representava a Boémia da França, mas hoje em dia era mais um local dedicacado à espetáculos, e que espetáculo lá estava, dançarinas e dançarinos andavam em balanços que eram suspensos no teto, tudo isso enquanto outros, de estatura pequena, ou até crianças, vestidos de estrelas, das mais variadas cores e que incindiam radiações diferentes de luzes, algumas em espiral, outras em raios diretos, criavam o que Juliet inteligentemente descreveu como doce para os olhos, e estava plenamente correta, pois verificaram que as estrelinhas começavam a derrubar coisas parecidas com grãos, e estes encheram o chão e as pessoas do Moulin Rouge, e eram completamente comestíveis, tinham um maravilhoso gosto de acordo com sua cor, os vermelhos eram de maçã, os rosas de cereja, verdes de maçã-verde e azuis de blueberry, assim por diante, e coloriam completamente a cor, mas isso podia ser remediado com os copos de água disponíveis perto das muitas vitrolas.

Após maravilharem-se com o espetáculo, o grupo, após uma rápida viagem envolvendo alguns táxis, correram em disparada para a Torre Eiffel, enquanto Flint tomava a direção da estação de trem, depois de despedir-se, e já entravam, todos menos Blair, que havia ficado atrás, o grupo dos caçadores se aproximou dela, perguntando se a garota estava bem, e se tinha acontecido algo a ela no carro, ou atté se ela queria desistir de subir na Torre, mas antes que eles ficassem sabendo da resposta, a garota simplesmente andou alguns passos para frente, e quatro pequenas explosões foram ouvidas, houveram gritos, todos os turistas que atravessavam a avenida Champs de Mars naquele momento se agruparam em um local, e após alguns meros segundos uma equipe médica chegou ao local, constatando que três homens e uma mulher, adultos, haviam sido nocauteados, apresentavam muitos ferimentos e queimaduras, e estranhamente, pedaços de abóboras cobriam o chão...

Luke e os outros já estavam nas escadas que levavam ao próximo nível, elas tinham uma faixa laranja e preta que dizia, ''Seuls les Personnels Autorisées'', nem precisavam de Carmela para fazer a tradução, pois tinha logo embaixo, ''Authorized Personnel-Only'', todos estavam prontos, conseguiriam com certeza, pois não havia ninguém da segurança no local, mas tinham de esperar sua amiga, Blair, que por algum motivo, não estava lá, mas após uns cinco minutos, ela apareceu, com uma expressão divertida no rosto, e Jonah a perguntou: - Blair! o que aconteceu? e Gary perguntou: - Onde estão os outros? Todos também queriam saber, mas a garota parou um pouco para recuperar seu fôlego, e então disse: - Nós fomos parados por um segurança no primeiro nível, acho que nos confundiram com pessoas que roubaram algo da loja de souvenirs, eu já fui liberada, mas vai demorar um pouco para os outros, e DyyDean me disse para dizer a vocês que poderíamos ir sem eles, - Realmente é uma pena, mas já que não há o que fazer... Constatou Brenda; O grupo então entrou nas escadas, que tinham sido desbloqueadas pelas garras de Kain, e logo estavam a subindo, ansiosos, e abençoadamente ignorantes do que os esperava.

Assim que abriram a porta, depararam-se com a mais bela visão, Paris à noite, e daquela altura, era sem dúvida alguma, a visão mais bela que já haviam visto, enquanto todos estavam distraídos, de repente, Carmela soltou um pequeno salvo de dor, todos também sentiam, e após procurarem a fonte deste sentimento, a encontraram, um pequeno espinho tinha se conectado às escápulas deles, haviam removido suas jaquetas devido à temperatura abafada nas escadas, e quando menos esperavam, perceberam com horror, que a parte de cima deste observatório estava todo coberto em gigantes teias de aranha que brilhavam em uma cor prata, e que um fino, mas extremamente forte fio se prendia aos espinhos em seus corpos, nem mesmo as garras de Kain, Brenda e Jonah eram o bastante para cortá-los, e com um repentino puxão foram levantados do chão e mais fios desciam, e se prendiam aos corpos dos monstros, que se debatiam, na tentativa de se livrarem e livrarem os outros, tentaram usar Magia de Fogo mas rapidamente lembraram de que teias de aranha, ao contrário do que muitas pessoas pensam, não são inflamáveis, e embora, com muito esforço, conseguiam cortar alguns com suas técnicas, fios novos já eram presos à eles, ao procurar a fonte dos poderosos fios, viram que uma garota, com cabelos castanhos e encaracolados, estava suspensa no fio que dava origem à tantos outros, Juliet percebeu, dando um grunhido: - Charlotte Garret... A Aracne mercenária, e a garota, com um sorriso, manifestou um longa garra afiada como uma espada, e cortou a própria teia, derrubando os monstros com forte impacto, ela então aterrisou no meio do círculo de pessoas no chão, e começou a falar, - Eu realmente pensei que fossem mais cuidadosos, vir aqui, separados dos caçadores... francamente, como se nosso chefe não soubesse exatamente para onde era a viiagem de vocês... mas antes que terminasse, se surpreendeu, uma pena havia voado a centímetros de seu rosto, e terminara se fincando ao vidro do observatório, Jonah estava em sua forma original, e lançava suas Plumas Flecha rapidamente seguidas uma da outra, mas Charlotte lançava fios da ponta de seus dedos, e estes se grudavam às pensa de Jonah, e após lançar uma barragem delas, a Aracne, com muita rapidez , aggarrou a multidão de fios, e os girou como um boiadero, as derrubando todas sobre o grifo, que foi sumariamente cortado pelas próprias penas afiadas, e agora estava desacordado.

Neste meio tempo, Brenda e Kain haviam se levantado também, Brenda havia convocado Magia da Terra e levantando pedras, as jogou com força em Charlotte, mas ela, com um giro da poderosa garra que manifestava na mão esquerda, as cortou ao meio, porém, de uma delas, saltou Kain, com os braços e pernas transformados, e tentava arranhá-la com as garras em forma de gancho, porém, a aranha demonstrava uma assustadora agilidade, e além de se esquivar de Kain, por vezes, lançava fios às paredes, para desviar das magias de vento que Brenda, e agora Gary lançavam, James tentava curar Jonah, com a magia básica de cura, Thera, mas ele continuava desacordado, Luke, que havia machucado o quadril e o braço direito com a queda, tentava alcançar seu arco, escondido dentro de um dos cristais de Jack, que estava em seu bolso, e ao vasculhar com os olhos o lugar, procurava por Juliet e Carmela, e logo viu que ambas ainda estavam presas por teias no teto, e lutavam frenéticamente para se livrarem delas, mas o garoto logo percebeu que não conseguia ver Blair, de sua posição, e finalmente conseguindo achar força para falar, pediu para James o curar, e o íncubo, só agora percebendo a presença de Luke, lançou Thera sobre ele com a mão livre, e no mais breve momento que pode recuperar-se, ele pegou seu arco, e atirou uma certeira flecha, mas devido à sua, ainda turva visão, acertou apenas a perna direita de Charlotte, que quase não parecia se importar, e com um salto, cortou seus três atacantes com sua garra, os fazendo cuspir sangue, e, lançando uma teia, tentou prender Luke, mas ele, sacrificando seu arco, se livrou, e não perdeu tempo em lançar seu Disco Espectral mas Charlotte nem precisou se mover, o ataque nem encostou nela, indagou-o onde estava sua mira, mas ao lembrar que ele tinha uma ótima mira, como sua perna podia constatar, ela percebeu que ele só erraria de propósito, mas antes que pudesse sair dali, foi atingida por um ataque duplo, formado pela Sombra Póstuma de Juliet, que lançava um raio negro de energia destrutiva e a Lance Effrayant de Carmella, que criava uma grande lança feita de sangue, a Aracne tombou ao chão, aparentemente derrotada, mas quando os jovens reuniram-se novamente, todos os machucados, curados por James, ouviram um poderoso grito, e viram que Charlotte estava agora em sua forma original.

Uma gargantuana aranha, de uma coloração negra e com listras de cor vermelha, os encarava, com seus oito Ooceli de coloração azul-elétrico, ela ocupava pelo menos 1/3 da cúpula de observação, que não era pequena para começo de conversa, era evidente pelas caras dos estudantes, que nenhum havia visto um monstro de tal tamanho, - E a Blair? será que está bem? perguntara Luke, sem desviar os olhos dos oito do gigantesco aracnídeo, que andava calmamente, contornando a cúpula com suas oito pernas, os estudantes faziam o mesmo, apesar de tropeçarem com facilidade nas teias e estilhaços de vidro, - Não podemos pensar negativamente, disse Juliet, - É ela deve estar embaixo dessas teias, disse Carmela, apontando para a grossa camada de teias que cobriam o chão, - Enquanto ela estiver embaixo delas estará bem, elas vão proteger ela de ser esmagada pela Charlotte, remarcou Brenda, - Precisamos de um plano, disse Kain, enquanto tentava não fazer movimentos bruscos que atraíssem a atenção da Aracne, e Gary, que havia pensado nisso, cochicou para eles uma idéia.

Após continuarem naquela, dança, com a aranha, mechendo-se de lugar junto com ela, Kain e Juliet colocaram as mão no vidro ao mesmo tempo que a aranha encostava nele com as patas esquerdas, e com um grito, ela os removeu dali, tombando brevemente para um lado, os dois haviam usado Magia de Fogo e transimitido um imenso calor para o vidro, queimando as pernas do aracnídeo, aproveitaram sua queda para lançarem ataques em sua cara, o Projétil da Lua Crescente de Brenda cegou alguns dos ooceli de Charlotte, que agora batia suas enormes pinças em frustração, Jonah então criou uma barreira de vento, que os protegeu dos espinhos que ela havia disparado, e os lançou de volta, fincando e cortando o gigantesco corpo da Aracne, e com o tempo conseguido, Gary havia preparado uma grande onda, que rapidamente varreu a criatura, a virando de barriga para cima, não conseguindo se levantar, os outros então abriram lugar para o Marteau Sanglante de Carmela, criando um enorme martelo vermelho-sangue, ela saltou bravamente sobre a monstra, e... a esmagou com um poderoso golpe, causando pedaços de sua carapaça voarem por todo o lado, o grupo, brevemente aliviado, comemorou a vitória, mas Carmela, não compartilhou, e os disse: - Olha gente, temo que nossa luta não tenha acabado... Gary a indagou do porquê, e ela respondeu que não sentiu que havia esmagado algo, mas só que havia despedaçado, como uma casca oca, - Não tem sangue nenhum! notou Luke, apontando para os destroços, e para a surpresa de todos, Charlotte, em forma humana, saía de sua carapaça, ilesa.

- Bobinhos, me deram tempo o bastante para me preparar, ela então se desviou agilmente dos ataques do grupo, e novamente, desta vez em meio a um salto sobre eles, transformou-se em aranha, caindo sobre eles, com a tentativa de esmagá-los, mas com sorte, o grupo havia previsto esta estratégia, e rolaram para os lados bem a tempo, mas a colossal aranha, sem indicações, lançou uma nova técnica, Ravena de Esplendor e desta vez, soltou milhares de fios que brilhavam em cor prateada, e estes se prenderam à toda estrutura da cúpula, quebrando muitas de suas janelas, o barulho começava a preocupar os que estavam no segundo nível, mas eram poucos a esta hora. O ambiente do observatório havia mudado, parecia como uma floresta, completamente feita de teias de aranha, os jovens monstros, mais uma vez tentavam livrar-se de suas grudentas ataduras, e quando parecia que Charlotte estava prestes a devorá-los, o grupo, menos Gary, conseguiu se soltar, usando suas garras ou técnicas, pois os fios pareciam ligar-se ao foco que Charlotte tinha no momento, em outras palavras, quanto mais fios, mais fracos, e Gary, completando o plano, encostou a ponta metálica de sua lança na teia em que a Aracne estava, e então se atirou de lá de cima; Ele, Carmela e James lançaram então um feixe de Magia de Trovão, que, atraídos pela lança, transmitiram eletricidade pela teia inteira, dando o maior doss choques em Charlotte, a fazendo voltar a forma humana, quase carbonizada, ela correu para o lado de fora da Cúpula, Luke tentou acertá-la, com sua nova técnica desenvolvida no treino, Espada Ofuscante, que criava uma espada, de energia fantasmagórica verde, em sua mão direita, mas a Aracne tinha força suficiente em si para manifestar a garra afiada, e assim que as lâminas se travaram, Charlotte deu um salto sobre Luke, e, fazendo uma teia de pára-quedas, pulou do alto da Torre Eiffel, todas as teias do local desapareceram, pois eram mantidas com o poder mágico de Charlotte Garret, que havia sido derrotada, mas após estarem livres, perceberam que agora viam Blair, mas ela não estava embaixo das teias.

A garota se encontrava na porta do observatório, cuja área não havia sido nem um pouco danificada durante a luta, e a garota também não, - Espere um pouco, eu.. estava do lado de Blair, como não vi ela sendo pega pelo fio, no começo da luta? Perguntou-se Brenda, Blair então, abaixou um pouco a blusa, mostrando sua escápula, que não tinha nenhum furo, o que significava, - O espinho não pegou você! constatou James, - Por que não nos ajudou Blair? Perguntou Juliet, mas a garota apenas deu as costas a eles, e desceu as escadas do terceiro nível, e antes que pudessem ir atrás dela, o grupo desmaiou, por terem gastado tanta energia, as últimas coisas que ouviram antes de caírem, foram as palavras de Blair: - Me desculpem...

Luke acordou com um grito, encontrava-se em uma maca, dentro do trem do Sr. Heklar, e logo, recuperando os sentidos, percebeu que lá estavam, Jack, Sophie, Griffon, Ran Mao, Igor Malkuth e uma mulher jovem de óculos e longos cabelos loiros presos em um rabo de cavalo, que era sua assitente pessoal, Kate Goldsmith, e com, Flint, Brenda, Juliet, Carmela, Gary, Kain, Jonah e James, que estavam cobertos de ataduras e talas, percebeu que ele mesmo estava assim, e que todos partilhavam olhares tristes, ele também vai quatro outras macas, com os caçadores, A.Del, BiBuzz, K-Vorka e DyyDean deitados nelas, e lembrando-se do que ouve, o garoto repousou a mão direita em sua cara, a apertando com força.


Próximo Capítulo: 30/12
Traduções:
Spoiler:
Locais:
Avenue Champs-Élysées, francês para, Avenida Campos Elísios
Grand Palais des Beaux-Arts, francês para, Grande Palácio das Belas Artes
Moulin Rouge, francês para, Moinho Vermelho.
Técnicas:
Lance Effrayant, francês para, Lança Medonha
Marteau Sanglante, francês para, Martelo Sangrento
Termos:
Authorized Personnel-Only, inglês para, Somente Pessoal Autorizado.


Última edição por Jack Jerripher em Sab Jan 07, 2012 10:01 pm, editado 2 vez(es)
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Blair Liddel em Ter Dez 27, 2011 2:48 pm

I'm a free bitch, baby~
avatar
Blair Liddel

Mensagens : 9
Data de inscrição : 15/10/2011
Idade : 22
Localização : Irlanda / Transilvânia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 18: Retorno Durante a Neve.

Mensagem  Jack Jerripher em Sex Dez 30, 2011 3:21 pm

Nevava fortemente enquanto os agora-quatro guerreiros voltavam para a Academia, o vento gélido açoitava as janelas do trem, todos os presentes no vagão dos passageiros mantiam-se quietos, não queriam se lembrar, não queriam se machucar, até que Gary quebrou esse silêncio, - Agora tudo faz sentido... O vulto que vimos, foi na noite em que conhecemos ela, ir na biblioteca naquele dia? Idéia dela, descer aquela serra no Halloween, para nos encontrarmos com os caçadores? Ela que propôs, no Holandês Voador, o navio estava seco por causa do feitiço de Sophie, e o que foi aquele feitiço que ela nos fez fazer? Estava avisando os outros aposto, e agora a Torre Eiffel, por Deus, como não notamos isso antes? mas antes que seu protesto continuasse, - Pare de falar, nós sabemos... Disse Brenda, que estava em prantos, apoiando a cabeça nas pernas, encolhida em seu assento, ela havia sido muito afetada, afinal, sua própria transformação havia sido orquestrada por aquele grupo, incluindo sua amiga, e Luke finalmente entendia, não suas ações, ele entendia as expressões da Garota, olhares tristes e melancólicos, será que ela se arrependia do que havia feito?

- Provavelmente! Exclamou o Diretor, de súbito, - O que foi Jack? Indagou Ran Mao, - Penso que ele se referre ao fato da Srta. Liddel ter feito o que fez por alguma razão, se conheço ele, e o Diretor, com um sorriso, ajeitou a Cartola branca na cabeça, e começou a contar-lhes, - Há um fato que acredito que desconheçam, a quatro anos atrás, um de meus informantes me contou uma nefasta notícia, ''O clã Liddel da Irlanda, foi exterminado, não se sabe por quem ou pelo que, há uma sobrevivente, uma garota de 12 anos, mas não se sabe onde ela está'', ele me disse, o fato chocou a todos que estavam no vagão dos passageiros, a bruxa teve sua família inteira dizimada, - E eu não tive notícias dela, até um ano atrás, quando um casal idoso de monstros, em Dublin (Capital da Irlanda), confirmou tê-la encontrado Blair em uma floresta.

O tabu em seu nome havia sido quebrado, estavam evitando de usá-lo, como se fosse um mecanismo de defesa, podiam fingir que não era de Blair que estavam falando, mas que a amiga estivesse ali, sentada ao lado deles, compartilhando dos sentimentos contra aquela que os traiu, e isso atraiu o olhar de todos em direção a Jack, Kain não havia dito uma palavra após acordar, a trindade encarava seus próprios pés, evitando fazer comentários, Carmela admirava a paisagem coberta de neve, mesmo que ela não desse a mínima para o que havia lá fora, e Luke ainda estava deitado em sua maca, de olhos fechados, como se não ver tornasse os fatos falsos, ''Onde Blair esteve, e quem encontrou, nesses três anos entre seu clã ser dizimado e ser encontrada em Dublin?'' ele pensava, - Mas é claro, a pergunta que não quer calar é... Vocês seriam capazes de perdoá-la, mesmo que ela tenha um motivo? Jack os indagou, todos se encararam por um breve momento, se questionando sem nem trocar palavras, - Então você acha mesmo que a Blair não queria fazer o que fez? uma voz que parecia extraterrestre perguntou, era Luke, ele havia se levantado e estava andando em direção do vagão, - Sim, tenho plena certeza de Blair tinha uma boa índole, via isso em seu olhar, disse Jack, Luke se sentou ao lado de Brenda, e colocou sua mão sobre os ombros da amiga, e então disse: - Ela estava triste, ontem pela manhã, eu consegui ver suas expressões, estava realmente triste, ele tinha formado, sem saber o porquê, um breve sorriso no rosto, e então outra voz fraca falou, - Você está certo, ontem pela madrugada, ela se trancou no banheiro e começou a chorar, todos olharam para quem falava, era o Sr. Hekler, o motorista, o grupo não havia nem notado que o trem já havia parado para o almoço, mas a notícia que o Sr. Hekler lhes trouxe os animou mais ainda, e Luke então respondeu por todos, - Sim, a perdoaremos, foi isso que ela pediu, afinal.

Sophie, um pouco constrangida, havia tirado um ítem de seu bolso, era um monóculo, com certeza, o Monóculo de Sapiensorens da garota, ela então o segurou em sua mão, e a estendeu, colocando-a no meio de todos, - É um juramento, entendendo, todos colocaram as mãos sobre as da Harpia, e juraram que recuperariam Blair, - Me parece que os treinos serão mais pesados a partir de agora! Afirmou Griffon, - Podem contar conosco também! Todos se viraram, e viram que A.Del e seus companheiros estavam na porta do vagão, totalmente recuperados, todos esntão sorriram, e Flint então pediu, - Será que poderiam me treinar também? Todos pararam o que estavam fazendo, e encararam o pequeno Ent com um novo respeito, - É que... mesmo que eu tivesse ido com vocês até a torre, acho que não teria sido de muita ajuda, e vocês... são os únicos colegas que já se importaram comigo... - Colegas? Você é nosso amigo, Flint! Disse Juliet, colocando a mão na cabeça dele, fazendo-o corar, - Pode deixar Sr. Fairwood, eu me encarregarei de seu treinamento, afirmou Jack, sorrindo.

Não muito longe dali, em uma casa abandoada no País de Gales, Charles Trotsky entrava, carregando mais duas pesadas cadeiras para a nova ''base'' deles, ele então sentou-se com um estrondo em um sofá azul-escuro, cansado e gotejando de suor, - Será que você poderia parar de suar banha no meu sofá? Indagou Blaise, muito irritada, ela tinha um grande ferimento, parecido com uma queimadura em suas costas, e Charles tinha uma igual na perna direita, ele a obedeceu, e sentou-se no chão, - E por que diabos você não encolheu as cadeiras para carregá-las, estrupício? Continuou ela, - HaHa! Acho que nem pensei nisso Blaise! A garota então enfiou a cara em uma almofada, sussurando algo como ''Estou cercada de idiotas'', no andar de cima, Valery espancava viciosamente um saco de pancadas, ela tinha que se controlar para não destroçá-lo com sus garras, ''Maldita...bruxinha...está...virando...a nova...preferida...do chefe'', pensava ela, pontuando cada palavra com um golpe, mas no último, sua raiva ganhou dela, e o fio que prendia o saco ao teto rompeu-se, ela então foi se lavar, tomou uma rápida ducha, e aplicou aloe no grande vergão em seu braço esquerdo, o chefe deles, um homem moreno de cabelos escuros em um topete e com pouca barba lia concentradamente o livro ''O Príncipe'', - Fascinantes esses humanos, escreverem sobre isso, ele comentava, e não tinha nenhuma queimadura visível, Blaise espiou por cima do ombro para fora da casa, uma teia de aranha de repente havia se materializado no ar, e através dela surgiram Blair e Charlotte, todos, incluindo Valery, que chegava agora ao andar de baixo foram em direção à porta, recepcionar suas outras duas agentes.

- O que são essas queimaduras? Indagou Blair, surpresa, - O Sr. Jerripher foi esperto o bastante para ativar o Selo de Bai-Hu, e nós meio que, fomos expulsos do castelo por uma corrente elétrica, riu-se o chefe, - E presumo que tenham falhado na missão de assassinar aquelas pestes, Ótimo, fica muito mais divertido assim! Ele então se levantou, e passou uma sacola à Charlotte, que o agradeceu, e se virou para sair, porém, o chefe deles a pediu que ficasse, e lhe disse que tinha mais um trabalho para ela, os ajudar com a invasão, a Aranha então, com um sorriso, aceitou seu próximo trabalho, - Agora, Srta. Liddel, poderia me dizer quais são nossos objetivos novamente? Ela então, enquanto sentava à mesa, respondeu, - Destruir a Academia Grave e... acabar com os monstros, Luke Truesdale, Brenda Thompson, Gary Crawford e Kain Winchester, - Minha Garota! Disse o homem, - Ahm... Mestre? E o... Poder que o senhor nos prometeu? Indagou Valery, - Bem lembrado Srta. Cendras! E você receberá o maior aumento de todos, só preciso que vá buscar aquele Grimoire velho do quarto de jogos, por favor. A garota só faltava explodir de felicidade, e subiu correndo as escadas, - Você falou sério quando disse isso mestre? Perguntou Blaise, - Oh sim, aquela garota se mataria se eu a pedisse, pensei em ''recompensá-la'' por isso, riu-se ele, - Sr. Shade, podemos começar o procedimento? perguntou Valery com estrelas nos olhos, - Sim, as Srtas. Liddel e Garret não precisarão, então peço que vão ao andar superior enquanto nós trabalhamos. Blair não conseguiu dormir naquela noite, os gritos vindo do andar de baixo eram muito aterradores.


Próximo Capítulo: 31/12

AVISO: Para aqueles que geralmente pulam o Momento de Terror, lhes digo que não precisarão fazê-lo desta vez.

Momento de Terror, Número 6: A cada três capítulos, uma historinha, como uma lenda urbana, será publicada no final, geralmente contada por um personagem da história.

Estarei sempre com Você


Em um Círculo de pessoas sentadas no chão, incluindo os personagens até agora introduzidos, foram acendidas várias Velas, e então Luke disse que esta era a vez de Sophie de contar a história, a graciosa Harpia então se posicionou direito, apagou a vela a sua frente, e começou:

Sophie: ''Essa história realmente aconteceu, na Dinamarca, há alguns anos atrás, um jovem casal tinha acabado de ter seu bebê, mas não muito depois, a mãe teve uma grave doença e partiu aos céus, ''estarei sempre com você'', foram suas últimas palavras. O Pai, cuidava extremamente bem de seu bebê, trocava suas fraldas,, dava-lhe leite e brincava com ele, o deixava com uma babá quando ia trabalhar, mas um dia, muito cansado após o trabalho, o pai dormiu enquanto o bebê chorava por comida, mas o espírito de sua mãe adentrou o cômodo pela janela, e lhe deu sua mamadeira, e o abraçou até ele dormir, ela fazia isso sempre que o pai estava cansado demais, mas, passados alguns anos, quando o pai não precisava mais de ajuda, o espírito da mãe parou de aparecer, e gradualmente as vidas dos dois se acertaram, o pai conseguiu uma nova mãe para seu filho, ela era geralmente uma boa mãe, e muito carinhosa, mas ela tinha um problema, era alcólatra, e sempre que bebia, ficava muito brava e batia em seu afilhado, mas um dia, quando ela, bêbada, deu um tapa na criança, um forte barulho foi ouvido, e uma marca de tapa apareceu na cara da madrasta, - Deixe meu filho em paz!'' uma voz ecoou, e, precisando de mais um drinque, a madrasta foi até a adega, mas assim que entrou, todas as garrafas explodiram, ''Acredite, é para seu bem, e para o do meu filho'', e isso voltava a acontecer toda vez que ela comprava bebidas, e eventualmente, se desculpou com seu afilhado, e tornou-se uma mãe dedicada, vivendo felizes e para sempre, o Pai, seu Filho, a nova mãe, e a anja de guarda da família.''

Aviso: Caso não tenham lido, eu realmente nao estava mentindo.
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 19: As Terríveis Provas Finais - Parte 1

Mensagem  Jack Jerripher em Sab Dez 31, 2011 11:32 am

Blair não havia dormido nada na noite passada, se perguntava o que realmente estava acontecendo no andar de baixo, que tipo de poder Ray havia dado àqueles três, e então, escolheu a tarde do dia seguinte para recuperar o sono, enquanto as preparações eram feitas, mas ela acordou mais cedo do que esperava, seus horríveis peasdelos a atormentavam, o sorriso de uma garotinha em meio ao fogo, pessoas mortas estiradas no chão, e por último, sua própria figura, transformando-se em uma cobra, e se esgueirando para fora da Torre Eiffel, deixando Luke e seus amigos para morrer nas pinças de uma aranha gigantesca. Ela pensava, O que os esperava no fim do dia de hoje?, as cinco vidas cujos destinos haviam se enlaçado, os quatro que juraram aliança à eles, os quatorze que não parariam por nada para protegê-los, as centenas de vidas, que estavam ignorantes à seu perigo eminente, e os seis que estavam próximos de romper com o equilíbrio das forças, o que aconteceria quando uma alma tocasse a outra?

Após chegarem de sua tumultuada excursão, os nove alunos foram surpreendidos com várias perguntas, pelo visto, a gigantesca aranha na cúpula de observação da Torre Eiffel tinha ido parar nas notícias dos monstros, mas o grupo ''assegurou'' os colegas de que já haviam saído da cidade quando ela apareceu, uma das secretárias da Academia, Lorelei Parvour, perguntou onde estava Blair, o grupo pensou um pouco, e decidiram dizer que ela havia começado um programa de intercâmbio para uma outra escola de bruxos na Grã-Bretanha, - Nem sabia que a nossa Academia proporcionava intercâmbio, que legal! Disse Mimi, a irmã de Lorelei e seu oposto, nenhuma resposta foi lhe dada, e as irmãs então levaram os nove para o gabinete do Diretor, como ele havia requisitado; Ao chegarem lá, Jack agiu como se não tivessem se visto no mesmo dia, - Isso é constrangedor, declarou Carmela, o Diretor então os perguntou: - E então queridos alunos, desfrutaram de sua viagem-prêmio? - Oh sim, ela foi muito... agitada, respondeu Juliet, - E um pouco... grudente, lembrou-se Kain, - Mas igualmente instrutiva, comentaram Brenda e Luke, Gary e os rapazes apenas riran desconfortavelmente, - Bom, agora vocês ainda tem uma semana de férias, será que não gostariam de dedicar-se mais a atividades extra-classes nesse período? - Sim sim, seria muito... oportuno, respondeu Flint, Jack então mandou-os irem descansar em seus dormitórios, porém, Luke havia ficado no gabinete do Diretor, queria lhe perguntar umas coisas, - Hum, Diretor, já que nós iremos recuperar a Blair, será que não teremos que fazer o mesmo com os outros? E com um sorriso feliz, Jack respondeu, - Naturalmente, devemos averiguar as opiniões deles primeiro, mas sim, poderíamos tentar, agora, qual é sua outra preocupação? Perguntou ele, sem Luke nem mesmo dizer que havia mais outra coisa.

- Bom... é sobre minha nova técnica... começou ele, - Espada Ofuscante não é?, - Sim Diretor, eu usei ela contra Charlotte, mas ela não funcionou, não consegui solidificá-la, e ela se quebrou, Jack o pediu para sentar-se, e então preparou um chá, e após tomar um gole, lhe perguntou, - Você não gosta de ferir alguém não é Luke? O Fantasma ficou surpreso com a pergunta, mas ela fazia muito sentido, Luke estava meio envergonhado de dizer isso, mas reuniu coragem, - Não, eu não gosto, nem mesmo consegui me obrigar a atacar Charlotte, sei que serei inútil nas lutas que estão por vir, - Muito pelo contrário Gasparzinho! Luke se ofendeu com o comentário, mas deixou-o passar, - Você só precisa evoluir sua técnica de um modo que ela não machuque, apenas derrote, o inimigo, você pode fazer isso se não quiser machucar o corpo do adversário, se é que me entende, - Sim, acho que entendi, causar ferimentos na alma, vou tentar, obrigado Diretor! Eles então se despediram, e Jack então virou sua atenção para a garnde janela de vidro tingido de seu gabinete, e retirou duas espadas branccas que estavam cravadas lá, ele então murmurou, - Tenho que devolver a de Sophie para ela, mas ela ficará contente que o Selo de Bai-Hu funcionou com apenas duas!

E assim, os dias de Luke, Brenda, Gary, Kain, Juliet, Jonah, James, Carmela e Flint foram preenchidos de treinos, que agora duravam em torno de três horas por dia, e deixavam os treinados completamente esgotados, quem estava sofrendo mais era Flint, mas o treino parecia estar valendo a pena, um dia, os nove reuniram-se para ter uma partida de Demoball, o esporte favorito dos monstros, seu onjetivo era, na mesma jogada, acertar a bola em todos o membros da equipe adversária, usando técnicas e magia à vontade, e ficaram surpresos com a evolução um do outro, tinham que se esforçar para não machucarem um ao outro, uma vez, Luke estava quase acertando Kain com sua Espada Ofuscante, mas, um pouco antes do movimento conectar, a espada brilhou, e tomou conta do braço direito inteiro de Luke, ficando mais parecida com uma lança, e atravessou o Wendigo, mas para a surpresa geral, o golpe não lhe feriu, pois Luke não quis assim, Kain acertou Luke na cabeça pela pegadinha, e Sophie, que monitorava a partida como um treino, batizou a técnica de Lança Ofuscante: Re, pois era basicamente o renascer da técnica que se provou ineficaz.

Alguns meses se passaram, mas as aulas e os treinos continuavam na mesma velocidade, quando, um dia, durante o café da manhã, - Atenção estudantes da Academia Grave, após tomarem café, vocês subirão para o sexto andar, e ocuparão as salas de lá para fazerem... suas provas finais, nos encontrem aqui no fim da tarde... para a festa de encerramento!, a maioria dos estudantes congelaram, foram avisados para começarem já a estudar, mas não lhes disseram que era para as finais, outros já haviam começado a correr pelo salão, pedindo se alguém havia conseguido gabaritos, um destes era Kain, que enquanto corria, derrubou um copo de suco na professora Kindersley, que o levou de volta a seu assento, ela também chamou Carmela e a trindade, e lhes deu notíçias inesperadas, - Vocês oito farão outros tipo de testes, vão até o calabouço, para testar a preparação de vocês, mas com a quantidade de treino que tiveram, tenho certeza de que irão bem! E após a otimista Ninfa sair, o grupo havia ficado em desespero, - Isso não vai acabar bem, constatou Gary, - E logo a essa hora da manhã! acrescentou Kain, - Gostaria que tivéssemos uma escolha sobre isso... comentou James, - Mas não podemos faltar, não é? Perguntou Juliet, - E eu já tinha até estudado! Brenda, que estava sob o efeito da lua novamente, disse, - Hum... por que ela não chamou o Flint? Indagou Carmela apontando para o colega, que estava no outro lado do hall, - Suponho que é porque ele... sabe, não progrediu muito nos treinos, ele já começou muito fraco, deve estar no nível que nós estavamos no começo do ano, teorizou Jonah, - Isso é até um pouco cruel, disse Luke, - Bom, talvez seja melhor que ele não se envolva, pensou Gary, e os outros tiveram que concordar.

Após o café da manhã, o grupo partia para o calabouço, na parte inferior do castelo, quando Luke perguntou, - Sabem, já faz algum tempo que penso nisso, mas... para onde nós vamso quando morremos? Todos pararam de andar súbitamente, era visto que não era um tópico que se falava abertamente sobre, - Me dêem licença enquanto eu falo com Luke sem nenhuma razão atrás daquela pilastra! Pediu Gary, e então arrastou Luke para uma pilastra, e o disse, - Hum... Luke, nós realmente não devemos falar sobre isso em público, mas se você realmente não sabe, não tenho escolha, posso? Indagou Gary, - Sim, sim, me desculpe, quero saber, pediu Luke, - Bom, não vejo como posso deixar isso mais fácil, mas, na maioria das vezes, nós reencarnamos, mas, se o monstro foi mal em vida, ele... vai para o inferno, - Como assim inferno? Luke gritou, e não deveria ter feito isso, pois todos no corredor começaram a encará-lo, e obviamente estavam desconcertados com o assunto, - Tudo bem, então, você quer dizer que ele existe mesmo, com diabo e tudo? - Ninguém sabe, mas não me parece muito provável, lá é como um lugar de punição, onde sofremos pelos crimes cometidos, e uma vez que uma alma vai para lá, não tem volta, agora... vamos, a prova final nos espera... Disse o Kelpie relutantemente, Luke então saiu dali com um novo medo na cabeça.

Ao chegarem no calabouço, tiveram uma visão muito esquisita, Jack estava lá e nove dos vários calabouços da academia estavam brilhando em uma cor diferente, - Como você está aqui e não está aplicando a prova? Perguntou Brenda, curiosa, Jack lhes respondeu que nenhum dos professores estava, pois todos haviam se ocupado com as provas finais de cada um deles, e membros da equipe da Academia estavam se ocupando de fazer isso no lugar dos professores, ele direcionou Luke para a entrada de luz azul-esverdeado, Brenda para a luz cinzenta, Gary para a luz verde-escura, Kain para a amarela, Juliet para a laranja, Jonah para a branca, James para a vermelha, e Carmela ficou com a rosa, e após desaparecerem pela luz, Jack baixou sua cartola e disse: - Espero que estejam preparados...

Carmela abriu seus belos olhos de cores trocadas, pois a luz que havia passado era muito forte, e se encontrou encarando A.Del, a líder dos caçadores, ela então a cumprimentou, e tirou um grande número de facas de seu bolso, a vampira assumiu sua posição de combate, mas A.Del havia jogado as facas para o abismo que tinha naquela sala, a maioria havia acertado a outra parede em linha reta, mas cinco delas fincaram-se na parede que estava perto delas, criando uma esspécie de escada, a tarefa de Carmela era usá-las para chegar ao outro lado do abismo, e deveria derrotar um inimigo que lá estava, a garota pulou de súbito, se agarrou na baínha da primeira faca, mas percebeu que estava longe demais para alcaçar a segunda, e então se propulsionou de volta a onde estava A.del, ela teria que pensar em uma maneira melhor de cruzar esse novo caminho. Enquanto isso, James se via em uma grande escadaria, muitas estátias de pedra a enfeitavam,ele tentou subí-la, mas DyyDean o parou, e explicou as regras, ele deveria descer as escadas derrubando todas as estátuas, que seriam animadas, no poço que estava no fundo da sala, ele então o deixou prosseguir, e assim que se aproximou, a primeira estátua, de um homem que brandia quatro cimitarras, uma em cada um de seus quatro braços, apontou-as para o íncubo, ele tentou voar para longe, mas verificou que suas asas estavam envoltas por correntes douradas.

Jonah estava andando a um tempo pelo inacabável corredor em que estava, até que parou, se perguntando o que deveria estar fazendo ali, quando BiBuzz saiu de uma porta que não estava ali antes, e então disse a Jonah que esse corredor estaria sempre mudando de muitos jeitos, e que ele deveria pegar a taça que estava em cima da mesa no final do corredor, e voltra para cá para completar seu desafio, ele então transformou-se em Grifo e voou rapidamente para a esquerda, mas recebeu um forte golpe, e quando olhou, viu que um pedaço do teto estava descendo em direção a ele, ele rolou para o lado, tendo cuidado com suas frágeis asas, e evitou de ser esmagado, mas por pouco. Juliet conversava com K-Vorka à respeito de seu teste, e descobriu que ele havia soltado três Soarers [espíritos dos ventos que tomam a forma de sapos] por um complexo de salas, e Juliet deveria encontrar e capturar os três antes de seu período de meia-hora acabar, ele então acionou o relógio da sala, sinalizando o começo da tarefa, Juliet já havia entrado pela porta que a esperava em um dos lados da sala, e viu-se num pequeno corredor com apenas duas armaduras, e ouviu um baixo coaxar vindo de uma delas.

Kain estava novamente na floresta onde estava treinando com Griffon, e mesmo com tanto tempo de treino, ele não tinha conseguido encontrar o professor, já estava cansado do cenário, e então lançou um Globo Spinner, uma versão mais forte do Globo Destrutivo, e criou uma cratera no chão, e então ouviu a voz do professor dizendo, - Você nunca vai me encontrar se ficar destruindo lugares aleatórios desse jeito, e por mais que sua audição fosse aguçada, o Wendigo não conseguia determinar de onde vinha a voz do Professor. Gary desta vez estava dentro do Holandês Voador, quando notou que uma densa neblina cobria a paisagem e todo o deck do navio, ele então viu dois olhos amarelos brilhando ao meio da confusão, e sentiu um fraco arranhão em seu peito, e através da Neblina saiu a figura de Ran Mao Scarlet, que declarou que ele não sairia dali até usar a neblina em sua vantagem.

Brenda tentava se desviar de vários espinhos pontiagudos que voavam em sua direção no meio de uma pista de obstáculos, volta e meia, raízes tentavam prender suas pernas, e vinhas se extendiam até sua localização, enquanto Samantha estava parada em um dos cantos da ampla sala, usando sua magia Masquerade, para criar todo o terreno, não seria fácil cumprir seu objetivo, de encostar na professora, se ela não conseguisse nem sair da área com os espinhos. Luke e Sophie estavam mais uma vez duelando na caverna molhada que ficava nas ruínas ravenosas, a Vice-Diretora, assim como todos os outros, não estavam usando sua força total, porém, Sophie parecia estar usando ainda menos, pois ainda mantinha-se na forma humana, ao ser indagada do motivo, a Harpia respondeu - Luke seu bobinho, sabe que sou parte do conselho das espadas, não posso usar minha forma de monstro fora de situações especiais, o fantasma lhe perguntou se essa não era uma, e ela respondeu que definitivamente era, porém, ela queria se igualar ao nível do garoto, para terem um verdadeiro duelo, e assim, o ttreinamento de todos começou.


Próximo Capítulo vem ainda hoje


Última edição por Jack Jerripher em Sab Dez 31, 2011 3:44 pm, editado 3 vez(es)
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 20: As Terríveis Provas Finais - Parte 2

Mensagem  Jack Jerripher em Sab Dez 31, 2011 2:57 pm

Carmela já havia tentado diversas táticas, como fazer propulsão com Pulsos das Trevas, ou se balançar nas baínhas das facas, mas nenhuma era o bastante, ela até poderia correr por elas, mas com o abismo na sala, era uma idéia imensamente insensata, muito arriscada, mas foi aí que ela percebeu, em uma luta entre a vida e a morte, não havia ''muito arriscado'', tinha que se agarrar a qualquer chance, e então olhou para a A.Del com confiança nos olhos, e então pulou para cima da primeira faca, não gastou um segundo para pular para a outra, ela quase escorregou na terceira, mas deu um poderoso soco na parede, caíndo já na primeira das facas dispostas em linha na horizontal, e pulou logo quando a faca começava a cair, ela então correu de uma para outra, devido a proximidade delas, e então se segurou na parede enquanto as facas sobre as quais ela havia andado caíam no abismo, ela então escalou a parede, e se viu em uma espécie de arena fechada, e em um dos lados viu sua adversária, era... Blair, - Mas, você... não pode ser a Blair verdadeira! Exclamou Carmela em choque, mas então a bruxa falou, com uma voz originada da própria escuridão, - Estamos sozinhas aqui Sherridan... não precisa mentir, você nunca me perdoou, ela criou uma garnde agulha feita de gelo, e a lançou contra Carmela, mas a garota apenas se virou e chutou a agulha, a estilhaçando, reparou que havia tido cortes na coxa, mas não sabia como, e tentou argumentar - Não... é que... você nunca se explicou... mas isso só fez a garota rir loucamente, - Você sempre se perguntou como os outros me perdoaram tão rápido, nunca teve alguém assim em sua vida, não é? Riu a cópia, - Não tente me dizer como me sinto e o que penso, e não aja como se fosse Blair Liddel! Irritou-se a Vampira, porém, a cópia apenas riu maníacamente, - Querida... nem mesmo a Blair que vocês conhecem é Blair Liddel, e então ela lançou uma barragem de raios, mas a Vampira usou as paredes da arena para desviar, mas reparou que tinha ainda mais cortes nas pernas, e foi aí que percebu uma pequena sombra, com aparência demoníaca, ela estava cortando as pernas da garota a cada passo que ela dava, e então a raiva de Carmela havia aumentado, mas ela percebeu que não podia ser dominada por emoções, e então estendeu uma das mãos, usando sua técnica Blutsauger todo o sangue que estava pela arena se solidificou, tornando-se espinhos, eles se lançaram à falsa Blair, a estilhaçando, e então a sombra desapareceu, revelando um mero boneco Doppelganger de Blair, e então Carmela declarou: - Tem razão, eu não lhe perdooei, ainda estou esperando seu pedido de desculpas... amiga.

James desviava das espadas que tentavam cortar-lhe, e lançava chutes que quebravam pedaços da estátua que o atacava, mas então ele se lembrou do que DyyDean havia lhe dito, ele deveria derrubar as estátuas no poço, e então, usando Magia de Vento ele desarmou a estátua de uma de suas cimitarras, e a lançou em seu peito, fazendo-a tombar o corrimão e se estabacar na água embaixo, ele emitiu pulsos de Magia das Trevas tentando fazer a escada quebrar, mas ela não cedeu, e logo ele viu duas estátuas de pequenos ladrões armados de facas correndo em sua direção, e teve uma idéia, usou a Hipnóse para que as estátuas atacassem uma a outra, e confirmando que sua tática funcionara, ele correu para o lado das duas e deu um empurrão em uma, que caiu sobre a outras, as derrubando, mas James então foi atingido por um soco na barriga, e ao se virar, viu a estátua de uma gárgula, ela deveria estar no alto da escadaria, pois o rapaz não a havia visto, e então defendeu-se dos socos da criatura, e a quebrou no meio com o Raio dos Sonhos, jogou então os dois pedaços da coisa no poço, ele verificou que só faltava a comprida estátua de uma centopéia, que andava em sua direção, ele pulou sobre ela, tomando cuidado para desviar de seus ferrões na cauda, mas não contava com algo, esses ferrões se mexiam, e foi atingido por um nas costas, ele tombou para os últimos degraus, e quando a criatura se aproximava dele, ele lançou Magia de Vento e a fez dar uma cambalhota no ar, a derrubando no poço, com a tarefa cumprida, DyyDean lhe deu o antídoto, e o colocou sentado em sua ‘’Maca-Robô’’ que o levou para a enfermaria.

Jonah ofegava profusamente, nem mesmo o chão da sala ficava igual, às vezes se alongava, o empurrando para o alto, e na pior das situações, desparecia por completo, o gaoto estava pulando o pedaço de teto que havia caído no chão, desceu as escadas que haviam se formado na parede esquerda, e aumentou a velocida, porém, o teto à sua frente se extendeu até o chão, na mesma hora que o chão atrás dele se extendeu até o teto, a única saída estava próxima ao topo da sala, se transformando em Grifo, Jonah bateu suas asas cor de creme até o topo, porém, um pedaço da nova formada parede atrás dele se esticou, detendo o espaço do vôo, mas o garoto já esperava isso, e se transformou de volta à forma humana, chutou então a parede, e foi se elevando ao repetir o processo de chutar uma parede, cair um pouco, e chutar a outra, e logo passou pelo buraco quadrado que era sua única saída, mas surpreendeu-se ao ver que o tapete vermelho do chão havia ganhado uma face e escarancava sua boca em sua direção, Jonah usou suas Plumas Flecha, mas além de furá-lo um pouco, não fizeram muito estrago, Jonah tinha que pensar rápido, estava quase caíndo na boca do monstro, ele então se ligou, e lançou uma rajada de brasas com a Magia de Fogo, elas acertaram as plumas, que ajudaram a espalhar o fogo mais rapidamente, queimando por completo a criatura, e logo a taça de vidro estava a vista em cima de um balcão, Jonah a pegou com calma, vendo que a sala tinha parado de mudar, porém, assim que pegou ela... – Eu devia ter previsto isso, notou ele quando viu que todas as paredes em sua volta haviam começado a se extender em sua direção, ele então transformou-se, e agarrou a taça em seu bico de águia, e saiu voando, mas todas as paredes à vista ainda se fechavam perto dele, mas um surto de idéia o ocorreu, e ele encantou suas asas com rajadas de Magia de Vento para trás, que o impulsionaram até BiBuzz, que o parabenizou, e quando foi pegar a taça, o atrapalhado garoto a derrubou, - Não me diga que vou ter que pegá-la denovo! Mas BiBuzz lhe tranquilizou que não precisaria.

Juliet estava abaixada, próxima à uma das armaduras, pois conseguia ouvir o coaxar do primeiro Soarer embaixo dela, não sabia exatamente de onde, mas não vinha de dentro, ela então usou suas Espinhas Perseguidoras, que criaram ossos compridos, que cavaram o chão abaixo da Necromante, em formato de círculo, ela então via que havia uma passagem, e seguiu pela porta ao lado da armadura, e a encontrou, uma escada quase imperceptível, e no final dela, viu a pequena rã de cor azul-elétrico, ela então usou suas Prisão de Ossos: Gamuza, e a prendeu em um pequeno cubo de ossos, e a guardou em seu bolso, ela então continuou a percorrer o corredor escuro, vendo que havia uma corda suspensa que a levava para uma sala elevada, ela a agarrou, e usando sua força, conseguia chegar ao topo, recuperando seu fôlego, ela se viu em uma sala repleta de tubulações, e ouviu algo que continuava a se bater contra um dos canos, ela então criou uma espada feita de ossos, e cortou o cano, revelando a segunda rã, desta vez de cor verde-escuro, que teve o mesmo destino da primeira, Juliet podia ouvir um coaxar, muito mais alto que o das outras, e, já sabendo o que a esperava, percorreu o único caminho possível, chegando a uma plataforma de metal sustentada com grossas correntes de aço, ela então viu o que estava no meio, uma Soarer de tamanho umas vinte vezes maiores do que as outras, era claro que ela não deveria se aproximar dela, então teve uma brilhante idéia, e rapidamente criou uma Construção Esqueletal, de uma grande mosca, e a deu vida, fazendo-a voar em direção à enorme rã, que pulou atrás dela como um gato perseguindo um rato, e assim que ela se aproximou de Juliet a garota usou a versão mais perfeita de prisão que ela havia projetado, Prisão de Ossos: Hedgehog/i], que criava um jaula retangular, e de dentro dela, espetos de ossos furavam a vítima, a prendendo enquanto as paredes se fechavam, e então, K-Vorka apareceu atrás da garota, ainda com a fisionomia séria, mas batendo palmas.

Kain agora estava no meio de uma clareira, tentava, com os olhos fechados, ouvir, ou até sentir a localização do professor, mas mesmo que tentasse se concentrar e se comunicar com as plantas, não conseguia deles uma resposta clara, e então refletiu sobre as palavras do professor, ele geralmente não era muito bom em fazer isso, mas talvez, se ele esforçasse-se um pouco mais... E logo ele entendeu, o professor havia lhe dito que não ganharia nada se destruísse lugares aleatórios... ‘’Lugares Aleatórios’’, então, lógicamente, haviam lugares que não eram aleatórios a serem destruídos, - Às vezes eu surpreendo a mim mesmo com minha inteligência! Declarou o garoto em voz alta, e então correu para o centro da floresta, e após localizá-la, viu uma grande árvore, mais velha do que as outras, e entendeu, a floresta, tudo ali, era Griffon, e então concentrou sua força no braço direito, usando o [i]Martelo Ursae Majoris
, ele bateu o braço de urso coberto de energia no chão, e uma corrente destrutiva arrasou a árvore, causando o professor a saltar para fora dela, congratulando o garoto, e o dizendo que ninguém o havia encontrado usando a lógica, mesmo com as pistas, e então os transportou de volta para o calabouço.

Gary continuava tentando se achar na neblina, mas só achou a maçaneta que levava aos outros níveis do Holandês, mas levou um choque ao tocá-la, ‘’era proibido sair do deck’’ soube ele, e de qualquer maneira que pensasse, estava em desvantagem, sua inimiga podia enxergá-lo, farejá-lo, e se esgueirar mais rápido e mais silenciosamente do que ele, como iria ele, um Kelpie, usar a neblina par sua vantagem? Ele então teve uma idéia, e transformou-se, tentou lançar uma ilusão em si mesmo, para não ver a neblina, mas não funcionou, ele então, casco ante casco, se arrastou por volta do mastro, e tentou usar Magia da Águapara sugar a neblina de volta, ficou feliz ao ver que conseguia, mas logo percebeu que ela voltava a regenerar-se, e ao se irritar, ele havia relinchado, alertando Ran Mao de sua presença, e não demorou até ele sentir dois rápidos arranhões na lateral de seu corpo, ele então lançou uma Explosão Fluvial contra seu alvo, mas ela deu um salto mortal com grande agilidade, se esquivando do círculo giratório de água, e então o avisou, - Epa Cavalinho, se acalme, mesmo se me derrotar, não vai passar desse jeito, se lembre, você tem que usar a neblina para sua vantagem para vencer o desafio, ela então voltou a esconder-se na neblina, e ele percebeu, que não era como ele esperava, e, trotando cuidadosamente até o leme, tinha pensado em um plano, relinchou com todas as suas forças, sentiu novamente os arranhões, proveninetes das Lâminas Duplas, da professora, mas ele estava pronto, voltou à sua forma humana, e agarrou-a quando ela ainda estava próxima à ele, e então usou a nova técnica pela primeira vez, Dança da Água: Tango Nebuloso, e usou parte da neblina, a fazendo condensar-se e se jogar como em um estilingue na direção da professora, ela não pôde desviar, mas não sofreu muitos danos, e então encerrou o treino, anunciando a vitória de seu estudante.

A cada minuto que passava, Samantha criava mais plantas, que barravam o avanço de Brenda, mas ela continuava a desviar-se e arranhar elas; Havia cortado uma grossa raiz que tentava prendê-la, - Isso está me lembrando a luta contra Charlotte, comentou ela, e decidiu usar seu Projétil da Lua Crescente, que decepou meia dúzia das árvores ao alcanço da garota, ‘’que bom que bebi a poção contra a Onda da Lua, se não estaria lutando drogada’’, pensou ela, mas esse momento de distração foi o bastante para ela ser pega pelas vinha de uma planta carnívora, que agora a descia para sua boca escarrancada, com apenas uma das mãos livres, a garota pegou um de seus revólveres, e disparou três tiros dentro da boca da planta, matando-a, e fazendo ela soltá-la, mas ela teve que se contornar no ar, para que não caísse em um caminho cheio de espinhos, e enquanto evitava os galhos de árvores que se mexiam, conseguiu ver Samantha, e rasgou caminho através da mata criada por ela, e assim que chegou perto da Ninfa, achou que a luta estava ganha, mas a Srta. Kindersley apenas sorriu, e com um aceno de ‘’tchau’’, criou um grande toco de árvore abaixo de seus pés, e o fez crescer, atingindo quase o teto, Brenda não perdeu tempo em escalá-lo, cortando galhos em seu caminho com Garras de Lobo, mas vinhas e flores também barravam seu caminho, graças a uma flor cortante, a casca que a Lobisomem utilizava para subir se rompeu, e ela caiu, mas agarrou-se na árvore novamente, percebendo o que podia fazer, esperou parada até o último instante, e a flor cortante estava prestes a atingí-la, mas ela então pulou, fazendo–a cortar todo o tronco da árvore, e Samantha então caiu de lá, sendo protegida por uma grande folha de bananeira, Brenda encostou no braço de Samantha, e a Professora parabenizou a garota por seu rápido raciocínio.

Sophie havia solto uma rajada de trovões no chão molhado da caverna, mas Luke, rápido como uma bala, usou seu melhorado Gancho Ectoplasma[i], que agora podia mudar livremente entre agarrar e socar, para se fixar à parede, e acionou [i]Magia da Água, juntando toda água, ainda eletrificada, do local, e a jogou na Srta. Merryweather, mas diferente do que ele previa, a Vice-Diretora saiu da água sem nem molhar-se, enquanto estava distraído por esta impossibilidade, Sophie pisou fortemente no chão, causando uma corrente elétrica subir pela parede onde Luke estava, o dando um choque, ele se ajeitou pouco antes de cair no chão, e começou a preparar a Lança Ofuscante: Re, mas Sophie simplesmente criou grandes cobras, feitas de água, e elas barraram o avanço do fantasma, - A sua lança de nada adiantará se não conseguir chegar perto do inimigo, disse ela friamente, as grandes cobras então viraram-se para Luke, e deram seus botes, lançando-o contra a parede, Sophie o havia dito sobre essa poderosa técnica das cobras, Πανταχού παρούσα Νερό: Επτά επικεφαλής φίδι , Luke constatou que ela dava jús a seu nome, que significava: Água Onipresente: Cobra de Sete Cabeças, em grego, mas não teve muito tempo de pensar nisso, as criaturas novamente o encaravam, vindo em sua direção, ele então tentou uma nova tática em que havia pensado, usando seu Disco Espectral, ele o segurou em sua frente, como se segurasse um escudo, e já que ele crescia a cada segundo, e intensificava a sua rotação, deveria acabar sendo capaz de cortar as cobras de Sophie, e então ele o jogaria em sua direção, assim que as cobras atingiram seu disco, ele pensou que o plano dele daria certo, mas a Harpia começou a falar, - Luke, você sabe por que esta técnica tem ‘’onipresente’’ no nome?

E com a pergunta, Luke notou seu erro, uma das cobras havia aparecido atrás dele, e o acertou em cheio nas costas, cancelando seu escudo, e o deixando aberto para os ataques das outras seis, que o fizeram cair com um baque no chão da caverna. O garoto conseguiu se levantar, tinha caído por sorte em uma área mais macia, e notou com raiva que a Vice-Diretora nem ao menos havia se movido de lugar desde que a luta havia começado, ele então desencadeou sua Vibração Calafrio, que lançou várias ondas de poder fantasmagóorico através do chão rapidamente, e desta vez Sophie teve que se desviar delas, cancelando sua técnica, - Bom trabalho Truesdale, achei que não ia conseguir, mas tome isso! Luke ficara feliz ao perceber que ela só poderia utilizar as cobras de água se estivesse parada, mas teve logo que desviar das rajadas de vento que vinham em sua direção, e ele teve uma grande idéia, e se jogou em uma das correntes, surpreendendo Sophie, ele então fez a corrente mudar seu curso, com sua própria Magia de Vento, e carregou a Lança Ofuscante: Re dentro dela, fazendo uma forte propulsão contra a Vice-Diretora, e junto com o poder de rotação, maximizariam o poder da técnica, mas Sophie não tinha pena, usou sua técnica-assinatura, Αφής του Δία, ambos os golpes colidiram, causando fumaça a preencher a caverna, Sophie levava Luke, desmaiado, com sua [i]Magia de Vento
, e atravessaram o portão, voltando ao calabouço, ela se encontrou com os outros treinadores, que levaram todos os treinados para a Ala do Hospital, a Harpia não sentia nada se não orgulho, todos os oito haviam completado seus treinamentos com sucesso, estavam prontos.[/b]


Traduções:
Spoiler:

Blutsauger, alemão para, Beber Sangue
Gamuza, latim para, Cervicapra
Hedgehog, inglês para, Ouriço
Ursae Majoris, latim para, Ursa Maior [Constelação]
Πανταχού παρούσα Νερό: Επτά επικεφαλής φίδι , grego para, Água Onipresente: Cobra de Sete Cabeças
Αφής του Δία, grego para, Toque de Zeus

Próximo Capítulo: 01/01/2012

Big Post is Big.


Última edição por Jack Jerripher em Sab Jan 07, 2012 10:03 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 21: Algo Perverso Por Este Caminho Vem.

Mensagem  Jack Jerripher em Dom Jan 01, 2012 10:23 pm

Luke acordou após um refrescante descanso, demorou um pouco a perceber que estava na enfermaria, e reparou que ouvia risadinhas abafadas, ele olhou em volta da grande sala de mármore branco, verificando que seus sete amigos estavam lá, todos estavam sentados em cadeiras que os davam uma visão direta para ele, o garoto os cumprimentou, perguntando qual era a fonte de tanta risada, Juliet o respondeu que era seu sorriso induzido por medicamentos, o dava a aparência de um velhinho que ria enquanto dormia, Luke riu dessa comparação, ''Deve ser efeito do medicamento, ou eu não estaria rindo'', pensou ele, - Mas e aí, todos passamos? O Fantasma indagou, quase conseguindo fazer um olhar de preocupação, - Não cara, sinto muito, mas você vai ficar atrás desta vez... Disse Kain; Agora a cara de preocupação de Luke foi atingida, mas a cara de ''pegadinha do boboca'' de seu amigo o avisou, Kain nunca tinha visto Luke tão bravo.

O grupo pensou que ia perder o almoço, mas foi surpreendido por Hildegarde, a bela fênix de cabelos loiros esvoaçantes entrou no aposento, trazia consigo um grande carrinho, que tinha várias bandejas de comida, - Olá dorminhocos!, acharam que iam ficar sem comida? Disse ela em tom brincalhão, - Mas, como você sabia que estávamos aqui?, fomos trazidos a uma atrás. Constatou Brenda, - Bom, algumas coisas são melhores se não explicadas, respondeu Hilda, - E como você trouxe esse carrinho do térreo para o oitavo andar? Perguntou James, confuso, - Algumas coisas são melhores não explicadas, já disse! Retorquiu ela, - Hilda... Hilda... já não lhe disse para não brigar com os pacientes? A voz era de Cattleya, a refinada enfermeira da Academia, ela tinha cabelos negros curtos e vestia um uniforme completo de enfermeira, até o chapeuzinho embrazonado com o símbolo da Grave, uma sepultura cinza-clara com uma espada desenhada, era realmente raro vê-la usando tal roupa, Kain e James tiveram que se controlar para não pronunciarem-se sonóramente em relação à ''felicidade'' que sentiam sobre a roupa da Futakuchi-Oona, - Me-me-Mestra Valliére! Não sabia que estava aqui! Declarou Hildegarde envergonhada, enquanto se curvava respeituosamente, - Nem nós!! Disseram Juliet, Carmela e Luke em unissom, - Oh, relaxem todos, e vamos comer antes que esfrie! Disse a Srta. Valliére.

A comida estava maravilhosa, tortas salgadas de variadas localidades e bebidas como refrigerantes e chás, os estudantes trocaram alegres e divertidas conversas com a enfermeira e sua parceira, terminando ao notar que eles realmente os ''Clientes mais acíduos'' da enfermaria, após tantos treinos, era incrível como a magia Giga There ainda conseguia curá-los, ficaram um pouco surpresos por Hilda e Cattleya estarem à par dos eventos envolvendo Blair, mas tinham a mesma opinião que eles, mas a conversa toda foi interrompida pela chegada inesperada de um colega, Flint Fairwood os encarava com uma expressão de tristeza reprimida, seus colegas já sabiam o porquê, ele havia sido praticamente excluido da história, Juliet estava já se levantando para falar com ele, mas o garoto a disse que não precisava se desculpar ou explicar, pois o Diretor já havia feito isso, Flint era um garoto baixinho e franzino, usava seu cabelo castanho em um estilo escovado para o lado e mantido com gel, - Eu deveria saber que estava me enganando a me juntar a vocês, eu não tenho a determinação ou... Mas sua fala foi interrompida por Juliet, que lhe deu um beijo na bochecha, fazendo-o corar profusamente, - Você não pode estar falando sério Flint, todos podem fazer a sua própria parte, independendo de sua força, para mim foi assim quando assumi o grêmio, fui uma das primeiras a chegar ao castelo, e mesmo como aluna nova, conheci o pessoal do grêmio, e gradualmente, foram me conhecendo e quando vi... Disse ela, Flint parecia estar muito melhor, e até acompanhou-os até o jardim, onde planejaram ficar até a festa.

Margarete apareceu à frente da classe, e chamou Kalifa - que tinha sido encontrada um pouco antes da excursão de meio-termo - ela então sussurou algo em seu ouvido, e tornou a desaparecer, Kalifa então anunciou o fim das provas, os estudantes, mentalmente exaustos, tiveram variadas reações, como rezar, chorar, ou até começar a dançar alegremente, em alguns casos, mas então tinham outra preocupação em mente, se arrumarem para a festa de final de ano, deveriam ir ao hall das refeições primeiro, para depois rumarem como um conjunto para o mundialmente famoso, ''Salão do Leão de Inverno'', um grande e bonito salão de festas onde as maiores e melhores festas da Academia aconteciam; Ao chegarem ao hall das refeições, os alunos, inclusive Luke e amigos, se impressionaram pela mudança, a arrumação irregular não estava mais presente, agora, a mesa dos Professores ficava de frente para todo salão na parede norte, e as mesas longas dos estudantes estavam dispostas mais perto da mesa dos professores, e ao invés de simplesmente aparecer, a comida hoje estava à disposição, posta em mesinhas perto da entrada, os mais afobados já pegavam pratos e talheres e iam se servir.

Luke vestia um bonito terno preto, com uma gravata vermelha com pequenas listras brancas e sapatos marrons, seu cabelo loiro-claro estava ajeitado em um pequeno topete, Kain demonstrava um visual mais recente, com as mangas de seu terno azul-cinzento arregaçadas, e uma colorida gravata lilás, deixando seu cabelo rebelde, Gary estava usando um estilo mais tradicional de terno azul abotoado e com uma flor em um dos bolsos superiores, usava um minúsculo chapéu de festa, James e Jonah haviam combinado um estilo, usavam respectivamente ternos metade-brancos e metade negros, com as posições das cores trocadas, os vestidos das garotas estavam muito bonitos, Carmela mostrava um curto vestido negro de pedrinhas costuradas, com inspirações góticas, Brenda usava um tomara-que-cáia de cor azul-celeste, pois sabia que a cor combinava muito com ela, Juliet havia experimentado um novo visual, meio moleca, com uma gola decididamente masculina, e um terno de cavalgada que exibia muito bem seu corpo curváceo e botas com um não muito grande salto agulha, ela usava seu longo cabelo negro ondulado em um rabo de cavalo, e estava provocando suspiros em muita gente desde que entrara no recinto, estavam tendo um grande tempo, conversando e conhecendo gente nova, Jack já havia encerrado o comovente discurso de término de ano, ele trajava uma versão mais trabalhada de seu terno branco, com uma gravata-borboleta de cor vermelha e uma cartola ta,bém de cor branca e com uma listra negra a percorrendo, a usava diagonalmente, mostrando seu cabelo loiro-sujo em um visual um pouco andrógino, todos os professores usavam roupas de alta costura, deviam ter combinado de vestí-los desde o começo do ano, mas todos no recinto foram surpreendidos por um repentino rebombeio.

As grandes portas de ébano do hall das refeições haviam sido jogadas para o alto, por sorte, estudantes que estavam no caminho delas foram rápidos o bastante para transformarem-se em suas formas originais e derrubarem as portas no chão, todos já estavam de pé, e encaravam o sexteto que estava sobre o arco de entrada que ficara sem as portas, quatro garotas, incluindo Blair Liddel, que todos acahavam estar em intercâmbio, e um rapaz gordinho e careca, eram liderados por um homem alto e de cabelos negros arranjados em um topete, todos já se pergunatvam o que estava acontecendo, o homem que os liderava havia levantado sua mão, porém, os professores haviam se postado à frente dos alunos, com os braços abertos, criando uma barreira, - Tolos! O que esperam fazer com seis pessoas? Indagou Sophie, irritada, - Seis? Hum... isso pode ser remediado, o homem disse, ele então estalou os dedos, e as janelas de ambos os lados foram quebradas, uma grande horda de Kalghiris, Monstros Ferais e Caçadores renegados haviam entrado, os estudantes agora se reuniam em um apertado círculo, protegendo-se, contra os recém-chegados, a confusão era clara, mas o homem recomeçou a falar, - Relaxem... só queremos os seguintes estudantes: Luke Truesdale, Kain Winchester, Gary Crawford e Brenda Thompson... por hora, o que me dizem? Uma troca? Se não quiserem agora, nos encontrem no saguão para uma conversa! O salão ficou mudo, olhares se voltaram para os quatro, ninguém ousou responder nada, os professores continuaram encarando os ''penetras'', não podendo arriscar movimentos bruscos, até que um barulho de uma mesa se arrastando foi ouvida, todos os olhos naquele momento se voltaram a uma pessoa, que havia subido em uma mesa, para ênfase... - O Código de Honra da Academia é fortemente contra trair seus amigos! Gritou Flint Fairwood no limite de sua voz, suas palavras destemidas foram o catalisador, - É GUERRA! Juliet, que havia se reunido a Flint, declarou, os Kalghiris, Monstros Ferais e Renegados pularam sobre o círculo de alunos, porém, uma luz de cor verde-claro ofuscou a visão de todos.


Próximo Capítulo: 05/01

Momento de Terror, Número 7: A cada três capítulos, uma historinha, como uma lenda urbana, será publicada no final, geralmente contada por um personagem da história.

Fio da Aranha

Em um Círculo de pessoas sentadas no chão, incluindo os personagens até agora introduzidos, foram acendidas várias Velas, e então Luke disse que esta era a vez de DyyDean de contar a história, o carismático caçador então se posicionou direito, apagou a vela a sua frente, e começou:

Dyy: ''Esse é um conto passado entre tradições Budistas, mas sua adaptação varia. Em um dia particularmente belo, O Buddha Shakyamuni estava pensando e andando pelo paraíso, parou em um bonito laguinho coberto de lótus, através das águas-cristalinas, o Buddha podia ver as profundezas do inferno, seus olhos se destacaram em um dos pecadores que lá estavam, ele atendia pelo nome de Kandata. Kandata era um criminoso cruel, mas ele tinha uma boa ação em seu nome, um dia, enquanto caminhava por uma floresta, e parou seu pé, justo quando estava prestes a pisar em uma aranha, decidindo não matá-la, movido por este único ato de compaixão, o Buddha pediu emprestado o fio de uma aranha que perto do laguinho construía sua teia, e o desceu até o inferno. Lá embaixo, em meio às massas já disformes de corpos em um oceano de sangue, coberto pela escuridão, exceto por uma breve luz saída de uma montanha de espinhos, Kandata, totalmente por acaso, decidiu olhar para cima, e lá viu a linha, e podia agora ver o paraíso no outro final do fio, e com as forças que juntara nos anos de pilhagem, ele segurou no fio, e começou a escalada, e era uma distância extremamente longa, causando-o a ficar cansado, Kandata olhou para baixo, vendo o quão longe tinha ido, decidiu subir até o final mais do que nunca, porém, via que algumas das massas disformes que já haviam sido corpos humanos começavam a se agarrar no fio, subindo com assustadora rapidez, o criminoso subiu mais rápido, e, temendo que o fio se arrebentasse pelo peso, gritou: - Se afastem! Esse fio abençoado é só meu, para minha salvação! Mas foi nessa hora que o fio se rompeu, e ele, juntamente com os outros deformados pecadores, foram derrubados de volta às profundezas do oceano de sangue, Shakyamuni resfolegou com um ar triste, no final, Kandata não havia se preocupado em ajudar a salvar mais almas, querendo só a própria salavação... decepcionado, o Buddha continuava com seus pensamentos...
Spoiler:

Dyy: - Que chance desperdiçada não é? Talvez você queira manter isso em mente para uma oferta futura.''



AVISO: Alguns podem ter reparado que a pesquisa de popularidade não foi postada, isso foi porque decidi que, de agora em diante, faria duas, em ambas as metades dos livros.
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 22: Ambições são Reveladas! Começam os Jogos da Morte!

Mensagem  Jack Jerripher em Qui Jan 05, 2012 7:22 pm

- Então essa é a técnica da qual eu ouvi tanto falar!! Exclamou Griffon, maravilhado, - Sim, Sebe de Proteção: Nirvana, a técnica mais poderosa de defesa, desenvolvida pela nossa Samantha! Explicou Aaron entusiasmado. Os estudantes estavam todos boquiabertos, uma elaborada selva os havia envolvido, cobrindo cada milímetro do círculo que haviam formado para se protegerem, e em sua frente, Samantha tinha coberto seu próprio corpo com vinhas e estava parada, de olhos fechados, em uma posição parecida com uma prece, segurava um orbe verde e brilhante. A cada segundo, mais e mais plantas apareciam cobrindo a grande orbe de proteção; Do lado de fora, os seis caçadores já haviam deixado o hall das refeições, indo esperar a decisão de Luke e os outros no saguão, enquanto isso, um dos caçadores dizia que essa barreira não ia ser difícil de cruzar, mas ao se aproximar, foi cortado ao meio por uma planta que sacodia suas pontas afiadas, era uma planta Lâmina-de-Touro, isso tornou-se um sinal de alerta para os caçadores renegados e para os Kalghiris, mas volta e meia, um monstro feral ou outro se jogava no meio das plantas, mas era instantaneamente morto. - Perfeito! Já vencemos! Declarou Griffon, - Muito pelo contrário Sr. Rayzor... Constatou Sophie, - Ainda temos que cuidar de nosso castelo, e tem muitos inimigos aqui... proponho que nos dividamos. - Nós Professores e Trabalhadores iremos cuidar da armada que está fora do castelo, Afirmou Margarete confiante, - Sophie e eu deveremos levar os Kalghiris para outro lugar, podem ser os únicos capazes de atravessar a sebe, disse Jack, Sophie concordou, - Que tal a área do bazar Jack? Já está desocupada... - Perfeito Srta. Merryweather! Os dois então desapareceram rapidamente, os Kalghiris que estavam no hall das refeições os seguiram por algum motivo, muitos deles saíam de buracos nas paredes do castelo ou de janelas, e seguiam atrás do Diretor e da Vice, enquanto torciam seus pescoços e mexiam seu corpo de sombra, os professores e os contratados do castelo pularam a janela do hall das refeições, assustando a todos os monstros ferais, caçadores renegados, e Kalghiris que lá nos campos estavam, - Céus... Como conseguiram tantos?! Surpreendeu-se Ran Mao, - É verdade... acho que nunca vi tantos em um só lugar... Afirmou Grigori Chernekov, o tesoureiro, O grupo de professores encarava um verdadeiro exército, - Como passaram pelas proteções do castelo? Indagou Lorelei Parvour, - Não faço idéia... mas isso não importa agora! Gritou Margarerete enquanto usava sua magia Fuschia, que soltava raios de energia de cor lilás, que destruíam linhas de inimigos. De repente, os monstros ferais que tentavam passar por Nirvana se deteram, e começaram a cheirar o ar, saíram então galopando e correndo em suas quatro patas para os jardins, - Parece que nossas iscas funcionaram, parabéns Dyy! Constatou A.Del, juntamente com seus subordinados, que esperavam pelos ferais nos jardins, - Bom... Temos trabalho a fazer! Expressou K-Vorka, enquanto pegavam suas armas.




Dentro de Nirvana, Luke e seus amigos discutiam, e resolveram que deveriam dar um jeito de sair, pois as plantas não pareciam ter a intenção de machucar os alunos, e eles preferiam encarar os caçadores à deixarem pessoas se ferirem, porém, foram surpreendidos por uma voz, era a de Samantha, embora não viesse do corpo da Ninfa, era como se estivesse sendo transmitida pelas flores, - NÃO! Absolutamente vocês não podem sair! O mundo não pode perdê-los! Exclamou a voz, - Mas se não fizermos nada, vai ser pior! Gritou Kain, a voz não respondeu, - E se esse for o começo da tragédia da qual temos que salvar o mundo?? Perguntou Brenda, mas a voz de Samantha não voltou. Agora mais do que nunca, os caçadores renegados, sendo os únicos que estavam no recinto, tentavam usar suas armas e habilidades para abrir um espaço na, constantemente em crescimento, barreira de plantas, um grupo deles parecia ter conseguido, ao jogarem isqueiros nas plantas de um lado, porém, uma das flores, uma pequena parecida com um girassol, sugou todo o fogo, lançando uma garnde baforada de volta, a qual os caçadores quase não conseguiram desviar. Dentro da sebe, a confusão era grande, alguns alunos choravam enquanto outros corriam de um lado à outro da floresta, que era maior do que parecia por dentro, - Temos que encontar Carmela e os outros! Exclamou Luke, o grupo concordou, mas não precisaram, pois a trindade logo os chamou de trás de uma macieira, - Vão!, sentimos muito, mas os caçadores só querem vocês quatro, Disse Juliet, séria, - Nós ficaremos aqui e ajudaremos a Srta. Kindersley, fquem tranquilos, Disse Jonah, - Ah, e dêem uma lição naqueles otários por nós! Pediu James brincalhão, - Mas... como podemos sair daqui? Sussurrou Brenda, com receio de que Samantha os ouvisse de alguma maneira, - Não se preocupem... Olhem, Disse Juliet apontando para Carmela, que parecia enviar uma onda ultrassônica de um de seus morcegos de energia, ela então se virou para eles, e começou a explicar, - Aquela flor ali, disse ela apontando para uma grande e linda Flor de Lótus que marcava a parte de trás da sebe, ela é a saída, mas só se saí pelo lado de dentro, disse ela com um breve sorriso, o quarteto então deu uma despedida rápida, e saíram sem gastar tempo.




Na Área do bazar, terceiro andar, Jack e Sophie estavam de costas um para o outro enquanto suas centenas de inimigos chegavam, pela porta, pelas janelas e pelos outros andares, o castelo inteiro estava sobre ataque, a situação estava pior do que dava a parecer, - Aqui Sophie, sua espada! Disse Jack enquanto convocava uma bela espada, no estilo Montante, com a baínha cravejada de diamantes, e a entragava par Sophie, - Ah, Oi Abalone, quanto tempo! Disse ela enquanto a empunhava, lembrando-se de seu peso e graça, ela a usou rapidamente para decapitar duas criaturas à sua esquerda com um corte horizontal, - Obrigada Jack, olhe, sua esquerda! Jack então convocou uma grande foice e cortou a criatura lagartina pela barriga, - Obrigado você, disse ele sorrindo, ambos nem precisavam usar suas técnicas, suas habilidades de combate naturais já cobriam a parte, porém, seus inimigos não paravam de vir, saíam pela grande janela circular que uma vez tinha uma bela vidraça de vidro manchado, Sophie tentou desenhar um selo para essa janela, mas ele quebrou-se logo, - Jack, porquê o Selo de Gen-Bu não se afixou? Perguntou ela curiosa, - Bom, Suponho que pelo mesmo motivo que o selo de Bai-Hu os deixou entrar no castelo, respondeu ele, - Ah... entendo, a Srta. Liddel não é? Jack apenas confirmou com a cabeça enquanto perfurava um grupo com uma lança.




Nos jardins, K-Vorka prendia um zumbi nas paredes com as facas que jogava, enquanto BiBuzz eliminava uma matilha de Lobisomens com suas luvas de aço, A.Del cuidava dos ferimentos que DyyDean sofrera no braço, o grupo se revezava para fazer isso entre a luta, mas ambos foram encontrados por um Nurarihyon, que agitava seus tentáculos, tentando eletrocutá-lo, mas assim que tratara dos ferimentos de Dyy, A.Del havia pulado, e cortado a criatura com suas duas espadas, que segurava uma em cada mão, DyyDean tirou novamente seu bastão de ferro, e batia em um grupo de Vorses [Louva-deus/Humanos] que tentavam estraçalhá-lo com suas garras, BiBuzz então os pediu para que saíssem do chão, e seus colegas obedeceram, sabendo muito bem o que estava por vir, ele então, juntado toda sua força incontida, socou o chão, causando até algumas rachaduras, e derrubando muitos dos monstros no caminho, porém, ele teve que se cuidar, pois uma Harpia estava quase emm sua cola, mas K-Vorka e A.Del jogaram quatro facas cada, estas perfuraram as asas da mulher-pássaro, que gritava enquanto tentava se livrar de estar presa em uma árvore, ma assim que se libertou, foi golpeada na cabeça, pelo bastão de DyyDean, que, devido à intervenção científica, havia se extendido, elle então o girou, nocauteando um grupo de Dullahans e Lobisomens que estavam se aproximando do grupo.




Luke, Kain, Brenda e Gary estavam bem próximos da grande Flor de Lótus, pararam à sua frente, pois não sabíam como sair, mas no momento que Brenda encostou perto dela, um grande arbusto de espinhos apareceu, e a voz de Samantha voltou a ecooar, - Já Disse que NÃO! O ''não'' em particular foi extremamente alto, pois fora dito por uma Raiz-Trombone, que fez o som tão alto que os mandou para trás, mas eles todos se seguraram nas plantas, e, compartilhando de um olhar, correram com todas as forças, mesmo com as plantas tentando-os agarrar e os espinhos os causando pequenos cortes, os quatro atravessaram o Lótus, que se dissolveu e voltou a criar-se quando eles passaram, - Esse trabalho seria tão melhor sem desobediência! Constatou a voz de Samantha dentro de Nirvana. Muitos caçadores ficaran surpresos com a repentina aparição dos estudantes do lado de fora, mas nem tentaram atacá-los, suas ordens não eram de atacar estes quatro, mas tentaram passar pela saída que eles haviam utilizado, porém pararam, pois os primeiros a chegar perto da flor foram empalados por espinhos enormes, que saíram de trás do lótus, o grupo então correu para a entrada, tendo cuidado para não pisar em corpos, dos quais alguns sujavam o chão com seu sangue. - Ah, então vocês realmente vieram? Pergutou o líder deles com um tom divertido na voz, os quatro não responderam e nem lhe deram atenção, olhavam para Blair, que estava muito encomodada, parecia querer dizer algo, apertava seu braço com força, mas antes que juntasse as forças para falar, o líder do grupo voltou a discursar, - Eeeentão... lembram-se? Da conversa? Mas o grupo não estava achando nem um pouco engraçado, - E quem é você seu pateta? Indagou Kain, o homem então se curvou brevemente, - Sir Raymond Shade ao meu dispor, e estes são... Ele apontou os outros enquanto os apresentava, Blaise Cocteau, a garota de longos cabelos de cor branca piscou para eles, ela usava uma Catsuit de látex com um zíper na frente, Valery Cendras, uma garota de cabelos loiro-platinados curtos, usava um top azul-claro simples com uma estrela roxa no meio, e jeans claras e apertadas, Charles Trotsky, um rapaz baixo e muito corpulento com uma roupa parecida com qualquer mordomo na ficção, e acredito que já conheçam as Srtas. Garret e Liddel, ou melhor dizendo, não conheçam... Completou ele com um sorriso, - Alguém já disse pra ele que ele é a versão do mal do Diretor? Perguntou Kain referindo-se às expressões de Shade, - E o que vocês querem? Indagou Brenda, dando uma olhada em cada um, pausando em Blair um pouco, - Bom... pensamos em brincar um pouco com vocês bobinhos... Disse Blaise com um sorriso maldoso, - Melhor dizendo, queremos uma luta um a um contra cada um, explicou Valery, - Meeenos eu e a Srta. Garret! Completou Ray, - Mas por que vocês não nos atacariam em grupo? ''Pelo menos vilãos de filmes fariam isso'' Disse e Pensou Luke, - Já lhe disse, queremos Brincar com vocês, cinco besteiros... oops, quis dizer... quatro... Disse ela olhando para Blair, - Bom... o que me dizem? Perguntou Ray, - Se fizermos isso, vocês sairão daqui? Indagou Kain, - Bom... isso se nos vencerem, algo mais? - Sim, queremos Blair de volta! Declarou Luke, a garota mesmo assim evitou o olhar dele, - Bom, claro, provendo que ela queira... mas deixando isso de lado, vocês lutarão conosco, e os que vencerem ''embora eu duvide'' podem ir me enfrentar, e agora... Que comecem os jogos da morte! Declarou Ray.





Dentro do hall das refeições, os caçadores estavam claramente pedendo a batalha contra a inpenetrável Sebe de Proteção: Nirvana, muitos estavam reduzidos a corpos no chãos, mas um número perigoso deles ainda pareciam estar bolando um plano, um deles foi até o depósito da cozinha,e veio de lá com umas garrafas, eram garrafas de vodka, eles então começaram a rir, deram uma barragem de tiros com balas de fogo na planta que parecia um girassol, para evitar que ela sugasse as chamas, mas justo quando iam jogá-las na sebe, o caçador que as segurava foi enclausurado na Prisão de Ossos: Gamuza de Juliet, que a havia acionado de dentro do círculo, ao perceberem que os monstros dentro do círculo também poderiam retaliar, os caçadores renegados deram allguns passos para trás e começaram com armas de longo alcance, mas Jonah, James e Carmela começaram a fazer o mesmo com suas magias, e eventualmente, todos os caçadores do recinto haviam caído, - Conseguimos! Gritou James, - Agora podemos ajudar Luke e os outros, vamos! Disse Juliet, - Eu não teria tanta certeza... Disse Carmela com um tom sinistro, - Perceberam? O feitiço protetivo não foi desativado, a trindade arregalou seus olhos, e então os quatro sentiram a presença que já conheciam voltando para assombrá-los, Charlotte Garret havia entrado no recinto.




Luke, Kain Brenda e Gary estavam agora sozinhos no saguão de entrada, seus adversàrios, barrando Charlotte, haviam simplesmente sumido, mas conseguiam sentir a presença deles, os quatro então novamente reafirnaram o juramento de vencerem, mas agora tinha mais significado do que nunca, proteger a escola, proteger os colegas, não falhar com expectativas... clamar Blair, eles então, sem dizer nem ao menos uma palavra, partiram, cada um seguindo a presença de um inimigos que ainda não reconheciam. Gary e Kain subiram as escadas para os andares superiores, sentiam duas presenças nos dois últimos andares, Kain pegou o oitavo, e Gary escolheu o nono, Brenda partira para a floresta, tendo muito cuidado de não alertar nenhum professor que lá lutava, e Luke demorou para sentir uma presença, nunca fora bom nisso, mas assim que o fez, foi para os jardins, passando por A.Del e BiBuzz que o olharam confusamente, e subiu para o telhado por lá, sentiu as presenças de Jack e Sophie, que lutavam contra a horda inacabável de Kalghiris no bazar, e continuou subindo. Que perigos os amigos iriam enfrentar em suas disputas?


Próximo Capítulo: 07/01
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Igor Malkuth em Qui Jan 05, 2012 9:00 pm

Wow, adorei o presente de ano novo, quantos capítulos incríveis! Será difícil escolher meu favorito.

Ah, e Jack, a porra ainda já fica mais séria do que a do último capítulo? Porque se ficar...
avatar
Igor Malkuth

Mensagens : 3
Data de inscrição : 20/10/2011
Idade : 35
Localização : Transilvânia

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Jack Jerripher em Qui Jan 05, 2012 9:02 pm

Que bom que você gostou, diz muito quando você lê todos os novos em uma noite. E sim, vai subir un nível nos capítulos referentes às lutas, e vai subir uns dois (a mais) no climax.
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 22: Batalha Sobre um Candelabro!?

Mensagem  Jack Jerripher em Sab Jan 07, 2012 9:35 pm

As escadas para o nono andar do castelo foram rapidamente escaladas por Gary, que seguia a presença de energia que havia sentido mais cedo, parou para olhar o lugar, e viu seu oponente, Charles Trotsky sentava em um banco de madeira no meio do andar, que tinha as entradas para as repúblicas, a sala dos professores, e a arena; - Então você é meu oponente? Perguntou Charles, algo nele estava diferente, ele sempre parecera um bobão que tinha que ser obediente à Blaise, mas agora parecia realmente pertencer ao grupo sombrio, sua expressão simplesmente exalava maldade, Gary não perdeu tempo, transformou-se na forma de monstro e mandou um Jato Fervente na direção dele, mas o jato de água escaldante foi extinguido por um raio branco de luz em forma de flecha, Gary já havia visto isso antes, no halloween, era uma espécie de raio do encolhimento, e ele sabia que deveria se esforçar muito para não ser pego por uma técnica assim, ou a luta acabaria rápidinho...



Nos jardins, Luke havia parado um pouco de seguir a energia que sentira antes, e estava agora discutindo com A.Del, que insistia adamantemente que ele deveria dar meia volta e marchar direto para dentro de Nirvana e não sair de lá até o conflito acabar, - É incrível como eles conseguem discutir no meio de uma briga... Notou BiBuzz após esmagar o crânio de um Lobisomem que tentara mordê-lo, - Por favor... parece até que você não conhece a chefe, Bib. Disse K-Vorka, que usava suas facas para se proteger de dois Lappyts que tentavam arranhá-lo com suas garras metálicas, e após cortar ambos através do peito, ouviou a voz de DyyDean, - Pessoal, cuidado, Medusa! Ele então tirou um maço de óculos escuros atados por borrachas de dentro de sua pochete, e jogou um para cada, os caçadores os colocaram sem gastar um segundo, mas Luke o encarou por um momento, - COLOCA LOGO E SOME! Gritou A.Del, ela não precisou repetir, e ao subir as escadas, Luke via que muitos oponentes naquela área haviam virado pedra...



Kalifa havia transformado seus braços em machados, e tinha cortado alguns monstros ferais com eles, Lorelei e Mimi se detinham em usar magias combinadas, - Não gastem muita energia mágica, garotas, a luta está só começando! Declarou Aaron, que cortava inimigos com seus leques ornamentais de ferro, elas então planejaram uma estratégia melhor, Lorelei usou seus ''traços femininos'' para atrair um grupo de caçadores... que acabaram fatiados por Mimi, que estava escondida atrás da irmã; Até mesmo os idosos, Grigori Chernekov, Yuji Oogata e Babayaga estavam lutando muito, demonstravam um impressionante espírito, Grigori havia formado um grande círculo defensivo, enquanto Babayaga curava as feridas de Yuji, que havia pulado na frente de um ataque para salvar uma aluna que não estava no hall durante o jantar, - Se você não partir, ao menos saberá que fez algo de útil na vida, disse Babayaga com um sorriso, Yuji apenas balançou a cabeça. A Srta. Scarlet jurava que havia visto Brenda correndo em direção à floresta, e desejava saber o que a garota estava indo fazer, mas não era a hora para isso, a onda de inimigos não parecia diminuir nem um pouco, - Como é que, mesmo que nós estejamos matando muitos, como eles não acabam? Perguntou Griffon, mas Margarete tinha uma teoria em mente, e se ela fosse verdade, a guerra dentro do castelo poderia ser bem pior do que parecia, e ela não parecia exatamente boa pra começo de conversa.



Gary estivera lançando várias lufadas com Magia de Vento, mas todas diminuíam de tamanho ao chegarem perto de Charles, e para sua surpresa, de repente, o adiposo adversário havia desaparecido, o Kelpie então sentiu um chute em seu flanco, e quase tombou de dor, ''Ele é rápido demais para ter esse tamanho!'', Gary esquivou-se por pocuo de mais um raio do encolhimento, Virou-se para dar um coice, mas percebeu, para seu horror, que Charles havia conjurado uma detalhada armadura romana feita de pedras, com Magia de Terra, e nem seus cascos metálicos fizeram um arranhão nela, ele então voltou à forma humana, virando assim um alvo menor, mais difícil de acertar, ''S-Sorte a minha que a mira dele não parece ser das melhores'', mas não teve muito tempo de ficar feliz, pedras saíram voando, quebrando através da janela, qause acertando Gary, ele então pegou o pequeno cristal roxo que estava em seu bolso, nele estava contido sua arma, um tridente, que havia sido posto lá por Jack por coveniência, e assim que ele o quebrou na palma da mão, o grande tridente com três pontas metálicas, uma reta e as duas laterais em forma de ‘’Z’’, voltou ao tamanho normal, e ele o girou com habilidade na mão e soltou uma Explosão Fluvial em direção à Charles.

A técnica o acertara em cheio, destruíndo o chão e lançando destroços pelo ar, Gary esperou a poeira voar, e então viu, Charles ainda estava de pé, com sua armadura intacta, - Sabe cavalinho, você deve ter muita sorte com as mulheres com esse seu visual... Nunca tive essa sorte, como é? O gordinho perguntou, com um toque macabro na voz, - P-Problema glandular? Gary perguntou, notara só agora que sua voz e suas pernas estavam tremendo, era medo, - Não, só azarado pela genética, disse ele, - Sabe, sempre quis ter um corpo como o seu, talvez possa pegá-lo assim que você falecer, Gary estremeceu, isso foi tão repentino, mas Charles falava nisso com tanta naturalidade, - É simples, sério, é só um feitiço simples de manipulação de alma, dizia ele, Gary sabia que isso estava ficando perigoso, mexer com almas era um grande Tabu no mundo dos monstros, - O Mestre Shade já tentou me ajudar com meu problema, me ofereceu vários cadáveres, mas nenhum era muito legal, sabe? E logo após de proferir essa frase, ele lançou uma de suas técnicas de encolhimento, e ela acertara o distraído Kelpie em cheio.



Com sorte, o Olhar Petrificante da Medusa não havia atingido ninguém, e ela havia sido rapidamente eliminada pelas facas de K-Vorka, mas para surpresa do grupo, os monstros da área, que haviam sido petrificados, voltaram ao normal, e um deles, um Flarenugletron, estava muito próximo de A.Del, os outros tentaram socorrê-la, mas ouviram um grito, e A.Del fincara ambas as suas espadas no peito da criatura, a derrubando pela parede da academia, aliviado por sua chefe estar bem, DyyDean tirou um grosso chicote de ferro, parecido com o que o chefe deles, Igor Malkuth, usava, e o entregou a A.Del, que lançou um macabro sorriso, ela então girou o chicote no ar e laçou um Aracne, e logo em seguida o bateu em vários outros monstros, agora o negócio era pessoal...



Gary percebia o mundo como uma pequena formiga, e Charles parecia um gigante, parado em pé, através do buraco da armadura, seus olhos brilhavam ameaçadoramente, - É sério, é só relaxar, o Sr. Shade vai solucionar todos os meus problemas, repetiu ele, era assutador como ele usava um tom infantil e bobinho para repetir essa frase, e ele estava parado lá, repetindo-a e repetindo-a várias vezes, era como se fosse um mantra, ''isso parece lavagem cerebral...'' Pensou Gary, e ele não podia não cogitar a idéia, mas não tinha muito tempo para pensar no assunto, ele precisava se proteger, correra então para a porta de sua república, na grande porta com um centauro desenhado, mas para seu horror, o chute anterior de Charles havia quebrado seu monóculo, ele então simplesmente voltou a correr, mas devido ao seu tamanho de caneta, a distância que percorria por segundo não era exatamente grande, e Charles havia aparecido em sua frente, ele então simplesmente tentou cair de barriga em Gary, mas o garoto pensou em uma estratégia bem na hora, usava Magia de Vento para se envolver em uma corrente de ar e sair do caminho, se contentou ao saber que sua magia ainda tinha tamanho normal, e lançou Magia de Trovão contra Charles, mas fora uma marca de queimada, não havia causado dano algum; Ele repetiu o processo, mas desta vez o molhando primeiro, e embora o choque tivesse se espalhado pelo corpo, atacando mais partes da armadura, nada havia acontecido, ela estava se reparando, Gary então soube que deveria destruir a Armadura com algo rápido, e poderoso, mas precisava de algum lugar seguro por hora, tinha que virar a situação.

A voz de Ran Mao ecoou em sua cabeça, ''- Você deve usar o campo de batalha para sua vantagem'', o garoto olhou em volta, e percebeu algo que poderia ser útil, mas precisava distrair o rival primeiro, saltou para perto dele então e disparou uma de suas melhores técnicas, Dança de Água: Bolero de Maremotos, criando um garnde anel de água em volta do corpo de Charles, o anel então se expandiu, engulfando o oponente em uma bolha de água, que girava rápidamente por dentro, Gary então usou mais Magia de Vento, e se propulsionou para o grande candelabro de ouro que pendia do teto, e assim que a bolha estourou, ele gritou, mesmo em sua diminuta voz, - Estou aqui Porquinho! O comentário não foi bem recebido, - Irei te reduzir à duas vezes esse tamanho por essa! Ele então lançou um dos raios; O plano de Gary havia funcionado, assim que o raio em forma de flecha se aproximou, o diminuto garoto segurou um dos enfeites de vidro do candelabro, e apontou para o raio de luz, que foi refletido de volta, Charles agora estava do mesmo tamanho que Gary.

- Como ousa fazer isso!? Não... está tudo bem, tudo bem, vou ainda vencer, o Sr. Shade vai solucionar todos os meus problemas! Gritou ele, e então convocou um pilar de pedras, que o ergueu até o garoto, eles então assumiram pose de duelo, o candelabro se balançava um pouco, mas dava para manter o equilíbrio, Gary tentara atingir Charles com seu tridente, mas a pedra continuava sendo muito dura, ele tentara estocar por um dos buracos da armadura no braço, e dera certo, o garoto gordinho se retraiu com a dor, mas virou-se rapidamente com a outra mão e deu um forte soco na cara de Gary, que fora lançado para trás, quase caindo,seu tridente havia escapado de sua mão, e estava preso à borda dourada por uma de suas pontas em formato de ''Z'', Charles então havia pulado na direção de Gary, tentando esmagá-lo com o peso combinado de sua gordura e das pedras, mas ele agarrou o tridente bem na hora, e aplicou um rápido golpe com a parte lateral, lançando o oponente através de uma das velas, fazendo uma queimadura de tamanho considerável em sua roliça perna, - Ué, porquê não vira um Diabinho, poderia se esquivar mais fácil? Perguntou o Kelpie, mas Charles não achou graça, - Vocês monstros, sempre pensando em destruir coisas! Gritou ele, - ''Vocês'', tu sabe que é um monstro também não sabe? Gary perguntou, mas era óbvio que havia pisado em um calo, - NÃO SOU UM MONSTRO! SOU UM CAÇADOR! MONSTROS SÃO MAUS! Não, não dê ouvidos à ele, você é um caçador, o Sr. Shade vai solucionar todos os meus problemas. Acalmou-se ele, a bipolaridade de seu oponente havia se tornado ainda mais horrível.

Charles então pareceu reunir todas as suas forças e pulou, segurando-se na corda de ferro que suspendia o candelabro ao teto, e começou a balançar-se, Gary não caiu por sorte, coisa que seu tridente não havia tido, pois caiu, o garoto então se bateu em uma vela, e fez com que ela derrubasse um pouco de cera derretida nele, uma dor lacinante se fez sentir em seus braços, queimaduras feias haviam aparecido, e outra dor o empurrou para a borda, levara mais um soco de Charles, eles então se travaram em uma batalha corpo a corpo, Gary conseguia socar um pouco nos buracos da armadura, mas também levava socos e sentia a dor das queimaduras a cada soco que dava, mas sabia que o adversário também estava no limite, seu golpe com o tridente mais cedo havia causado-lhe um grande corte no braço, e ele perdia sangue depressa, Gary conseguiu usar um momento de distração do inmigo, e correu mais para o centro do candelabro, mas foi seguido de perto, o Kelpie então pulou, colocando todo o seu peso nas pernas, fazendo com que duas velas que estavam perto de Charles derramassem seu conteúdo bem na armadura, que já parecia estar mais fraca, ela obviamente só podia se auto-restaurar enquanto o usuário tivesse bastante poder mágico e foco para fazê-lo, e Gary sabia que era agora ou nunca, - NÃO VOU PERDER! VOU CONSEGUIR O CORPO QUE SEMPRE QUIS!,
O Sr. SHADE VAI SOLUCIONAR TODOS OS MEUS PROBLEMAS! Gritou ele, Mas era tarde, Gary ativou sua mais forte técnica, Dança de Água: Valsa das Sete Correntes, seu braço direito, cotovelo esquerdo, partes das pernas e das costas jotaram torrentes de água sob pressão, formando lâminas, e agora que a armadura de Charles estava fraca, Gary correu para ele, e o acertou com sete golpes rápidos, em uma sucessão quasi-artística, com grande precisão, e logo cruzou os braços, A armadura de pedra havia se esmigalhado, e sete grandes cortes haviam aparecido no corpo do oponente, o sangue de Charles jorrou, e ele gritou alto de dor, ambos foram retornados aos tamanhos normais, o que fez o candelabro cair, mas Gary usou sua Magia de Vento para desacelerar a queda deles com vento, e assim que estavam no chão, Gary colocou a mão no pescoço de Charles, - Tem pulso, ainda bem... E então usou sua última gota de poder mágico para, com Magia de Água para fazer o sangue do adversário parar de escorrer e voltar ao corpo dele, exausto, o Kelpie simplesmente se jogou à o único dos bancos de madeira que não estava destruído, - Luke, Brenda, Kain... não os decepcionei, me esperem, e vou me juntar a vocês pra espancar aquele filho da mãe! Declarou ele, antes de desmaiar, mas com um sorriso.


Próximo Capítulo: 09/01


avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 23: Batalhando Contra o Passado e as Emoções, o Meio-Wendigo!

Mensagem  Jack Jerripher em Seg Jan 09, 2012 3:25 pm

Kain estava ainda abrindo caminho pelos destroços nas escadas para o oitavo andar, ao que lhe parecia, muitos dos inimigos tinham entrado pela torre de astronomia, e se preocuparam muito em causar estragos pela entrada deles, o garoto imaginou qual dos caçadores ele enfrentaria ali, pela presença que sentira, sabia que não era Blair, conhecia a presença dela, sabia que não seria o gordinho, pois sentira a presença dele e de Gary há pouco no andar de cima, ''Então eu fico com a 'Roqueira Sensual' ou com a 'Gata de Cabelos curtos'? ótimo!'' pensou ele, mas não poderia estar mais enganado. Quando ele finalmente chegou ao centro do andar, perto da sala memorial e da ala do hospital, viu sua adversária, era a Roqueira Sensual Blaise, ela estava deitada sobre um parapeito da parede, parecendo que estava estirada em uma rede, - Ah, finalmente chegou, estava ficando entediada... Disse ela com um tom monótono, - Talvez eu possa te ajudar com esse tédio, Brincou ele, piscando.



Jack e Sophie estavam completamente cercados por Kalghiris, a área do bazar parecia mais um formigueiro, ''transbordando'' de grandes formigas com corpos finos feitos de sombras, mas com uma pequena face sem expressões, e duas longas garras afiadíssimas em cada mão, - Jack, você poderia, por gentileza, mandar a minha carta pro Q.G.? Perguntou Sophie, que estava começando a se irritar, - Claro, mandarei junto com a minha, disse Jack, emquanto preenchia duas folhas de papel como se nem estivesse no meio de uma batalha, - Acho que é melhor você não participar, acho que não vou querer pagar o prejuízo depois... Remarcou a Harpia, duramente, Jack só deu um sorrisinho, e assim que preencheu a carta de Sophie, estalou os dedos, invocando Hierophant, e enfiou a carta no cubo verde e roxo, que logo desapareceu. No outro lado do mundo, o cubo da magia de Jack chegou à uma sala escura, repleta de pessoas que trabalhavam em computadores, um homem alto e de longos cabelos loiros se levantou e pegou a carta e saiu da sala, entrando em um grande planalto com dez plataformas, quatro delas desocupadas, ele subiu em uma delas, na mais alta e, ele então leu a carta em voz alta, e disse, em uma voz calma e melodiosa, - ''O Relâmpago Divino'' pede que seja autorizada a sua transformação, os que estão a favor, levantem a mão, estando a par da situação, os outros cinco o fizeram, o homem então caminhou até a oitava plataforma, e fincou uma espada no meio dela.



Kain já tinha entrado no combate de cabeça, mandava um Globo Destrutivo atrás do outro, mas todos se dissipavam ao bater na tela invisível que Blaise sempre usava para se defender, Kain já sabia disso, enfrentara o mesmo problema no dia de halloween, mas ele tinha uma teoria sobre como a tela, aparentemente infalível, funcionava, ele então, no meio de tantos Globos Destrutivos, usou a versão mais poderosa deles Globo Spinner, assim que chegou perto da tela invisível, ele girou rapidamente e explodiu, após a fumaça se dissipar, podia-se ver que Blaise estava completamente sem ferimentos, - Olha, se vai lutar assim, a brincadeira não vai demorar muito... Mas ela logo teve de se calar, pois um dos Globos Destrutivos que vinham, se abriu, e uma espada saiu de dentro, a garota se virou na hora, levando apenas um pequeno corte na bochecha esquerda, a espada se cravou na parede atrás dela, ela então começou a sorrir, - Tenho que admitir, não esperava que viesse com uma tática assim, você é mais esperto que parece! Mas Kain não se sentiu elogiado, e logo disparou uma torrente de chamas com Magia de Fogo, mas a barreira novamente se mostrou, ''Ela só não se defende de golpes físicos'', constatou ele, e então correu para pegar sua espada; Blaise usou a técnica que geralmente usava após se defender, quebrou a tela em pedacinhos e os lançou contra Kain, mas ele rapidamente os quebrou com seu braço transformado em braço de urso, e pegou a espada, ''Transformações Parciais, ha, entendo'' Pensou a garota, e assim que ele se aproximou para cortá-la, ela parecia estar segurando algo como um livro, feito do mesmo material transparente da tela, e o segurou contra a espada do garoto, e então, palavras começaram a aparecer em suas páginas, e logo a cena e seus arredores foram mudando.



Dentro de Nirvana, Jonah, Juliet, James e Carmela pediam a Samantha para que os deixasse sair e enfrentar, Charlotte, mas a voz que os correspondia por intermédio da professora não deixaria, já tinha trancado a saída pelos fundos. Charlotte ainda não parecia estar preocupada em atacar a gigantesca cúpula viva, estava simplesmente tecendo suas teias por todo o hall, criando seu próprio ambiente, encompassava até as plantas de Samantha, que pareciam estar sofrendo simplesmente por serem tocadas pelas teias de brilho prateado da Aracne, e assim que a construção ficou pronta, ela subiu, ligeira, para o ponto mais alto. O orbe de cor verde que o corpo da Srta. Kindersley segurava intensificou seu brilho, e vinhas com espinhos foram lançadas parra cortar a teia, mas os espinhos não eram afiados o bastante, e nem as flores que giravam suas pétalas como serras pareciam fazer efeito para cortar a substância, que parecia resistente como aço, apesar de ser flexível e extremamente maleável. Cada Aracne podia tecer sua própria teia com propriedades diferentes, e as de Charlotte, eram sem dúvida alguma, as melhores, foi por meio delas que ela se tornou conhecida como, Charlotte Garret dos Fios de Prata, uma caçadora de recompensas brutal. A batalha entre as plantas de Samantha e as teias de Charlotte continuava, nenhuma das combatentes precisavam se mexer, a luta era em um nível mais mental, e após segurar uma técnica tão poderosa por tanto tempo, Samantha estava enfraquecida, nem os ataques dos alunos, de dentro dé Nirvana estavam adiantando.



Kain abriu seus olhos após eles serem pegos de surpresa por uma brilhante luz branca, e não pôde acreditar no que ele via, ele e Blaise estavam em um campo aberto, como imagens, e ele conhecia o lugar, e logo se lembrou de onde, via de longe um pequeno garoto, não tinha nem cinco anos de idade, vestia roupas simples mas bonitas de cor branca, e ainda chupava um bico de cor vermelha, ele tinha brilhantes olhos azuis e cabelo castanho escuro, e estava brincando em um piquenique junto à sua mãe; Lara Winchester era ainda jovem para ter um filho de cinco anos, casou-se logo depois de completar dezoito anos, e teve seu filho logo depois, tinha longos cabelos negros compridos, feições afáveis e tinha os mesmos olhos do filho Kain, - Interessante... Disse Blaise, ela parecia estar se divertindo, mas por mais que a visão fosse bonita, lhe cortava o coração, olhou para Blaise como se pedisse para ela parar, mas ele não conseguia botar palavras para fora, via sua versão mais jovem rindo, puxando o vestido branco da mãe, enquanto ela ria; O vestido estava logo manchado de sangue, estavam agora em um quarto escuro, parecia uma lavanderia, o pai de Kain estava de pé, chutou a cara da esposa, que se contorceu de dor no chão, - Seu Monstro! Não acredito que me casei com um demônio! Como Pôde fazer isso comigo?! Esbravejava ele, - Querido, não, não é o que parece, eu lhe explico! Implorou ela em prantos e ganidos de dor, tentava esconder seus pêlos de urso pelo corpo, mas ele não escutou, continuava a chutar seu corpo caído, - Pense em nosso filho querido! Disse ela, tentando baixar a voz para Kain não escutá-la, - Eu não ligo para aquela abominaçãozinha! Gritou ele enquanto batia nela, e de repente, ele pegou o ferro da lareira, e cravou na cabeça da mulher, ela instantaneamente parou de se contorcer. Kain via a cena toda da entrada da cozinha, ele deveria ter uns sete anos na época, estava simplesmente paralisado, assim como seu eu no presente, Blaise parecia analisar a situação como uma psicóloga faria; Os olhos agora sem vida de sua mãe pareciam implorar para que ele fugisse dali, mas ao notar o filho o observando, o pai soltou o ferro, e começou a espancá-lo, o chamando de ''aberração'' e de ''diabo'', o garoto achou que sua vida acabaria, ele queria que tudo acabasse rápido.

Um som penetrante, um som que salavara a vida da criança na fatídica noite, sangue escorria da testa do pai, onde agora havia um buraco, um grupo de pessoas armadas entrou no recinto, o líder pegou Kain no colo, e o colocou no topo de uma mesa para avaliar seus ferimentos, enquanto dois levavam o cadáver do pai em uma maca, outro identificava a vítima, - Lara Anne Winchester, disse ele escrevendo em uma prancheta, H.E.M às oito e quarenta e seis da noite, o corpo da mulher havia se revertido para a forma de humano após a morrer, um mecanismo de defesa adaptado pelos monstros para protegerem seu mundo; O mais alto dos soldados, e seu líder pelo que aparentava, tirou o capacete, era na verdade uma bonita mulher loira de olhos verdes, ela então levou o garoto para o pronto-socorro, os médicos ficaram maravilhados com a capacidade de cura do garoto, mas ele não dava a mínima para o dano causado à si mesmo, ele não havia dito nada, e nem ao menos piscado após o incidente, não conseguia parar de ouvir a voz da mãe implorando pela vida, tinha sido diagnosticado com diversas variações do Estresse Pós-Traumático, em poucos dias uma assistente social o levou para um orfanato, mas ele tinha certeza de que não podia ficar lá, E se descobrissem que ele era um monstro, o que fariam com ele?, e por isso fugiu à noite, passou dias e dias pela praça e pelas ruas da cidade, passando frio e fome, tinha tentado conseguir comida matando pombas, mas não poderia se expor para outros habitantes. Uma noite, outras pessoas sem casa se aproximaram dele, e tiraram todas as roupas que tinha levado, até as do corpo, o deixando para morrer nas ruas, ele sabia que daquela vez não tinha esperanças, transformou um de seus dedos em compridas garras, e aproximou-as de seu pescoço, mas levou um choque que o fez abrir os olhos, uma pessoa agachada o encarava, ele reconheceu o rosto da oficial que lhe salvara, ele pensou em se esconder, pois ela tinha visto seu dedo, mas ela simplesmente o segurou, lhe deu seu grande casaco de peles e moletom, e o deu o cachorro-quente que ela segurava, do qual o garoto se dispôs rapidamente, - Sabe... desde o momento que lhe vi, sabia que você era diferente... Começou ela, ele a olhou triste, mas ela terminou, - Está bem, não se preocupe, eu não ligo, e sabe de mais uma coisa? Perguntou ela, Kain estava surpreso por ela não o achar estranho, - Não posso ter meu próprio filho, disse ela apertando a própria barriga, e embora não possa te prometer um pai, gostaria de tentar, sabe, não posso te deixar assim, disse ela com um sorriso, ele retribuiu-o, - N-Na-N-Não e-E-stá com frio senhorita? Perguntou ele. De volta ao presente, Blaise, fazia sinais com a cabeça, - É como pensei, são sempre os mais disfarçados que tem os piores passados, ela então encarou Kain, ele não ia deixar barato.



Uma mudança inesperada de eventos acontecera... Para pior, todas as teias de Charlotte haviam endurecido, virando espécies de lâminas, e com apenas um puxão de sua tecelã, a Sebe de Proteção: Nirvana, havia sido quebrada, pedaços de plantas e seiva agora sujavam o chão do hall das refeições, o corpo de Samantha havia sido libertado das vinhas, e tinha recuperado consciência, ela nunca teria esperado que sua técnica fosse vencida. Os alunos se agrupavam novamente em círculo, a Trindade dos J's, Carmela e Flint correram para ajudar a professora a se recuperar, a cada pouco, ela tossia sangue, havia gastado tanta energia mágica para protegê-los que deveria estar inconsciente agora, eles a tranquilizaram de que seus esforços não tinham sido em vão, e então os cinco se postaram para enfrentar Charlotte, mas estavam em menor número desde a última vez, e embora tivessem progredido muito, a adversária também tinha feito o dever de casa, e estavam sendo derrotados,a Srta. Kindersley, que estava cercada de estudantes, se levantou, e apesar do cansaço, declarou que não falharia em protegê-los, ela então juntou as mãos, seu corpo inteiro foi envolvido por uma luz verde igual à esfera que antes segurava, e ela então ativou: Sebe de Proteção: Nirvana - Segunda Etapa - Fase Ofensiva, uma luz cálida e terna havia envolvido o recinto, se corpo estava envolvido com o que poderia ser melhor descrito como trajes de batalha naturais, uma grossa casca oca de árvore envolvia o espaço entre seus joelhos e a parte superior do abdômen, vinhas de cor arroxeada cobriam seus seios, e de suas costas nasciam seis grandes caules culminando em seis flores de Lótus rosado, seus saltos altos eram feitos de ébano puro e tinha algumas gramíneas e ramos nos braços e nos longos e selvagens cabelos loiros.



A luta entre Kain e Blaise havia se intensificado, ver as memórias de seu tempo passado havia deixado o garoto em um estado de fúria incontrolável, havia tranformado os braços e as pernas em partes de urso, e tentava sem perdão arrancar pedaços de Blaise, que ria de toda a situação, mesmo quando um dos socos escapava de suas defesas e a acertava; Kain não ligava para o fato de sua teoria sobre a tela só não repelir golpes físicos estar errado, e nem se importava com a risada de Blaise, se ela estava louca ou se ele era o tolo, nada importava, seus golpes incansáveis continuaram ganhando velocidade, e após um certeiro soco na barriga, Blaise tombou para trásno chão, Kain pressionou seu corpo contra o dela, estava pronto para lhe desferir o golpe final, mas congelou de repente, a pessoa que ele prendia ao chão era sua mãe, mas a visão dele foi logo cortada por um chute na barriga, que o jogou para trás e o deixou sem ar momentânemente, logo a garota se levantou e foi até ele, - AW, pobrezinho, deixado pela mãe, traído pela amiga... Kain estremeceu, desta vez era Blair que falava, ele não conseguiu encará-la, mas quando ela se abaixou para falar com ele, de repente era Luke que o fazia, - Você não é nada para nós, Kain, - Realmente, um fracassado! Agora dizia Juliet, - Nunca vai chegar perto ''destes'', dizia Blaise transformada em Carmela enquanto passava as mãos lentamente sobre o peito, Kain estava sem palavras, mas assim que a forma de Brenda foi tomada, Kain percebeu, e socou o chão, usando Magia de Fogo, repeliu Blaise para longe, queimando um pouco dos braços e das pernas dela, ao se lembrar de como a amiga sofrera ao sucumbir à raiva de sua forma primal, percebeu, que não podia fazer o mesmo, e se recompôs, ficando de pé e revertendo-se à forma totalmente humana, ele não podia ser influenciado, ou aaí sim que falharia com seus amigos, - Ah é? Bom, será que se recuperará após ver tudo novamente? Perguntou Blaise, que correu com o livro das memórias novamennte nas mãos, mas Kain a enganou, tomou o objeto transparente das mãos dela, e forçou a mão dela dentro das páginas, o que novamente fez palavras aparecerem e a cena mudar.

A situação anterior havia se invertido, Kain agora era quem podia falar, e analisava a situação, e não ria nem um pouco. mas Blaise não estava nem tentando falar alguma coisa, encarava fixamente o chão, mordendo os lábios e apertando os punhos, parecia estar reprimindo lágrimas. Estavam em um quarto de menina, uma garota baixinha e de cabelos ruivos-escuros, com bonitos oolhos verdes e uma comlexão corporal ligeiramente ''cheinha'' estava encostada à uma parede enrolada como em posição fetal, ela apertava fortemente a cabeça, Kain então notou que podia ouvir os pensamentos e as lembranças da Blaise de oito anos, ela sempre tivera poderes psiônicos extremamente acima do comum para monstros, podia ouvir os pensamentos das pessoas desde bebê, e sabia que sua mãe nunca a amara de verdade, e desejava que ela tivesse morrido no parto, seu pai, queria um menino e estava traíndo sua mãe com a melhor amiga hà anos, seu primo adolescente, muito próximo à família, nutria desde cedo um sórdido desejo por ela, e tinha tentado por vezes repetidas, saciá-lo, seus colegas a excluíam, a chamando de ''Garota Retardada e Problemática'' nem ao menos seus parentes deixavam de zombar dela, pois ela não controlava ainda muito bem as transformações corporais dos metamorfos; Kain então assistiu enquanto a pequena levantava, limpava as lágrimas dos olhos vermelhos e começava a arrumar febrilmente suas coisas em uma pequena maleta, e pulou da janela, que não era muito alta, ela machucou o tornozelo, mas por ele nem ao menos derramou uma lágrima, ela sabia que não podia ser pega, sua família daria queixa, ou seria levada para algum lugar, ela soube para onde ir, à um presídio que havia sido interditado hà alguns anos atrás, ocorrera nele um incêndio durante uma revolta, ninguém escapou, ela então subiu ao último andar, que quase não havia sido afetado, lá encontrou para sua surpresa uma máquina de salgadinhos, todos estragados, mas era comida outra além daquela que ela havia empacotado, e o mesmo na cozinha, comida râncida e decomposta, ela passou quase um mês naquele lugar, praticamente sozinha, praticamente, pois ela podia ouvir claramente os espíritos dos mortos, que ao local haviam se prendido.

Ela ouvia seus pensamentos, mesmo sem controlar, ouvia cada palavra ardilosa e cada esquema horrível que os remanscentes dos prisioneiros planejavam para seus rivais, e também todos o gritos de sofrimento daqueles, como policiais, que haviam sido mortos na revolta, e até os pedidos desesperados das almas de prisioneiros que não eram realmente culpados pelo crime que os levara ali. Na noite de natal, a garota se deu ao luxo de sair, queria saciar a mórbida curiosidade de como sua família estava sem ela, ela se arrastou pela neve nos becos escondidos da cidade, suas pernas fracas de tanto tempo sem realmente andar, a garota levou um profundo choque a se aproximar da janela que levava à sala de sua família, todos estavam felizes, e sorrindo, eles nem tinham chamado a polícia, estavam agradecidos por sua falta. A garota voltou novamente para seu cantinho de mundo isolado, mas sua tortura não tinha fim, ouvia os pensamentos das pessoas nas ruas, alegres em sua maioria, o que ela não suportava agora, mas alguns, como sempre, pensavam em coisas horríveis e indisíveis. Mas na prisão encontrou duas crianças monstro, Valery a Bastere, que havia sido abandonada na rua com apenas três anos, e Charles o Diabinho, eles tiveram de trabalhar juntos para sobreviver, mas nunca se viram como amigos, não demorou muito para um caçador rastreá-los para o local, mas ao ver que odiavam outros monstros, os levou até a sede dos caçadores, onde se criaram, mas nunca pararam de sofrer discriminação dos colegas, e não suportando ouvir que monstros eram na verdade bons por natureza, fugiram, voltaram para o presídio, onde, meses depois, foram encontrados por Shade e Blair. Blaise nunca mais havia assumido sua verdadeira aparência física. Kain percebia agora que ele e Blaise eram iguais, a diferença era que ela e os outros, não haviam encontrado alguém como a mãe adotiva de Kain, o primeiro a lhes estender a mão foi Shade.

Voltando novamente ao presente, Kain não sentia vontade nenhuma de atacá-la, estava averso à essa idéia, agora que a entendia, e sabia que podia ajudá-la, sua própria mãe [nova] e seus amigos o haviam ajudado a superar tudo. Ele via que Blaise havia apertado tanto os pulsos, que sangrava deles, e seu lábio tivera o mesmo destino, ela então, com um pouco de dificuldade, falou, tentando assumir o tom brincalhão de sua voz através da raiva e da tristeza, - Kain... não é? *Kain balançou a cabeça'', - Bom, porque não pensa um pouco em seus amigo? E antes que ele pudesse perguntar o porquê disso, as imagens deles já haviam aparecido em sua mente, ele notou o sorriso que havia rasgado caminho pelo rosto de Blaise, e então ela cobrio seu dedo indicador com uma ponta de luz, e passou por seu pulso direito, o circundando, logo, um bracelete de cristal transparente apareceu nele, e Kain viu que na mesma hora, um igual apareceu em seu pulso, tinha desenhos de corações, e aparentemente, correntes os prendiam, - O... que é isso? Indagou ele, - Vínculo das Emoções e Futuros. ela respondeu, e por algum motivo, começava a sentir raiva, e pingos de realização, mas foi aí que percebeu com qual tipo de magia ancestral ele estava lidando.



De volta à Area do Bazar, Jack e Sophie derrubavam fileiras de inimigos com suas magias e habilidades de combate fechado, e de repente, a carta havia voltado, Jack a leu em voz alta, declarando que Sophie estava pronta para se tranformar, ele nem precisou terminar de ler para ver que ela já havia feito isso, e sabia que ela o faria mesmo se não tivesse permissão, pouco lhe importava sua própria vida, no momento, a vida dos alunos, que confiavam neles, era o que movia todos os professores, membros da equipe da Academia, Caçadores aliados, e acima de todos, Luke, Brenda, Gary, Kain, Juliet, Jonah, Carmela, James e até mesmo Flint. Com este desejo ardendo forte e os lembrando da missão individual de cada um, era impossível perderem, era o que pensava Jack, mas algo começou a fazer um forte estrondo no chão, Sophie, que já havia obliterado por completo todos os Kalghiris no recinto, também o sentira.



Blaise riu fracamente, Kain caiu de joelhos, estava arrasado, esse não podia ser o fim, pensou com medo, por pensar em seus amigos, para tentar ganhar forças, ele iria perder a vida, ele não podia deixar isso se realizar, mas não lhe parecia possível impedir, por mais que procurasse em seus pensamentos, não achava solução para encarar e subverter o problema, Blaise novamente ficou em silêncio, com um olhar sóbrio e mórbido, ela tirou um pequeno compartimento da parte de trás de sua catsuit preta, e deste tirou uma bonita faca, pequena, mas afiadíssima, e Kain sabia o que lhe esperava, o Vínculo das Emoções e Futuros era um elo que unia ambos os usuários, se um ficasse com raiva, os dois ficariam, se um fosse apaixonado pelo outro, seria retribuído, se um morresse... ambos o fariam... Kain olhou a cena se desenrolar como em câmera lenta, desesperado, teve só alguns fragmentos de esperança, enquanto via a garota erguer a faca em direção ao próprio pescoço, ela estava pronta para isso, ninguém no mundo a estava esperando voltar, ela realmente não tinha nada a perder, desceu a faca, o sentiu, quente, gotejando, era melhor do que parecia, mas ela não demorou muito para ver que não era o sangue que esperava, não era a sensação de estar deixando o mundo que a cobria. A faca jazia no chão destruído à seu lado, e a garota estava envolvida por uma grande força que não deixava ela se mexer, mas não era opressora, ela se sentia calma e cálida por dentro, primeira vez no que pareciam milhões de anos, era um abraço. Kain havia jogado seus braços em volta dela, seu rosto encostado ao dela pelas testas dos dois, ela tinha certeza que nunca se sentira tão bem em sua vida, não só pelo abraço, mas havia algo mais... algo que a tocava no fundo de seus sentimentos, - Estas são Amizade e Amor. Constatou Kain, que nem ao menos abriu seus olhos, Blaise nem ao menos se perguntou se ele podia ouvir o que ela pensava, era evidente que sim, as emoções e sentimentos dele foram todos passados para ela, e divididos igualmente pelo Vínculo que agora compartilhavam, - É isso que sinto por meus amigos, essa é a vontade que me move, foram eles que me ensinaram a ser feliz, disse ele se referindo não só aos colegas, mas à sua nova mãe também, - É quente, e confortável também... Disse ela, - Sim, realmente é... Disse Kain, - Eu gostei muito, Completou ela, - Será que podemos continuar assim por mais tempo? Ela indagara, mas Kain não precisou nem responder, ambos começaram a derramar lágrimas fraternas de felicidade, seus braceletes desapareceram, mas deixaram marcas eternas de um rosa claro apagado nos pulsos dos dois, elas mostravam Corações, agora sem correntes, estavam livres. As duas crianças solitárias haviam se encontrado, confortando um ao outro, na alegria ou na tristeza, Blaise havia voltado, pela primeira vez em anos, à sua forma humana normal, uma garota ruiva e só um pouco fofinha, tinha bonitos olhos verdes que tentara esconder com olhos vermelhos de raiva. Mas ela teve que interromper o tenro momento para dar um aviso, - Escute Kain, você tem que saber, o... Sr. Shade, vai ameaçar o castelo, com Arcadia, os olhos de Kain se arregalaram.



Jack e Sophie se aproximaram da janela, assim como os professores e caçadores todos olhavam para um ponto na distância, estavam, talvez pela primeira vez nesta guerra, com medo, uma grande criatura, porém não uma viva, se arrastava com suas oito grandes pernas de pedra em direção ao castelo, vindo das colinas além do horizonte, era quase tão grande quanto o próprio castelo da Academia Grave, carregava o que parecia um palácio dourado em suas costas, fazia um pequeno tremor com cada passo das colossais pernas, - Palácio do Fim: Arcadia, Tesouro Terreno, remarcou Jack, com a visão turva, ele e todos agora temiam, pois o tesouro ancião, lacrado nas ruínas ravenosas para o bem das criaturas que andavam pela terra, mais uma vez mostrava sua cara.


Próximo Capítulo: 11/01


Notas:
Spoiler:
H.E.M. = Hora Estimada de Morte


Última edição por Jack Jerripher em Seg Jan 09, 2012 4:18 pm, editado 4 vez(es)
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Jack Jerripher em Seg Jan 09, 2012 3:29 pm

Meu OTP agora é oficialmente KainxBlaise.
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 24: A Rainha das Feras.

Mensagem  Jack Jerripher em Qua Jan 11, 2012 3:38 pm

Todos os professores, e até seus oponentes tinham parado sua disputa, olhavam espantados para a gargantuana criatura, que se aproximava lenta, mas continuamente do castelo, Aaron, Griffon e Margarete tentaram atacá-lo à distância, e embora tivessem acertado em cheio, nenhum dos golpes tivera sequer um efeito na construção ambulante; Todos se lembravam de um milênio atrás, quando um feiticeiro maligno a havia construído, ele havia tentado conquistar toda a Europa, mas por sorte foi parado pelo conselho, que, não conseguindo destruir a estrutura por completo, não tiveram escolha a não ser selá-la, temiam que algo assim acontecesse novamente, e tinham certeza de que era o líder dos invasores que pilotava Arcadia, quem sabe se ele fosse derrotado, teriam alguma chance de selar o artefato novamente. As batalhas continuaram como normal, mas desta vez, a seriedade dos combatentes parecia ter mudado, os que lutavam ao lado da Academia pareciam mais tensos, enquanto os invasores não pareciam demonstrar emoções, Margarete apareceu no meio dos combatentes de seu grupo, e começou a falar, - Pessoal, temo dizer que essa magia é a Espólios da Morte, os caçadores e monstros que matamos, estão voltando à vida como marionetes! Griffon confirmou que também imaginara que era um efeito desta mágica, Yuji, que agora estava recuperado, perguntava como deveriam combatê-la, - Só há um jeito de fazer isso... Acabar com todos rapidamente, disse Ran Mao.



Brenda havia finalmente chegado em uma clareira na floresta Iilfort de onde captara a presença de um dos inimigos, ela ainda se perguntava o que estava causando aqueles tremores, mas não era a hora para isso, ela cortou alguns galhos do outro lado, para chegar mais perto do local, e assim que o fez, tomou um susto, um rosto a olhava do buraco que ela tinha aberto, era Valery, que tinha uma aparência tão singela que poderia ser confundida como estudante da Academia, ela sorria sem parar, - Qual o motivo desse sorriso? Perguntou Brenda, que definitivamente não via graça na situação em que se encontrava a escola que tanto amava, - Bom... ambos os meus colegas perderam suas batalhas, e assim que isso acabar, aquelas porcas da Charlotte e da Blair vão ir embora, e ficaremos só eu e meu mestre~ Cantarolou ela, Brenda ficou contente agora que sabia que dois de seus amigos estavam bem, mas não pôde deixar de seu preocupar, - E por que, devo lhe perguntar, você está tão confiante de que vai me derrotar? Disse Brenda tomando sua forma de monstro, pronta para lutar, - Por que, querida, eu ganhei o maior aumento de poder do mestre, ele confia em mim~ Disse ela sem perder o sorriso, Brenda começou uma série de ataques, tentando arranhá-la, e finalizou mandando uma onda de pedras em sua direção com Magia da Terra, mas Valery, extremamente ágil, desviou de todas, e simplesmente saltou por cima da barragem de terra, ela então subiu em uma das árvores, Brenda não exitou, pegou seus revólveres e atirou com eles na garota, que pulava de árvore em árvore, rápida o bastante para esquivar-se até das balas, Brenda estava começando a se irritar, foi pegar mais munição, mas quando percebeu, ambas as suas armas foram partidas ao meio, e um grande corte agora percorria o braço da Lobisomem, Valery estava agora atrás de Brenda, lambia o sangue da rival em suas garras de gato, que eram as únicas partes suas transformadas até agora. - Entendo, uma combinação de Velocidade Doppel com Lâminas Duplas, constatou Brenda, que estancava o sangramento com magia, Valery ergueu uma sobrancelha, não esperava que ela soubesse o nome das técnicas, - É, já fiz meu dever sobre os Basteres, nossa escola é muito boa, caso não saiba, e essa tática não funcionará novamente!



K-Vorka, BiBuzz e DyyDean assistiam, impressionados, à sua líder derrubar a grande maioria dos monstros que faltavam com seu chicote, ela nem ao menos piscava, tinha a graça de uma bailarina enquanto laçava e chicoteava seus inimigos, acabou com o grupo de Barghests que a perseguia, e pareceu ser o fim dos monstros ferais que haviam sido trazidos para a Academiia, A.Del suspirou aliviada, virou-se para sair, - Parece que nosso trabalho aqui terminou pessoal, agora temos que ir ajudar nas linhas de frente! Disse ela entusiamada, todos também estavam prestes a sair, porém o grito de BiBuzz foi ouvido, - Chefe, Cuidado! Eratarde demais, A.Del havia sido jogada para longe, um grande Troll com um martelo de tamanho descomunal, com uma parte serrada, havia aparecido, sua pele conzenta e olhos avermelhados expressavam pura ira, mas era difícil saber qual lado estava mais irado, os três caçadores então se colocaram em posição, jurando vingança pela líder deles.



Brenda continuava a atacar Valery com movimentos ágeis, mas desta vez seus ataques estavam com uma precisão maior, Valery exibia um machucado na cara e um arranhão de tamanho considerável na barriga, ''Impossível, o mestre Shade me deu poder, como ela pode lutar tão bem?'', mas ao se distrair, levou um forte chute no estômago, que a mandou com força contra uma árvore, - O que te faz lutar, cachorra? Gritou ela, finalmente perdendo a compostura sorridente, - É que você me lembrou da razão pela qual estou te enfrentando, minha escola e meus amigos, se não fosse isso não gastaria meu tempo com você, devia saber disso, aparece direto em filmes, disse Brenda com um tom brincalhão, - Ah é? Engole essa já que é tão esperta! Valery transformou-se por completo, e com um arranhão, cortou a árvore na qual seu apoiava, pela raíz e a jogou com uma força descomunal em direção à Lobisomem, e em seguida, com ela ainda no ar, ateou fogo à ela com Magia de Fogo, mas Brenda foi ainda mais rápida em sua defesa, fez uma corrente de ar, segurando a queda da árvore, e criou duas pedras com um espaço no meio, e derrubou a árvore entre elas, fazendo-a queimar sem danifcar absolutamente nada, e em seguida, quebrou as pedras, mandando-as na direção da oponente, que foi atingida e derrubada pelo golpe, Brenda, para ter certeza, lançou um Projétil da Lua Crescente para garantir, o golpe também a acertou em cheio, mas ela ainda podia ver algo se mexendo por baixo dos escombros, de lá saiu novamente Valery, que parecia estar completamente fora de si, ria maníacamente, machucada e com sua roupa rasgada, ela parecia uma besta primal, sem inteligência, mas para surpresa de Brenda, ela começou a falar, - Chegou até aqui, mas agora é seu fim, veja o poder de meu mestre! Valery começou a se transformar novamente, Brenda não podia acreditar no que estava vendo, era possível mesmo um monstro se transformar de maneiras diferentes? A mudança de Valery demorou muito mais que o normal, e ao ver seu resultado, Brenda teve vontade de vomitar.



Os professores e membros do colégio, continuavam com a sua lenta batalha contra as marionetes re-encarnadas de Shade, e mesmo que combinassem suas técnicas, não pareciam ser capazes de destruir todos de uma vez, e ao contrário deles, seus inimigos nunca se cansavam, e nem sentiam dor por seus machucados, tinham de ser mortos rapidamente, a batalha não podia se arrastar por muito mais tempo, ou ficariam cercados por inimigos, e se tranformariam em mais um deles; Era uma armadilha perfeita para os professores, não podiam deixar o posto, ou atacariam o castelo e os estudantes, se ficassem por muito tempo, sucumbiriam à seu cansaço, Mimi e Lorelei já haviam se retirado da luta, tendo gasto muito do seu poder mágico no começo, estavam esgotadas, foram forçadas a sair das linhas de frente por Aaron, que junto com Margarete, eram os encarregados da empreitada, e estavam perto de recuperar seu poder, mas não paravam de pensar em como a presença dos caçadores nos jardins estava ficando cada vez mais fraca...



A batalha contra o enorme Troll nos jardins estava cada vez mais difícil, as facas de K-Vorka não eram nem capazes de perfurar o duro couro da criatura, então ele as havia trocado por dois machados tomahawks, DyyDean estava tentando derrubar o monstro com seu bastão, mas as pernas do bicho não pareciam estar nem machucadas, BiBuzz havia subido em uma escada, ficando na altura da parte de cima do inimigo, que agora usava sua mão livre para dar socos nele, que mesmo com ambas as mãos, combinadas com sua força natural e até com as luvas de metal, tinha que fazer muita força para segurar o braço dele, K-Vorka fincava os martelos nas costas da criatura, que sangrava muito, mas não parecia ligar, a cada pouco, tentava acertar um de seus oponentes com seu enorme martelo, já havia machucado DyyDean e K-Vorka, e não precisaria de muito para desmaiar BiBuzz; Dyydean então teve uma idéia, jogou uma corda de aço de sua pochete para K-Vorka, que jogou outra ponta para BiBuzz, eles então pularam para o lado, pareciam ter prendido a criatura, mas não demorou para que a força do monstro estourasse a corda e atingiu os três com uma martelada. Mas de repente, quando o gigante ia desferir o golpe final nos caçadores, foi atingido por um golpe combinado de Magia de Gelo e Magia de Fogo, vindas de Lorelei e Mimi respectivamente, o Troll, deu alguns passos para trás, quase tombando, K-Vorka pegou uma minúscula bomba de sua sacola e a jogou para Bibuzz, que a atou com um fio de ferro, e passou para DyyDean, que a atou na ponta de uma flecha feita sob encomenda, e então, carregando sua besta com ela, atirou na cara do monstro, causando uma explosão; Mas para surpresa de todos, ele não estava morto ainda, mesmo com grandes machucados no rosto, mas antes que se preocupassem, um chicote o laçou na perna esquerda, e com um forte puxão o monstro caiu, de cabeça em uma das espadas de A.Del, que as havia usado anteriormente para perfurar um monstro.

Os caçadores gritaram em alegria ao verem sua líder se levantar de trás dos escombros de uma parede, - Garotas, sabemos que homens não se viram sem nós, não é? Disse ela com uma piscadela, as irmãs Parvour riram juntas, Dyy as perguntou se alguém estava cuidando dos feridos, elas sabiam que Cattleya e Hildegarde estavam levando os feridos secretamente para os calabouços, o grupo demorou um pouco para chegar lá devido aos destroços no saguão de entrada, a batalha entre Samantha e Charlotte ainda continuava feroz. Assim que o grupo chegou lá, viram que muitos estudantes que não estavam no hall das refeições estavam muito machucados, e viram também que Gary e Kain, juntamente com seus dois oponentes estavam inconscientes. K-Vorka perguntou o que aconteceu com eles, e Cattleya respondeu, enquanto Hilda cuidava da maioria, - Ambos não sofreram nenhum ferimento crítico, venceram suas disputas, e pediram para que cuidassemos dos adversários, e olhem bem, são apenas crianças, agora que os caçadores os olhavam, era difícil imaginar como acabaram se juntando àquele homem, A.Del teorizava que deviam ter tido vidas difíceis, e que não mereciam ser mortos.



A nova forma de Valery era aterradora, tinha o tamanho de um carro, pêlo espesso de cor amarela, tinha três cabeças de gato, a do meio parecia estar ao contrário da posição normal, com suas duas caudas chicoteando o ar à sua volta, a criatura tinha também duas longas ''fitas'' nas costas, que acabavam em mãos extras, mas a parte mais assustadora era seu corpo, que parecia ser feito de muitas caveiras com expressões de almas torturadas, os olhos de cor amarela brilhante se intensificaram, e ela começou a falar, ainda com a voz da garota que já foi uma vez, - Admito, essa aparência é bem desconfortante, mas... Ela então esticou as fitas nas suas costas, e cada uma segurou uma árvore, e as arrancou do chão, com raízes e tudo, logo em seguida, as três bocas se abriram em um ângulo absurdamente grande, e, brigando entre si, comeram-nas por completo. Brenda ainda tremia com medo, mas foi pega por uma das mãos nas costas de Valery, e enquanto brigava para se livrar, foi posta à frente das três grandes caras, que sorriam com dentes até a orelha para ela, a cabeça do meio se virou 180 graus enquanto as outras faziam o mesmo, e então a besta falou, - Qual é o problema? A gata comeu sua língua? Ela então jogou Brenda com muita força no ar, as caveiras grudadas em seu corpo abriram as bocas que mostravam apenas escuridão por dentro, e então cada uma delas gritou com vozes agudas, lançando uma grande onda sônica que disparou Brenda a muitos metros, ela caiu com uum estrondo. Percebeu que estava perto de um santuário de estilo oriental, sentia muitas dores pelo corpo, estava ainda um pouco tonta, mas uma mão se estendeu para ela, pensou primeiro que fosse Blair que a encarava, mas na verdade, era outra garota, aparentemente com a mesma idade dela própria, tinha cabelos loiros extremamente longos, chegavam às suas pernas, ela tinha olhos azuis muito brilhantes, e sorria para ela, Brenda se sentia subjulgada, como se estivesse próxima à uma presença maior do que ela; Com sua ajuda, se levantou, mas quando foi agradecer, ela já tinha sumido, mas Brenda sabia o que tinha que fazer, transformou-se em seu Modo Feral, e tinha conseguido, agora podia se controlar, mesmo que fosse um pouco difícil se segurar, ela então se pôs de quatro patas e lançou-se a correr na direção de sua inimiga.

- Droga, lancei ela muito longe, espero que não tenha morrido, ou não vai ter graça! Gritava Valery enquanto balançava seu massivo corpo de lado a lado procurando por Brenda, mas a abominação congelou ao ouvir um uivo de gelar os ossos, ela se virou para trás, todas as cabeças agora no lado correto, ela olhou para uma pequena colina, e do topo caía um grande corpo de cor negra como o céu noturno, mas com linhas brancas aqui e ali, e com as patas e a ponta do rabo também esbranquiçado, ela deu mais um giro no ar, e caiu com estrondo desferindo dois grandes cortes nas faces adicionais de Valery, que urrou de dor, logo depois, Brenda correu para o lado e acertou uma cabeçada na barriga da fera, quebrando algumas das caveiras em seu lado dureito, e fez a besta rolar para o lado, ela então se levantou com uma expressão de ira incontrolável nas três caras. Ela abriu novamente as caveiras e lançou mais uma onda sônica, mas o uivo de Brenda, movido por dedicação, foi mais do que páreo para o sinistro choro das almas, movidas por tristeza, a Bastere saltou para perto de Brenda, tentando arranhá-la, mas Brenda em sua forma feral era mais ágil do que a grande e pesada Valery, e em seguida mordeu uma das patas da criatura, e com muita força, a jogou de lado no chão, mas de repente, uma das mãos nas costas da criatura pegou areia do chão e a jogou na cara de Brenda, que foi cegada ao entrar em seus olhos, e nesse meio tempo, agarrou a grande loba com ambas as mãos extras e a jogou com força na parede da colina, o Modo Feral foi cancelado, e Brenda estava quase desmaiando, quando viu a criatura se aproximar, ela percebeu o quão tristes as caveiras que adornavam seu corpo pareciam, - Viu? Te matarei e continuarei seguindo meu mestre! Ela ergueu uma de suas gigantes patas com garras metálicas e cortou o corpo de Brenda de cima a baixo, mas algo estava errado, não saiu sangue algum, e ela percebeu então que era a técnica da Velocdade Doppel e que a verdadeira Brenda estava agora cavalgando suas costas, Valery se sacudiu para tirá-la dali, mas Brenda colocou ambas as suas mãos por cima do corpo de Valery, e lançou um Projétill da Lua Crescente de cada, ambas as ondas cortantes de energia traçaram grandes rasgos no corpo da enorme criatura, ambas as suas caudas chicotearam Brenda, a derrubando de sua garupa, mas seu ataque tinha tido o efeito desejado, Valery havia sido derrotada, não conseguia mexer-se, mas a Lobisomem percebeu que algo estava errado, Valery estava chorando, ainda em sua forma monstruosa, - E-e-eu não consigo voltar à forma humana! Ela gritou em prantos, Brenda estava horrorizada, que tipo de poder Shade usou para deixá-la naquele estado? - Vou buscar ajuda para você, espere um pouco. Tranquilizou-a Brenda, os olhos da criatura se alargaram, - Mas por que? Por que vai me ajudar? Estava tentando te matar! Brenda riu, - Não posso fazer isso, eu não conseguiria acabar com uma fera que não pode se controlar, sei como é isso... Ela então lançou um olhar confiante a Valery, de cujos olhos amarelados ainda saíam lágrimas, Brenda saiu correndo da floresta, não podia demorar. Valery estava começando a se questionar, ''E se o Mestre for mesmo uma pessoa má e eu estive do lado errado o tempo inteiro?'' Ela estava em um conflito interno, mas ao se lembrar das palavras de Brenda, conseguiu, de algum jeito, ficar mais calma.


Próximo Capítulo: 13/01



Momento de Terror, Número 8: A cada três capítulos, uma historinha, como uma lenda urbana, será publicada no final, geralmente contada por uma personagem da história.

Esteve Sempre Aí

Em um Círculo de pessoas sentadas no chão, incluindo os personagens até agora introduzidos, foram acendidas várias Velas, e então Luke disse que esta era a vez de Margarete de contar a história, a Pequena Professora então se posicionou direito, apagou a vela a sua frente, e começou:

Marge: ''Em uma casa aparentemente comum, afastada da cidade, enquanto seu filho estava na escola, dois adultos começaram a discutir um com o outro, ambos geralmente ficavam um pouco violentos em suas brigas, e as tinham por motivos muito bobos, mas um dia, o homem já estava cheio disso, pediu para que parassem de brigar, mas a mulher se irritou, e lhe deu um tapa na cara, o homem revidou, deu um soco nela... Forte demais, ela caiu no chão e bateu a cabeça na quina da mesa, o homem se preocupou instantânemente, se abaixou e foi pegar sua mulher, ver como ela estava, e para se choque, ela não tinha pukso. Ele tinha que fazer algo, seu filho logo voltaria do colégio, ele então teve de limpar a quina da mesa do sangue de sua esposa, e a colocou em um saco de lixo, pois era pequena, juntamente com muito lixo, e a prendeu em um saco, dentro de outro e de outro, levou o corpo para o meio do mato que circundava o local, e achou um poço que não era usado a anos, e despejou o saco ali. Quando seu filho chegou, o pai disse que a mãe dele teve de viajar a trabalho, e como ela fazia isso direto, ele acreditou, e para sorte do pai, pediu para dormir na casa de um amigo naquela noite, seu pai o deixou ir, mais do que contente, planejava contá-lo que a mãe tinha morrido quando o avião no qual estava caiu, mas nunca conseguiu dizê-lo. NNa mmesma nnoite, oo ppai ccomeçou aa tter ppesadelos, ssentir ccalafrios, ee aa tter ddores ppelo ccorpo, mmas ttinha ccerteza qque eeram ddores eemocionais, ooutra ccoisa qque oo ppreocupava eera qque, mmesmo ppassando-se uum mmês dda mmorte dda eesposa, sseu ffilho nnunca qquestionou o ddesaparecimento dda mmãe, qque ssó vviajava aalguns ddias, ee eem uuma ccerta vvez, oo ppai rresolveu pperguntar: - Filho, porquê você não quer falar da sua mãe? Eele ppareceu uum ppouco cconfuso, - É que vocês parecem muito íntimos ultimamente, ela estando sempre aí, Ddise eele, oo ppai oo ppediu ppara eexplicar, ee sseu ffilho oo ddise qque aa mmãe ddele, uultimamente, eesteve ssempre aaí, ee aapontou ppara oos oombros ddo ppai, eele eentão ppercebeu, aatravés dde uuma rreflexão, ssua mmulher eestava aagarrada àà sseus oombros, eestivera ssempre jjunta ccom eele, ppara ssempre sseriam ddois.''

Marge: - ''São horríveis não são? Brigas Conjugais...''

avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 25: A Valiosa Amiga de Luke.

Mensagem  Jack Jerripher em Sex Jan 13, 2012 5:00 pm

Existem muitas lendas e contos pelo mundo, que dizem que nossas vidas e nossos destinos estão vinculados à uma pessoa, não necessariamente de uma forma romântica, e este, pelo que contam, não deixa nunca de interferir e unir essas vidas. E não precisam ser apenas duas, o destino pode unir quantas vidas sua vontade desejar, esse seria o caso dos cinco guerreiros que foram profetizados, Luke, Brenda, Kain, Gary e Blair; Mesmo que algo esteja atrapalhando, a reunião deles já estava decidida, mas, muitas pessoas dizem que podemos escolher nosso próprio destino, será isso mais um dos caprichos do tempo, ou será que o destino já havia antecipado que seria mudado? Cada um deve ter a própria resposta para essa atemporal pergunta, olhe para dentro de si mesmo e terá a resposta que procura.

Os dois inimigos se encaravam sem trocar palavras, mesmo que relutantes, tinham plena certeza de que não poderiam adiar o inevitável por muito mais tempo; Luke e Blair olharam nos olhos um do outro, será que conseguiriam fazê-lo? Blair começou o ataque, mandou uma onda com Magia de Água na direção de Luke, que pulou bem na hora para evitar a quebra da onda, teve de se segurar para não cair, pois duelavam em um espaço aberrto no telhado do quinto andar. Luke podia sentir que Gary e Kain tinham vencido suas próprias disputas, e onde quer que estivessem, estavam em boas mãos; Ele não tivera como saber da situação de Brenda, mas tinha confiança total nela, - Por que precisamos nos enfrentar?, falando sério. Ele perguntou, - Pois agora não podemos desfazer o que já foi feito, Luke. Ella disse, - Eu lhe perdôo, não se preocupe, Ele a tranquilizou, - Não importa se você me perdoa ou não, na verdade, preferia que não o fizesse; Ela então transformou a água que havia usado em gelo, e lançou-o na direção do fantasma, que com os treinos, conseguiu se esquivar deles ao se tornar intangível, mesmo que só por pouco tempo, ''13 segundos, é o que consigo até agora'', pensou ele, mas foi logo cortado por um raio lançado em sua direção, ele se esquivou bem na hora, mas sabia que Blair estava jogando sério.

- Me diga, por que trabalha pro Shade? Luke perguntou, -Você não entenderia, retorquiu Blair, - Talvez não, mas acho que posso tentar, Ele completou, - É uma longa história, e temo que você não vai ter tempo, ela usou sua técnica, Pumpkin Hiralda, lançando várias brocas com cor de abóbora, o Fantasma as neutralizou facilmente com seu Disco Espectral e o jogou na direção de Blair, que usou Magia de Vento nos próprios pés para se esquivar, ''Não poderei usar técnicas que ele conhece então'' Ela colocou suas mãos juntas e invocou sua melhor técnica Wonderland, múltiplas cores inundaram o local, que agora parecia ter se tornado uma caixa flutuante, muitos objetos aleatórios, como uma árvore, um hidrante, um grande relógio, um mesanino antigo e vários pequenos frascos de vidro flutuavam pelo recinto, que era em sua maior parte branco, mas tinha manchas de todas as cores em várias partes. Luke se perguntava o que essa magia fazia, com vontade, ele usou seu Gancho Ectoplasma, que amarrou Blair, mas antes que o garoto percebesse, ela havia virado um armário, ela agora entendia, Wonderland alterava a percepção de realidade de quem estava dentro, se quisesse vencer a amiga, teria que escapar deste truque.

O hidrante, sem avisar, começou a tremer, e então virou Blair, - Por que se esforça tanto? Eu enganei vocês! Ela dizia, - Eu sei que você não fez por maldade, eu a conheço, - NÃO, você não me conhece! Conhece a Blair que eu fingia ser, eu não sou ela! - Você pode ser ela se quiser, você é livre para mudar, e se... Mas antes que ele completasse sua frase, foi congelado dos pés ao pescoço, a verdadeira Blair estava em seu lado direito, enquanto a outra se transformava novamente no hidrante, ela começou a falar, - É aí que você se engana, Luke, eu não tenho escolha, Blaiir se postou à sua frente, e se virou de costas, mostrando a grande tatuagem nas suas costas, um grande ''S'' negro com partes cortadas, - Shade! Gritou Luke, percebendo o significado da tatuagem, - Mas por que? Blair então se virou, - É um selo mágico, Raymond Shade agora tem total controle sobre mim, entenda, ele não é um monstro comum, eu nem faço idéia sobre o que, de fato, ele é, mas é poderoso demais... Luke então a ofereceu ajuda, disse que a tiraria do poder dele, e que neutralizaria a magia que estava a controlando, mas ela sabia que a essa altura, era inútil.

O gelo que prendia Luke havia se quebrado, Blair havia se distraído, Luke segurou os braços da garota, - Agora você não vai fugir, mas ele logo percebeu que uma grande abóbora com formato cilíndrico estava atrás dele, era a Pumpkin Agartha, ele se jogou, ainda segurando Blair, para o lado, a abóbora havia se orpulsionado para frente como um míssil, abriu sua boca, tentando morder Luke, mas vendo que ele não estava mais lá, simplesmente explodiu, o impacto jogou Luke e Blair contra a parede de Wonderland, que era estranhamente fofa, fazendo-os ricochetear e cair no chão novamente, Blair se livrou das mãos de Luke, e lançou uma barragem de suas Pumpkin Grenade, mas ele simplesmente as jogou para cima com Magia de vento, ficou contente em constatar que a técnica de Blair tinha um teto, que prontamente se rompeu com as explosões, ele agora observava que Wonderland[//i] era como um pacote de presentes por fora, e então usou sua [i]Espada Ofuscante para cortar a parede da técnica, ele então se apressou a sair do espaço alterado e foi seguido de perto por Blair, ela então cinvocou uma nova técnica, criando grandes asas de cor alaranjada, o Fantasma se perguntou se ela iria usá-los para voar, mas assim que as asas bateram pela primeira vez, muitas explosões aconteceram, a Bruxa tinha certeza de que Luke havia sido arremeçado para fora do telhado, - Minha Pumpkin Peacock, cria asas ilusionárias, na verdade, são feitas de uma multitude de bombas que perseguem o alvo, pois isso é tudo que eu tenho, asas imaginárias, só acho que sou livre... Mas antes que ela pudesse reclamar, foi quase atingida pela Espada Ofuscante de Luke.

Blair se perguntava como Luke havia saído quase ileso das inúmeras explosões, mas então viu o que ele segurava através da fumaça, era um pedaço do papel de parede da Wonderland, - Sabe, imaginei que uma técnica tão poderosa devia ser indestrutível por fora, Blair sorriu, mas parou de fazê-lo na mesma hora, Luke então concentrou mais energia em sua espada, e a transformou na Lança Ofuscante: RE, - Então agora você realmente quer me matar hum? Blair perguntou, - Não, essa técnica eu criei pra você, não vai te machucar, Blair se surpreendeu com a resposta determinada, o garoto trespassou ela com a lança, mas levou um choque ao ver que tinha perfurado um armário, Blair então apareceu atrás dele, - Os efeitos de Wonderland continuam enquanto ela existir, ela então ativou Pumpkin Peacock novamente, Luke teve uma idéia, e correu novamente para dentro da caixa mágica, abriu rapidamente mais um buraco e escapou, as bombas da técnica explodiram dentro de Wonderland, a obliterando, - Ah, vejo que a escola realmente ensina coisas que prestam... Luke detectou o tom de tristeza e remorso na voz da Bruxa, e com um aceno, ela invocou Pumpkin Claws em ambas as mãos, que ficaram covbertas de longas garras metálicas com cor laranjada, as lâminas dos dois continuaram a se encontrar várias vezes, nenhum deles dando chances ao outro, se a partida continuase assim, poderia durar dias a fio.

Foi aí que Luke percebeu que Blair não queria realmente machucá-lo, lembrou-se da primeira luta de espadas que tinha testemunhado, Jack VS. Igor, lembrou-se de como as espadas dos dois não se encontravam muito, pois apesar de ser uma luta de mentira, ambos tentavam acertar o corpo do outro, não a arma, e era exatamente o que Blair estava fazendo, ele então teve mais raiva de Shade ainda, e a transformou em determinação, determinação para salvar a amiga, ele então aumentou drásticamente a velocidade de seus golpeios, conseguindo desequilibrar a colega, mas ela tinha um plano, colocou ambas as garras juntas e usou Carving Scream, lançando uma onda de energia e derrubando Luke. - Sinto muto, mas de que adianta essa arma para me libertar se você não me atingir? Mas de repente, Blair se calou, o Luke que tinha caído virou um grande relógio, e o verdadeiro estava atrás dela, ele disse, - Eu sei, por isso tomei o cuidado de transformá-la um passo além, ele então destacou a lança de seu braço, e a colocou em um novo arco que tinha recebido, e a atirou como uma flecha, Flecha Ofuscante nasceu, e perfurou Blair bem na localização de sua tatuagem. A garota não sentiu dor alguma, se sentia... Finalmente livre; Tanto ela como Luke estavam física e mentalmente cansados, ambos se jogaram de costas, e ficaram alguns segundos observando as nuvens, antes de recomeçarem a falar.
.

Próximo Capítulo: 14/01
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 26: Rapsódia de Alice.

Mensagem  Jack Jerripher em Sab Jan 14, 2012 11:24 am

5...

Blair e Luke estavam deitados no chão do telhado enquanto observavam as estrelas dançando no céu noturno, até que ela quebrou o silêncio, o perguntando sobre como ele tinha conseguido usar uma das ilusões de sua própria Wonderland, Luke então tirou algo que ele escondia em suas costas, era um fragmento da técnica, o mesmo que ele usara para se defender mais cedo, Blair entendeu que havia sido enganada, e que seu feitiço não tinha sido realmente desfeito, eles então começaram a rir, não era uma risada falsa ou sem motivo, eles...estavam...simplesmente...felizes, Blair então sabia que agora precisava contar sua história, e explicar tudo o que aconteceu a aproximadamente quatro anos atrás, ela olhou para Luke, que sem dizer nenhuma palavra, entendia o que ela queria dizer, a garota então recuperou a compostura e respirou fundo, pedindo para que Luke deixasse perguntas para o final, ela começou.

‘’Eu e minha irmã, Blair, vivíamos com um clã nômade da Irlanda, o Clã dos Liddel, eramos parte da família que os liderava, a matriarca do clã era nossa avó, ela fora a mais respeitada e mais querida das líderes, porém, como ela estava ficando muito velha e estava tendo complicações de saúde, nossa mãe, Martha Liddel, foi escolhida para lhe suceder, ela era, em geral, uma boa chefe de clã, mas tinha um lado dela que ninguém, exceto eu e Blair conhecíamos, ela levava nosso treinamento muito a sério, era uma pessoa fria, acredito que se tornou assim porque viveu sempre à sombra da mãe dela. Ela nos dava um regime de treino muito rigoroso, nos trancava em um calabouço escuro sem comida por dias e nos torturava físicamente, ela acreditava que a dor traria à tona nossos poderes ocultos, e fingia para os outros que estávamos treinando fora; Um dia, nossa avó descobriu tudo, nos libertou e foi tirar satisfações com nossa mãe, má idéia, nossa mãe enganou todos dizendo que nossa avó tinha sofrido um ataque cardíaco, ela nos trancou novamente, desta vez por mais de uma semana.
Minha irmã mais velha era uma ótima irmã, ela até dividia a pouca comida que tinhamos quando eramos libertadas e ela sempre me confortava, ela dizia: - Durma Alice, amanhã isso acabará... Mas um dia, quando acordei, a porta do calabouço estava aberta, e minha irmã não estava comigo, havia algo de muito diferente no ar, parecia ser fogo, eu então saí, e vi a coisa mais horrível que já tinha visto. O acampamento inteiro estava em chamas, corpos estirados pelo chão, corri por meio deles, e então vi minha mãe queimando em chamas, e no meio daquilo tudo, Blair estava em pé, sorrindo para mim ela disse: - Eu lhe disse Alice, tudo acabou, estamos livres, mas quando ela se aproximou de mim, eu tive medo, algo estava errado nela, sua expressão dementada, não posso me esquecer do sorriso que ela tinha.

Para me defender, sem nem mesmo desejar, lancei um feitiço sobre ela, e observei com horror quando uma pequena criatura, parecida com um lagarto de cor negra-fósfor caiu de seu pescoço, minha irmã desmaiou quando a criatura saiu, eu tentei exterminar aquela coisa, mas ela se arrastou para o meio das chamas, sem nem se queimar, e correu em direção à mata. A próxima coisa de que me lembro era Blair acordando, e fugindo da cena, eu tentei seguí-la, mas acabei perdida na mata, passado algum tempo, eu encontrei um homem, ele prometeu cuidar de mim, havia apenas uma troca, eu devia seguir e obedecer ele, eu concordei, não sabia em que estava me metendo, ele desenhou aquele símbolo em minhas costas, e me levou para uma mansão desocupada no País de Gales, onde ele me treinou por três anos, era um completo tirano, e por alguma razão, queria destruir esta Academia, e todos os monstros; Durante esse tempo, acolhi o nome de minha Irmã desaparecida, e três orfãos juntaram-se a nós, Blaise, Charles e Valery, e no último ano, Shade contratou Charlotte para nos ajudar na empreitada, e então me largou, sozinha no mundo, pensei estar livre, fui acolhida por um casal de demônios idosos em Dublin, que conheciam minha família. Eles me cuidaram muito bem, até que Shade chegou e me mandou para esta Academia, me dando um plano para seguir...’’

Luke percebia as lágrimas nos olhos de Blair, mesmo que ela forçasse sua voz a ficar clara, ele apenas se virou e a abraçou, - Eu mereço morrer! Declarou ela, Luke se afastou um pouco dela, e disse que não era verdade, ela mais uma vez insistiu, mas tomou um choque, Luke a deu um tapa para trazê-la a realidade, - Viva, viva para se explicar com seus amigos, e viva com eles, me diga que quer viver! Blair pausou por um momento, mas então olhou para o céu estrelado, e achou sua determinação, queria ter a vida que estava fingindo... Não, ela queria viver sua vida real, com seus amigos, se sentira mais viva do que nunca naqueles curtos meses, ela então ergueu o braço em direção a lua, e declarou, - Eu quero viver! Quero estar livre, com meus amigos à minha volta!

Uma voz então respondeu que isso agora era possível, ao virarem, viram que Kain, Brenda e Gray estavam lá, Kain correu, e deu sua mão à Blair, ajudando-a a se levantar, - A quanto tempo estão aqui? Perguntou Luke, - A tempo o bastante, ouvimos sua história, Blair. Disse Gary, que então se moveu para frente, e juntamente com os outros dois, abraçaram Blair fortemente, ela não precisava pedir se a perdoavam, - Agora temos só mais uma outra coisa a fazer... Chutar o traseiro do Shade até a Argentina! Declarou Kain, o grupo então colocou suas mãos juntas, e juraram, finalmente reunidos. Um tremor surpreendeu a todos,Arcadia se aproximava cada vez mais do castelo, todos tiveram que explicar a Luke sobre o palácio ambulante de destruição que vinha à caminho da Grave, Blair os explicou que Shade era quem a pilotava.



Na sala de controle de Arcadia, que parecia mais uma sala de trono de um antigo castelo, com uma bola de cristal em um pedestal no centro, Shade sentava-se desleixadamente no trono, mas algo estava errado, sua cabeça agora sentia uma forte dor, ele observou irritado quando quatro das cinco tapeçarias de sua sala começavam a pegar fogo e desaparecer em cinzas, - Blair e os orfãos foram derrotados é? Realmente não iamginava, bom, acho que agora a diversão vai ser minha, ele então se levantou e andou lentamente até a janela, via o castelo que ele tão profundamente odiava, mesmo que nunca tivesse estudado ou até mesmo entrado até aquela noite, ele era o símbolo de tudo o que causava sua raiva, em breve, tudo acabaria...



Luke e os outros tinham descido às escadas do destruído castelo até uma entrada secreta para o calabouço que estava sendo usado como enfermaria provisória. Não podiam deixar de tentar conter suas lágrimas, o castelo que os havia unido, e havia os trazido tantas alegrias, estava práticamente em ruínas. Ao entrarem na enfermaria, Cattleya e Hildegarde cumprimentaram Blair, pois não a viam à tempos e acreditavam nela, o grupo via muitos alunos, os quatro caçadores, que lhes cumprimentaram, ambos vitoriosos, e então bateram os olhos em seus oponentes anteriores, todos menos Brenda ficaram com imenso choque ao verem a forma na qual Shade tinha trancado Valery, ficaram com muita pena de Charles por seus problemas, e não puderam não se sentir mal por tudo que Blaise tinha passado na vida; Com Luke e Blair recuperados, estavam sentados com Cattleya para decidir o que fariam para parar Arcadia era um consenso que deviam ser eles a parar Shade, e para isso deveriam se infiltrar no palácio, logo, para a surpresa de todos, Hilda de repente, saltou da janela, todos ficaram assustados, mas logo maravilhados ao ver um enorme pássaro com plumagem vermelha e dourada aparecer, era a verdadeira forma de Hilda, - Se vocês quiserem, levarei vocês até lá, disse ela com a voz mais melodiosa que já tinham ouvido, - Melhor. Carona.Que.Há! Gritou Kain, o olhar de Hildegarde dizia, - Ainda posso te derrubar,o grupo destemido então subiu nas costas da Fênix, e se despedindo de Cattleya, voaram em direção à Arcadia, salvariam à todos, não importava o que enfrentassem, conseguiriam.


Próximo Capítulo: 15/01
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 27: Protegê-los é Nosso Dever.

Mensagem  Jack Jerripher em Dom Jan 15, 2012 4:46 pm

4...

Charlotte levantou uma de suas sobrancelhas, Samantha havia assumido a forma de combate de Nirvana, ''Porque ela se motiva tanto?'', mas logo teve de parar de se questionar, pois sentiu um rápido corte em seu ombro direito, uma das Flores de Lótus presas às costas de Samantha havia se esticado e cortado sua pele, Charlotte rapidamente colocou uma teia especia de cura por cima do ferimento, o estancando, e logo jogou seus fios mais afiados em direção à Ninfa, que se movia com extrema rapidez para desviar-se, era incrível como ela conseguia, apesar de estar cansada; Mas a Aracne não teve tempo de ficar analisando, sentiu algo se prendendo à sua perna, e se virou para ver Carmela, que segurava alguma espécie de chicote, feito de energia negra, ela então o puxou com força, derrubando-a de sua teia, ela logo caiu nos braços de James e Jonah, que a deram um soco combinado, a lançando longe, porém, Carmela a puxou denovo, desta vez Juliet estava em seu caminho, com uma grande lança feita de ossos, a lança perfurou a barriga da aranha, que gritou de dor, mas conseguiu pular para sair de perto deles, ela logo teve de se esquivar de chutes e socos vindos da professora, a situação não era tão fácil quanto ela pensava.



A luta dos professores contra os soldados zumbificados de Shade estava na mesma direção de antes, por mais que unissem suas forças, não conseguiam derrotar todos de uma vez só, essa sendo a única maneira de negar a técnica Espórios da Morte, que continuava os reanimando, Margarete e Aaron pareciam ser os únicos que não haviam sofrido nenhum machucado sério, mas com certeza estavam chegando ao limite de suas forças, - Mais uma vez, temos que tentar, os alunos contam com a gente! gritou Margarete no topo de sua voz, todos eles então se concentraram, liberando suas forças, todos criaram uma onda destrutiva de energia, colocando suas vontades no golpe, conseguiram aumentá-lo um pouco a mais do que já haviam conseguido, mas tinham problemas em expandí-lo além disso, tinham que mantê-lo pelo menos constante, achavam que não iam conseguir, mas de repente, alguma energia desconhecida juntou-se ao seu poder, o expandindo grandemente, fazendo-o crescer e engulfar toda a tropa, a obliterando por completo. O grupo deu vivas no ar, tinham conseguido, ao se virarem viram a fonte do poder, Jack e Sophie sorriam para eles, ambos estavam em suas formas libertas; Sophie estava praticamente igual, mas trajava vestes próprias para batalha e tinha duas abrangentes asas cor de creme, e compridas garras, seus olhos azul-aço pareciam estar emitindo um hipnotisante brilho, Jack, por outro lado, era como uma armadura esqueletal de cor negra com partes vermelho sangue, uma bola de fogo azul pairava sobre a parte onde a cabeça da armadura deveria estar, e dela saiía a voz do Diretor, ele também carregava uma grande Claymore de cor negra e com listras amarelas, era sua espada favorita, Vespa. - Desculpe-nos pessoal, tivemos alguns problemas para chegar até aqui, exclamou a voz etérea do Diretor, O grupo os olhava com admiração, não haviam lançado nem um ataque ou magia, simplesmente a energia dos dois já era capaz de tais feitos.



Hildegarde agora se aproximava de Arcadia, era quase impossível acreditar que uma estrutura tão grande era apenas uma magia, só de chegar perto dela, sentiam-se oprimidos por alguma estranha pressão. A grande Fênix então pousou em uma parte parecida com a encosta de uma montanha, todos desceram apressados, e a mulher voltou à sua forma humana, ela os pediu para que tivessem cuidado, e deixando o grupo com um olhar preocupado, atípico para ela, os deu adeus e boa sorte, e voltou a voar em direção à Academia, onde ela precisava ajudar a cuidar dos feridos. Antes do grupo partir em direção à Shade, Blair os parou, tinha que explicar que ele não era um monstro comum, e que ela não fazia idéia do que ele era, mas podia dizer que sua energia era maléfica e arcáica, há muito esquecida pelas pessoas, ela então piscou com um dos olhos, e uma pequena faísca percorreu o corpo de todos, os trajando com novas roupas, Gary questionou a necessidade disso, mas Brenda o explicou que não poderiam se mover muito bem em trajes formais rasgados, o que todos concordaram; Luke trajava um colete de cor azul claro, uma camiseta cinza por baixo, calças que chegavam até quase seus pés e botas de exército que Gary e Kain também exibiam, Kain usava uma camiseta estilo colegial com uma gravata solta e jeans folgadas presas por um cinto negro, Gary vestia um conjunto completo de camuflagem; Brenda exibia apenas uma camisa xadrez fechada, e uma saia negra, Blair usava um vestido curto de cor branca e um laço negro em seu cabelo, ambas usavam sandálias com salto agulha; Prontos para ir, sentiram a grande presença energética de Shade, vinda de um castelo após o que parecia uma passagem entre uma montanha, podiam sentir outras presenças pelo lugar, por isso precisavam estar sempre atentos.



Samantha e Charlotte haviam trocado a batalha para uma disputa corpo a corpo, a situação de Charlotte se complicava ainda mais pois precisava se esquivar também dos golpes e técnicas de Carmela e da Trindade dos J's, que mesmo machucados e cansados, não desistiam, Charlotte havia se esquivado de uma magia de Juliet, quando tomou um forte soco de Samantha, que a fez se desequilibrar e ainda ser atingida por golpes combinados de Carmela e Jonah, ela então decidiu que era hora de parar de brincar, transformou-se em sua gargantuana forma de aranha, causando com que todos pulassem de surpresa, ela então lançou algumas de suas teias cortantes em direção aos alunos que assistiam à batalha sem saber o que fazer, Carmela, James, Jonah, Juliet e Flint não conseguiriam chegar a tempo. Sangue manchou o chão do hall, todos encaravam em choque aquela visão, as teias estavam a centímetros do rosto de uma garota, mas... era Samantha que estava sendo perfurada por elas, duas atravessavam seu abdômen, uma por sua perna, e duas por cada braço, O grupo correu em direção a Professora, que os assertiu que estava bem, ela então, com o limite de suas forças, segurou as teias, Charlotte tentou soltar-se, mas agora estava presa à Professora, - Posso até morrer, mas você vai junto! Gritou a Ninfa, os alunos entendiam o que deviam fazer, Juliet então criou um grande Martelo feito de ossoa, e pediu que todos transferissem suas energias para ela, os alunos concordaram, eles sentiam raiva, Charlotte não sairia ilesa depois de machucar Samantha, a professora que cuidara deles e os defendera. Eles todos então concentraram suas energias, e apontaram as mãos em direção à Juliet, seu martelo cresceu, quase encostando o teto, todos então fizeram a postura que Jack lhes ensinara para manejar um martelo, e o desceram com toda força e vontade em direção a Charlotte, que não pôde deixar de ser atingida, o impacto abriu uma grande fenda no chão, James notou uma pequena viúva-negra correndo para fora do salão, queria acabar com ela, mas Carmela o parou, não deveria se rebaixar ao nível dela, ela não ia voltar a aprontar tão cedo, e então explicou que o martelo de Juliet tinha uma propriedade que trancaria o poder de quem fosse atingido. Os estudantes então carregaram sua heroína para a enfermaria, ela então foi tratada, e estava se recuperando.



Do lado de fora do catelo, todos haviam posto sua atenção em Arcadia, masi específicamete na abertura de um grande tubo em sua parte frontal, em sua ponta estavam se reunindo partículas de energia, lá todos já sabiam o que isso significava, a verdadeira razão do perigo que representava o Palácio do Fim: Arcadia, ele tinha esse nome por causa de uma terrível arma que escondia, era um poderosos canhão que catalisava energia da área e suas partículas, e revertia sua polaridade, aumentando seu poder, esse canhão tinha a fama de ser impossível de ser parado, e aniquilaria o que for que atingisse, uma cidade inteira nas montanhas romenas havia sido destruída sem deixar traços no milênio passado, algo assim não poderia ocorrer novamente; Gritos de ''O que Faremos?'' começaram a encher o local, mas quando olharam nos olhos de Sophie, e de Jack[Metafóricamente em seu caso], já perceberam, e não lhes pareceu má idéia. - Aquele canhão nunca foi parado, mas só porque não encontrou uma força de mesma frequência! Jack declarou, erguendo uma mão ao alto, todos o acompanharam, gritando sua determinação, - A final, protegê-los é nosso dever! Disse Sophie, confiante, os Professores e Trabalhadores da Academia então fizeram um círculo, deram as mãos, e concentraram suas energias, deram uma última olhada à luz brilhante que via em direção deles, e focaram sua energia, fazendo ambas colidirem com um baque.



Dentro de uma passagem pela montanha, Luke e seu grupo sentiram um grande tremor, e observaram enquanto rachaduras apareceram pelo túnel no qual estavam, correram para fora para olhar, e não viram nada, mas conseguiam discernir a figura de sua Academia, parecia que havis sido atingida por várias bolas de aço utilizadas em demolições, mas ainda estava lá, uma pequena cratera havia se formado em forma de linha, estando mais ou menos na metade da distância entre o castelo e Arcadia, o palácio também tinha sido danificado, duas de suas enormes pernas haviam caído no chão, e rachaduras se apresentavam por toda parte, ao se aproximarem de sua borda, puderam ver, mesmo àquela altura, que quase todos os seus professores estavam estirados na grama à frente do castelo, Blair os explicou que eles provavelmente defenderam o lugar contra o canhão, Utopia, e que ela não imaginava que algo poderia sobreviver à ele. Sem tempo para ficarem admirados, o grupo correu em direção ao palácio principal, passaram por florestas e até uma cachoeira, cenários improváveis, até que Brenda os contou que Arcadia foi primeiramente projetada como uma cidade exclusiva para monstros, antes de ser transformada em arma de guerra. Após correrem muito, ficaram à frente de uma grande porta cinzenta, ela levava à sala do trono, de onde sentiam a presença de Shade, compartilhando um último olhar, os cinco adentraram o grande salão, - Ora ora ora, quem diria? Conseguiram chegar à tempo, parece que nem o canhão conseguiu matar aquelas criaturas despresíveis, e falando nelas, oh meu deus, que surpreendente virada de eventos! Blair, você me traiu? Quem imaginaria? Bom, sabe o que cientistas dizem, baratas são as únicas que sobreviveriam à uma explosão nuclear... Disse ele se referindo aos professores; Se a raiva do grupo não era grande o bastante antes, Shade havia conseguido aumentá-la, eles então se posicionaram, prontos para a batalha de suas vidas, e lançaram-se a correr.


Próximo Capítulo: 18/01


Momento de Terror, Número 9: A cada três capítulos, uma historinha, como uma lenda urbana, será publicada no final, geralmente contada por um personagem da história.

Crime Perfeito


Em um Círculo de pessoas sentadas no chão, incluindo os personagens até agora introduzidos, foram acendidas várias Velas, e então Luke disse, irritado, que esta era a vez da Shade de contar a história, o Sarcástico vilão então se posicionou direito, apagou a vela a sua frente, e começou:

Shade: ''Numa noiite ridícula, uma pequena garotinha ridícula descia a rídicula rua de sua ridícula casa... (Luke o olhou com raiva, para ele parar de dizer ridícula)... Quando viu uma jovem mulher à varanda de sua casa, ela tricotava o que parecia ser um cachecol, a garota, primeiramente, teve medo da expressão ridí... er... exageradamente doce da mulher, mas ela então viu a garota e começou a falar, ''Sabe, quando era pequena, minha mãe me contou uma lenda, era uma vez uma mulher que tinha se cansado de seu marido, não que ele tivesse feito algo de mal pra ela, a mulher se cansa após um tempo, ela então ouviu um espírito da floresta, que lhe disse que se ela cuidasse de bichos da seda, roubando seus ovos e uma noite de lua cheia, cuidasse das larvas, e elas saíssem do casulo em uma noite de lua cheia, ela poderia usar a seda do casulo para fazer linhas, e tricotar roupas para seu marido, todos os passos feitos sob a luz da lua, ele desapareceria; Uma noite, o marido estava saindo para seu trabalho, quando a esposa lhe deu um agasalho feito de seda, o marido a agradeceu, e saiu, ele nunca mais foi encontrado... O crime perfeito não seria?'' A garota se apavorou com a história e voltou para casa.

Shade: Sabem do que a garota teve mais medo? Ela podia ver, uma criatura, ou alguma coisa pairando sobre o cachecol que a mulher tricotava... e era em uma noite de Lua cheia que aquela mulher o terminava...''
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 28: Caminho Para o Inferno.

Mensagem  Jack Jerripher em Qua Jan 18, 2012 7:21 pm

3...

Na sala do trono de Arcadia, a batalha entre Shade e os cinco estudantes estava prestes a começar; Brenda e Kain não perderam tempo algum, lançaram suas técnicas, Garras Ferreteantes e Globo Destrutivo, mas Shade simplesmente levantou sua mão, uma criatura, com aparência de uma alma penada de cor roxa, saiu de baixo de sua manga, e enrolou ambos os golpes com seu corpo serpentino, os neutralizando, - Esta, caros convidados, é minha técnica,Casper Evanescia, disse ele com orgulho na voz, e esta se chama Martel Astre, ele então bateu as mãos juntas, criando um círculo mágico no ar, tentáculos negros sairam do chão e rapidamente se enrolaram nas pernas de seus oponentes, Luke reagiu rápido e lançou seu Disco Espectral, cortando os grandes tentáculos em pedaços, Shade se surpreendeu com a rapidez da reação do garoto, dizendo que não era estranho que o grupo tenha derrotado seus pupilos com essa habilidade, - Pupilos? Não me faça rir, não passávamos de peões em seu jogo! Shade comentou que se sentia ofendido com o comentário de Blair, alegando tê-la criado melhor que sua própria mãe.

Ele havia pisado em um calo, Blair simplesmente lançou uma barragem de suas Pumpkin Bombs, mas ele já estava familiarizado com esta técnica, tendo a ensinado para Blair em primeiro lugar, ele simplesmente precisou raspar seu dedo indicador em seu polegar, lançando múltiplas criaturas de aparência parecida com pequenos diabinhos vermelhos, eles então entraram pelos olhos das abóboras de Blair, e rapidamente as fizeram brilhar em uma cor vermelha e implodir, - Esses são meus queridos Rouge Pixies, eles deixam tudo melhor, disse Shade com um tom de canto na voz, ''É como se ele estivesse preparado para tudo...'' Pensou Luke. Shade então encostou uma de suas palmas no braço de sua poltrona, círculos de cor vermelha apareceram no chão, e uma maré de cor vermelha forte foi gerada, Brenda pensou rápido e usou Magia da Terra, criando uma ampla parede de pedras, que impediram a maré de progredir, mas a barreira não aguentaria por muito tempo, Gary pulou sobre a barreira, abrindo as pernas em uma posição quadrada, ele fincou os cascos no chão, usando sua técnica, Redemoínho Negro, que sugou toda a água.

Gary então deu um alto relincho, e o redemoínho se virou, apontando para Shade, e logo despejou toda a água em sua direção, ele então teve de se levantar, a água atingiu toda a parede às suas costas, e estava a corroendo; Luke e os outros pularam pela barreira de Brenda, indo ajudar Gary, Luke pôde ver que os cascos do colega estavam até um pouco corroídos na base, Kain lançou um Globo Spinner, e ateou fogo à ele com Magia de Fogo, Shade simplesmente apontou para seu trono, o fazendo voar em direção à técnica de Kain, a peça dourada foi posta em chamas e virou cinzas em segundos, - Não temos tempo para perder! Gritou Blair, invocando sua magia, Rabbit Hole, criou vários círculos brancos no chão perto de seu antigo mestre, sem dar tempo para ele reagir, eles lançaram pilares de luz para cima, que ao se juntarem, causaram uma grande explosão de cor branca, fazendo com que todos precisassem se segurar em algo; Tiveram a momentânea ilusão de achar que haviam derrotado seu inimigo, uma grande parte da parede foi destruída, abrindo um grande buraco nela, revelando o exterior, mas uma das ''almas penadas'' do inimigo veio de cima e agarrou Blair, a enrolando, todos tentaram soltá-la, mas um nó muito forte havia se atado no corpo da garota.

Luke lançou seu Gancho Ectoplasma para o buraco no teto de onde a alma vinha, ele a puxou com muita força, causando parte do já enfraquecido teto a desabar, revelando que Shade lá estava sentado e parecendo se divertir, apertando mais e mais o corpo da garota, a fazendo gritar de dor, - Qual é Blair, você sempre foi minha marionete! Disse ele enquanto atava os braços e pernas da garota com mais quatro almas, a fazendo mexer-se como uma verdadeira marionete sendo controlada por cabos, seus amigos encararam Shade com olhares raivosos, ele já havia passado da linha há Muito tempo, e o que o motivava para ccometer tais atos? Blair aguentou a dor e respirou fundo, Brenda, Kain e Gary se surpreenderam, viram a cena à suas voltas mudar, estavam agora em um ''mundo'' de gravidade alterada, objetos estranhos flutuavam dentro dele, reunindo-se à cores psicodélicas, mas Luke já estava tão acostumado com Wonderland que seu cérebro não era nem mais confundido por seus poderes de disordem direcional, e a gravidade parecia tão normal para ele como para Bllair.

Após reunirem seus amigos no chão, Blair os explicou que estavam dentro da dimensão de uma de suas técnicas, e que estavam temporariamente seguros de Shade, pois essa técnica a garota já conhecia antes de treinar com ele, e podiam usar essa ''zona segura'' para vantagem do grupo. Do lado de fora, Raymond observava a estranha caixa de presente flutuante que havia aparecido à sua frente, - A criatividade desse garota sempre me surpreende, sério, quem pensaria nisso? Se perguntava ele com um tom divertido, mas logo teve de cessar sua risada, pois uma Brenda em Modo Feral tinha acabado de sair de dentro do presente, e ficava em suas duas patas, tentando arranhar Shade com suas garras metálicas, mas ele demonstrava uma agilidade sobrenatural, dobrando membros que não deveriam dobrar daquele jeito, Brenda se posicionou sobre quatro patas e usou seu Uivo Final, criando uma onda sonora poderosa o bastante para quebrar as vidraças do lugar, mas Shade havia pulado bem na hora, ele então, para surpresa de Brenda, pareceu andar em uma parede verticalmente, ignorando as leis da física [que claro, são ignoradas toda hora por poderes especiais, mas esse poder era muito incomum neste mundo], ele então se virou e lançou um rápido chute que atingiu Brenda no lado do pescoço, a mandando aos ares e caindo dentro de Wonderland novamente.

Shade riu um pouco de sua tentativa, mas teve de segurar a risada ao ver que Gary e Kain também haviam saído, Gary estava em forma humana e brandia seu tridente, mas Kain já havia pulado em sua direção, tentando arranhá-lo com suas garras de urso, ele continuava a se esquivar mas foi enfim atingido por Gary, que estranhamente estava atrás dele, Shade viu o Gary que havia saído agora da caixa desaparecer em fumaça, e assim que se desvencilhou das pontas do tridente que estavam cravadas em seu abdômen, ele perguntou como havia conseguido, - Foi fácil, pedimos a Brenda para causar uma distração enquanto eu preparava a ilusão para você não me ver saindo da caixa, ao perceber que havia sido enganado, traços mais sombrios de sua personalidade se mostravam, ele começou a rir, e então colocou cada um de seus dedos dentro dos buracos que o Kelpie perfurara em sua pele, causando ataques de ânsia em Gary e Kain, mas ficaram mais surpresos quando viram que assim que ele retirou os dedos da própria carne, os ferimentos haviam se fechado, e ainda por cima, nenhum sangue escorreu, Shade então rapidamente usou seu Casper Evanescia para enrolá-los e os jogou de volta para Wonderland.

Por último, Blair e Luke sairam, Blair usava sua Pumpkin Peacock, mas parecia estar a usando como verdadeiras asas ao invés de lançar explosivos, ela carregava Luke, que já tinha em mãos seu arco, ao voarem alto, dispararam algumas flechas contra Shade, que as bloqueou com seus Rouge Pixies, mas não estava preparado para a Flecha Ofuscante, que Luke escondeu entre as flechas normais, a flecha o acertou em cheio na parte inferior do torso, demonstrou mais dor nesta vez, vendo que o golpe foi feito para atingir o espírito mais do que o corpo, e antes dele poder se recuperar, Blair e Luke pousaram, e então a bruxa ativou os poderes de Pumpkin Peacock, mandando muitas explosões em sua direção.

Após a fumaça se dissipar, os dois amigos podiam ver que Shade ainda estava de pé, seu corpo estava severamente queimado, mas dava para ver que ele estava se recuperando, - AHAHAHAHA! É realmente só isso que aprenderam este ano na escolhinha de vocês? É SÓ ISSO? Eu não sei porque me preocupei em lutar contra vocês... Mas agora, cansei de brincar e me fingir de machucado, então vou começar a jogar sério! Ele então começou a mudar, uma espécie de casulo de cor negra envolveu seu corpo, Kain, Brenda e Gary saíram de Wonderland, pois podiam sentir a presença de Shade aumentar de tamanho; Era possível ver, através da translucente casca de cor negra, que algo como um feto estava sendo rapidamente envolvido em uma massa escura de sombras, era realmente uma visão grotesca, uma metamorfose macabra; Kain e Gary tentaram atacar a casca com dois raios de Magia de Trovão, mas não fizeram nenhum efeito na casca, aparentemente frágil.

De repente, a casca trincou, não rachou por completo, apenas uma abertura linear apareceu verticalmente na superfície, um braço esqueletal saiu de dentro, fazendo um buraco maior na abertura, e por ela se expremeu uma criatura de feições grotescas, tinha o tamanho de um homem, mas era como se seu corpo inteiro fosse composto de uma meleca de cor roxa, seus antebraços e sua parte pós-joelhos eram terminações ósseas com alguns nervos e músculos estourados, no lugar de sua face era apenas um olho verde-claro com uma grande pupila negra, e com um contorno vermelho-vivo, seu olho parecia poder mover-se livremente para qualquer parte do ''corpo'', sendo carregado pela gosma roxa, tinha uma intrusão, parecida com uma cauda de escorpião, mas saía do meio de suas costas. O grupo não teve tempo para ter medo da forma verdadeira de Shade, o bombardearam com suas técnicas combinadas antes que ele dissesse alguma coisa, para horror deles, nenhum dano parecia ter sido feito à criatura.

- Muito bem, muito bem, agora vocês podem entender... Agora entenderão como é a verdadeira natureza da solidão e do desespero... O grupo estava se perguntando de onde a voz saía, pois não enxergavam nada em seu corpo de sombras que pudesse ser articulado, mas assim que a fumaça e os destroços causados por seus golpes se dissipou, puderam ver que um largo sorriso cheio de dentes afiados como de tubarões havia aparecido, e ele parecia se repetir por cada centímetro do contorno lateral de seu corpo, a craitura se movia com ângulos estranhos de seus membros, dava a estranha impressão de que era um grande manequim assombrado por uma criatura feita de pesadelos em forma física; A maioria dos cinco não estava conseguindo nem se mexer diante de sua presente aparência, ele então andou um pouco e simplesmente desapareceu, enquanto procuravam por ele pela sala destruída, perceberam que a parte da parede que havia sido bombeada pelos Rabbit Holes se Blair, estavam começando a ser preenchida por uma gosma roxa, a mesma que cobria o corpo de Shade, logo, sem poderem fazer nada a respeito, o salão do trono inteiro foi coberto com essa gosma.



Luke abriu os olhos de súbito, o sol da manhã brilhava claro em seu rosto, sentia o forte cheiro de grama cortada pelo ar à sua volta, e alguma coisa que parecia... enxofre, mas era um cheiro muito mais súbito, parecia ser completamente engulfado pelo cheiro da grama. O garoto se sentia em paz, uma estranha paz, não lembrava o que estava fazendo ali, e nem o que estava fazendo anteriormente, ao tentar se lembrar, começava a pensar que decididamente estivera sonhando, se recordava com pouco detalhe de uma escola, e se estar cercado por quatro pessoas, cujos rostos não conseguia discernir, lembrava também de estar em uma sala repleta de livros, conversando com um homem que sentava-se atrás de uma bela mesa de trabalho negra com desenhos de dragões dourados feitos em metal, sua lembrança mais vívida era de estar em uma caverna, com uma mulher que ele não reconhecia, mas tinha longos cabelos castanhos lisos que caíam em curvas gentis sobre suas costas, todas as figuras tinham algum tipo de sombra sobre a face. Luke se levantou, estivera dormindo no canteiro de abóboras de um de seus visinhos, mas aquilo não parecia sua cidade, Markseville, parecia mais um grande campo aberto.

Ao olhar em sua volta, podia ver duas silhuetas ao longe, perto da linha do horizonte, e estranhamente, o sol já não era mais visível no local, apesar de tê-lo acordado de seu sono, a luz do local era um azul-límpido que parecia ser produzido artificialmente, ao olhar mais para fundo, Luke via que o brilho parecia estar vindo do céu, que parecia estar tão perto do chão, e sem nenhuma núvem, ele via que a grama cortada embaixo de seus pés acabava em uma divisa com uma relva espessa, que chegaria até os joelhos de Luke, à medida que ele andava em sua direção, via que a grama parecia farfalhar, apesar de não ter absolutamente nenhuma corrente de vento no ar. Ao chegar na divisa entre a grama cortada e a relva, ele percebia que a grama comprida era reduzida à grama cortada na qual estava pisando anteriormente, ele então continuou andando em direção às duas silhuetas, ele as conhecia, e em alguns pontos, notava que o chão tinha algumas manchas de sangue, o que parecia extremamente fora do lugar nesse espaço, que era quase como um cartoon.

Agora que pensava melhor, Luke via que se sentia como se estivesse preso em um lugar fechado, mesmo com a enorme quantidade de espaço aberto, na verdade, só havia espaço aberto, para qualquer canto que olhasse, ele nem havia percebido, mas agora estava frente a frente com Lindsay e Percy Truesdale, sua mãe e irmão respectivamente, o garoto não sabia explicar, mas havia um certo ar de melancolia em sua própria expressão, outra coisa que começou a sentir foram contas que percorriam suas bochechas, ''Por que estou chorando?'' se perguntou ele, e só agora percebia que não conseguia falar, apenas pensar, e sua voz da consciência não era a sua voz de costume, ele demorou um pouco para perceber que era sim sua voz... Mas do tempo em que ele era criança, ele olhou Lindsay e Percy nos olhos, eles apenas se viraram e continuaram a andar em frente, de vez em quando um deles virava-se para trás, e gesticulavam para que ele os seguisse, ele o fez sem nem menos ter controle de suas próprias pernas, sentia agora o cheiro do enxofre ficando progressivamente mais forte. enquanto andava, começava a se lembrar de partes, aparentemente aleatórias de sua memória.

Lembrava-se de estar apoiado em um corrimão, cercado por seus melhores amigos, Blair, Gary, Brenda, Kain, Juliet, Jonah, James e Carmela, podia ver Jack e Sophie descendo uma das escadas de baixo enquanto discutiam algo de aparência importante, seu Diretor tinha seu perene tom brincalhão no rosto, enquanto Sophie tinha sua impressão mais séria, mas com um ar ligeiramente divertido. Seus amigos e ele estavam rindo da última piada de Kain, Luke nem se lembrava sobre o que tinha sido, somente sabia que estavam todos rindo até preencherem seus corações. Todas as suas memórias tinham voltado a Luke, que acordou de seu devaneio, somente para perceber que agora seguia sua mãe e irmão por uma área de floresta morta, grama seca se quebrava em seus passos, e ele não conseguia impedir suas pernas, ele logo notou a presença de rochas ao invés de grama, e viu uma grande porta de marfim, que parecia subir aos céus.

Sua mãe e irmão logo pegaram um em cada uma das maçanetas, e a abriram, Luke viu, em choque o que estava lá dentro, era como um mundo de total escuridão, gritos torturados ecoavam através dele, e algum tipo de tentáculos dentados de espinhos se prendiam à portas, sem tempo para reagir, Luke sentiu de súbito uma enorme dor em seu peito, um dos tentáculos havia se transformado em um espeto gigantesco, e havia o trespassado pela barriga, o membro começou a arrastá-lo, devagar mas constante, em direção à abertura, o cheiro de enxofre era insuportável, ele via sua mãe e irmão de entro da porta, mas ainda entre as fronteiras do mundo de trevas, els tinham as cabeças abaixadas, mas logo que as ergueram Luke viu, ambos tinham a face de Shade, e riam incontrolavelmente, o garoto recordou-se então da batalha interminada contra Shade, não podia deixar as coisas assim, forçou seus lábios a se abrirem, e expressou sua vontade de voltar, o mundo começava a desabar em sua volta, como se fosse apenas um quebra-cabeças infantil.



Luke mais uma vez abriu os olhos, mas estava novamente na sala do trono, ele estava sendo perfurado através do abdômen pela cauda de escorpião de Shade, e assim que recuperou a visão, viu que seus quatro amigos também estavam, por outras quatro cópias de Shade, que estavam dispostos em um círculo, de costas para ele, Luke via os olhos dos amigos, brancos, sem expressão, e percebeu com um choque que deveriam estar experimentando tudo que ele experimentara, e deveriam estar entrando na porta misteriosa neste momento. Sem pensar duas vezes, Luke jogou seu Disco Fantasmagórico, que cortou as caudas dos cinco Shades, libertando os cinco estudantes de seu transe. Assim que acordaram, agradeceram Luke e se agruparam em volta dele; Os cinco Shades estavam dissolvendo-se, e logo se juntaram para formar o Shade original, que desta vez inteiramente sério, comentou, - Escaparam do Inferno não escaparam? Primeira vez... Devo admitir que não pensava muiti de vocês... Ou de sua escola, mas olhem pelo lado positivo, logo vocês e todos os montros do mundo serão ani... Mas ele não terminou a frase, Gary correra em sua direção, o cortando com as pontas laterais do tridente, ele então transformou-se no grande cavalo verde-musgo que era e lançou sua Explosão Fluvial em sua cara, o mandando para o alto, - Isso é por enganar Charles e tentar ferir nossos amigos! Bradiu ele, - Isso é por usar a afeição de Valery e por nos machucar! Gritou Brenda, que em Modo Feral disparou seu Uivo Final, o atordoando, - Isso é por mexer com a mente de Blaise e por corromper pessoas boas! Kain gritou enquanto o arranhava no meio do ar com sua Garra Celestial, - Isso é por me usar quando eu precisava de ajuda e por me fazer machucar meus amigos! Blair gritou em fúria lançando seis de suas Pumpkin Hiralda, que pregaram o corpo de Shade em uma parede, - E isso... É por todas as pessoas a quem você fez sofrer, e por todas que você planejava esmagar em seu plano! Tome isso, A luz da retribuição! Luke preparou sua Flecha Ofuscante, mas recebeu os poderes de seus amigos, que passaram a mão, um por vez, na ponta da flecha, criando a Flecha Transcendente, Luke a disparou com graça, a flecha voou em uma impressionante velocidade, deixando um rastro feito de uma luz que parecia fazer até mesmo a luz das estrelas no céu sentirem vergonha de brilhar junto à esta energia tão pura, a flecha perfurou o centro do peito de Shade, e culminou em um pilar de luz branca, que pôde ser visto de outro lado do mundo, este pilar desmanchou a forma original de Shade, fazendo-o reverter-se à sua forma humana, que caiu derrotado após a luz se apagar.


Próximo Capítulo: 19/01


avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 29: Propósito.

Mensagem  Jack Jerripher em Qui Jan 19, 2012 12:43 pm

2...

O grande Palácio do Fim: Arcadia tinha finalmente perdido seu mestre, e respondia de acordo, estava desmoronando rapidamente, Luke segurava tanto Brenda quanto Kain com seu Gancho Ectoplasma, e Blair havia disponibilizado uma de suas Pumpkin Balloons, tanto para ela quanto para Gary, o grupo então pousou em segurança no chão, onde foram recebidos com entusiasmo pelos professores, que estavam só agora se recuperando do tiro que levaram de Utopia, não demorou muito para que estudantes, e também os quatro guarda-costas [a equipe de A.Del] viessem para fora, correndo e gritando como loucos, alguns os abraçaram forte, outros perguntavam o que havia acontecido com Blair durante todo esse tempo, mas outros poucos circundavam alguma coisa caída no chão.

Luke olhou para um grupo que estava reunindo em círculo, pareciam conversar cochichando entre si, o garoto pediu licença para a eufórica multidão, cortando caminho entre muitos de seus ''fãs'' recém-adquiridos, logo se encontrou com Brenda, Kain, Gary e Blair, e os conduziu até o centro do círculo separado de colegas; Shade estava estirado no chão, sua forma humana estava em trapos, indicando que estava perto da morte, - Eu queria saber... Qual foi o onjetivo de tudo isso? Perguntou Brenda que o encarava melancólicamente, - Não acho que importe muito agora, já passamos por tudo que ele jogou à nós... Disse Kain cruzando os braços, - Mas ele certamente tinha uma raiva por monstros, não tinha? Queria eliminar a nós todos! Constatou Luke, Gary virou-se para Blair, perguntando se ela saberia o motivo, - Como eu falei, ele surgiu do nada após o... incidente, com minha irmã, também não sei de onde veio... - Nós também não sabemos o que ele é... Alguém já viu algum tipo de monstro capaz de fazer o que ele faz? Perguntou Brenda, - Ele pode ser um híbrido... Mas de quais espécies, nem me pergunte, disse Kain balançando a cabeça, de repente, viram que os olhos de seu inimigo começaram a se abrir, e ouviram uma voz vinda de trás.

- Ele não é nenhum monstro que exista... O grupo se virou, e viu que um assombroso cavaleiro com uma armadura esqueletal, com uma chama azul flutuando no lugar da cabeça e empunhando uma grande espada ''zweidhander'' e os professores andavam na direção deles, os alunos não estavam mais na frente da Academia, possivelmente haviam sido mandados para dentro por segurança, já que a parede externa do castelo estava tão instável devido à explosão. Luke ficou espantado ao ver que a chama de repente envolveu o corpo inteiro do cavaleiro, o revertendo à forma humana e o revelando como sendo seu Diretor, Jack Jerripher, que falara anteriormente, - Como assim ele não é monstro? Ele não pode ser... Humano, pode? Perguntou Gary um pouco chocado, - Não foi isso que quis dizer, pigarreou o Diretor, ele não é nem monstro nem humano, mas é uma terceira existência, provavelmente mais arcáica que ambos, não estou correto, Raymond? Perguntou ele, mas o homem apenas virou sua visão para um dos lados, parecendo irritado, - O que realmente me preocupa é... Como voc6e escapou do inferno? Jack o questionou, Shade tossiu um pouco, e começou a rir, - Não me subestime... eu só precisava esperar que a barreira entre as dimensões ficasse mais fraca, e aí foi só se ''expremer'' pela abertura, riu-se ele, - E por acaso há uma chance de seus... ''parentes'' virem junto? Indagou o Dullahan, Shade riu um pouco mais e finalmente encarou os olhos do Diretor, - Não... eu os consumi há muito tempo atrás... Devo dizer, esperava que aumentassem meu poder, Shade então se virou e cuspiu sangue, um estranho sangue verde que ele não havia demonstrado durante a batalha.

Blair ficou enojada, de como ele poderia ter consumido seus ''parentes'', mas Jack os disse que o processo não era bem o mesmo, - Shade, como o conhecem, não pode ser considerado exatamente uma existência, está mais para um ''remanscente'', Brenda o perguntou sobre o que ele queria dizer com remanescente, - Bom, em outras palavras, ele é um mero avatar do universo, como a junção de um sentimento das pessoas, que desde tempos imemoriais se alojou como resíduos, e lentamente o deu forma... Este, de acordo com minha suposição, seria, O Avatar da Inveja e Solidão, - Acertou na mosca, quer um prêmio? Indagou Shade com um largo sorriso, enquanto tossia mais e mais sangue verde no chão, - E isso nos leva à uma outra resposta, o porquê de você ter ministrado todo esse plano, me corrija se estiver errado, mas voc6e foi sempre uma existência sozinha, devorou até seus próprios semelhantes em esperanças de estar completo, você até formou sua própria ''escola'' de monstros como a minha, de seus ajudantes, quatro monstros com problemas em suas vidas e daqueles que você trouxe, e você abusou da necessidade deles, isso era tudo por desejar o que era dos outros? Por desejar não estar sozinho? Perguntou Jack, era estranho para todos como não existia um figmento se quer de diversão na voz dele.

Shade havia ficado profundamente irritado, havia perdido todo o seu senso de ''brincar com sua presa'', que demonstrara durante a batalha, - Porque você quis acabar com tantas vidas em seu esquema? Perguntou Jack, - Não é como se eu pudesse escolher, arruinar a vida dos outros é meu propósito no mundo! Shade declarou, - Está errado, assim que se libertou você poderia ter escolhido cursar um caminho justo, - E qual seria meu propósito então? Eu não precisaria existir? Indagou Shade, - Só estou dizendo que escolher um novo propósito é uma decisão mais nobre do que desejar o que é dos outros... Disse Jack, - Desejar O QUE É DOS OUTROS? QUEM... LHE DEU O DIREITO DE FUNDAR UMA ESCOLA?, QUEM LHE DEU O DIREITO DE VIVER NESSE MUNDO? QUANDO EU FUI FORÇADO À CONDENAÇÃO ETERNA NO INFERNO? QUEM... mas ele nunca completou a frase, e nenhum monstro o ouviria dali por diante, Jack, em um piscar de olhos, havia cravado Vespa, sua enorme Claymore no torso de Shade, o dividindo ao meio, - Nos poupe de seus discursos melodramáticos... O Direito não é nos dado assim, por alguém, temos que lutar por ele, que achasse outro propósito.

O corpo de Shade começou a mudar, estava agora parecido com o de uma pequena lagartixa feita da gosma roxa de antes, e tinha apenas um pequeno olho verde-claro, - Não tenham pena, crianças, de uma esxistência que fez escolhas erradas enquanto tinha outras que podia fazer... Súbitamente, pequenos portões apareceram, eram novamente os portões do inferno, Luke e os outros cobriram seus rostos de medo, mas do portão sairam dois tentáculos com espinhos, um deles perfurou Shade pela barriga... e o outro fez o mesmo com Blair, ambos gritavam enquanto eram arrastados para dentro, os professores, membros do colégio, e caçcadores, percebendo isso, correram tantando desvencilhá-la, tinham conseguido o retardar, pois Shade já havia sido jogado de volta no poço aparentemente sem fundo, mas mesmo assim o braço continuava levando Blair, mas assim que ela tocu sua abertura, gritando por ajuda, uma luz prateada pareceu separá-la do tentáculo, jogando a todos longe e fechando o portão.

- Mas... porque ele fez isso?! Indagou Luke que quase tivera um infarto, Brenda e os outros também queriam saber, Blair olhou para Jack, e o perguntou, - Sr. Jerripher... Aquela... ''coisa'' era a verdadeira forma de Shade? Jack respondeu que sim com sua cabeça, e ela começou a explicar, - É que... essa era a criatura que estava no pescoço de minha irmã quando ela... matou o resto de nosso grupo... Agora entendo, ambas fomos manipuladas pela mesma pessoa... Blair se irrompeu a chorar, seus amigos estavam prestes a consolá-la. mas perceberam que eram lágrimas de alegria, pois agora a bruxa sabia que sua irmã não tinha feito o que fez por querer, ela o tinha feito com intenções puras para salvá-la, mas Shade a fez matar a todos, e não só deixá-las escapar... por isso o inferno a queria, mas percebeu que ela não era a real culpada. - Querida... Você não precisa chamar Jack de Sr. Jerripher, começou Sophie, você ainda é nossa aluna, e uma aluna muito querida! A gentil Harpia a disse, Blair chorou mais, e agarrou Sophie, a abraçando, o grupo não demorou a perceber que ela havia caído no sono, sua árdua tarefa estava finalmente completa, ela podia agora procurar por seu próprio propósito... junta com seus amigos...


Próximo e Final Capítulo: 20/01
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Capítulo 30: Férias.

Mensagem  Jack Jerripher em Qui Jan 19, 2012 9:46 pm

1... E é isso!!

Assim como acontece após todo incidente, as notícias sobre o motivo do ataque se espalharam rápido, não só pelo castelo, mas foi uma grande notícia no mundo inteiro, transmitida tanto pela rádio dos humanos, cuja causa foi coberta como uma reação em cadeia de vasamento de gás, quanto a todos os tipos de notícias fechadas que os monstros e caçadores tinham, onde a causa também teve de ser coberta, para evitar pânico; Com o suporte do líder de Baal Stolas, a organização que regulamenta os caçadores legais, Igor Malkuth, que ficou na Academia por alguns dias junto de sua assistente, Kate Goldsmith, todos acreditaram, a maioria dos alunos concordaram, de própria iniciativa, em acobertar a história para seus pais, enquanto os pais dos que não concordaram vieram tirar satisfações com a equipe de ensino, que após os explicar todos os fatos, convenceu todos, sem exceções, a não tirarem seus filhos da Academia, nada de tal tamanho aconteceria novamente. Já no mesmo dia do ataque, Jack convocou os restantes membros do conselho, se desculpou por ativar sua forma original sem permissão, embora todos concordassem que foi necessário, e também pois o grupo, secretamente, lançou magias e técnicas de defesa mais poderosas ao redor da Academia, criando até novas partes nas terras do castelo, e o tornando o segundo mais seguro prédio do mundo.

E como geralmente costuma acontecer com tais eventos, sem mortes, este foi rapidamente esquecido, o castelo já estava, de acordo com Cattleya, com energia suficiente para restaurar seu dano sofrido sozinho, e as rachaduras causadas por Utopia, na parede externa, já começavam a aparecer fechadas novamente, e com a ajuda dos alunos no dia seguinte, o castelo parecia quase o mesmo. Mas a primeira coisa que o Diretor fez após o incidente foi prestar uma visita à seus três convidados inesperados, os três ainda estavam na ala hospitalar, só que agora na verdadeira, no oitavo andar, os três estavam acordados mas mantidos na cama por Cattleya e Hilda, eram os únicos ainda lá, e já atraíam a atenção dos alunos; Valery ainda estava confinada em sua monstruosa forma modificada por Shade, Blaise olhava melancólicamente para a nova marca engravada em seu pulso e Charles se mantinha com os olhos fechados, pensando na vida. Jack entrou pela porta, fazendo os três lançarem-no expressões de susto, ele fez sinal para que a enfermeira e sua assistente continuassem sentadas, Ele então conjurou uma espada larga com Chariot e se moveu em direção às macas dos três, - Vocês machucaram meus alunos... e isso demorarei muito para esquecer... Os três fecharam os olhos, temendo o resultado, - Mas... Se há algo pelo qual eu não poderia me perdoar... Seria por não impedir três jovens de andarem no caminho errado, eles então ouviram o barulho de algo desaparecendo, e abrindo os olhos, viram que o Diretor os encarava com uma expressão gentil.

A festa de final de ano havia sido adiada em três dias, o que estimavam que daria tempo tanto para arrumarem o colégio quanto para terem tempo de descansar. Os cinco involvidos, Luke, Blair, Gary, Blair e Kain, foram excluídos da limpeza... Mas se recusaram a não ajudar, por isso se juntaram à Equipe de Limpeza: 2F!, composta também de Juliet, Jonah, James, Carmela, Flint e mais alguns colegas, incluíndo os colegas de quarto de Luke, que não estavam tão chatos como o normal; A trindade, e Carmela [que, com apoio de Juliet, já se pronunciou contra a idéia de James e Jonah de adotar um nome falso começando com ''J'' para formarem um quarteto] haviam tomadoa a limpeza como oportunidade para botar o papo em dia, os explicaram como Samantha foi corajosa, defendendo à todos memso estando em seu limite, e como, mesmo falhando em parar Charlotte de vez, eles a expulsaram da Academia após uma longa luta pela qual passaram todos os estudantes, enquanto falavam isso, James e Jonah haviam movido uma estátua, que tapava um buraco na parede, e nele, dava para ver uma família de aranhas, ambos gritaram alto e lançaram uma combinação dupla de Magia de Trovão dentro do buraco, - Bom... Isso foi... Desnecessário, comentou Carmela, Juliet apenas enterrou sua face em sua mão.

Na noite da festa, Luke e companhia estavam um pouco atrasados, desciam as escadas do oitavo andar para chegarem ao quinto andar, pois a festa havia mudado de lugar, para o mundialmente famoso, ''Salão do Leão de Inverno'', o grupo de repente parou, encarando-se com uma visão inesperada, três jovens, que de começo não reconheceram, saiam da ala do hospital, eram Valery, Blaise e Charles, assim que os viram nas escadas, o trio parou Luke e seus amigos, e os explicaram que Jack os tinha curado dos poderes de Shade, com seu Crystal Dome, Kain achou o nome parecido com algo que ele já ouvira, e Blair o lembrou que foi a mesma técnica que Jack usara para restaurar Brenda à seu estado normal durante sua primeira transformação, outra notícia que os animou foi que o trio, a partir do ano seguinte, estaria estudando junto com eles, Valery havia sido selecionada para Lucemis, Blaise para Deprecius e Charles para Shypendus, 0 grupo proometeu que os ajudariam a se enturmar, e então os conduziram para o salão.

Adentrando o ''Salão do Leão de Inverno'', todos compreenderam por qual motivo ele era mundialmente famoso, era um lugar muito bonito, cores claras que refletiam entre suas paredes e suas janelas em estilos de vitrais, tinham um bonito contraste com a cor escura do chão, aparelhos iluminadores giravam sem parar, criando refletores de cores únicas em muitos lugares, a figura imponente da cabeça de um leão feita de pedra enfeitava a parede mais norte do lugar, ela ''parecia'' estar quase viva, e a cada meia-hora, parecia gerar um forte rugido, que admitidamente, demorava um pouco para se acostumar, duas máquinas de gelo seco eram dispostas de cada lado do palco, que estava sendo ocupado por uma banda de Rock N' Roll [precisamente de subestilo BritPop] criada por seres humanos, que não faziam a menor idéia de que tipo de ''pessoas'' estudavam na academia, mas niinguém podia ligar menos, todos permaneceriam em suas formas humanas nesta noite, a maioria vestia com a mesma roupa de festa que planejavam ir no dia inicial, não ligavam nem um pouco de já terem sido vistos com aquela roupa, Valery vestia um longo vestido branco com um colar de pérolas, e Blaise um vestido curto negro e meias calças invisíveis.

A festa estava animada, a música era boa aos ouvidos, as bebidas [tirem suas próprias conclusões sobre de qual tipo] eram caras e importadas, e a beleza do lugar já ajudava um bocado, o grupo de Luke estava relaxando um pouco e rindo, ao observarem que a música tinha mudado mais para o lado de dança de casais, houve uma pequena hesitação no ar, mas Gary chamou Brenda para dançar, causando uma reação em cadeia que formou os pares, Luke e Blair, Juliet e James, Jonah e Carmela, Kain e Blaise, Valery e Charles; Os professores, também sem nenhuma intenção romântica explícita, haviam se arranjado em, Jack e Ran Mao, Sophie e Antonni, Griffon e Samantha [Aaron e Margarete tiveram de se escalar com uma fofa dança da garota acima dos pés do homem], Igor e Kate, convidados, dançavam juntos, A.Del e DyyDean eram uns dos mais felizes pares, Kalifa animada estava levando o Sr. Chernekov quase a um infarto, e o casal de idosos Yuji e Babayaga dançavam juntos, e as recepcionistas, Mimi e Lorelei quebravam pares de tempo em tempo para dançar com alunos. Era.Simplesmente.Divertido.

Após os momentos finais da festa, um abrangente grupo formado por: Luke, Blair, Gary, Brenda, Kain, Juliet, James, Jonah, Carmela, Valery, Charles e Blaise, se reunia na escadaria do quinto andar, as garotas haviam tirado seus saltos e os garotos haviam refestelado as gravatas; Os últimos três haviam sido formalmente introduzidos à trindade e Carmela, Flint não havia comparecido pois tinha ganhado algumas fãs desde seu ato heróico no salão; Kain comentara que, antes da festa, realmente parecia o mesmo dia de três dias atrás, mas recebeu de todos um olhar de desapontamento, nem como uma piada queriam reviver aquele dia, o grande grupo estava simplesmente contando piadas e discutindo sobre o agitado ano, era como se a negra nuvem dos recentes acontecimentos tivesse deixado o céu da Academia, Inimigos viraram Amigos, Amigos se tornaram Protetores, tudo estava bem.

O ultimo dia deste ano letivo havia chegado, após tomarem café, os estudantes tinham todos caminhado para a estação de trem, onde o maquinista, o Sr. Hecklar, cumprimentou a todos, dando o aviso para que os amigos se despedissem até o próximo ano, dentro do trem, haviam vários portais criados por Hierophant, pois muitos alunos não viviam na Europa, e como a Academia Grave também era um lar, havia a opção de ficar lá, opção adotada por Luke, Blair, Juliet, Carmela, e os três ex-inimigos, o grupo se despedia de Gary, Brenda, Kain e da dupla dinâmica, Juliet havia os enganado dizendo que iria ir para casa, mas assim que eles entraram no trem, ela se virou e saiu, ao ser indagada do motivo, ela apenas respondeu que como chefe do conselho deveria ficar no colégio, e ela já se corresponde com os pais trissemanalmente por meio da tela de comunicação no nono andar [mas seu principal motivo era que ela, sendo prima de Jonah, iria para o mesmo lugar que ambos, e ela sabia que precisava férias da dupla] Após terem embarcado, Gary, Kain, Brenda, James e Jonah apareceram no comboio traseiro, acenando frenéticamente para sua turma, antes de serem puxados de volta para dentro por um dos oficiais de segurança, Luke jurou ter ouvido um ''- NÓS ESCREVEREMOS!'' em conjunto dos cinco, e não podia deixar de rir desse unissom, ninguém havia se emocionado em exagero, sabiam que em apenas dois meses, estariam reunidos novamente. Sob o sol de uma manhã brilhane de outono, o grupo foi conduzido por Sophie à pé até o castelo. Ao chegar na encosta do morro, Luke se lembrou do dia em que veio para a Academia, e ao olhar a grande construção negra encimada através da ponte de madeira, ele soube exatamente como seria seu próximo ano. Tão Louco de Pedra Quanto Este!



Momento de Terror, Número 10: A cada três capítulos, uma historinha, como uma lenda urbana, será publicada no final, geralmente contada por um personagem da história.

Academia da Sepultura


Em um Círculo de pessoas sentadas no chão, incluindo os personagens até agora introduzidos, foram acendidas várias Velas, e então Luke disse, tendo preparado a fala à meses, que esta era, finalmente, sua vez de contar a história, o fantasminha camarada então se posicionou direito, apagou a vela a sua frente, e começou:

Luke: ''Era um dia quente de primavera, os termômetros estavam estourando na pequena cidade de Markseville, no estado do Arkansas, esta era a maior onda de calor documentada na região desde a última década, à sombra de uma árvore, um garoto loiro com olhos castanhos de 15 anos estava deitado, Luke vestia...''

Juliet: ''OBJEÇÃO! Todo mundo já conhece essa história! Como chefe do grêmio estudantil a condeno como VETADA!''

Luke: ''Mas...''

Blair: ''Bom Luke... Você sabe que não posso culpá-la...''

Sophie: ''Realmente Sr. Truesdale, isso foi meio inadequado...''

Luke: ''Mas...''

Gary: ''E ela realmente denegre meu personagem no começo!''

Kain: ''O seu personagem? Hello! EU sou o desvio cômico dessa coisa toda!''

Brenda: ''Pelo menos vocês não vão em uma viagem homicida na primeira dezena de capítulos!

Margarete: ''Nem são confundidos com uma garotinha pequena o tempo inteiro...''

Griffon: ''Bom Marge, essa não é bem culpa da história...''

Margarete: {Olhar da Morte}

Griffon: '''Ok... Ok...''

Aaron & Samantha: ''Não sabemos... Nós meio que gostamos da História...''

Ran Mao: ''SEM SPOILERS! AINDA NÃO ACABEI DE LER!''

Flint, Valery, Charles e Blaise: ''Pelo menos vocês foram mencionados por nome antes da metade do enredo...''

Jack: ''Olha Luke, voltando ao assunto, você já imaginou o tempo e a quantidade de velas que iriamos gastar para ouvir essa história? Ela é longa demais! Quero dizer... QUEM ESCREVE ESSA JOÇA? UM IDIOTA?''

Luke: '';_;''













Spoiler:
O QUÊ? É CLARO QUE TEREMOS UMA CONTINUAÇÃO!
avatar
Jack Jerripher
Admin

Mensagens : 277
Data de inscrição : 07/09/2011
Idade : 34
Localização : Passo Fundo, RS / Transilvânia

Dados da Criatura
Raça: Dullahan
Ano Escolar: Concluído

Ver perfil do usuário http://graveacademy.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfic: Grave Academy.

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum